Pensando alto: a análise informal do UFC FN 30

Renato Rebelo | 26/10/2013 às 21:55

Enquanto a Rainha tomava o chá das cinco com biscoitos amanteigados, cortes profundos, socos no fígado e braços hiperestendidos davam o tom da ação na Phones 4U Arena em Manchester, Inglaterra.

Sem mais delongas, vamos destrinchar o filé mignon do Fight Night 30:

LYOTOLyoto Machida x Mark Muñoz

Na melhor forma física da carreira, Lyoto perdeu volume, ganhou agilidade e nos fez pensar: por que diabos demorou tanto pra migrar pro peso médio? Afim de briga, o carateca tomou o centro do octógono imediatamente e armou a arapuca. Foram três bombas de canhota na linha de cintura de Muñoz que, já cabreiro, abaixou a guarda para se defender da quarta. Fim de papo. A pernada derradeira, como um raio, foi à cabeça e botou a “Máquina de Destruição Filipina” pra contar carneirinhos. Como sabem, ex-campeão desmantelando o quinto do ranking é sinônimo de caminho pavimentado:

O Machida quer lutar com o Vitor Belfort – respondeu Dana White de forma antecipada quando um repórter perguntou ao brasileiro quem ele gostaria de enfrentar em seguida.

PEARSONMelvin Guillard x Ross Pearson

Alguns centímetros e uma regra polêmica estragaram aquela que tinha potencial pra ser a luta da noite. De forma acidental, o Patolino americano acertou um joelhaço entre os olhos do campeão do TUF 9 – que estava na posição de três apoios. O golpe abriu um rombo ginecológico na testa de Pearson e o médico fez cara de nojinho. Agora, a dupla terá que esperar até o dia oito de março pra passar a pendenga a limpo. Merdas acontecem e o “no contest” tá aí pra isso.

Estou muito desapontado. Esse luta parecia que ia ser muito boa. O plano estava funcionando e eu estava me sentindo muito bem. Não fiquei abalado com a joelhada, mas o médico disse que o corte estava muito profundo. Tomei 32 pontos – revelou Ross Pearson.

JIMIJimi Manuwa x Ryan Jimmo

14ª luta de MMA e o “Poster Boy” ainda não sabe qual é a sensação de chegar ao terceiro round. Dessa vez, entretanto, por mais que tenha judiado das canetas do “Big Deal” com bicudas infernais, foi uma fatalidade que selou o TKO a seu favor. À la Romário (famoso por miguelar em treinos), o canadense, subitamente, mancou pesado, fez careta e pediu substituição. Parece que algum ligamento foi pro espaço. O invicto britânico, que nada tem a ver com isso, adiciona outro resiliente veterano ao currículo e segue fazendo barulho.

Nunca recusei luta na vida, luto com quem o UFC quiser – respondeu Jimi a um repórter que sugeriu um duelo com Thiago Silva.

LINEKERJohn Lineker x Phil Harris

Como previsto, “Billy” não suportou a patada do mosca com poder de meio-médio. Alias, o que o judoca estava pensando quando resolveu ficar plantado na frente do “Mão de Pedra”? A “genial” estratégia lhe pôs em posição fetal com 2m52s de prosa após um mortífero gancho de canhota no fígado. Se apenas conseguisse alcançar os 57 quilos, Lineker seria ameaça real à supremacia dos três mosqueteiros (Dodson, Benavidez e Johnson). Agora, após não bater o peso três vezes em cinco lutas, o paranaense pode acabar forçado a migrar pro peso-galo. Uma pena, porque lá o buraco é um pouco mais em baixo.

O Dan Lambert disse que vai levar esse garoto pra American Top Team, botar ele na Dieta Dolce e dar um jeito nele. Eu confio no Dan. Se esse garoto não tivesse falhado em bater o peso, provavelmente já teria recebido um “title shot” – lamentou o presidente do UFC.

E vocês, amigos, o que acharam da franca troca de gentilezas entre Alessio Sakara e Nicholas Musoke?

Abraços.

Tags: