Sexto Round palpita: Matt Hamill x Thiago Silva

Renato Rebelo | 08/10/2013 às 14:39

Nesta quarta-feira, o prato principal do UFC Fight Night 29 será Demian Maia x Jake Shields.

Como já dei uma pincelada no duelo, optei por meter o bedelho, desta vez, em Thiago Silva x Matt Hamill – uma das entradas do evento em Barueri.

Será que “O Martelo” consegue pregar o paulista no chão? Ou será que o poder do dono da casa renderá mais um corpo estirado?

Vamos ao prognóstico das “Mães Dináhs” do Sexto Round:

 

FERNANDOFernando Cappelli

Pouca gente lembrava de Matt Hamill. Faz mais de um ano que lutou pela última vez, quando venceu Roger Hollett, no UFC 152. Depois engrossou a estatística dos que adotam aquele discurso/mormaço de aposentadoria, que mais uma vez não se firmou realmente. Agora, o gringo reaparece no cenário frenético do UFC em um combate um tanto nonsense contra Thiago Silva. Famoso por polêmicas e reincidências em casos de doping, o brasileiro incorpora pra valer o estilão ‘do or die’, daqueles que se inflama quando sente cheiro de sangue, daqueles que pouco parecem se importar com dinâmicas ou estratégias de combate. Na última atuação, no Ultimate Fortaleza, levou atraso inicial de Rafael Feijão, mas teve nervos de aço inoxidável para aproveitar a primeira brecha, mandar algumas pedradas certeiras e vencer por nocaute. Contra Hamill, tem grandes chances de apagar o passado recente nefasto, e mostrar que novamente pode ser levado a sério como prospecto meio-pesado. Ortodoxo, Hamill é wrestler por excelência e condecorado no Tio Sam, com boas quedas e estabilizações nos clinches e jeitão menos vistoso nos outros ingredientes do MMA. Além da cara marrenta imutável, o paulista tem jogo sistemático de golpeia/derruba/amassa. No solo, por cima, tem passagens de guarda venenosas e gosta de acumular danos no ground and pound. Hamill não luta há mais de um ano. Claro que ele pode engrossar – sobretudo se o brasileiro alguma pane técnica, como já aconteceu – mas não dá muito para visualizar outra coisa: Thiago Silva vence por nocaute técnico.

 

RENATO_EDITRenato Rebelo (eu – pra não parecer que falo em terceira pessoa)

A última atuação impecável de Matt Hamill foi no longínquo 2009 (quando nocauteou o agora peso-médio Mark Muñoz com um chute alto). Logo depois, mesmo na crista da onda, “O Martelo” foi subjugado por Jon Jones (nenhuma vergonha aqui) e espremeu decisões sofríveis contra Keith Jardine e Tito Ortiz. Em 2011, Quinton Jackson e Alexander Gustafsson o mandaram para o sofá com surras sonoras. Resiliente, Hamill desistiu da aposentadoria logo em seguida e protagonizou, em parceria com já demitido Roger Hollett, uma das piores lutas de 2012. Indo direto ao ponto, tá difícil botar fé no veterano de 37 anos (inativo há 13 meses) e não no garotão que demoliu o duro Rafael Feijão em junho. Vejo, basicamente, um kickboxer mediano trocando um pouco antes de propor o jogo de isometria a um faixa-preta de jiu-jítsu maior, mais forte, sete anos mais jovem e com dinamite nas mãos. Joe Silva devia estar bêbado quando casou essa aqui. Garganta cortada ainda no primeiro round.

E aí, rapaziada, concordam ou estamos malucos?

Abraços.

Tags: , ,