Ainda que seja humilhado,
CM Punk merece respeito

Felipe Paranhos | 07/09/2016 às 21:12

Confesso que às vezes eu ainda fico surpreso com o fato de CM Punk ter migrado para o MMA. 37 anos, com uma carreira artística consolidada na WWE, milhões de lesões na bagagem e de dólares no bolso…

E resolve tomar porrada na cara no maior evento de MMA do mundo. 21 meses depois de assinar com o UFC, Phil Brooks finalmente vai entrar no octógono, neste sábado, contra o jovem Mickey Gall, 24 anos e quatro lutas no currículo — duas amadoras, duas profissionais.

E, antes mesmo de a luta — e o provável atropelamento — acontecer, bato palmas para a iniciativa do ator.

A nada mole rotina do Punk na Roufus Sports

A nada mole rotina do Punk na Roufus Sports

Então, aqui não vou gastar o tempo de vocês dizendo que ele vai sumir do esporte da mesma maneira repentina com que chegou. Isso vocês já sabem. Muito menos que ele não tem o nível necessário para disputar uma luta de MMA em alto nível.

Isso vocês também já sabem. A discussão que lanço aqui é sobre ter culhões.

Não é a primeira vez que toco no assunto coragem aqui. Vitor Belfort também suscitou comentário semelhante quando analisei a vontade de encerrar a carreira diante de grandes adversários, mesmo distante do seu auge.

No caso de Punk, o salto no abismo é ainda maior. Ok que Gall não parece ser nenhuma revelação maravilhosa do MMA, mas é um profissional com muito mais qualidades, bem mais tempo de dedicação ao esporte e um corpo bem menos maltratado.

E Brooks, bem, é um ator de lutas. Um ator de lutas que, a julgar pelos vídeos a que temos assistido de seus treinos, desenvolveu porcamente seu striking e é apenas um esforçado faixa branca de jiu-jitsu.

Quem leva, o garotão ou o 'coroa'?

Quem leva, o garotão ou o ‘coroa’?

E Gall tem no chão a sua melhor arma: além das duas finalizações que obteve profissionalmente e a faixa marrom, um vídeo em que resiste a Gordon Ryan — que já finalizou ninguém menos que Keenan Cornelius — em um torneio da North American Grappling Association mostra que Punk não deve achar nada contra ele se os dois deitarem no octógono.

CM Punk deve mostrar que a diferença dele para outro mortal amador é só o fato de que ele conseguiu chegar ao UFC sem nunca ter lutado antes.

Mas vem cá: que fã de lutas não gostaria de ter dois anos para tentar a sorte no maior evento do mundo? Isso mesmo, sem o perrengue, sem a correria do início de carreira. Do jeito de Brooks.

— Felipe, te dou X mil dólares se você se matar de treinar durante dois anos e fazer uma luta no UFC.

Eu iria.

Ele, famoso, com a vida ganha, amante dos esportes e com muita vontade de se testar, por que não iria?

Arrisco dizer que, independente do resultado, Brooks vai sair feliz da Quicken Loans Arena.

  • Hyuriel Constantino

    Sob essas condições tb, eu iria. kkk… Ótimo texto, Paranhos.

  • Idonaldo Gomes Assis Filho

    Cara, quero ver a bolsa do CM Punk, será que ele leva algo parecido com o que o Lesnar levou contra o Hunt? (talvez tenha exagerado, rs)

    • Renato Rebelo

      Acho q vai ser longe disso – mas deve ser ja casa dos sete dígitos

    • Não me surpreenderia se fosse algo baixo como bolsa, mas ele deve estar recebendo uma graninha boa para toda essa mídia que tem feito, reality com os treinos dele e afins.

  • Tiago Nicolau de Melo

    Merece muito respeito pela coragem, mesmo sabendo que vai ganhar uma boa grana. Sempre que aparece algum Torneio de Muay Thai/KB aqui pelo RS eu fico receoso de participar, pois todos temos nossos empregos pra cumprir e boletos pra pagar… e, claro, não existe prêmio no circuito amadorzíssimo. Mesmo assim já participei de três e tenho o incrível recorde de 2-1. Por isso eu não gosto de ler quando alguém fala que “Fulano tá com medo do Beltrano!”, porque raramente casam lutas entre dois lutadores tão distantes tecnicamente a ponto de um amedrontar o outro e só o fato de um cara treinar todos os dias pesado pra entrar numa jaula correndo o risco de tomar uma surra homérica diante de um monte de gente, já faz do cidadão um cara corajoso e respeitável.

    • Glauco Lopes

      Cara penso a mesma coisa, competi tem 1 ano, ganhei mas fudi meu ombro, me machuquei muito disso deixou minha esposa preocupada, pois não vivo da luta, trabalho muito e só treino 3 vezes na semana, fora que lutei peso pesado e meu último adversário era 20 kg mais pesado e 15 cm mais alto, ou seja ver o Brooks metendo as caras é digno de respeito.

      • Tiago Nicolau de Melo

        Por aí, mesmo…. tirando o lado financeiro de lado, seria como eu ou você (ou qualquer forense do 6R, já que nosso background em competição é quase zero) aceitar uma luta contra um lutador mais experimentado.
        Nas vezes que competi enfrentei adversários que tinham o mesmo número de luta(s) ou uma a mais do que eu apenas, não sei como foi contigo.
        Eu não teria aceito enfrentar um cara que já lutou bastante e tal, huauhahua.

        • Hugo F. Camargo

          Isso mesmo, compadres. Eu também já me aventurei em luta amadora de boxe e grappling. No grappling, lutei contra um cara da Bósnia casca-grossa que, embora fosse amador, tava trilhando o caminho profissional. Era mais jovem, mais alto, mais forte, mais técnico que eu. E tinha mais sangue no olho. Não vi a cor da bola. Tomei um amasso federal e fiquei feliz de não ter batucado, levei até o final, perdendo por pontos. No boxe, embora eu tenha me saído muito melhor, foi onde o bicho pegou. Levar soco na cara “valendo” é tenso, é uma adrenalina diferente. Subir no ringue, mesmo em evento amador, é algo que requer não só condicionamento físico e treino, mas muito do psicológico. E como você mesmo disse: para quem pratica alguma arte marcial como esporte, 2 ou 3 vezes por semana, é um lance que você quase só tem a perder.
          Não ganha dinheiro (aliás, se gasta dinheiro pra competir, na verdade), não ganha fama, nada. Ganha só uns street cred e a recompensa é pessoal. Eu não digo que o CM Punk tá nessa só pelo desafio pessoal, por que vai ganhar bem para lutar… Mas é um cara que já ganha dinheiro pra caramba. Então, eu respeito pela decisão, mas também vejo como falaram acima: um cara que já conseguiu tudo na sua carreira e por ter uma natureza de gostar de desafios, topa isso pra se testar. Crise da meia-idade, quase. Só pra quebrar a banca, botei no Confere que ele ganha por finalização. rs

        • Glauco Lopes

          Mano comigo foi o mesmo, fiz poucas lutas, a maioria contra caras co o mesmo numero de lutas que eu, com excessão da primeira que enfrentei um cara top pra caramba e é um lutador conhecido no brasil todo hoje. Apanhei que nem o Punk por 3 rounds. To pensando em lutar boxe agora, mas com 31 anos e 100 kg, nunca aceitaria lutar com um cara mais jovem e com mais lutas do que eu. Faço sparring toda sexta feira e as vezes no quesito cardio, levo um atraso da molecada, aguento mais castigo por ter mais tempo e ter mais experiencia, mas idade a menos faz muita diferença.

  • Sexto Empírico

    Estaria CM Punk sofrendo algum tipo de “complexo de macheza”? Estaria ele, uma celebridade rica e famosa, sendo levado por aquele impulso obsessivo que faz pessoas, q ja têm tudo na vida, quererem nadar com tubarões ou morrer tentando alcançar o Everest? Nada contra a WWE desde q esta ficasse no universo infantil. Um show da Xuxa das lutas. Aprendi a gostar de arte marcial vendo, quando criança, filmes, desenhos e “telecatch”. Mas cresci e agora me importam as coisas de adultos. Sinto algum constrangimento quando alguém vem falar sobre lutas e diz q viu algum golpe espetacular e mortal de alguma AM de 2a. Ou q se algum ator, como aquela besta do Seagal, ou se alguém do WWE quisesse lutar mesmo a sério não dariam hipótese a ninguém. Vão dizer: “Isso é coisa de fans!” Não, amigo. Isso é coisa de gente estúpida mesmo.

    • KRS Porlaneff

      Segundo meu raso conhecimento teórico de escalada, o Everest é uma montanha relativamente fácil, pra quem tem um preparo entre o razoável e o médio, mesmo subindo pelo lado mais difícil (norte, salvo engano) e sem usar oxigênio engarrafado. Dizem que o bicho pega mesmo é no K-2 (na mesma região) e no Aconcágua, aqui nos nossos vizinhos.

      Mas deixando esse papo de “montanhologia” pra lá, se é que existe essa palavra, a luta livre profissional é um esporte como outro qualquer – envolve muito treino, muita técnica, muita repetição, mas ao contrário do que parece, ele fica no meio de um caminho entre a luta/arte marcial e a ginástica artística (que chamamos aqui no Brasil de olímpica como se a rítmica não fosse parte do evento), só que esse “meio do caminho” se aproxima bem mais da ginástica do que da luta.

      Enfim, é um entretenimento levado muito a sério, por mais contraditório que isso pareça. O caso de Phil Jack Brooks, AKA CM Punk, pode ser um pouco de “cansei de ser um ginasta que sabe aplicar golpes de artes marciais sem machucar outra pessoa e agora vou pra onde a porrada come solta”, ou um simples caso de titio Dana pedir pra Vince McMahon oferecer uma bela quantia de dinheiro a alguém de seu roster – tirando Brock Lesnar – que seja rendável e todo mundo conheça a ponto de querer vê-lo sair de lá com a fuça toda amassada.

      E aposto qualquer coisa que, se rolou o segundo caso, PJB não era o primeiro nome da lista.

      • Hugo F. Camargo

        Um parêntese: Montanhismo, meu caro. Já subi uma montanha na Áustria. Fui com amigos experientes, que me falaram que era a montanha mais fácil da região. Foi o lance mais fdp de difícil que já fiz. Enquanto eu tava morrendo na metade do caminho, os meus amigos subiam tranquilamente. Sem contar que saber usar todo o equipamento necessário não é para principiantes, definitivamente. Pra quem curte montanhismo: a montanha que subi chama-se “Traunstein”, em Gmunden (1691m). Fiz o percurso até o topo em 5 horas, com algumas pausas, pela rota “Naturfreunsteig”.

  • Lero

    Eu tenho uma pregunta para o jornaleiro responde @renatosaraivarebelo:disqus
    Um cara como o CM Punk, com dois anos de treino de MMA moderno em uma das melhores academias do mundo… Conseguiria fazer alguma coisa no UFC 1?

    • Renato Rebelo

      Boa pergunta. Minha resposta tende a ser “sim, até a página 2”. Ou seja, acho que ele até poderia vencer uma aqui, outra acolá, mas Shamrock e o Royce já eram grapplers superiores a ele, por exemplo.

  • Glauco Lopes

    Cara se tem alguem que odeia esse lado “show” do UFC sou eu! Começei a ver essa porra em 1995, começei a treinara thai por causa do Ruas, ou seja amo a luta mas o show nem tanto. Tanto que McGregor, Bethe Correia, Page e Sage pra mim não passam de piadas!! Mas se tem um cara que ganhou minha torcida independente do resultado é Phil Brooks. O cara não tem nada a ganhar e tudo a perder! Mas tem duas coisas que falta a muitos lutadores hoje: Humildade e Respeito!! Fora que o cara tem culhão, e nem vem com hipocrisia pois o mesmo povo que fala mal do Punk é o mesmo que enaltece a palhaçada de um lutador limitado como McGregor!!! Punk é rico, casado com uma baita gostosa ( e poe gostosa nisso) tem uma base de fãs mais sólida do que a maioria dos lutadores do UFC, e está pondo a saúde e nome em xeque por nada!!! Por melhor que seja agrana que o UFC esteja pagando a ele, deve ser trocado comparado com o que ele ganha na WWE. Ou seja pela humildade, respeito, culhão e esposa gostosa o cara tem meu respeito e torcida.

    https://www.youtube….h?v=lGkhsqnSdKk

    • Hyuriel Constantino

      Realmente, nunca vi o caso de CM Punk por esse lado. O cara é cheio da bufunfa (e isso bem antes do McGregor) e nem por isso sai por aí pavoneando ou fazendo do microfone um penico de barro.
      Acho que seu argumento só fortalece o título da matéria: CM Punk has my respect.

    • WEEEEEL

      como um cara que não acompanha mma,mas acompanha a “Luta artística” de onde o Punk veio,eu tenho que dizer,o cara tá arriscando a vida naquele octógono.ele passou uns 15-18 anos e pelo menos 8 desses foram no calendário massante da WWE(é claro que eles usam os scripts e tal,mas nao quer dizer que levar porrada,mesmo que combinada 300 dias por ano não quebra seu corpo).Ele tá pedindo pra aposentar de primeira

      • Glauco Lopes

        Cara confesso que não sou xiita chato, eu curto WWE, Undertaken, Bautista, Misterio e por ai vai!! Sou homem para admitir que falei mal do Punk quando soube que ele viria para o UFC, mas vendo o dia a dia do cara (pelas câmeras, não sei como ele é pessoalmente) parece ser um cara bacana, carismático e muito humilde apesar de ser multimilionário, mora num lugar bacana mas sem ostentação, tem ua esposa linda e é sempre atencioso com os fãs, mesmo que tome uma sova e nunca mais volte tem minha torcida pelos colchões que teve e pela atitude respeitosa com todos. Ver ele ouvindo o Duke Roufus e honrando seu treinador como um verdadeiro artista marcial é de encher os olhos, especialmente numa época onde palhaços como McGregor tratam o treinador como um mero empregado. Vencendo ou perdendo Punk ganhou um fã!!! Fã do respeito, do serhumano da pessoas gentil. Até que prove o contrário!! Abs

  • Marcelo

    Eu gosto dessa história, eu não conheço os personagens da luta livre, do WWE e etc, então pra mim essa é a história de um sujeito que tinha sucesso em outra profissão, milionário, e aos 35 anos resolveu mudar para outra e dois anos depois aqui está ele prestes a completar essa mudança. Eu respeito qualquer pessoa que não é acomodada e que só faz o mínimo. Tá faltando.

    • Lero

      falou todo… O cara só é suado o tempo todo porque veio do telecatch. Mas fosse tipo o Messi e a galera estaria falando que ele é muito corajoso.

    • Gabriel Quintanilha

      digo o mesmo cara…e vou torcer pra ele vencer essa, certamente saiu de sua zona de conforto, e grana não foi seu principal atrativo, provavelmente existem desejos pessoais envolvidos e por conta disso, trabalho duro pra tentar chegar no objetivo…

  • Eu acompanho os 2 (MMA e Pro Wrestling), e é engraçado ver o pessoal do lado de lá achando que ele vai se dar super bem e “arrebentar” no UFC hahaha. No início eu tentava alertar que CM Punk é uma coisa e Brock Lesnar é outra, mas desisti faz tempos…

    Mas enfim, realmente como supracitado, só do cara ter culhões de subir no ringue e trocar porrada real (apesar que na WWE vira e mexe voa uns dentes e abrem-se uns cortes kkk) já precisa, no mínimo, ser parabenizado.

  • Ridelson Medeiros

    – A palavra “coragem” hoje em dia n vale muita coisa.

  • Idonaldo Gomes Assis Filho

    Incrível, ele tá puro osso na pesagem…

  • JuLemos

    Já tenho que tirar meu chapéu porque admito que duvidava – e muito – que o cara chegaria ao UFC.
    Sou do tempo dos Gigantes do Ringue… meu pai me levou pra conhecer o Michel Serdan! Meu lado saudosista aplaude o Brooks.

  • José Nilson Medeiros Júnior

    CM PunK perdeu, mas pra mim é a primeira vez que vejo um derrotado ser mais relevante que seu algoz. Parabéns ao Punk. Entrou, não correu, lutou e merece meu respeito. Virei fã desse cara normal que enfrenta seus duros desafios e não corre. Esse fdp me inspirou.

Tags: , ,