Clay Guida x Chad Mendes e o futuro de José Aldo

Renato Rebelo | 29/08/2013 às 22:45
mma_e_guida_maynard_b2_6001

Guida evitando Maynard

Desde que o joelho de José Aldo encontrou seu queixo no Rio de Janeiro, Chad Mendes vem espalhando angústia e sofrimento pela divisão.

Que o digam Cody McKenzie, Yaotzin Meza e Darren Elkins, violentamente abatidos no primeiro round pela fúria do pequeno Alpha Male.

Se o veterano Clay Guida não frear seu avanço neste sábado, a chance de vingar-se do campeão fica tão madura que pode cair da árvore.

É claro que não é prudente descartar o valente “Carpinteiro”, mas, pelo menos no papel, o casamento não lhe favorece.

Mendes sempre se apresenta em grande forma física, bate pesado, é mais rápido e melhor wrestler (All-American, em 2006).

Da última vez que enfrentou alguém superior em diversos quesitos (Gray Maynard), vimos Guida evitando o confronto a todo custo com um bate-e-sai tosco.

Também será difícil jabear “Money” até a morte – fazendo-se valer da envergadura superior (1,75m x 1,68m) –, uma vez que o rival não joga no contra-golpe e costuma diminuir os espaços logo na largada.

Enfim, se confirmar o favoritismo, Mendes será mais um a barulhar a já nada pacata vida de Sean Shelby.

Outros dois que contam com o telefone do casador de lutas em “chamadas recentes” são Ricardo Lamas e Cub Swanson. 

O “Bully” abocanhou quatro vitórias consecutivas e vem “guardando caixão” desde janeiro.

Pettis1

E se “Showtime” também chamar Aldo pra acertar as contas?

A lesão de Anthony Pettis chegou a enchê-lo de esperança – mas o apelo do Zumbi Coreano falou mais alto.

Já o pupilo de Greg Jackson fez ainda mais: cortou cinco cabeças.

O que pesa contra é o fato de suas últimas derrotas terem sido exatamente para Lamas e Mendes.

E agora, qual deles fará o papel de Ben Stiller no novo longa-metragem hollywoodiano “Quem vai ficar com Aldo?

Nenhum, talvez…

Vai que o manauara se rende aos encantos de um peso-leve graúdo pós-UFC 164

Sempre luto na casa dos outros. Lutei em San Jose (cidade de Melendez) e agora tô lutando em Milwaukee (cidade de Pettis). Que tal a próxima ser no Brasil? – contou Ben Henderson de forma (nem tão) misteriosa ao repórter Ariel Helwani.

Nesse caso, chamem o obstetra porque vai ter gente entrando em trabalho de parto.

Abraços.