Três motivos para não perder o UFC Fight Night 27

Renato Rebelo | 27/08/2013 às 23:42

O UFC Fight Night 27, que rola hoje no estado das 500 milhas (Indianápolis), dará início a uma verdadeira maratona de MMA – que conta, no sábado, com o UFC 164 e com o UFC Fight Night 28 na próxima quarta-feira.

Pra quem curte os acompanhamentos tanto quanto o filé (que, no caso, é o card de Henderson x Pettis), vamos a três motivos pelos quais você deve ser ligar no Combate logo mais:

 

CONDITAcerto de contas entre velhos rivais

Carlos Condit e Martin Kampmann são, possivelmente, os meio-médios mais traiçoeiros do plantel de Dana White. Seus apelidos (“Hitman” e “Natural Born Killer”) já denunciam moços violentos capazes de nocautear e finalizar com a mesma facilidade. Em comum, também há a derrota recente para o barbudo Johnny Hendricks e o confere no UFC Fight Night 18. Na ocasião, detalhes fizeram a balança pender para o lado do dinamarquês – resultado contestado pelo aluno de Greg Jackson até hoje. Hora de tirar a teima e definir quem volta à coluna da esquerda. Pela inatividade de Kampmann em 2013, vou com o “aquecido” Condit.

 

DOSANJOSChance de ouro pro carioca

Depois de cinco anos nas fileiras da Zuffa, Rafael dos Anjos finalmente engatou a quarta (vitória consecutiva) e estacionou no cobiçado clube dos 10 mais. Se atropelar o “Cowboy”, que galopa logo a frente, o carioca de 28 anos entra, definitivamente, na fila dos que clamam pela cabeça de Ben Henderson. Apostadores creem que o arsenal de socos e chutes de Donald Cerrone será suficiente para dar-lhe o salvo conduto, mas, esse jornaleiro que vos fala, discorda. O combo Kings MMA (Rafael Cordeiro) + Gordo Jiu-Jítsu + Calvary Chapel Wrestling representa, pra mim, bela chance de Rafael espremer uma decisão unânime – ou até finalizar. Contra a corrente – e desconfiado do jogo de isometria do ex-namorado de Brittney Palmer-, meu voto vai para Dos Anjos.

 

KELVINJovem prodígio repaginado

Com apenas 21 anos, meio fora de forma e baixinho para o peso-médio, Kelvin Gastelum se inscreveu no “The Ultimate Fighter 17”. Pesando contra, ainda havia a pouca experiência no MMA (quatro lutas) e um emprego – no ramo de concessão de crédito- que lhe tomava oito horas do dia. No entanto, o patinho feio, última escolha de Chael Sonnen, se fez valer de força de vontade sobrehumana e wrestling eficiente para dominar veteranos e chegar à grande final. Lá, ignorou o colossal favoritismo do temido “Homem Ambulância” e levantou o caneco. Agora, finalmente favorito – e com o nutricionista Mike Dolce ao lado-, ele encara o porradeiro Brian Melacon – ex-Strikeforce– entre os meio-médios. Pelo que vi no reality show, vai ser difícil quebrar o ímpeto desse resiliente e iluminado moleque. Vantagem: Gastelum – se conseguir neutralizar o cruzado de esquerda nuclear do rival.

Tem mais alguma que vocês destacariam, rapaziada?

Abraços.

Tags: