Pilha de Mousasi em Belfort pode acabar colando

Renato Rebelo | 10/08/2013 às 17:41
belfort-divul

Madeira!

Pra início de conversa, reconheço que, além da atividade física e do checão, enfrentar Gegard Mousasi não é jogo pra Vitor Belfort.

Afinal, o holandês não bota a cara entre os médios desde 2008 e ocupa apenas décima colocação no ranking dos meio-pesados.

Voltar aos 84kg e receber, de cara, o desafiante número um é sentar na janelinha, tomar uma taça de champanhe e receber massagem nos pés (com direito creminho entre os dedos).

Além do mais, o “Dreamcatcher” é, talvez, o único mamífero na categoria – que não atende pelo nome de Anderson Silva– capaz de enfrentar – e frustrar- “O Jovem Dinossauro” em pé.

Com tantos ônus, o desafio foi prontamente negado ao SporTV.com no início de julho:

Se você quiser lutar com Vitor Belfort, você tem que conquistar isso. É como se você quisesse jogar com alguém nas quartas ou nas semifinais.

Na sequência, o Ultimate me apresenta solução ainda mais desconexa: Tim Kennedy.

O boina verde do exército americano, que vem de vitória nada impressionante sobre o já cortado Roger Gracie, sequer figura entre os 10 mais.

Além do mais, ao contrário de Mousasi, ele não traz consigo cinturões de Dream e  Strikeforce.

Via Joana Prado –esposa e empresária- mais um “não”:

Não faz sentido para o Vitor. A próxima luta dele entre os médios será contra o vencedor de Anderson Silva x Chris Weidman. Se o UFC quiser que ele lute em outra categoria acima dos médios, estamos à disposição. Pode ser qualquer um – o próprio Kennedy ou até o Roy Nelson.

Belfort-Rockhold-FOTO-Getty-Images_LANIMA20130519_0003_49

Madeira (2)!

O “Fenômeno” passou, então, a mirar Dan Henderson e Chael Sonnen.

Mas, por que abandonar momentaneamente seu habitat natural?

Bom, um cara que se autodenomina “Velho Leão”, certamente, de bobo não tem nada. Os motivos são simples:

1- Caso ele seja derrotado em qualquer outra categoria ou peso combinado, na teoria, seu status de desafiante número um entre os médios permaneceria intacto.

2- Considerando que ele atravessa o melhor momento da carreira aos 36 anos, esperar sentado pelo dia 28 de dezembro é uma baita furada. E se houver uma lesão grave? E se o desfecho de Anderson Silva x Chris Weidman II deixar uma trilogia engatilhada? E se Anderson vencer, quiser manter o cinturão e se recusar a enfrentar Vitor – por já tê-lo nocauteado? Tudo pode acontecer e Belfa, certamente, não está ficando mais novo com o passar do tempo.

O problema é que, ao tentar mover as peças no tabuleiro, o veterano vai minando sua relação com o patrão.

Afinal, pra quem assina o cheque, ter um camarada capaz de encher arenas no Brasil pinçando adversários é sinônimo de grana no triturador.

Nesse cabo de guerra, as palavras de Mousasi acabam soando como música no ouvido dos cartolas:

O Vitor é um lutador e ele é pago para lutar. Ele deveria fazer o trabalho dele com ou sem o cinturão e não deveria fazer exigências porque só está perdendo tempo e oportunidade.

Dana White, inclusive, já admite publicamente que o caldo entornou:

Vitor não quis a luta contra Tim Kennedy. Então, eu disse: está bem, vamos fazer ele contra Rashad Evans. Ele quer lutar em uma categoria mais pesada, vamos fazer ele contra o Rashad. Ainda não ouvi a resposta. Vitor me deixa louco, cara. Lorenzo (Fertitta) pode lidar com Vitor, mas eu não.

Vendo a chapa esquentar pro seu lado, o carioca não teve outra alternativa a não ser recuar:

O melhor é o silêncio. Não tenho nada a falar em relação a isso. Estou debaixo de uma autoridade – contou ao repórter Ivan Raupp.

Mousasi, dotado de toda aquela ginga e malemolência armena, aproveitou a brecha para dar mais uma carga:

Vou tornar isso fácil para o Vitor, se ele continuar a impor condições sobre contra quem ele vai lutar, eu vou enfrentá-lo em um peso combinado ou nos meio-pesados.

Agora, o veterano encontra-se de costas contra a parede.

Se os fãs ecoarem as palavras do europeu e o UFC resolver propor o casamento oficialmente, Vitor pode acabar sendo obrigado a aceitar pra não se ver em maus lençóis.

Pessoalmente, acho que faria mais sentido esperar o vencedor de Ronaldo Jacaré x Yushin Okami – que rola agora no próximo dia três.

Mas quem disse que a intenção é fazer sentido?

Como diria o sábio Capitão Rocha: “Cada cachorro que lamba sua caceta”.

Abraços.

Tags: ,