Flashback: O dia em que o “Wonderboy” não venceu

Fernando Henriques | 23/06/2016 às 20:55

O Menino Prodígio – nem tão menino – Stephen Thompson vem fazendo barulho entre os meio-médios do UFC. Sua trajetória desde a estreia, em 2012, segue um rito de evolução rígido.

Nem o atual campeão Robbie Lawler, com a primeira vitória apertada contra Rory MacDonald no UFC 167, antes de tornar-se campeão, e a conquista do título em luta também parelha contra Johny Hendricks, depois de perder na primeira tentativa, foi tão sonoro nesta fase pós-GSP da categoria.

É inevitável desejar o confronto entre esses dois e imaginar o que pode acontecer.

Depois do UFC Fight Night 89, além de ter ficado mais evidente a desproporção que foi o casamento Robbie Lawler x Tyron Woodley (parado há quase dois anos), ficou claro que Demian Maia, para nossa tristeza, terá que esperar mais e vencer mais uma para, talvez, conseguir uma disputa pelo título.

O nome da vez desta categoria é Stephen Thompson. Não há conversa.

Sua presença no octógono é diferenciada. Tal qual Lyoto Machida em sua caminhada ruma ao cinturão meio-pesado, em tempos de paridade na categoria, na Era pré-Jon Jones, Thompson intriga todos nós, acostumados com dois ou três scripts padrões de lutas dentro do octógono.

Sua movimentação, exportada do karatê, dificulta tudo que os adversários tentam fazer e seus golpes, carimbados com o impressionante selo de qualidade de um cartel de 57-0 no kickboxing, são dos mais precisos do esporte. Além de plásticos.

Mas o homem que parou Johny Hendricks com facilidade, sim, e anulou Rory MacDonald como nenhum outro que o venceu havia conseguido, tem como único algoz ninguém menos que Matt Brown, vítima recente de Demian Maia.

Não é intrigante?

Há, claro, um importante fato: Wonderboy era ainda um lutador em formação à época, em sua segunda luta no UFC, sétima na carreira, contra um veterano do esporte com diversas batalhas nas costas.

050514-UFC-matt-brown-fights-stephen-thompson-ahn-PI.vresize.1200.675.high.84

Brown foi pra cima desde o início

Porém, ainda assim essa derrota merece ser lembrada. Simplesmente por ser o único revés do novo número um do peso, abaixo apenas do campeão.

Contra Brown, Thompson já apresentava a postura diferenciada em pé que apresenta hoje, porém jogava um pouco mais plantado, evadindo menos.

Porradeiro que é, Brown não respeitou o poder dos chutes do carateca e encurtou a distância sem medo, fazendo Thompson andar para trás durante toda a luta (!). Na primeira tentativa de queda, no round inicial, foi frustrado da mesma forma que MacDonald no último final de semana.

Thompson é liso e escorregou sua perna pelos braços de Brown. Sua confiança a esta altura estava alta. Mas na segunda vez que “grudou”, após agarrar a perna de Thompson depois de um chute, Brown não soltou mais, avançou para um double leg, depois voltou para o single e, com custo, conseguiu a queda.

Foi a queda mais difícil da luta. A confiança de Thompson, que parecia atingir o teto, sofreu um abalo.

Conseguir quedar...

Conseguir quedar…

Cunhado de Carlos Machado, irmão do famoso Jean Jacques Machado (a Família Machado é “prima” da Família Gracie), Thompson defendeu-se bem de uma passagem de guarda e conseguiu se levantar – ele não é bobo no solo (hoje amarra seu quimono de jiu-jítsu com uma faixa-roxa).

Mas Brown estava decidido a ser um grappler naquela noite e seguiu a estratégia de encurtar rapidamente e derrubar. E quando não conseguia, mantinha-se grudado, num clinch “limpo” ou como pudesse; o importante era estar onde os poderosos chutes do adversário não o encontrariam.

O roteiro praticamente se repetiu no segundo round, porém, por estar mais cansado, Brown impôs um ritmo menor nas sequências de quedas e foi forçado a trocar por mais tempo.

Em pé, mesmo levando atraso, não parou de andar para frente e forçou Thompson a uma trocação mais “suja”, na curta distância, onde inclusive conseguiu um knockdown com um ganchinho de direita após segurar a nuca do Wonderboy com a esquerda. Coisa de lutador malandro, maceteiro.

Na sequência, depois de derrubar um striker superior com um soco, se empolgou e avançou para um ground and pound feroz que abriu um corte na testa do adversário (joelho na barriga e soco na cara, à moda antiga).

E marcar pontos no ground and pound

E marcar pontos no ground and pound

No terceiro e derradeiro round, depois de um sufoco inicial em pé, novamente Brown dominou através do grappling, encontrando menor resistência dessa vez, ante um adversário já cansado.

A luta acabou com uma cena impactante: Brown na lateral de Thompson, com um triângulo encaixado e o outro braço dominado, impondo-lhe socos sem defesa (posição idêntica a que Mike Pyle conseguiu contra o prospecto, à época, John Hathaway, lembram?).

Os momentos finais dos rounds 2 e 3 se configuram um passeio tão grande que nem o mais otimista fã de Wonderboy seria capaz de projetá-lo como desafiante número 1 da categoria em quatro anos.

Striker agressivo, Brown tornou-se um grappler (igualmente agressivo) contra um striker melhor. Não seria essa a estratégia certa mesmo após Thompson ter evoluído no wrestling?

Provavelmente, Matt Brown não conseguiria atuação similar contra a versão atual do carateca/kickboxer, que além de melhor preparado fisicamente (dá para ver que o shape melhorou, ao menos), aprendeu alguma coisa de wrestling com Chris Weidman e, mais importante, não freia sua movimentação evasiva por um segundo.

Wonderboy atingiu outro nível, é verdade, mas considerando as hipóteses à mesa, se você bate 77kg e não tem a capacidade de encarnar um demônio no octógono, como Robbie Lawler, a estratégia adotada por Brown segue a mais recomenda. O famoso “abafa”!

Claro que não existe receita pronta no MMA, esporte complexo que não cansa de nos surpreender e subverter a lógica. Porém, neste caso, soa-me como uma questão de falta de opção.

Contra Stephen Thompson é isso – entrar no raio de ação o tempo todo, tentando derrubar e, se trocar, que seja na curta – ou ser dominado como o monstro Rory MacDonald foi.

Aguardemos as cenas dos próximos capítulos.

Nota de rodapé: Nós conhecemos um lutador, dessa mesma categoria, que vem também de uma ótima sequência de vitórias e é especialista exatamente neste jogo sufocante de grappling. Será que um dia essa luta acontece?

  • João
    • Jp Mikelane

      simplesmente sensacional

    • Idonaldo Gomes Assis Filho

      Tem que ser uma luta foda pra tantos bons momentos de ambos.

      • Na real, o highlight faz parecer que o Thompson foi menos dominado.

        • João

          Eu achei que ele lutou bem cara, na medida do possível, kkk.

  • Sexto Empírico

    Analogia do Empírico
    McDonald vs Thompson (É! De novo esse assunto!)
    Em um futuro próximo, Brasil e Argentina, respectivos 2º e 3º do ranking, disputam a semi-final da Copa do Mundo. O vencedor encarará, na final, a poderosa, a destrutiva usurpadora de almas Alemanha.
    A partida começa. Todos estão nervosos. Torcedores tensos, jogadores com os nervos à flor da pele. A atmosfera está tão densa que parece que, com uma faca, conseguiríamos fatiá-la. No decorrer da partida, a bola é tocada no meio de campo. Os craques mostram suas habilidades, mas sem serem agressivos. Apesar do gigantesco potencial técnico, as duas equipes evitam se expor. Receosas, respeitam-se. Não querem correr riscos. Quase não há tentativas de ataque. O jogo acaba empatado. Sem gols. Disputas a pênaltis foram abolidas e os árbitros, por pontuação, decidem quem venceu.
    Alguns torcedores vaiam.
    Outros, junto a alguns jornalistas e críticos, chamam-lhes, os que vaiaram, leigos que não entendem e por isso não sabem apreciar táticas, estratégias enxadristas, nem tão pouco a beleza das movimentações etc. E que, por serem ignorantes, só quererem saber de saciar suas buscas por emoções, só pensarem em Gols, serão sempre privados desse maravilhoso êxtase, indescritível orgasmo reservado unicamente aos observadores mais sábios. Prazer inigualável o qual somente uma partida terminada em 0 a 0, sem chutes a gol e decidida por pontos pode proporcionar.

    • Hyuriel Constantino

      Vc só esqueceu dois detalhes:

      1) a tal partida que vc descreveu, por dois juízes, deu 5-0 (um outro deu 3-2).
      2) Hendricks embarcou na sua “estratégia emocionante” e encarnou o Brasil contra a Alemanha. 🙂

      • Sexto Empírico

        Kkkk… a do Hendrix foi boa!

    • Felipe Oliveira²

      Eu queria saber apenas como o Rory saiu com o nariz quebrado se nenhum “chute a gol” foi dado.

      • Sexto Empírico

        Felipe, acho que foi pela marcação muito truncada no meio campo, hahaha… Também acho o Wonderboy um lutador fenomenal, por isso fiquei frustrado. E é bom apimentar um pouco o debate. Quando se fala do Thompson esse fórum fica meio com cara de Fanpage.

  • André Lira

    Sobre a nota de rodapé: será que o Demian iria ser capaz achar o Stephen dentro do octógono e encurtar devido as evasivas e ao magistral controle de distância do segundo, pois eu não acho que ele vá se arriscar e encurtar na grosseria como o Brown fez se arriscando a tomar um bica no meio da fuça terminar caindo apagado.

    • Thompson seria favorito, mas acredito que por pelo menos um round o Demian consegue impor seu jogo.

      • Igor Martins

        e eu achei que o gunnar nelson iria conseguir se impor tbm por ter um jogo forte no karatê, mas parece que preferiu ir lutar no chão mesmo. agora contra o wonderboy se chegar a ter essa luta é levar pra baixo no primeiro round para desgastar/finalizar o adversario por que ficando em pé o wonderboy vai magoa-lo concerteza. é uma luta que quero ver.

        • No caso, o Gunnar não preferiu lutar no solo, foi o Demian que impôs seu jogo sobre ele.O islandês apenas não fez muita força para evitar isso, preferindo tentar trocar posição.

    • Eugenio

      Infelizmente, acredito que contra o Wonderboy Demian teria sérias dificuldades e não conseguiria encurtar de forma eficaz. PORÉM, contra Lawler, acredito que Demian tem grandes chances de impor seu jogo eficaz de jiu jitsu. Lawler jogo mais plantado e gosta de andar pra frente, exatamente o que o Demian precisa para fazer seu jogo.

      • André Lira

        Sem falar que o Jacaré já conseguiu finalizar o Lawler, claro que não era o Lawler de hoje e o Jacaré tem a vantagem de ser maior e mais forte fisicamente coisa que eu não acredito que o Demian seja , mas eu não acho que ele tenha melhorado absurdamente no jiu-jítsu a ponto de frustrar o Demian se a luta for para baixo. O problema é leva-lo para baixo, pois o Hendricks que é o melhor wrestler da categoria teve muito trabalho para travar o Lawler e só foi conseguir quedá-lo depois de incontáveis tentativas, o Demian não possui o nível de wrestling do Hendricks e eu não sei se seu queixo vai aguentar os contragolpes que possivelmente poderá tomar nessas tentativas, mas se conseguir ter êxito nessas tentativas está com a faca e o queijo na mão. Agora para conseguir vencer, o Demian tem que finalizar até o 4° round ou já ter a luta nos pontos garantida, porque se a luta chegar no 5° round e o Lawler ligar o Slayer Mode, não sei não hein, mas cabeças vão voar.

        • O Demian não precisa derrubar ele, apenas lutar colado a ele. Depois que ele descobriu isso, provavelmente revendo Royce Gracie lutar, sua carreira deu uma guinada.

          • André Lira

            Realmente, olhando por esse aspecto dá para ele fazer isso. Espero não está sendo muito chato e ter dado a impressão de que não acredito que o Demian possa vencê-lo, pois eu acredito, só não acho que na hipótese dele vencer vai ser esse passeio todo que temos visto nas últimas lutas. Valeu pela consideração.

          • Que chato que nada, sua visão é muito bem embasada. Thompson está voando.

  • André Regal

    “Integrante”?

  • Rodrigo Tannuri

    O que me impressiona no Thompson, além da movimentação e técnica em pé, é a contínua melhora no wrestling, principalmente na parte defensiva. Será incrível vê-lo contra o Lawler (caso confirme o favoritismo sobre o Woodley), porque este, por mais que a luta esteja difícil, não se entrega e costuma virar o placar. Que categoria!

    Obs: ainda quero ver essa revanche 🙂

    • Do Brown contra o Stephens? Tadinho do Brown. Sobre o wrestling, funcionou muito bem contra o Hendricks, mas nessa luta com o MacDonald, o que lhe garantiu a luta em seu terreno foi essa movimentação bizarra dele. Rory não o achava.

      • StrikingTruth

        A movimentação realmente é o que mais faz diferença, mas a evolução do garoto na defesa de quedas e jogo de grade é nitida. Rory manda muito bem nisso e dessa vez, mesmo quando conseguiu “grudar” no thompson, ñ arrumou nada. Os treinos de wrestling com o weidman estao sendo muito produtivos, ta na hora do weidman mostrar tb se aprendeu algo de kickboxing com o garoto…. Pelo menos uns chutes…. Kkk

        • Da última vez não deu muito certo esse lance de chutar, hein, melhor seguir com o feijão com arroz.

          • StrikingTruth

            exatamente por isso que mencionei, Fernando. Não faria mal aprimorar essa parte, tendo ainda um dos melhores no quesito para acessora-lo. Imagina weidman soltando chutes “a la belfort com trt”? Kkk

  • Caio Abreu

    Cara já faz um tempo que esse cara vem chamando a minha atenção, fiquei impressionado com a atuação dele contra o Côté. depois fiquei sabendo que ele ajudou o Weidman na preparação para o Anderson. Além dos videos de kickboxing nos quais ele nocauteia brincando, acho que ele esta preparado pra ser campeão, pois esta conseguindo manter a luta onde é diferenciado e já deu pra ver alguma coisa do seu jogo de solo, não acho que seja um cara facilmente finalizado, além de nitidamente ser um lutador técnico.Uma vez perguntei ao nosso caro Renato Rebelo o que faltava pro Karateca estourar e ele me falou horas de voo. acho que os intercâmbios e lutas deram isso a ele. vamos ver se ele está preparado para encarar um cara de espirito indomável feito lawler que que vai colar o queixo no peito e ir pra dentro dele desde o primeiro minuto,(obs, não estou menosprezando o Woodley que acho uma luta dificil pro Lawler devido sua potencia e wrestling ) mas a luta do 77 que todo mundo quer ver é espadachim vs o Kratos da vida real.

  • Seth Martins

    Depois vem gente dizer que Conor McGregor é o melhor Striker do UFC.

  • Paulo Zanchet

    Sou fã dos seus textos, muito bem escritos e embasados! Já escrevi isso, né? kkkk Olha só, Henriques: eu acho que se rolar Thompson vs Lawler, e o Lawler quiser sair na trocação, será igualmente massacrado pelo carateca. É o meu palpite, mesmo sendo o Lawler um dos lutadores que mais gosto de ver lutando. A maneira como ele tirou pra nada seus dois últimos (perigosíssimos) adversários foi uma coisa absurda. A trocação/movimentação do cara são muito foda. O Cramulhão terá que incorporar pra valer. E também não vejo outra maneira de anular o jogo de Thompson: só na base do “abafa” mesmo. O difícil será colocar isso em prática, haja vista a melhora no seu jogo defensivo. Mas reitero o que vc disse, MMA é muito complexo e tudo pode acontecer. É por isso que o esporte é tão empolgante e blá blá blá (aquele chavão de sempre). Abraços

    • Obrigado, Paulo. Concordo contigo que os últimos dois resultados do Wonderboy são sonoros demais, maiores que tudo que o Lawler fez, até. Escrevi isso no começo do texto. Ainda assim, confio no atual campeão contra o Thompson. Ele vai transformar a luta numa batalha de vida ou morte e, mais uma vez, vai sobreviver.

      Só o vejo perdendo para alguém com perfil similar ao do GSP, capaz de derruba-lo e mantê-lo no chão boa parte da luta.

      • StrikingTruth

        Muito bom o texto Fernando, parabéns. Concordo que o campeão vai entrar no “zoombie mode” e proporcionar uma batalha sangrenta, mas se olhar pra seus desempenhos contra o hendricks e o rory, que foram brutais, mas bem parelhas e comparar com o desempenho do thompson sobre os mesmos, não acho que sua raça e furia serao suficientes pra frear o garoto. O rory, que muitos ai disseram estar “bem abaixo” do que costuma apresentar, é um lutador muito inteligente, e fez o dever de casa, trazendo 2 dos melhores kickboxers (sendo um deles, o unico que trocou de igual pra igual com o thompson) para auxilia-lo na preparação, o que rendeu bons frutos, vistos os golpes que conseguiu encaixar, cortando bem os angulos no timing correto, porem nada disso foi suficiente e o garoto dominou do inicio ao fim. Não creio que o campeão va fazer um jogo tao cerebral assim e na trocação franca, se engolir a mesma quantidade de golpes como quando enfrentou o canadense, é capaz até de ser nocauteado (dificil, mas ñ impossivel). Vou de wonderboy nessa.

        • Você tem razão, o favoritismo é do Wonderboy. Mas meu ponto é que Lawler não respeitá-lo como O Rory respeito e, com isso, vejo o Thompson talvez saindo de seu jogo ou se enrolando para evadir como sempre faz. Não é tão fácil seguir o plano de luta com uma chuva de socos descendo no seu rosto.

        • Eugenio

          Exatamente. Nem Lawler, nem Demian, na minha opinião, conseguem parar esse cara. Wonderboy vs GSP, porém, seria uma batalha interessantíssima!

  • Coelho Bruno

    E além de tudo é lindo! Que homem! Que homem! Kkkkk…

  • Thorens Acchuphase

    Muito legal esse texto! Na questão de andar pra frente, agressividade e experiência, o Wonderboy vai encarar um lutador com essas características mais acentuadas ainda!
    Um característica importante do Thompson é que ele não se deixa levar pela soberba e sempre respeita ao máximo o adversário e uma característica marcante do campeão é que quando ele sangra e volta cambaleando pro intervalo ele volta totalmente recuperado, cuspindo sangue e sorrindo! O cara parece o Wolverine! Se a leitura do Rabelo se concretizar, teremos um duelo muito mais parelho do que se parece e quem sabe uma vitória surpreendente do campeão por nocaute!?

    • Dow Jones

      Bom, acho que vai ser nocaute também, mas do Thompson. Na luta contra o Condit o Lawler estava andando pra frente… até entrar a primeira carimbada, na hora ele ficou esperto e diminuiu o ritmo.

      • Thorens Acchuphase

        O Thompson é de fato o favorito nessa luta e manter o cinturão será “zebra”. Estou curioso pra saber qual será o gameplan do campeão diante de um estilo tão eficiente como o Wonderboy? Eu espero que ele não tente jogar na meia-longa distância e que vá pro infight, mesmo que pareça kamikaze, mas só vejo o Lawler vencendo se ele fizer isso! Vai ter que se arriscar, absorver os chutes ou tentar segurar a perna cair pra dentro e tentar um “One punch knockout”.

  • Idonaldo Gomes Assis Filho

    Ótimo texto, parabéns. Thompson x Champ é realidade já com GSP ou sem GSP, eu fico imaginando se o Woodley vence a luta, o que a categoria dos meio médios ia virar… Joe Silva ia ter um AVC com as possibilidades.

    • Obrigado. E acho que mesmo com GSP de volta, Lawler vs Thompson deve acontecer.

  • KRS Porlaneff

    Não sei se mais alguém aqui foi do extinto forum de discussão da revista Tatame, mas desde aquela época (entrei lá no final de 2011) que eu vi aquele nocaute federal no Dan Stittgen que eu boto fé no Wonderboy – abriu forte o card do 143, mas pena que não foi assim até o fim aquele evento com aquela disputa de cinturão interino bizarra que era pra ser a luta do século e foi a pior do ano.

  • Ridelson Medeiros

    – Thomps x Gsp eu acredito!

  • Rudá Corrêa Viana

    Creio q se acontece vai demorar. Primeiro o wonderboy teria q se sagrar campeão e demian provavelmente teria q ganhar mais uma ou duas pra se manter ativo e relevante na divisão. Ou wonderboy não se tornaria campeão e demian tbm não. Aí casariam os dois para q o vencedor reencontrassem o caminho do cinturão o maos rapido possivel e com grande estilo. Em QQ desses dois cenários, vai demorar a acontecer. Mas em se tratando de UFC, tudo vale a pena qdo a grana não eh pequena.

  • Samuel Moreira

    De fato,não vai ser fácil encurtar a distÂncia contra o WOnderboy, mas se tratando do Ruthless que é ainda mais feroz que o Brown não duvido de nada,Stephen disputando o título,podiam casar GSP x Maia e o vencedor desse duelo enfrentava o vencedor do duelo anterior.

Tags: , ,