Com o retorno de A.S., quais são as opções de Belfort?

Renato Rebelo | 17/07/2013 às 19:30

No exato momento em que Anderson Silva anunciou não estar interessado na revanche contra Chris Weidman, Vitor Belfort deve ter aberto sorriso mais largo do que as bermudas de André Marques.

Afinal, a renúncia do ex-campeão poderia lhe tirar do limbo em que reside desde a épica pezada no queixo.

Acontece que o cruzado de canhota do “All-American” saiu mais azedo do que a encomenda e o desmotivado “Spider” reencontrou na vingança uma muleta para seguir caminhando.

Agora, entre uma dose de Maracujina e outra, o “Jovem Dinossauro” estuda seu próximo movimento no tabuleiro.

Sinceramente, espero que ele seja cauteloso, pois todas as opções atuais lhe oferecem muito risco e pouca recompensa – além do checão suculento.

O UFC também precisa pisar em ovos, já que não seria inteligente queimar uma estrela em fim de carreira – muito menos cortar futuros desafiantes pela raiz.

Rota 100% segura nessa linha de trabalho é utopia, portanto, vamos às alternativas:

 

MOUSASSIGegard Mousasi
Malandro, o ex-campeão de Dream e Strikeforce mirou alto no seu retorno ao peso-médio. Belfa, em entrevista ao Sherdog, parece não ter curtido o desafio: “Se você quer lutar contra Vitor Belfort, você tem que conquistar esse direito. Não gosto de como as pessoas usam o Twitter para conseguir oponentes. Se Mousasi quer lutar com alguém, vá lutar com Luke Rockhold, vá lutar com Michael Bisping”. Realmente, o armeno não bate 84kg desde 2008 e teve estreia inexpressiva no Ultimate – contra o tapa-buracos Ilir Latifi. Apesar de não fazer muito sentido, o poder de fogo do “Dreamcatcher”é tenebroso. Pra mim, apenas ele e A.S. seriam capazes de frustrar Vitor em pé na categoria.

 

WANDERLEIWanderlei Silva
Desde a barragem de socos que o atingiu em 16 de outubro de 1998, o “Cachorro Louco” espuma para dar o troco. Acontece que, pra Vitor, a essa altura do campeonato, subir de peso e encarar alguém não ranqueado com dinamite nas mãos, não é jogo. O cara tá na boca do cinturão e pode botar tudo a perder por uma rivalidade antiga. Mas, de novo, algum cristão não assistiria?

 

JACARERonaldo Jacaré – Yushin Okami
O brasileiro, quinto do ranking, e o japa, terceiro, decidem no início de setembro quem segue vivo na briga. Caso o réptil bata o ex-desafiante de forma convincente, cria-se um duelo cheio de apelo – principalmente pelas bandas de cá. Opção bem razoável, mas, de qualquer forma, o carioca esperaria apenas para defender sua posição.

 

 

ESPERAREsperar
Com o pé de meia feito, Belfort pode se esparramar no sofá e comprar uma pipoquinha de microondas (já que não rola no cinema) pra assistir o mundo se acabar no UFC 168 – dia 28 de dezembro. O grande risco aqui é deixar o ponteiro girar logo agora que está no auge (físico e técnico). Se rolar uma trilogia entre Anderson e Weidman, então, o bicho empaca.

 

 

E vocês, onde acham que o “Fenômeno” vai se meter?

Abraços.