Cyborg x Rousey: por favor, levem meu dinheiro

Renato Rebelo | 14/07/2013 às 15:58

Certa vez, entrevistei Ana Maria “Índia” e pedi uma espécie de lista “pound for pound” das meninas no MMA. A resposta foi a seguinte:

A única menina “hors concours” seria a Cris (Cyborg). Porque a Cris é uma garota completamente diferenciada. Ela tem um poder de punch muito maior que o nosso e é muito mais forte que a gente. Eu já treinei com a Cris muito tempo lá em San Diego, senti a Cris, sei do que tô falando. Já treinei com várias outras meninas de ponta, como a Miesha (Tate) – que esteve aqui (no Rio de Janeiro). Posso garantir que a Cris é diferente.

1072076_482426271850085_358409576_o

Marlos recebendo uma passagem de primeira classe pro trem da agonia

E não é que, cada vez que a ex-esposa de Evangelista Santos entra na jaula, as palavras da faixa-preta de Team Nogueira fazem mais sentido?

Ontem, a brabíssima Marlos Coenen, dona de cartel com 21 vitórias (15 por finalização e três por nocaute) estava crente que se vingaria da surra sofrida em 2010, no Strikeforce.

Tadinha.

No Invicta FC 6 assisti mais quatro rounds de espancamento fazendo cara de dor a cada paulada estalada no rosto da holandesa.

A combinação do muay thai forjado na época carniceira da Chute Boxe com a atualíssima faixa-marrom de André Galvão é leão feroz demais para o quintal das rivais.

E, já que não há muitas delas dispostas a passar esse perrengue, tá na hora de Cris capitalizar.

Não há saída. Para destronar a bem paga rainha Ronda Rousey, é necessário invadir sua fortaleza.

Esperar a implementação do peso-pena (até 66kg) feminino no UFC é rolar os dados.

Pelo lugar ao sol, Cris terá que adiar o sonho de ser mãe e enxugar (sabe-se lá de onde) mais cinco quilinhos.

Pro Sexto RoundMike Dolce, o guru da nutrição no MMA, garantiu que é possível:

Seria fácil para nós. Tive uma reunião com a Cris Cyborg. Eu e ela, cara a cara. Aprendi sobre o estilo de vida dela, seu programa de dieta, sistema de treinos e vi seu corpo. Com minha ajuda, tenho certeza que ela será a melhor mulher até 61,5 quilos do mundo.

O empresário da campeã, Tito Ortiz, tá ligadaço na possibilidade e seu discurso, bem mais incisivo no passado, começa a ficar ameno:

Ele vai ganhar o cinturão (ganhou ontem) e vai defender uma vez. Depois, que ela defender, vamos Ronda Rousey x Cris Cyborg no reveillon – até 63 quilos. Campeã x campeã. Vamos esquecer os cinturões e fazer um dos maiores pay per views da história do MMA.

Se o grande desafio de Dana White é – como ele mesmo diz- tornar superlutas reais, a colisão entre as “Alpha Females” é compromisso.

Pelo amor de Deus, careca, leva meus cinquenta mangos do PPV!

OBS: cá pra nós, se o brutal corte de peso não afetar a performance da brasileira, Ronda só colecionará mais um braço se seu rosto for o ponto de coleta. 

Abraços.

Tags: , , ,