Indiretamente, quem perde e quem ganha com o UFC 162?

Renato Rebelo | 10/07/2013 às 01:51

Por chocar o mundo, Chris Weidman – agora tecnicamente sem contrato- vai encher o cofrinho. Além de uma simpática renovação, o novo monarca dos médios terá direito àquela sempre bem-vinda fatia da receita dos pay per views reservada a nobres campeões.

Do outro lado, a postura de Anderson Silva pode ter custado mais do que um pedaço de couro coberto por uma placa de metálica.

As vaias ensurdecedoras no MGM Grand Arena e o bombardeio nas redes sociais provaram que a imagem do “Spider” sai bastante arranhada do UFC 162.

E as consequências poderão ser sentidas no bolso.

Segundo matéria do  jornal “O Globo”, representantes do “Burger King” andam preocupados com a repercussão negativa.

Certamente, as consequências do sabadão bombástico não afetarão apenas esses dois. Teremos respingos em terceiros. Vamos a eles? 

Prejudicados

DANADana White e Jon Jones

O careca tem lábia de feirante. Se bobear, vende até “cooler” pra urso polar. Anderson x Weidman II será grande? Sem dúvida. Será a maior luta da história do UFC? Há controvérsias. Por mais que o UFC 162 tenha dilatado pupilas, é difícil acreditar que, macroeconomicamente, um americano ainda emergente e um brasileiro superem o popstar Brock Lesnar e o queridinho GSP (estrelas do recordista UFC 100). Já Anderson Silva x Jon Jones dava pinta que podia deixar até Mayweather e Pacquiao no chinelo. Gente, em termos de grana, essas duas lutas em questão estão em patamares absolutamente distintos. Acreditem, Dana e Jones perderam muitos, muitos presidentes mortos (principalmente, Benjamin Franklins) no sábado.

 

TORCEDOR O ego nacionalista

Apanhamos tanto da mão pesada do estado por aqui que o entretenimento, infelizmente, torna-se a grande muleta. Sem futebol, vôlei, MMA, novelas e programas do Gugu, como esse povo que trabalha cinco meses por ano sem receber nada em troca vai sorrir? Não é o circo o grande ópio dos oprimidos? Sendo assim, os que enchem o peito para gritar “sou brasileiro com muito orgulho e com muito amor” em estádios superfaturados sentirão a perda de mais um cinturão.

 

Beneficiados 

GSP

Georges St-Pierre

Nem a mãe de Weidman comemorou tanto a vitória do filho quanto o meio-médio canadense. O sucesso do “All-American”  livra GSP de meses e meses de assédio moral – uma vez que o UFC certamente tentaria empurrar-lhe goela abaixo a superluta com Anderson Silva. Agora, o campeão até 77kg pode se dedicar em paz à sua categoria sem ser achacado por um compromisso que nunca lhe interessou.

 

LYOTOLyoto Machida

Entre os meio-pesados, o carateca encontra-se no limbo. Por mais que avance, a revanche contra o cara que o apagou no segundo round simplesmente não tem apelo fora do Brasil. Para contornar a situação, uma mudança pro peso-médio vem sendo desenhada há tempos – e o único real empecilho é a relação com Anderson Silva. É claro que Lyoto não curtiu ver um amigo de longa data estrebuchando no chão, mas, com o “Spider” fora de cena – de curto a médio prazo- ele pode, finalmente, migrar sossegado. UFC Lyoto x Weidman: a Vingança do Dragão. Que tal? Isso, claro, se Belfort não chegar primeiro.

 

BELFORTVitor Belfort

Como num conto de fadas, o “Jovem Dinossauro” foi de problema à solução. Mesmo admitindo que o carioca é o desafiante número um, Dana White trouxe más notícias: “Ele teve a cara chutada em 60 segundos. O Anderson, que está no fim da carreira, quer novos desafios. Se eu perguntar a ele ‘E o Vitor?’, ele vai dizer ‘Eu aniquilei o Vitor. Fiz o Vitor parecer um cara que nem deveria estar lutando comigo”. Agora, Belfort tem a certeza que, mesmo que não seja na próxima rodada, sua chance dourada chegará antes da cortina fechar.

 

Obs: prometo que esse é meu último post sobre o UFC 162.

Abraços.

Tags: