Chutando alto nos Países
Baixos, com Alistar Overeem

Fernando Cappelli | 09/05/2016 às 20:48

E o MMA dá nova mostra de que segue território farto e fértil para surpresas técnicas. Quem diria que um dos caras conhecidos pelo QI de luta duvidoso e vigor físico ‘customizado’ atualmente é um dos pesos-pesados mais dinâmicos e táticos da categoria.

Alistair Overeem provou novamente que qualquer um é capaz de se reinventar, basta encontrar um ‘Norte’ consistente e se dedicar ao máximo nesse sentido.

Ele nocauteou o bielorrusso Andrei Arlovski no segundo assalto do main event do UFC Roterdã, engatou a quarta vitória consecutiva e já desponta como um dos contenders diretos ao cinturão, que será colocado pra jogo neste final de semana na superedição que acontece em Curitiba.

Análises de alguns destaques a seguir.

Renovado

Como ressaltei no palpite deste evento aqui no Sexto Round, Overeem não tem se importado em sacrificar performance em nome da estratégia desde que iniciou trabalho com a equipe Jackson/Winkeljohn.

Se para muitos isso vai de encontro à essência como lutador, tem se mostrado a coisa mais providencial para brecar a irregularidade que por muito pouco não lhe custou o emprego há pouco tempo.

Nesta nova fase, Overeem tem apostado as fichas na movimentação ambidestra e postura com um dos braços esticados e o quadril mais jogado para trás.

UnripeDirectBaldeagle-size_restricted Tais fatores servem de base para dosar melhor o ritmo do combate com golpes mais pontuais e nem sempre são algo simples de ser adaptado para alguém criado no kickboxing ortodoxo.

O holandês tem colocado pra jogo um padrão calcado em entradas e saídas inteligentes do raio de ação, que cadencia bastante o ritmo e contradiz pra valer a equação ‘porradão + clinch + ground and pound’ vigente entre os pesados.

Outro detalhe que chama atenção está no foco dos contragolpes. Overeem constantemente chama os adversários a atacá-lo, recuando levemente e colocando uma passada lateral de imediato.

Isso o protege de um eventual ímpeto contrário, e ao mesmo tempo já o deixa pronto para aplicar alguma resposta. Esse tipo de atitude foi o que realmente confundiu o timing ofensivo de Junior Cigano no combate entre ambos, há alguns meses, e mais uma vez foi uma das assinaturas mais intensas do novo jogo do holandês.

Front-Kick-KOOvereem tem usado bastante os socos como setups (preparo) para seguir com clinches e joelhadas, ou empurrar adversários para chutar.

No lance derradeiro contra Arlovski, tirou da manga um chute frontal com salto (ou nidan tobi mae-gueri, no caratê) à la Machida x Couture.

O grande mote deste tipo de golpe está em saber usar a bola do pé adequadamente para ampliar o impacto, já que o torque do salto com a troca de pernas é usado para que a pernada acerte o queixo angulando debaixo para cima, dificultando bloqueios.

Como diria o senhor Miyagui: ‘se faz correto, não tem defesa’.

Mixando

UnkemptQueasyBear-size_restrictedO caratê deu novamente as caras no card com Gunnar Nelson.

De forma tradicionalista, com a base postada na lateral e as mãos baixas, o islandês quicou solto no tablado do octógono, tomando iniciativas com golpes mais isolados até alcançar momentos cabais para encurtar, clinchar e levar ao solo.

Como fazia uma luta de segurança (vinha de duas derrotas seguidas), priorizou bastante a luta agarrada a partir do segundo assalto para não dar tanta sopa ao azar.

Pauladas

SafeRawJoey-size_restrictedA local Germaine de Randamie provavelmente foi a representante mais pura do dutch kickboxing que pisou no cage da Holanda.

Com porte físico avantajado para a categoria e técnicas sólidas, passeou contra Anna Elmose, com destaque para a precisão e controle total nos clinches de muay thai. A ‘Iron Lady’ se mostrou pronta para testes mais severos. Olho nela.

O momento ‘vale o GIF’ da semana vem com mais um ‘double kick’ caprichado.

Chis Wade mandou ver a pedalada contra Rustam Khabilov e proporcionou um dos momentos mais plásticos do evento. Pena que não foi suficiente para livrá-lo da derrota por pontos no final.

  • Renan Oliveira

    Deve ter assistido muito Karatê Kid, hahaha

    • Renato Rebelo

      Hahahaha

    • Hyuriel Constantino

      auheuhauehauheuaheuhaue…

    • Juan

      Tá explicado!

    • flavio israel

      hahaha ficou legal !!

  • Matheus V.

    Quando vi o Arlovski deixar o Overeem trabalhar a distância sabia que o caldo ia engrossar para ele. Aliás, Capelli, o que acha dos casamentos de estilos que pode haver nesse eventual TS do Reem? Especialmente no caso de ter de enfrentar o Miocic, que me parece um casamento horroroso para ele.

    • Fernando Cappelli

      Nessa fase de agora, todo combate vai ter aquele quê de provação pro Overeem. Vão sempre duvidar até que ponto ele vai conseguir se manter vencendo dessa forma. A luta contra o Werdum no Strikeforce foi ruim, mas são outros tempos agora, né. Se colocar na ponta do lápis, Werdum e Velásquez seriam os casamentos mais complicados pra ele.
      abs

  • Tiago Nicolau de Melo

    Lindo esse chute do Wade, realmente.
    Tô assistindoo evento somente agora… acabei de ver a citação do 6R/Carrano.

  • Jonas

    Capeli acha que as chances do OverBomba são maiores contra Werdum ou Miocic?

    • Renan Oliveira

      Não sei ele. Já eu penso que pelo estilo, acho que ele teria mais chances contra o Miocic.

    • Fernando Cappelli

      Contra o Miocic, teoricamente.

  • Hyuriel Constantino

    Na boa, vendo a forma como os atletas da equipe Jackson/Winkeljohn lutam e são instruídos para treinar, e que cada academia tem sua característica marcante, faz-me questionar:

    no caso de Jon Jones, seria ele somente um cara talentoso, ou seu potencial não foi significativamente lapidado para ser aquele a ser batido por todos? Pq o QI de luta daqueles que vão treinar com Jackson e Winkeljohn e absorvem o estilo da dupla sobe e se mantém em alta assombrosamente.

    PS: pra mim, Overeem já é 100% contender. Chega de Cain ficar monopolizando as vagas para disputas de título.

  • Bruno

    O Overclean realmente está surpreendendo, porém me deixou preocupado o modo como ele deixou ser facilmente encurralado pelo Arlovski no início do primeiro round, acho que ainda tem que melhorar ou será presa fácil para um Cain da vida.
    Quanto ao Gunnar, não sei por que insistem em dizer que ele deve descer, acredito que tem um bom tamanho para meio médio.

  • Lero

    Acho que tinham falado no podcast que de Randamie tivesse sido uma boa oponente para a Cyborg. E depois de ver o fisico dela. Parece que sim mesmo. Seria uma luta e tanto. Pena que o UFC Curitiba e o UFC holanda estivesem tao perto.

    • Thorens Acchuphase

      Pois é! Erraram feio no casamento. Penso que o UFC não quis frear a progressão da Randamie, dando a ela adversárias fracas pra que ela ganhe confiança e experiência aos poucos. Anna Elmose é minuscula pra categoria, ela tem apenas 1,60cm contra 1,75cm da Randamie e não tem nenhuma técnica que compense a sua desvantagem de estatura como o judô pra Rin Nakai, Elmose tem base de striking, a mesma da Randamie, então a desvantagem fica mais evidente, ela garota não vai longe, tem estrutura óssea e quadris largos, talvez não consiga descer de categoria e seus estilo não favorece seu biotipo. Os homens já não tem muito esse problema porque a baixa estatura pode compensada com grande massa muscular e consequentemente, punch e poder de nocaute. Só vou passar a respeitar a Randaime se ela vencer alguém como Liz Carmouche por exemplo, que considero uma ótima referência entre o mediano e o diferenciado. Carmouche é uma lutadora completa e muito técnica. Outra que vem desossando “frangas” é a polonesa invicta, Karolina Kowalkiewicz que tem um cartel lindo de 9-0, mas não enfrentou nenhuma lutadora boa de verdade ainda, assim não adianta! Já está na hora de coloca-la contra alguém como Valerie Letourneau, Marina Moroz ou Michelle Walterson, e se passar, Tecia Torrez, Namajunas ou Penne.

      • Rafael Fiori

        Só alertando um ponto que ficou estranho. É 1,60m contra 1,75m.

        • Thorens Acchuphase

          Haha, verdade. Fica valendo o seu comentário como errata do meu. Vlw!

  • Gefferson Nesta

    Chutando alto nos Países Baixos?

    Com esse titulo pensei até que o Resende tinha escrito o texto!
    Heheheheheh

    • Fernando Cappelli

      hahaaha… trocadalho do carilho, hein.

  • douglas karpinski

    Gunnar Nelson é um monstro em acensão, resalto sua vitória, alem de ter levado a melhor em pé contra um ótimo lutador que vinha de uma sequencia ótima, seu jiu jitsu é muito justo, só perdendo pro Demian seu ultimo algoz, tem muito ainda pra mostrar!!!!

  • Savio Cardoso

    Para mim, está bonito de se ver o Alistar lutando, mostrando para todos q os lutadores mais velhos ainda podem e continuam sendo os melhores. Muitos hoje podem até chegar mas vamos ver se conseguem se manter no topo entre os melhores aos praticamente 40 anos, onde muitos não possuem nem mais coluna para levantarem os filhos no braço. Os antigos do meu tempo de Pride e UFC made in fitas de locadora, estão de parabéns, antiguidade é posto.

  • Ridelson Medeiros

    – O pessoal começou a respeitar d+ o Bombereem, dando espaço pra que ele justamente possa colocar esse seu novo estilo em jogo. Nas 3 ultimas lutas que ele fez nos vimos aquele momento na qual ele fica acuado na grade, e em todas as vezes que isso ocorreu, ate mesmo contra o Nelson, o pessoal resolveu dosar a pressão. Dar esse “alivio” contra ele, ainda mais com o mesmo lutando todo defensivo na maior parte do tempo, é jogar uma chance fora e pedir pra ser kozado…
    – Resumindo: vamos ver ate onde vai a saga do Glassverem cauteloso,se algum rapaz inteligente vai aplicar uma blitz (a la Niggajonsu) pra cima dele e se isso vai ser antes ou depois da possível cinta.

  • Fernando Batista Lima

Tags: , ,