UFC 159: três pratos de entrada para Jones x Sonnen

Renato Rebelo | 26/04/2013 às 21:14

Como busco oferecer a vocês conteúdo que fuja minimamente dos padrões, pouparei-os de um show de obviedade cancelando a análise da imprensa para o UFC 159.

Afinal, até seres unicelulares já entendem que as chances de Sonnen contra Jones amanhã à noite são mais diminutas do que as de Roy Nelson recusar um brownie de chocolate com sorvete de creme.

Os dados oficiais do IBESR (Instituto Brasileiro de Estatística Sexto Round) falam por si só – ali em cima, à direita: 93% x 7% (subversivos).

Acho que nem Dona Claudia Sonnen botaria o suado dinheirinho da aposentadoria no filhão…

Portanto, sigamos em frente. Três outras pelejas merecem atenção:

 

BELCHERAlan Belcher x Michael Bisping

Belcher acirrou os ânimos ao postar um video contendo os nocautes de Dan Henderson e Vitor Belfort sobre Bisping. Em seguida, propôs uma aposta: se fosse nocauteado no primeiro round, tatuaria a bandeira da Inglaterra com o rosto do rival no peito. Aí, danou-se. “O Conde”, que apesar do apelido não é o sujeito mais polido da corte, subiu nas tamancas. “Belcher não tem talento e é o cara menos interessante do mundo. Uma vitória sobre mim seria a mais importante de sua patetica carreira. Mas já está no saco. Vou lá dar um tapa na cara dele e recolher meu cheque”. O bate-boca virtual teve prosseguimento e acabou adicionando um tempero interessante. Saindo da coluna de fofocas, podemos dizer que, em pé, Bisping se baseia no volume, enquanto Belcher aposta na potência. O inglês deve ter alguma vantagem no jogo de quedas mas, apesar de nunca ter sido finalizado, é inferior no chão. Ao meu ver, equilíbrio total.

 

KONGOCheik Kongo x Roy Nelson
“Fofo. Parece um ursinho Teddy”. Essa foi a perturbadora opinião do francês sobre o físico do vencedor do TUF 10. O lipidinoso faixa-preta de Renzo Gracie entrou na brincadeira: “Eu realmente sou muito fofo. Se ele tentar me abraçar no sábado, não tem problema… desde que não olhe nos olhos”. Mas, não se deixem enganar pelo clima jocoso. Estamos falando de dois mamutes que cospem chumbo pelos punhos. Apesar da luta agarrada dar a Nelson certo favoritismo, Kongo, com gás no tanque, se defende decentemente das quedas. Algo me diz que essa aqui será resolvida em pé, portanto, nada de piscar.

 

PEZAOVinny Pezão x Phil Davis
Recém re-contratado pelo UFC, Pezão não se fez de rogado e tratou logo de chamar o bem ranqueado Davis na chincha. Ora, pra que esperar se confias no próprio taco? “Mr. Wonderful”, obviamente, não curtiu a intimada e deu início a uma guerrinha no Twitter. Pronto, a animosidade criada acabara de casá-los. Wrestler de pedigree x o cara que venceu Fabrício Werdum na final do ADCC 2011 deve gerar um agarra-agarra alucinante, não, Renato? No papel, sim, mas, como o americano controla o meio-campo (quedas) e pode se sentir acuado com o jiu-jítsu brilhante do brasileiro, temo por uma sonolenta luta de kickboxing amador. Em todo caso, Davis é favorito, mas, se der mole, batuca.

“Se ele me levar para baixo, só preciso de dez segundos para finalizá-lo”

Abraços.

Tags: