Pensando alto: a análise informal do UFC on Fox 7

Renato Rebelo | 21/04/2013 às 02:01

BENSONBen Henderson x Gilbert Melendez

Assisti à luta duas vezes e continuo coçando a cabeça. Marquei, sem muita confiança, três rounds a dois para o campeão – que acertou mais golpes significativos (68 x 43). Por outro lado, entendo os que advogam a favor do desafiante – que manteve “Smooth” na defensiva por 25 minutos e se deu bem nos berimbolos. Decisão dividida sempre pede tira-teima, mas Dana White já deu o papo: Gil que chupe o dedo. O próximo na fila é o vencedor de T.J. Grant x Gray Maynard.

 

CORMIERDaniel Cormier x Frank Mir

Não precisa ter visão de lince para constatar que, com 1,75m de altura e muitas sobras laterais, Cormier (apelidado pela minha namorada de “Tortuguita”) não pertence ao conjunto dos pesados. Mir parecia seu pai adotivo dentro da jaula. Mesmo assim, a lentidão fatal do faixa-preta de Sergio Penha o tornou alvo fixo e facilitou – e muito- a vida do vitorioso estreante. Agora, se quiser ser campeão, “Fedor Negro” vai precisar cortar os carboidratos e rasgar o cartão fidelidade da churrascaria.

Ele fez uma luta segura, mas fiquei surpreso com o poder do soco dele. Acho que, entre os meio-pesados, ele teria mais força– disse Dana White.

THOMPSONNate Diaz x Josh Thompson

“O Punk” conseguiu o que 24 homens haviam tentado sem sucesso: nocautear o irmão mais novo de Nick. Já que trocar mão não chega a ser boa ideia, Thompson apostou suas fichas nos chutes altos – e matou a charada. A guarda baixa do aluno de Cesar Gracie foi morada aconchegante para sua canela. Estreia dos sonhos.

 

 

BROWNMatt Brown x Jordan Mein

A chinela cantou alto nessa aqui. Primeiro round memorável com knockdown de Mein prontamente respondido por um triângulo justíssimo de Brown. Inexplicavelmente, o “Imortal” foi pro R2 espumando pela boca e fez o jovem canadense, à la 06, pedir pra sair. Quinta vitória consecutiva do patinho feio que vivia ameaçado pelo RH.

 

 

Menções honrosas

Chad Mendes é um monstrinho do pântano. O bom Darren Elkins não deu nem pro cheiro e sucumbiu logo na blitz inicial do Alpha Male – que, nessa pegada, chegará logo logo em José Aldo. O problema é que, enquanto o xerife da Nova União dominar o pedaço, “Money” será sempre número dois (e não estou “patriotando”).

Com um soco poderosíssimo no fígado, Joseph Benavidez colocou Darren Uyenoyama na posição fetal no R2. É um mistério pra mim como ainda se ataca tão pouco o corpo no MMA. Pancadas nos órgãos vitais transformam leões em gatinhos.

O “Assassino Nigeriano” Anthony Njokuani definiu a foto ao lado da palavra “cruzado” no meu dicionário ilustrado. A paulada entrou tão limpa que o resistente queixo de Roger Bowling foi pro beleléu.

Yoel Romero, discutivelmente o wrestler mais condecorado em atividade no MMA (campeão mundial em 99 e medalha de prata nas Olimpíadas de 2000), mandou um joelhaço voador goela abaixo de Clifford Starks e deu números finais à fatura logo no primeiro minuto. Se o cubano ficar cabuloso em pé, saiam de baixo, amigos.

Tags: