Matt Mitrione e o UFC politicamente correto

Renato Rebelo | 09/04/2013 às 18:29

Em entrevista ao repórter Ariel Helwani no final do ano passado, Dana White abriu o coração e confessou ter um único arrependimento em mais de 13 anos a frente do UFC:

Meu único arrependimento foi ter usado a palavra com “F” naquele videoblog. Pela maneira como me expressei, as pessoas acham que sou algum tipo de homofóbico – e eu não sou. Isso me incomoda.

Entendendo o caso

Em 2009, a repórter Loretta Hunt, do site Sherdog.com, redigiu uma matéria denunciando que agentes estavam sendo impedidos de acompanhar seus lutadores nos bastidores dos eventos.

Loretta Hunt: por anos, inimiga do chefão

O motivo, segundo fontes, era simples: o UFC manobrava para diminuir o papel dos empresários.

Em outras palavras, tentavam cortar o intermediário.

O careca ficou louco. Às vésperas do UFC Fight Night 18, gravou um vídeo desmentindo a história e chamando Loretta de “bitch” (vadia) e os delatores anônimos de “faggots” (bichas).

O tiro saiu pela culatra e grupos feministas e defensores dos direitos dos homossexuais barulharam a vida do manda-chuva.

Processos foram abertos e protestos mis realizados.

De lá pra cá, muito mudou.

Dana se retratou e, temendo pela imagem de sua empresa perante a opinião pública, passou a vigiar de perto os passos de seus mais de 400 empregadores.

O episódio fez o UFC dar um gigante passo em direção a um modelo politicamente correto.

Miguel Torres, por exemplo, foi demitido ano passado por uma piadinha de mau gosto sobre estupro.

Até Matt Hughes entrou na dança.

O ex-campeão ganhou o cargo de “vice-presidente de desenvolvimento de atletas” e tem – como um de seus primeiros afazeres – que redigir o inédito código de conduta da firma.

Pois bem, anteontem, o peso-pesado Matt Mitrione, apelidado de “Meathead” (algo como boçal), ignorou o cenário descrito acima e vociferou o seguinte sobre Fallon Fox – a polêmica lutadora transexual:

É uma doente, mentirosa, uma aberração nojenta. E digo sério, porque você mentiu na sua licença para bater em mulheres? Você deveria se envergonhar. O fato de a Comissão Atlética da Flórida ter liberado ‘ele’ é uma vergonha e todos nós temos que protestar.

Como a terceira lei de Newton nos ensinou que para toda ação há sempre uma reação oposta e de igual intensidade, o Ultimate lançou:

O UFC ficou chocado com os comentários transfóbicos feitos pelo peso-pesado Matt Mitrione em entrevista de hoje ao programa MMA Hour. A organização acha os comentários do Sr. Mitrione altamente ofensivos e inteiramente inaceitáveis e – como resultado direto dessa significante quebra do código de conduta do UFC – o contrato do Sr. Mitrione está suspenso e o incidente está sendo investigado. O UFC é amigo e aliado da comunidade LGBT, espera e exige que seus 450 atletas tratem os outros com dignidade e respeito.

A galera da lingua solta que se cuide, pois o direito à liberdade de expressão não é mais pleno.

Alias, pleno, pleno, nunca foi. Lembram que o nosso direito termina quando começa o do coleguinha?

Abraços.

Tags: ,