UFC 172: deixe seu palpite!

50%
Jones
Glover
50%

Cinco motivos para não perder o UFC 157

renatorebelo @renatosrebelo
22/02/2013 às 21:55
0

Se você curte MMA e não assina o canal Combate, chegou a hora de encarar aquele velho dilema: vale largar “cinquentão” pra assistir o UFC 157 no sofá de casa?

Ou: terei retorno no investimento que é superar a moleza de sábado à noite para ir à caça do pay-per-view em algum estabelecimento comercial?

Como aquele capetinha que senta no ombro esquerdo do cidadão indeciso, vou tentar persuadi-los.

Vamos aos cinco motivos:

Pacote completo em ação

Dana White lançou, na quinta, que nenhum atleta na história do UFC (nem mesmo o viking Brock Lesnar) atraiu tanta atenção da mídia americana quanto Ronda Rousey. A loura, irmã perdida dos brabos Nick e Nate Diaz, mescla atitude medieval na hora do salseiro, personalidade rara diante das câmeras, judô olímpico e beleza de uma ring girl. Sabe aquele fator “x”? Pois é. Sábado, ela vai atrás do sétimo braço para sua coleção macabra.

 

Gêmeos da pesada

Vai dizer que Liz Carmouche não é “os cornos” de Urijah Faber? Brincadeiras à parte, a ex-fuzileira naval - primeira pessoa assumidamente gay do UFC – está longe de ser um saco de pancadas. É brigadora, muito malandrinha no chão e não cansa. Geralmente, monta nas adversarias e desce lenha. Se passar do primeiro round, pode virar enxaqueca. Já “California Kid”, recordista mundial de “title shots”, é franco favorito contra Ivan Menjivar. Os dois já bateram de frente no longínquo 2006 e, na ocasião, o “Orgulho de El Salvador” levava a melhor até ser desclassificado por um chute ilegal. Bom tira-teima.

 

Dragão vingativo

Lyoto Machida foi o único homem vivo a dar um calor no campeão Jon Jones. Desde que foi finalizado pelo negão, fez as malas, deu tchau pra Belém e aterrissou em Los Angeles. Na Black House, encontrou Glover Teixeira, Roger Gracie e um lindo nocaute em Ryan Bader. Ainda adicionou o porradeiro holandês Melvin Manhoef ao “camp” para lidar melhor com Dan Henderson. Internamente, “O Dragão” tem certeza que pode parar o bicho papão e a sede por vingança nunca esteve tão grande.

 

Coroa lendário

Portador de dois cinturões no Pride e um no Strikeforce, o casca-grossa de 42 anos busca o ouro no UFC antes que as cortinas fechem (ou todos os dentes deixem sua boca). Duas pedreiras estão entre ele e a grande meta – que o colocaria entre os três maiores lutadores de MMA de todos os tempos. A primeira dá as caras hoje. Vai ou racha?

 

 

Veteranos lutando pelo emprego

Depois que Jon Fitch levou a bota, ninguém mais dorme tranquilo no UFC. Como Josh Koscheck e Robbie Lawler vêm de derrota e não são exatamente líderes de audiência, outro resultado negativo pode, muito bem, mandar um dos dois para a fila do seguro-desemprego. Wrestler x striker. Quem quer mais?

 

 

Card completo:

Ronda Rousey x Liz Carmouche
Dan Henderson x Lyoto Machida
Urijah Faber x Ivan Menjivar
Court McGee x Josh Neer
Josh Koscheck x Robbie Lawler
Lavar Johnson x Brendan Schaub
Mike Chiesa x Anton Kuivanen
Dennis Bermudez x Matt Grice
Caros Fodor x Sam Stout
Brock Jardine x Kenny Robertson
Neil Magny x Jon Manley
Nah-Shon Burrell x Yuri Villefort

Tags:

Vídeo em Destaque