Os palpites da imprensa para Barão x McDonald

admin | 15/02/2013 às 12:38

Guilherme Cruz (Tatame)

McDonald é o oponente mais duro da carreira de Barão – até mais que o experiente Urijah Faber, na minha opinião. Mas, assim como contra o “California Kid”, o brasileiro vencerá. Os dois não lutam há bastante tempo e devem sentir essa inatividade, mas não vejo armas no jogo do norte-americano para colocar em risco o cinturão interino do brasileiro. Ambos se equivalem na trocação, mas o chão do potiguar é melhor. Barão vence por finalização no terceiro round (ou quarto, minha bola de cristal está com delay por culpa do horário de verão).

 

Ivan Raupp (SporTV.com)

Renan Barão é um lutador mais completo do que Michael McDonald e leva o favoritismo. Mas esta é uma luta perigosíssima para o brasileiro, mais do que aquela contra o veterano Urijah Faber, no UFC 149, muito bem vencida por Barão, por sinal. Faber é um cara duro, mas não tem o fator surpresa como McDonald. Para mim, esse jovem lutador de apenas 22 anos é uma das grandes promessas do MMA. Ele vem de dois belos nocautes contra caras bons da divisão peso-galo – Alex Soto e Miguel Torres -, ou seja, mostrou que tem a mão bem pesada. Apesar disso, acho que Barão vai saber se defender desses “pombos sem asa” do americano e vai manter o cinturão interino por decisão unânime dos jurados.

 

Alexandre Matos (MMA Brasil)

Este duelo já é interessante só pelo fato de ser a disputa de cinturão entre lutadores que somam a menor idade na história do UFC, ou seja, são dois legítimos representantes da nova geração disputando um título do maior evento do mundo. Outro motivo que faz esta luta ser interessante e equilibrada é a diferença entre McDonald e os adversários anteriores do Barão. Enquanto o Faber e Jorgensen eram fortes no wrestling e Pickett no boxe, McDonald já começou direto no MMA (é profissional desde 16 anos). Isso torna o desafiante um cara perigoso por ser bom em todas as áreas do jogo, além de ter poder de nocaute incomum para a categoria. Uma das vantagens que Barão terá na luta será no uso dos chutes. Esta não é uma característica tão marcante em McDonald e é uma das principais armas do brasileiro, adepto da dieta de bicudas do parceiro de equipe de José Aldo. Como sabemos, potentes e bem encaixados chutes baixos atrapalham a movimentação de qualquer adversário. O brasileiro também tem vantagem no chão (sua maior vantagem em relação a Michael), com um estilo agressivo e de muito giro. Isso pode ser útil caso o americano o coloque em perigo na trocação. Minha aposta é em vitória de Renan Barão por decisão, depois de empolgantes vinte e cinco minutos.

 

Carlão Barreto (Combate)

É um combate difícil. McDonald vem em ascensão, por isso a chance pelo título, mas acredito nas qualidades e volume de jogo do Barão. Ele vai bem em várias áreas, está ambientado nas variantes do MMA e muito bem treinado. É favorito, mas McDonald tem qualidades e deve-se ficar de olho nele. Deve ser uma luta dinâmica e acirrada, mas acho que o brasileiro vence.

 

Renato Rebelo (Sexto Round)

Para mim, Urijah Faber, pelo mix wrestling + experiência + mão pesadinha é a maior pedreira dos galos tirando Dominick Cruz. Com isso dito, McDonald não é nenhuma brincadeira. É bem possível que o jovem de 22 anos porte a mão mais pesada da categoria. Alex Soto e Miguel Torres, últimas vítimas, que os digam. Tal atributo liga o sinal amarelo, mas não tira o sono. Barão é completo e tem Dedé Pederneiras em seu córner. Dificilmente, ele dará sopa ao engajar em uma briga franca. O potiguar vai chutar como uma mula e misturar seus combos eficientes aprendidos na casa de Seu Pegado com entradas de quedas. Decisão unânime e “All I Do is Win” nos alto faltantes.

Tags: , ,