Quem são os maiores mãos de travesseiro do MMA?

Renato Rebelo | 07/02/2013 às 16:36

Essa semana, o site americano “Bleacher Reporter” lançou uma listinha chamada “Mãos de travesseiro: os mais fracos socadores do MMA”.

Como na internet nada se cria, tudo se replica, resolvi tirar um tempinho para fazer minha própria versão.

E, é claro: estou falando de atletas bem-sucedidos, portanto, a intenção não é criticar e sim constatar (o óbvio) que, em pelo menos uma das muitas áreas deste multifacetado esporte, eles não são tão contundentes.

Vamos lá:

Chael Sonnen

Na primeira luta contra Anderson Silva, o “Gangster de West Linn, Oregon” acertou mais de 300 socos no corpo do campeão e não arrancou uma gota de sangue sequer. Para reforçar minha tese, o último nocaute técnico do treinador do TUF 17 foi no longínquo 2007, ou seja, desde que assinou com a Zuffa, entre WEC e UFC, Sonnen entregou sete vitórias por decisão e uma por submissão. Nada de nocautes para os irmãos Fertitta e D.W.

 

Jake Shields

Em 33 exibições, o eficiente grappler só conseguiu dois TKOs via socos. Nem mesmo quando passa rounds inteiros montado no oponente (leia-se Dan Henderson), o faixa-preta de Cesar Gracie consegue botar um ponto final à base de golpes traumáticos. Quando se esquece das raízes e aposta no kickboxing, então, vai de mal a pior. Georges Saint-Pierre e Jake Ellenberger aproveitaram bem essa brecha.

 

Shinya Aoki

Não há como negar: o japa é mão de alfafa. O cartel no Sherdog aponta 38 lutas profissionais e apenas uma vitoriazinha por TKO – e por corte! Apesar de já ter batido bons nomes no peso-leve, as derrotas para Gilbert Melendez e Eddie Alvarez provaram que a trocação pra lá de crua é a grande barreira que impede o “Tobikan Judan” de ter sucesso semelhante no mercado americano ao que teve no oriente.

 

Ben Askren

Chamado por Dana White de “cura para insônia”, o invicto campeão se apega única e exclusivamente ao wrestling top de linha para garantir o pão de cada dia. Em pé, “Funky”, ainda jovem, não machuca ninguém. No chão, porém, seu ground and pound começa a dar sinais de desenvolvimento. Karl Amoussou, vítima do Bellator 86, que o diga.

 

Jacob Volkmann

Esse aqui é campeão. O politizado republicano, em 19 lutas profissionais, nunca conseguiu uma paralização do juiz por socos, chutes, caneladas, joelhas, ombradas, queixadas ou qualquer outro golpe contundente. Vitória para o franzino peso-leve é sinônimo de decisão ou finalização. Mão levinha, levinha…

 

Menções (nem tão) honrosas: Michael Bisping, Jon Fitch, Kazushi Sakuraba, Jason MacDonald, George Sotiropolous, Dan Miller e Demian Maia.

Tags: , , , ,