Atacando de Joe Silva: lutas
a casar pós-UFC Ottawa

Laerte Viana | 06/05/2019 às 02:09

Fala, galera!

No papel, um card bem modesto montado em Ottawa, no Canadá, para dar o ponta pé inicial no mês de maio do UFC. Na prática, pouquíssima emoção e memórias dispensáveis de um show morno para os fãs. A exceção ficou por conta do main event, que contou com dois atletas sempre empolgantes e proporcionaram uma ótima pancadaria, com destaque para o vencedor e futuro membro do Hall da Fama do UFC.

Bom, deixando o papo furado de lado e sem mais delongas, vamos direto para o que de fato interessa: os próximos passos dos principais vencedores do UFC Ottawa: 

1num

Donald Cerrone x Conor McGregor

Meus amigos, que perfomance fantástica do eterno Donald Cerrone. No auge de suas 36 primaveras e 48 batalhas na bagagem, deu show ao surrar Al Iaquinta por 25 minutos e voltar para o lugar que frequentou por tanto tempo: a elite dos leves.

E o futuro do lendário Cowboy promete ser bem agradável para ele, financeiramente falando. Com Conor McGregor sem par no baile e precisando voltar à ativa contra um nome comercialmente forte e conhecido dos fãs, é o momento perfeito para casarem essa luta.

Afinal, além da qualidade técnica da dupla, o que certamente renderia uma peleja alucinante, o recordista de vitórias (23) e bônus (17) da história do Ultimate merece receber seu bilhete de ouro. Alguém discorda?

NUM_2

Derek Brunson x Antônio Cara de Sapato / Ian Heinisch

Para a surpresa de ninguém, mais uma atuação sofrível para o currículo de Elias Theodorou. Para piorar, Derek Brunson entrou na onda do canadense e também esteve entediante como nunca, para revolta do público presente na Canadian Tire Centre, que não economizou nas vaias.

No fim, o bem venceu e o americano teve seu braço levantado. O próprio Brunson disse que está ficando velho, sugerindo que o topo já não é mais o seu foco. Situação oposta de Antônio Cara de Sapato e Ian Heinisch, que sairão na mão no próximo dia 18. Quem levar a melhor encontra em Brunson mais degrau relevante rumo ao top 5, principalmente se for o brasileiro.

NUM3

Shane Burgos x Jeremy Stephens

No clássico confronto de gerações, vantagem para a juventude de Shane Burgos, que superou o veterano Cub Swanson numa lutinha até certo ponto animada e invadiu o top 10 dos penas. Aos 28 anos, é mais uma adição positiva numa das categorias mais renovadas da atualidade.

Olhando para cima, Hurricane até tem boas opções de escolha, porém não deve ser jogado aos leões prematuramente. Sendo assim, o porteiro oficial Jeremy Stephens é um duro e real teste para os novos talentos, caso de Burgos.

NUM4

Merab Dvalishvili x Thomas Almeida

Merab Dvalishvili é um daqueles grapplers que possuem um jogo nada atraente, mas bastante eficiente. Grudou Brad Katona com as costas no chão durante os três rounds e criou um monólogo, chegando a 50% de aproveitamento em quatro lutas na casa e, de quebra, colocando a primeira mancha no cartel do rival.

Boa inclusão para os galos, Dvalishvili provavelmente será alçado a oponentes de maior qualidade. E o sumido Thomas Almeida, que atravessa má fase na carreira, precisa mostrar que ainda é integrante do pelotão ranqueado. Casem-os e veremos um interessante choque de estilos.

Casamentos extras:

  • Alguém anotou a placa? Com a pressa de quem esqueceu as roupas no varal numa tarde chuvosa, Walt Harris abusou da brutalidade para tirar a invencibilidade do estreante Sergey Spivak em míseros 50 segundos. The Big Ticket era ranqueado até ser flagrado no doping e perder o triunfo contra Andrei Arlovski, portanto é possível que receba nova oportunidade de voltar ao top 15. Para isso, terá que venceu um de lá, e Marcin Tybura está fazendo hora extra na lista.
  • Andrew Sanchez tem boas qualidades técnicas e um coração enorme, qualidades que poderiam colocá-lo na parte de cima da categoria. O que dificilmente vai acontecer por causa do seu gás horroroso. Dessa maneira, vai morrer vencendo apenas os membros do meio da tabela, como o debutante Marc-André Barriault. Outro que geralmente vence e não convence é o russo Omari Akhmedov, que seria o teste na medida para o campeão do TUF 23.
  • Ameaçado por dois reveses, Nordine Taleb sobrou diante de Kyle Prepolec – que pegou a luta de última hora – e garantiu o emprego. Bom em pé, o francês-canadense propõe entretenimento razoável, assim como Siyar Bahadurzada, que era seu oponente original para o show. Que tal, então, remarcarem o encontro entre eles? Fica a dica.

Amigos, me ajudem com os destinos de Al Iaquinta, Elias Theodorou, Cub Swanson e companhia? Mandem bala!

  • Luiz Antonio Felisberto

    DONALD CERRONE VS. JUSTIN GAETHJE seria bom também não?
    O Irlanda pode pegar o Ferguson, logo os vencedores fariam o eliminator enquanto o russo amassa o Dustin. O que acham?
    Concordo com os demais casamentos.

    • Sergio Araujo

      Irlanda aceitar pegar o casca grossa do Ferguson sem valer cinturão eu só acredito vendo. Acho difícil ver o Irlanda lutar sem um cinturão em jogo.

      Mas eu concordo contigo que esses casamentos fazem total sentido.

      • Laerte Viana Venâncio Alves

        Também acho difícil, mas acredito que ele possa topar essa. As atuais circunstâncias são favoráveis para essa luta.

    • Douglas Karpinski

      boaaa…

    • Gustavo Bizzo

      Tô sonhando com o dia que vou assistir Justin Gaethje disputando o título contra o Khabib.

      • Laerte Viana Venâncio Alves

        Seria foda!

    • Laerte Viana Venâncio Alves

      Bom também. Prefiro Cerrone x McGregor, mas o Cowboy x Gaethje seria beeeem animal!

  • IMPERADOR

    Uma boa ideia.
    Mas, Cerrone merece pegar o Connor agora (pelo conjunto da obra) e preparar seu caminho para uma aposentadoria tranquila.

    • Laerte Viana Venâncio Alves

      Sim, a idade tá chegando. Até me surpreende essa boa fase dele.

      • IMPERADOR

        Exato.
        Mas, fico preocupado com essa longevidade toda (com essa dinâmica de luta) nesse esporte.
        Renato Babalu que o diga.

  • Fernando Ribeiro

    McGregor não mija fora do penico… Ele sempre quer faturar mais, e no momento a luta mais lucrativa é contra o Khabib, e ele só pode enfrentar ele agora, pq se enfrentar outro e perder, não poderá mais desafiar o Khabib. Por isso estou certo que ele vai querer a revanche, não vai dispensar o maior cheque que o UFC poderá lhe pagar.

    • Laerte Viana Venâncio Alves

      Acho que você também tem razão. Mas não descarto nada, McGregor também gosta de surpreender. rs

  • Francisco Borja

    Donald Cerrone x Conor McGregor
    Al Iaquinta x vencedor de Nik Lentz x Charles Oliveira (Meu Deus, Lentz x Charlinho II não faz o menor sentido)
    Derek Brunson x vencedor de Antonio Carlos Junior x Ian Heinisch
    Elias Theodorou x vencedor de Edmen Shahbazyan x Jack Mashman
    Shane Burgos x vencedor de Renato Moicano x Chan Sung Jung
    Cub Swanson x Arnold Allen
    Merab Dvalishvili x vencedor de Andre Ewell x Anderson dos Santos
    Brad Katona x Ricardo Ramos
    Walt Harris x Justin Willis
    Sergey Spivak x perdedor de Allen Crowder x Jairzinho Rozenstruik
    Andrew Sanchez x Omari Akhmedov
    Marc-Andre Barriault x perdedor de Bevon Lewis x Darren Stewart
    Vincent Morales x Tom Duquesnoy
    Nordine Taleb x Siyar Bahadurzada
    Kyle Prepolec x Salim Touahri
    Matt Sayles x Gavin Tucker
    Kyle Nelson x Felipe Colares
    Arjan Bhullar x Andrei Arlovski
    Juan Adams x Justin Frazier
    Aiemann Zahabi x Cole Smith
    Mitch Gagnon x Henry Briones

  • Alyson D’Gramont

    – Donald Cerrone x perdedor de Khabib Nurmagomedov x Dustin Poirier
    – Al Iaquinta x Justin Gaethje
    – Derek Brunson x David Branch
    – Elias Theodorou x Uriah Hall
    – Shane Burgos x vencedor de Calvin Kattar x Ricardo Lamas
    – Cub Swanson x Kron Gracie

Tags: , , , , , , , , , , , ,
Instagram