Sobre os cinturões
interinos #resenha

Renato Rebelo | 16/04/2019 às 23:39

Pessoal, na resenha de hoje analisei a necessidade da criação de cinturões interinos pelo UFC.

Venham comigo!

  • Douglas Karpinski

    Cinturão interino não é o problema, o problema é que virou carne de vaca…. o cinturão interino tem que ser em ultimo caso, quando realmente o campeão linear ta impossibilitado e não deve voltar tão cedo….

    Virou tão comum que até os próprios lutadores zombam que o cinturão é falso…. acho tambem que desonra quem fez por merecer, quem pegou a fila e foi enfileirando lutadores, ai um jacaré da vida que esta na fila a anos é passado pra traz novamente porque uma cinta salva-card foi cedida…. afinal quantos campeões terá cada categoria, pq olha a categoria do Khabib, tem o el cucuy, o Diamante, e o Khabib, na realidade 3 cinturões….virou palha assada …..

    • Tiago Nicolau de Melo

      Ferguson tbm tem um interino?
      Nem lembrava… sem noção nenhuma existir mais de um cinturão interino.
      Acho que devia ter “meio que” uma regra:

      6 meses, estando saudável, em defesa de cinta: Interino
      9 meses sem defender a Cinta: Interino
      1 ano (sem contusões): perde o Linear.

      • KRS Porlaneff

        O certo:
        Lutador A (campeão) tem luta marcada com o lutador B (desafiante, primeiro do ranking) e em algum momento A declina da luta: cinturão interino entre lutador B e lutador C (segundo do ranking).
        Lutador B ou C, independente de quem se torne o campeão interino, tem que enfrentar o A. Se não puder enfrentar o A, A perde o cinturão linear (a não ser que tenha um EXCELENTE MOTIVO pra não lutar, como uma morte na família), B ou C defende o cinturão interino contra o lutador D (primeiro do ranking) e o vencedor se torna campeão linear.
        Lutador B ou C, independente de quem se torne o campeão interino, se declinar da luta contra D, perde o cinturão interino e D enfrenta o lutador E (primeiro do ranking) pelo cinturão linear.
        E não interessa: dois cinturões na mesma categoria precisam ser unificados o mais rápido possível.

        A realidade:
        Lutador A (campeão) tem luta marcada com o lutador B (desafiante, primeiro do ranking) e em algum momento A declina da luta: A continua campeão porque vende PPV, lutador X que é o sétimo do ranking enfrenta o lutador Y que é o 13º poque X é polêmico e Y é polêmico mas o B não é, aí pra salvar um evento A enfrenta o lutador L que voltou direto da luta livre profissional (ta dum tssssssssss) depois de vários anos e nem está rankeado e mantém o cinturão interino pra outra ocasião, e assim o UFC vai empurrando com a barriga esse estilo WWE de ser.

        • Tiago Nicolau de Melo

          No primeiro cenário que tu descreveu eu acho um pouco exagerado isso de ser obrigatório que o Campeão enfrente o primeiro do Ranking.
          Aldo já é o primeiro, então tu acha que ele nem deveria enfrentar o Volkanovski e já ter uma terceira luta contra o Max?
          Woodley vencendo o Lawler deve ficar em primeiro, já pode pegar o Usman novamente?

          • KRS Porlaneff

            Bom, o ranking é pra ter uma ordem das coisas, né… mas talvez não tinha ficado muito claro, eu falei com todas as rotações que tem nos rankings e tal.

            Mas como eu disse, seria um cenário certo. Pra mim toda disputa de cinturão sairia do campeão e do vencedor de um GP com 4 ou 8 lutadores.

          • Tiago Nicolau de Melo

            Curto muito GP’s, mas teria de ser no estilo o Bellator fez (com participação do atual Campeão). Com lesões e adiamentos de lutas, se o dono da Cinta não fizer parte pode acontecer de ficar um ano parado e aí voltamos ao papo de interinos por inatividade.

  • Rômulo Leal

    CInturões interinos tem o mesmo valor do Flamengo: NÃO VALEM NADA!!

Tags: ,
Instagram