Atacando de Joe Silva: lutas
a casar pós-UFC Londres

Laerte Viana | 17/03/2019 às 17:34

Fala, galera!

Segundo evento do UFC realizado no Velho Continente em 2019, segundo europeu nocauteado no main event. E dessa vez foi ainda mais doloroso para a torcida local, uma vez que o protagonista, postulante a novo ídolo do país, foi brutalmente removido para outra órbita.

O espetáculo como um todo também não foi dos melhores, embora alguns momentos mereçam destaques.

Como, por exemplo, um subestimado e discreto meio-médio alcançando a segunda maior série de resultados positivos do peso, jovens prospectos somando seus respectivos pontos na tabela, finalização sem os famosos três tapinhas e outros desdobramentos.

Deixando o papo furado de lado, vamos ao que de fato interessa: os próximos passos dos principais vencedores do UFC Londres:

1num

Jorge Masvidal x Leon Edwards 

Dois segundos de luta: Jorge Masvidal acerta uma mini-voadora nos países baixos de Darren Till. Menos de 10 segundos depois, Till leva Masvidal ao solo com um golpe singular. No round seguinte, Masvidal devolve a gentileza e apaga o dono da casa. Roteiro de cinema!

Depois dessa vitória maiúscula, estava pronto para colocar Gamebred x Ben Askren. Eu só não contava que o americano-cubano iria reviver seus tempos de briga de rua e sair na mão com Leon Edwards nos bastidores, após o show. Aí complica, né?

Acredito, inclusive, que isso mudará o percurso de Masvidal. Bom para Leon, que engatou a sétima seguida contra Gunnar Nelson e teve seu caminho encurtado para chegar à elite. Aliás, se olharmos pelo ponto de vista do jamaicano radicado na Inglaterra, é justo que receba uma chance no topo.

NUM_2

Dominick Reyes x Corey Anderson 

Dominick Reyes e Volkan Oezdemir honraram de maneira fidedigna o tom da categoria até 93kg. Travaram uma disputa sofrível, daquelas que nos desperta um profundo arrependimento por ter reservado um tempinho para assistir. No fim, vantagem para o americano, que segue invicto.

O topo dos meio-pesados está desenhada, com Jon Jones x Thiago Marreta e Alexander Gustafsson x Anthony Smith. Sobram, para Reyes, Corey Anderson e Jan Blachowicz. Pensando num cenário amplo, é provável – e eu concordo – que façam Reyes x Anderson e a revanche Blachowicz x Latifi.

NUM3

Claudio Hannibal x Ramazan Emeev

A interrupção foi equivocada, é verdade, mas, apesar do desfecho, Claudio Hannibal fez um bom trabalho diante de Danny Roberts, vencendo as etapas iniciais. Para o azar do mato-grossense, o peso meio-médio se tornou um tanque de tubarões, portanto seus quatro triunfos em sequência não o coloca em destaque.

Claudio tem situação parecida com a de Ramazan Emeev. Não sabem o que é perdem no UFC, somam 7-0 e buscam um lugar ao sol. O duelo, que já foi agendado em 2018, está pronto para sair do papel no segundo semestre.

Casamentos extras:

  • Olho nesse moleque. 25 anos, 3-0 e três finalizações fazem Nathaniel Wood ser, de fato, mais um produto interessante nos galos – o esforçado José Alberto Quiñonez virou estatística. Ainda que venha impressionando, o ex-campeão do Cage Warriors se encontra numa divisão inundada de talentos, o que significa muito trabalho para subir de nível. Portanto, o também promissor Matt Schnell, que fez uma boa trinca ao finalizar Louis Smolka no sábado retrasado, mostraria qual talento está mais lapidado.
  • A luta foi tão emocionante quanto dançar valsa com a avó, mas Arnold Allen, de somente 25 primaveras, fechou a quina no Ultimate ao superar Jordan Rinaldi – o que não significa moral no peso pena, até pelas atuações recentes. Se quiser mudar de patamar, terá que atuar mais do que uma vez por ano, o que ainda não fez desde que estreou na companhia, em 2015. De qualquer maneira, está na hora de elevar o nível. Calvin Kattar, último do ranking, é o nome da vez.
  • E não é que Marc Diakiese tirou a corda do pescoço? Azarão, o jovem congolês, que vinha de três tropeços, superou o superestimado Joe Duffy sem maiores problemas, provando que ainda pode render na empresa. Com um estilo vistoso, Diakiese casaria perfeitamente com Netto BJJ, que também adora trocar sopapos no octógono.
  • Amigos, me ajudem com os destinos de Darren Till, Gunnar Nelson, Volkan Oezdemir, Priscila Pedrita e companhia? Mandem bala!
  • Douglas Mol Resende

    UFC ofereceu a luta contra o Corey Anderson para o Rockhold no dia 08 de junho, acredito que essa luta deve ser casada.
    Faria Blachowicz x Reyes.
    Lafiti x Walker seria interessante para o UFC Suécia.

    • Laerte Viana Venâncio Alves

      Sério? Não tinha visto. Mal pelo erro. rs

      Gostei dos casamentos.

      • Douglas Mol Resende

        Rockhold vai pegar o Blachowicz no UFC 239, sendo assim, concordo com seu casamento Reyes x Corey Anderson!

  • Alyson D’Gramont

    – Jorge Masvidal x Leon Edwards
    – Darren Till x Tim Boetsch (luta nos médios)
    – Gunnar Nelson x Michael Chiesa
    – Dominick Reyes x Corey Anderson
    – Volkan Oezdemir x Jan Błachowicz
    – Nathaniel Wood x Alejandro Pérez
    – José Quiñónez x Luke Sanders

    • Laerte Viana Venâncio Alves

      Nelson x Chiesa seria interessante. Curti!

  • Sergio Araujo

    Reyes x vencedor de Gus Smith
    Volkov x Walker
    Till x Lowler

    Discordei bastante de terem dado o Gus pro Smith. O Smith não lutou contra o jones, merecia como punição pegar um kra la de trás no rank, seria interessante Smith x Walker, mas é o que temos pra hoje.

    • Laerte Viana Venâncio Alves

      Também não gostei de Gustafsson x Smith.

  • Daniel Piva

    Gostaria de ver Johnny Walker vs Reyes. Os dois são boas promessas da categoria, mas ambos ainda têm o que provar.

    A respeito de Masvidal vs Edwards, não sei o quão interessante é casar a luta após a confusão. Parece uma espécie de “premiação” pelo fato estúpido. Como colocar o Ben Askren para o Masvidal seria deixá-lo ileso, eu pensei no seguinte para o topo da categoria:

    Usman vs Colvington
    Askren vs Ponzinibbio
    Masvidal vs Lawler
    Edwards vs Capoeira

    • Laerte Viana Venâncio Alves

      Edwards vs Capoeira seria beeeeeem interessante.

  • Márcio Müller

    Na moral, o nível de luta de Priscila Pedrita é sofrível! O que é ter um bom empresário, dá pra ver que faz a diferença, senão, nem era pra estar no UFC. Essa mania de defender soco com a cara só pra “justificar” o apelido de Zombie Girl… tá perdendo anos de vida. Só tem mesmo aquele suingão de direita. Tem muito o que trabalhar esse menina.

    • Laerte Viana Venâncio Alves

      Concordo. Ela tem uma história de vida muito bacana, merece todo o sucesso, mas precisa melhorar muitos pontos para ter nível competitivo no UFC.

  • Francisco Borja

    Jorge Masvidal x Ben Askren
    Darren Till x Uriah Hall
    Leon Edwards x Rafael dos Anjos
    Gunnar Nelson x Tony Martin
    Dominick Reyes x Jan Blachowicz
    Volkan Oezdemir x vencedor de Glover Teixeira x Ion Cutelaba
    Nathaniel Wood x Thomas Almeida
    José Alberto Quiñónez x vencedor de Montel Jackson x Andre Soukhamthath
    Claudio Silva x Geoff Neal
    Danny Roberts x Warlley Alves
    Jack Marshman x Khalid Murtazaliev
    John Phillips x RH
    Arnold Allen x Darren Elkins
    Jordan Rinaldi x vencedor de Sodiq Yussuf x Sheymon Moraes
    Marc Diakiese x Chris Gruetzemacher
    Joseph Duffy x Lando Vannata
    Saparbek Safarov x Justin Ledet
    Nicolae Negumereanu x Gokhan Saki
    Dan Ige x Shane Burgos
    Daniel Henry x perdedor de Sodiq Yussuf x Sheymon Moraes
    Mike Grundy x Julio Arce
    Nad Narimani x Brandon Davis

    • Laerte Viana Venâncio Alves

      Darren Till x Hall e Volkan Oezdemir x vencedor de Glover Teixeira x Ion Cutelaba são ótimas opções.

      • Francisco Borja

        Eu confesso que tinha pensado em Paulo Usadinha x Till, mas aí além desse rumor bastante estranho, ainda tem o fato de que provavelmente ele não iria topar… Faz sentido Hannibal x Neal? Achei um teste interessante pro Neal, se passar acho que já estaria apto a ser alçado contra um top 10

        • Laerte Viana Venâncio Alves

          Semana passada casei Anthony Rocco x Neal, acredito que faça mais sentido, uma vez que o Rocco entrou no ranking e o Neal foi ranqueado até pouco tempo atrás.

          O Hannibal, apesar das boas vitórias, não tem apelo comercial nenhum, acho difícil que ele seja colocado contra os melhores. Só em caso de servir de escada, infelizmente.

          Me lembra muito os casos do Michel Trator e Massaranduba.

          • Francisco Borja

            Pensei nesse casamento mais como escada mesmo. Acho que o longo tempo que ele teve de inatividade atrapalhou bastante… Essa passagem do Neal pelo ranking foi bastante relâmpago e tenho a impressão de ser meio precoce já jogar ele pro top 15, não sei, acho essa categoria muito populosa pra jogar alguém com “só” três vitórias no top 15

Tags: , , , , , , , , , ,
Instagram