UFC Londres: os palpites
dos colunistas do Sexto Round

admin | 15/03/2019 às 19:04

The O2 Arena, em Londres“Terra da Rainha”, será palco de mais uma edição do Ultimate. Darren Till e Jorge Masvidal se enfrentam na luta principal do UFC Fight Night 147.

O card londrino, que acontece neste sábado, a partir das 14h (horário de Brasília), terá outro interessante duelo na divisão dos meio-médios: Leon Edwards e Gunnar Nelson ficam frente a frente no co-main event.

Vindo de derrota em disputa de cinturão, Darren Till precisa vencer Masvidal para provar que ainda pertence ao topo da categoria.

Pelo lado de Jorge Masvidal, um triunfo sobre o inglês não só lhe dará moral, como também, encerraria uma sequência de duas derrotas seguidas.

No segundo combate mais importante do evento, Leon Edwards quer emendar a sétima vitória seguida no octógono e entrar de vez, na nata da divisão.

Para Gunnar Nelson, vencer Leon o reaproximaria do top 10 do ranking até 77 kg.

Ótima oportunidade, então, para os palpites dos colunistas do Sexto Round.

Vamos a eles!

David Carvalho: O Reino Unido merece uma estrela e Till é um dos maiores nomes britânicos na atualidade. Confesso que não é o main event com cara de luta principal, mas o casamento promete uma ótima luta. Masvidal tem coração de lutador e pode surpreender principalmente na luta agarrada, onde o inglês já demonstrou ser um caminho depois que levou bucha do ex-campeão Woodley. Pela pujança física e qualidade técnica, vou de Darren Till vencendo nos pontos.

Felipe Paranhos: Não tenho nenhuma confiança em Till, dada a travada que ele deu diante de Woodley. Mas dessa vez, o inglês tem chances reais de vencer com tranquilidade. Till, decisão.

João Vitor Xavier: Masvidal, decisão.

Laerte Viana: Masvidal costuma ser agressivo, fazendo uso do bom boxe ofensivo que possui. O problema, para ele, é que Till, além de melhor tecnicamente, ainda tem vantagem na questão física. Masvidal pode se aproveitar da queda de rendimento do inglês na reta final e crescer no combate, mas temos que lembrar que os juízes ingleses adoram uma pachecada. De qualquer maneira, acho difícil que chega na decisão. Till nocauteia.

Leo Salles: Combate que deve se desenrolar na luta em pé, porém, Masvidal poderia buscar a luta agarrada em algum momento. Creio que Till deva usar bem a envergadura, encaixar os golpes e levar a melhor neste embate visceral: Till por decisão. 

Lucas Carrano: Till, decisão.

Lucas Rezende: Apesar da atuação lamentável contra Woodley, ainda acredito nas vantagens de poder e tamanho de Till sobre Masvidal. O inglês provou que sabe lutar cinco rounds e ser estratégico, enquanto Jorge tem o hábito de desacelerar conforme os combates se estendem. Till por decisão.

Luiz Fernando Ferreira: Till, decisão.

Renato Rebelo: Till por decisão.

Rodrigo Tannuri: Till, decisão.

Thiago Sampaio: Masvidal não vai oferecer a resistência na luta agarrada, nem de perto, do que Woodley fez. Sendo assim, o atleta da casa, também trocador, porém maior e com poder de nocaute, deve fazer a festa da arquibancada. Till, TKO.

David Carvalho: Edwards é um ótimo nome dos meio-médios e Nelson ainda não mostrou na categoria algo que nos faça enxergar como um lutador diferente. Vou de Leon Edwards via TKO.

Felipe Paranhos: Gunni tem recursos interessantes, um potencial incrível, mas segue na categoria errada. O cada vez mais inteligente Edwards leva. Rocky, decisão.

João Vitor Xavier: Nelson, finalização.

Laerte Viana: Embora Nelson seja um carateca de ótima qualidade, vai ter que cortar um dobrado para superar o alto volume de golpes de Edwards. O chão seria o caminho menos difícil para Gunni, mas a boa movimentação de Edwards o faz ter uma defesa de quedas sólida, dificultando as investidas alheias. Em pé, aposto que o volume vai superar a precisão. Edwards vence por pontos.

Leo Salles: Na minha visão, a luta mais equilibrada do evento e de difícil previsão. Apesar disso, vou arriscar. Acho que o islandês vai se apropriar dos contragolpes e esperar um vacilo de Edwards. E daí levar para o solo e apertar o pescocinho do adversário: Nelson por finalização.

Lucas Carrano: Nelson, finalização.

Lucas Rezende: Defesas de queda em dia e mãos poderosas devem trazer mais uma vitória para o jamaicano. Sempre em desvantagem no meio-médio, não creio que o puro talento e técnica de Gunni o livrem cara novamente. Edwards por decisão.

Luiz Fernando Ferreira: Nelson, finalização.

Renato Rebelo: Edwards por decisão.

Rodrigo Tannuri: Edwards, decisão.

Thiago Sampaio: Edwards é bastante subestimado. Se estiver com o wrestling em dia e uma estratégia bem aplicada como fez com Cerrone, tem boas chances de abafar o karate de Gunnar e evitar o ótimo jiu-jítsu do islandês. Edwards, decisão.

David Carvalho: OezdeMito já não carreta tanto o sufixo do apelido que citei. Vindo de duas derrotas para grandes nomes não tem o luxo de ter mais uma derrota no cartel, já Dominick Reyes tem o diferencial de saber o momento certo de caminhar para frente e conseguir finalizar a luta sem perder o timming. Luta difícil de palpitar, mas vou entrar no “quase hype” de Reyes que vence por TKO.

Felipe Paranhos: O conto de fadas de Oezdemir acabou. Reyes, finalização.

João Vitor Xavier: Reyes, decisão.

Laerte Viana: Reyes tem brechas defensivas bem perigosas para quem vai enfrentar um dos maiores pegadores da divisão. Se a inexperiência der as caras e entrar numa trocação franca, pode cair babando. Contudo, acredito que a melhor qualidade técnica e o gameplay bem traçado vão pesar na balança. Batendo e saindo com bastante movimentação, Reyes cansará Volkan e liquidará a fatura na reta final. Reyes, TKO.

Leo Salles: Apesar do suíço ter mãos pesadas, acho que a maré de sorte dele tenha passado. E, enfrentando um adversário jovem e voando baixo na categoria, com poder de K.O, deve sofrer mais uma derrota: Reyes por TKO.

Lucas Carrano: Oezdemir, decisão.

Lucas Rezende: Oezdemir teve seu tempo, mas acabou por se provar um lutador limitado que tirou vantagem de uma categoria devastada. Reyes é mais completo e, portanto, perigoso. Reyes finaliza.

Renato Rebelo: Reyes por decisão. 

Rodrigo Tannuri: Reyes, TKO.

Thiago Sampaio: Volkan impressionou pela mão pesada. Mas quando foi mais exigido, se mostrou bem perdido, até contra Anthony Smith, em que o gás foi embora. O bom Dominick, eficiente em todas as áreas, tem mostrado bom preparo para capitalizar em cima desses erros e fugir da bordoada. Reyes, decisão.

Restante do card:

Nathaniel Wood x José Alberto Quiñonez
Danny Roberts x Cláudio Hannibal
Jack Marshman x John Phillips
Arnold Allen x Jordan Rinaldi
Marc Diakiese x Joe Duffy
Nick Negumereanu x Saparbeg Safarov
Tom Breese x Ian Heinisch
Danny Henry x Dan Ige
Molly McCann x Priscila Pedrita
Mike Grundy x Nad Narimani

Ranking dos colunistas:

1 – Felipe Paranhos: 22-9 (70,9%)
1 – Leo Salles: 22-9 (70,9%)
1 – Thiago Sampaio: 22-9 (70,9%)
2 – João Vitor Xavier: 20-11 (64,5%)
2 – Luiz Fernando Ferreira: 20-11 (64,5%)
3 – Laerte Viana: 19-12 (61,2%)
3 – Lucas Carrano: 19-12 (61,2%)
3 – Lucas Rezende: 19-12 (61,2%)
3 – Renato Rebelo: 19-12 (61,2%)
4 – David Carvalho: 18-13 (58%)
4 – Rodrigo Tannuri: 18-13 (58%)

  • Tiago Nicolau de Melo

    Eu devo estar muito por fora, hein?
    Vou de Masvidal, Gunnar e Volkan.

Tags: , , , , , , , ,
Instagram