UFC Praga: os palpites
dos colunistas do Sexto Round

admin | 22/02/2019 às 18:18

Desembarcando pela primeira vez na República Tcheca, o Ultimate chega na cidade de Praga com um embate entre Jan Blachowicz Thiago Marreta na luta principal do UFC Fight Night 145. 

Vindo embalado por quatro triunfos seguidos, Blachowicz tenta emendar a quinta em cima do brasileiro, fato que o deixaria muito próximo de uma disputa pelo cinturão dos meio-pesados.

Do outro lado do córner, Thiago Marreta vem de três vitórias consecutivas, se passar pelo polonês entra de vez no top 5 da divisão. Caso o brasileiro consiga mais um nocaute irá alcançar o seu 11º, ficando apenas um do recorde do Ultimate (Vitor Belfort com 12).

O co-main event será marcado pelo encontro de Stefan Struve e Marcos Pezão, pela divisão dos pesos-pesados. Vindo de três derrota seguidas, o holandês precisa da vitória para espantar a má fase.

Já pelo lado do brasileiro, um triunfo sobre o gigante europeu seria o maior de seu cartel.

Ótima oportunidade, então, para os palpites dos colunistas do Sexto Round.

Vamos a eles!

David Carvalho: Blachowicz ébom lutador, finaliza e tem boas mãos para luta em pé, mas se Marreta pretende continuar com esse jogo intenso, fico com o brasileiro. Thiago Marreta, TKO.

Felipe Paranhos: Luta realmente muito difícil de prognosticar. Mas tem uma coisa no jogo do polonês que, pra mim, deixa a luta 51% a 49% para ele: Blachowicz não tem medo de derrubar e fazer jogo chato no chão se preciso. Isso pode dar alguns rounds a seu favor e, assim, colocá-lo em vantagem numa eventual disputa na papeleta dos juízes. Blachowicz, decisão.

João Vitor Xavier: Essa luta é difícil, pois Blachowicz é bem completinho, usa o double leg com destreza, tem chutes fortes no corpo. Mas acredito na diferença de agressividade, Marreta anda para frente, solta mais golpes e não tem medo de levar um para dar outro. Acho que essa postura ainda vai deixá-lo em apuros, mas ele passa raspando por essa. Marreta, por TKO.

Laerte Viana: Embora Blachowicz seja mais técnico em pé, Marreta bate mais pesado e tem um poder de nocaute maior. Por isso, não me surpreenderá se o polonês buscar a luta agarrada, assim como fez em suas últimas vitórias. A questão é: acho que Blachowicz tentará trocar no início para confundir, mas vai pagar caro por isso. Marreta, TKO.

Leo Salles: O polonês não será louco de ir para trocação franca com Marreta. Por isso, vai de todas as formas fazer o que tem de melhor, que é colocar para baixo e marretar (sem trocadilho). Entretanto, o brasileiro vive grande fase e mãos apuradas para nocautear. Marreta por TKO.

Lucas Carrano: Marreta, TKO.

Lucas Rezende: Considero Blachowicz um lutador competente, mas pragmático. Diante de um selvagem feito Thiago Marreta, o pragmatismo polonês pode sair caro. Não sei se Jan estará preparado para a pressão do brasileiro. É claro que Thiago também corre o risco de ser abafado e afundar numa derrota vagarosa e monótona, mas acredito mais no primeiro cenário. Marreta por KO.

Luiz Fernando Ferreira: Marreta, TKO.

Renato Rebelo: Marreta, TKO.

Rodrigo Tannuri: Błachowicz, decisão.

Thiago Sampaio: Se eles partirem para a trocação franca, há boas chances de êxito do brasileiro. Mas o polonês costuma ser cauteloso. Deve vir para o clinche e buscar queda, onde Marreta já mostrou ter dificuldade. Naturalmente mais pesado e colocando o wrestling em prática, vou de Blachowicz, finalização.

David Carvalho: Struve está em uma fase tão ruim que é porteiro da categoria devastada dos pesados. Pezão vence por pontos.

Felipe Paranhos: Sem sacanagem: Pezão só precisa manter a luta em pé e não se aventurar no wrestling como fez (bem) em sua última luta. Na trocação, o brasileiro é muito melhor e tem um jogo muito mais variado que Struve. Além disso, Pezão tem a vantagem dos potentes chutes baixos, que ajudaram e muito Alexander Volkov a minar a já carente movimentação de Struve. É fintar, mirar e encerrar a luta com chutes ou socos. Pezão, KO.

João Vitor Xavier:  Struve é um dos mistérios do universo, aquele cara com uma baita envergadura, mas que não consegue utilizá-la de forma eficiente. É comum vê-lo sucumbir a overhands de adversários mais baixos, e acho que Pezão terá o insight de explorar esse golpe para se aproximar e colocar para baixo. Pezão, decisão.

Laerte Viana: Pezão tem jogo para explodir e botar pressão contra Struve, que sempre se complicou quando pressionado. O brasileiro só não pode dar mole no chão, uma vez que ainda apresenta brechas no sistema defensivo e o gigante holandês vez ou outra acha boas finalizações. Pezão nocauteia.

Leo Salles: O maior problema de se enfrentar um gigante é encurtar a distância. Acredito que Pezão terá dificuldades contra um adversário experiente e bem mais pesado. Struve, TKO.

Lucas Carrano: Pezão, TKO.

Lucas Rezende: Pezão tem mãos pesadas e um jiu-jitsu que não é nulo, mas possui lacunas. Acredito que Struve é mais experiente, técnico e testado que o brasileiro. Apesar do queixo do Arranha-Céu e seu péssimo uso da envergadura avantajada sejam defeitos que nunca o tornarão elite entre os pesados, acredito que ele ainda seja capaz de despachar alguém do nível de Marcos Rogério. Struve por finalização.

Luiz Fernando Ferreira: Pezão, TKO.

Renato Rebelo: Struve, decisão.

Rodrigo Tannuri: Struve, decisão.

Thiago Sampaio: Pezão tem plenas condições de levar a melhor em pé, talvez até arrancar um nocaute, já que o gigante dispara golpes pra lá de desengonçados e nunca aprendeu a usar a envergadura que o favorece para controlar a distância. Mas o brasileiro também nunca mostrou o valor da sua faixa preta de jiu-jítsu, enquanto o holandês tem muitas finalizações no cartel. Se for para o chão, os membros de polvo do poste humano deve envergar alguma articulação. Struve, finalização.

David Carvalho: Yan é ótimo lutador, mas sempre gosto de me apoiar em experiência quando a luta é equilibrada. Dodson vence nos pontos.

Felipe Paranhos: Dodson é o tipo do lutador que dificulta muito as coisas para atletas superiores a ele. Assim como fez com Jimmie Rivera e Marlon Moraes, o Mágico deve usar sua velocidade para frustrar Yan deixando a luta bem monótona, fugindo mesmo. Assim, quem sabe, leva uma decisão meio forçada, como fez diante de Pedro Munhoz. Falei tudo isso pra dizer que acho que dá Yan na decisão.

João Vitor Xavier: Yan terá o grande teste de sua carreira no UFC. Ainda que esteja longe de uma luta pelo cinturão e em uma espécie de “limbo”, Dodson ainda é luta perigosa para qualquer ser humano que pese entre 57 e 61 kg. Porém, Yan está na ascendente, vem se preparado para um grande teste há tempos e tem todas as armas para neutralizar a velocidade do americano. Yan, decisão.

Laerte Viana: Conhecido por sua agilidade e ótima movimentação em pé, Dodson terá pela frente um oponente tão bom quanto nesses aspectos. Ainda com buracos no sistema defensivo, Yan pode ser surpreendido pelo ex-desafiante peso mosca se entrar numa trocação franca, mas o vejo sendo mais cerebral. Petr Yan leva na decisão.

Leo Salles: Duelo bastante equilibrado. Dodson ainda é um atleta de elite, mas vem perdendo rendimento, enquanto Yan é uma das promessas russas que chegou para dar trabalho. Como último alento, vou apostar na experiência no octógono: Dodson por decisão.

Lucas Carrano: Yan, decisão.

Lucas Rezende: Mais um combate para solidificar Petr Yan entre a elite do peso-galo. John Dodson, que já não nocauteia como antigamente já não é mais tão veloz quanto antigamente, encarará um russo no auge de forma física e que implementa um ritmo de pressão irrepreensível por todos os cinco minutos de cada round. Não é um adversário para se encarar sem se estar no primor de suas capacidades. Yan por decisão.

Luiz Fernando Ferreira: Dodson, TKO.

Renato Rebelo: Yan, decisão.

Rodrigo Tannuri: Yan, decisão.

Thiago Sampaio: Dodson já foi bem mais competitivo. Nem a velocidade é a mesma e tem sido cada vez mais burocrático. Yan, atleta completo, é o oposto. Vem numa crescente como produto a disputar o título num futuro próximo. Consolidando a boa fase, a aposta é Yan, decisão.

David Carvalho: O Brasileiro vai pegar uma bucha de canhão russa que está vindo de seis vitórias. Khabilov vence por TKO.

Felipe Paranhos: De um lado, a irregularidade de Khabilov. Do outro, tempo com a carreira estagnada de Diego. Fiquei profundamente decepcionado com a atuação do russo frente ao horroroso Kajan Johnson, por isso acho que Ferreira surpreende. CDF, finalização.

João Vitor Xavier: Ainda que o brasileiro ofereça algum perigo em pé e tenha ótimo jiu-jitsu, o wrestling de alto nível do russo deverá lhe garantir esta. Khabilov, decisão.

Laerte Viana: Carlos Diego vem evoluindo em pé, mas seu forte é o jiu-jítsu. O problema, para o brasileiro, é que Khabilov usa e abusa de suas ótimas habilidades no sambo para amarrar os confrontos e cansar o adversário – o russo também é eficiente na troca de golpes Em outras palavras, o jogo não casa para CDF. Khabilov, decisão.

Leo Salles: Khabilov é um dos russos que mais tem decepcionado no UFC, mas neste embate contra Carlos Diego, deve levar vantagem no controle das ações por ter mais envergadura e pressionar o brasileiro na luta agarrada. Por isso, vou de Khabilov por decisão.

Lucas Carrano: Khabilov, decisão.

Lucas Rezende: O brasileiro atravessa uma boa fase, mas o russo uma melhor. Diego é um faixa-preta tarimbado e já provou que sabe usar as mãos, mas seus últimos adversários não tem tanto destaque assim. Khabilov vem de seis vitórias consecutivas e executa o estilo daguestanês com a eficiência de poucos. Rustam por decisão.

Luiz Fernando Ferreira: Khabilov, decisão.

Renato Rebelo: Khabilov, decisão.

Rodrigo Tannuri: Khabilov, decisão.

Thiago Sampaio: Carlos Diego é um lutador eficiente, apesar da trocação baseada mais na valentia do que na técnica. Mas o russo é um carrapato humano e, se fizer algo parecido com o que Beneil Dariush fez, deve arrancar um resultado semelhante, numa luta sem emoção. Khabilov, decisão.

Restante do card:

Gian Villante x Michal Oleksiejczuk
Liz Carmouche x Lucie Pudilova
Magomed Ankalaev x Klidson Abreu
Veronica Macedo x Gillian Robertson
Carlo Pedersoli x Dwight Grant
Damir Hadzovic x Marco Polo Reyes
Michel Trator x Ismail Naurdiev
Daniel Teymur x Chris Fishgold
Damir Ismagulov x Joel Alvarez

Ranking dos colunistas:

1 – Luiz Fernando Ferreira: 13-4 (76,4%)
2 – Felipe Paranhos: 12-5 (70,5%)
2 – Leo Salles: 12-5 (70,5%)
2 – Renato Rebelo: 12-5 (70,5%)
2 – Thiago Sampaio: 12-5 (70,5%)
3 – David Carvalho: 11-6 (64,7%)
3 – João Vitor Xavier: 11-6 (64,7%)
3 – Laerte Viana: 10-7 (58,8%)
4 – Lucas Carrano: 10-7 (58,8%)
4 – Rodrigo Tannuri: 10-7 (58,8%)
5 – Lucas Rezende: 9-8 (52,9%)

  • Mauro

    Vou torcer muito para o Marreta pois sempre o achei um negão da porra.

    Mas o casamento é ruim para ele…

  • Sergio Araujo

    Essa semana não vai ter a seção “vale assistir” de novo?

    • Mauro

      Aos poucos o site irá deixando de assistir…

      Foco no Insta e Youtube, acabam deixando o site de lado.

      Tudo bem, Insta e Youtube podem ser mais ágeis e melhor aos donos do Site. Em compensação, diminui bastante o debate entre User.

      Acredito ser questão de tempo até fecharem o site.

    • Renato Rebelo

      O Thiagão ficou mais ocupado e, infelizmente, tá sem tempo pra fazer = (

      • Cristiano

        Seria legal colocar a hora dos cards como faziam antes Renatooooo!!!

Tags: , , , , , , ,
Instagram