UFC China e Liddell x Ortiz 3: os palpites
dos colunistas do Sexto Round

admin | 23/11/2018 às 16:04

O Ultimate desembarca mais uma vez em terras chinesas, na Cadillac Arena, em Pequim, para o UFC Fight Night 141. O evento, que ocorre neste sábado (24), a partir das 6h (Horário de Brasília), terá como a luta principal a revanche entre Francis Ngannou e Curtis Blaydes, na divisão dos pesados.

Além do card na China, o mundo do MMA irá presenciar uma trilogia envolvendo duas grandes lendas do esporte. Chuck Liddell e Tito Ortiz se enfrentam em card da Golden Boy MMA, promoção que estreia sob a tutela de Oscar De La Hoya.

No primeiro card, embalado por quatro vitórias seguidas, Curtis Blaydes quer carimbar de vez a chance de disputar o cinturão da categoria. Um triunfo sobre o camaronês o transformaria em desafiante número um dos pesos-pesados.

Do outro lado do corner, Ngannou não vive uma boa fase: ”The Predator” vem de duas derrotas seguidas. O camaronês fará não só um duelo de recuperação, mas, também, provar que seu hype não foi por acaso.

Para fechar o sábado, a animada rivalidade entre Liddell e Ortiz irá se encerrar em trilogia.

Com duas vitórias no confronto, The Ice Man quer emendar a trinca sobre o rival, mas, para isso, terá que superar a inatividade. Chuck Liddell não luta desde junho de 2010, quando foi derrotado por Rich Franklin, no UFC 115.

Já para Tito Ortiz a trilogia será a grande chance de vencer o seu maior rival. Mas ativo que seu adversário, The Huntington Beach Bad Boy vinha lutando no Bellator, seu último combate foi em janeiro de 2017, quando derrotou Chael Sonnen.

Ótima oportunidade, então, para os palpites dos colunistas do Sexto Round.

Vamos a eles!

UFC China:

André Azevedo: Acredito nas habilidades no wrestling de Blaydes para matar o jogo e neutralizar as mãos pesadas de Ngannou. Curtis via TKO.

David Carvalho: Fiquei bem decepcionado com Ngannou em sua performance contra Lewis. Acredito que o medo de perder não é algo fácil de esquecer a partir do momento que o enxergou. Vejo um desfecho diferente do primeiro embate, onde, desta vez, Blayders nocauteia.

Felipe Paranhos: Os tempos são outros, Ngannou é bem conhecido e Blaydes não vai dar mole de trocar com o antigo algoz. Blaydes, TKO no chão.

João Vitor Xavier: Acredito que Curtis Blayes tem as ferramentas necessárias para implementar jogo parecido com o de Stipe Miocic no UFC 220. Vejo o americano capaz de conter a agressividade e mãos pesadas do camaronês com quedas no tempo certo e muito ground and pound. Blaydes, decisão.

Laerte Viana: Um vem evoluindo a cada luta, enquanto o outro parece ter estagnado. O maior receio é se Blaydes tem gás para amarrar durante 25 minutos. Acho que não, mas Ngannou também abre o bico cedo. Razor, TKO.

Leo Salles: Ngannou, TKO.

Lucas Rezende: Momento é tudo. Quando Ngannou bateu Blaydes, o camaronês parecia muito mais determinado e imparável dentro da categoria. Alguns anos depois, estes mesmos adjetivos são muito mais associáveis ao nome do americano. Portanto, Blaydes por decisão.

Lucas Carrano: Ngannou, TKO.

Luiz Fernando Ferreira: Ngannou, KO.

Renato Rebelo: No primeiro encontro, Blaydes conseguiu duas quedas, mas não manteve Ngannou no chão e acabou nocauteado. Sua única derrota na carreira, aliás. Quando falamos sobre neutralizar O Predador, Miocic foi o mais eficiente – mas também tem boxe top de linha (para o MMA) para misturar ações e confundir o rival. Não é o caso de Blaydes, que conhece o poder de fogo de Francis e, naturalmente, o respeitará. Acho que teremos uma volta por cima, com resultado igual ao do primeiro encontro. Ngannou, TKO.

Rodrigo Tannuri: Blaydes, TKO.

Thiago Sampaio: Ngannou venceu Blaydes quando estava tratorizando e, mesmo assim, foi uma lesão que impediu o The Razor de seguir no combate. As últimas atuações do negro maravilhoso do Tannuri fizeram até o menino dourado de Niterói tirar o pôster dele do quarto. Se Curtis seguir o manual escrito por Stipe Miocic, vai colocar o wrestling para controlar as ações. Blaydes, decisão.

André Azevedo:  Russo, wrestler, nocauteador, invicto e campeão do M1-Global. Credenciais que, pra mim, fazem do estreante Pavlovich favorito no embate contra o já combalido Overeem, que perdeu as duas últimas justamente para os protagonistas da noite. Pavlovich via KO.

David Carvalho: Conheço pouco Pavlovich e Overeem jamais arriscaria perder para um estreante no Ultimate. Alistair Overeem vence por pontos.

Felipe Paranhos: Evidente que Overeem não é mais o mesmo há alguns anos, mas o nível dos adversários de Pavlovich não me inspira muita confiança. Overeem, TKO.

João Vitor Xavier: Overeem é mais do que capaz de cozinhar a luta, usar sua experiência e se manter fora de perigo tempo o suficiente para não ser acertado por uma das bombas de overhand de Pavlovich. Mas não o vejo capaz de fazer isso, até porque a resistência de seu queixo, que nunca foi lá essas coisas, cai a cada luta e a cada golpe absorvido. Pavlovich, TKO.

Laerte Viana: Para ser sincero, pouco sei de Sergey Pavlovich, mas sei bastante sobre Alistair Overeem, o que me faz não apostar no holandês. O russo, que entra como favorito nas casas de apostas, estreia com o pé direito. Pavlovich nocauteia.

Leo Salles: Overeem, TKO.

Lucas Rezende: Aqui, a única pergunta é se  o invicto Pavlovich conseguirá suplantar a vasta vantagem de experiência de seu adversário. No entanto, Overeem, ainda que mais cauteloso, já está um tanto desgastado. Vou apostar no novato. Pavlovich por KO.

Lucas Carrano: Overeem, decisão.

Luiz Fernando Ferreira: Pavlovich, TKO.

Renato Rebelo: Admito que a única luta que vi do Sergey foi a última, contra o “Baby Fedor” Kirill Sidelnikov. Mas, ainda que não goste de ratificar caras que pouco conheço, trata-se de um gigante, nocauteador, campeão do Fight Nights Global, invicto no MMA (12-0 com 9 KOs) contra aquele que, talvez, possa já ser o queixo mais desgastado em atividade no esporte. Overeem já foi nocauteado 13 vezes só no MMA, três nos últimos dois anos. Mais perto dos 40, simplesmente não consigo apostar nele contra um cara mais jovem e faminto – mesmo o holandês sendo tecnicamente superior e mais experiente. E o UFC já percebeu isso, tanto que agora o usa como degrau pra um russo promissor. Pavlovich, TKO.

Rodrigo Tannuri: Pavlovich, KO.

Thiago Sampaio: Sei não. Overeem pegar um cara invicto, com nove das 12 vitórias por nocaute, sabendo que o queixo não é nada confiável, não é bom sinal. Ainda assim, vou dar mais um voto de confiança na experiência do ex-bombado, que se for esperto, vai abafar e tentar levar numa atuação burocrática. Difícil é acreditar que ele vai ser inteligente. Overeem, decisão.

Restante do card:

Song Yadong x Vince Morales
Li Jingliang x David Zawada
Kenan Song x Alex Morono
Wu Yanan x Lauren Mueller
Hu Yaozong x Rashad Coulter
Zhang Weili x Jessica Aguilar
Yan Xiaonan x Syuri Kondo
Liu Pingyuan x Martin Day
Kevin Holland x John Philips
Louis Smolka x Sumudaerji Sumudaerji

Golden Boy MMA:

André Azevedo: Na volta dos que não foram eu sou mais The Ice Man. Liddell via “mata-cobra”.

David Carvalho: Ah, quem diria que um dia eu palpitaria esta luta. Acompanhando por redes sociais, acredito que Tito esteja em melhor forma e seu período fora da luta é bem menor do que do Ice Man. Ortiz vence via KO.

Felipe Paranhos: Ortiz era lutador até menos dois anos atrás, Chuck precisa de dinheiro. Ortiz, KO.

João Vitor Xavier: Ainda que Liddell tenha provado que, no auge, foi mais lutador que Ortiz, não o vejo hoje com a mesma disposição. Não luta há anos, está com o queixo mais do que prejudicado e os vídeos de seus sparrings são assustadores. Ainda que o técnico de Ortiz desconfie da “má forma” de Liddell, é muito difícil apostar nele. Por eliminação, vou de Ortiz por decisão.

Laerte Viana: Se há oito anos, quando se aposentou, Chuck Liddell já estava mal, imagina em pleno 2018. Ortiz, que ao menos se manteve ativo nos últimos anos, deve vingar as derrotas passadas. Tito vence por pontos.

Leo Salles: Liddell, TKO.

Lucas Rezende: Tito finalmente vai conseguir desengasgar as derrotas para o Homem de Gelo, apelando para os quase nove anos de inatividade do rival e alguns anos a menos nas costas. Vai ser feio, mas Ortiz por TKO.

Lucas Carrano: Se não for um óbito e meio, Ortiz, finalização.

Luiz Fernando Ferreira: Ortiz, TKO.

Renato Rebelo: Pra mim, Liddell foi mais lutador e teve carreira de mais destaque. Sobrou, inclusive, nas duas vezes que encontrou Tito Ortiz dentro do octógono – o que lhe confere, também, vantagem psicológica. Mas os seis anos de diferença nessa delicada faixa de idade (para alta performance) somados à oito anos de inatividade falam alto demais. Apenas por estar mais inteiro fisicamente, voto em Tito Ortiz por decisão.

Rodrigo Tannuri: Ortiz, decisão.

Thiago Sampaio: Nesse duelo entre dois aposentados (não em atividade, eles já passaram do prazo de validade mesmo), difícil não crer que Tito levará a melhor, pois está bem menos enferrujado. Ainda teve uma sobrevida na carreira atuando pelo Bellator. Liddell não luta há mais de oito anos e as últimas atuações foram vergonhosas. O queixo não deve resistir e, na primeira ida ao solo, vai pedir para voltar pra casa. Ortiz, finalização.

Restante do card:

Kenneth Bergh x Jorge Gonzalez
Gleison Tibau x Efrain Escudero
Walel Watson x Ricky Palacios
Jay Silva x Oscar Ivan Cota
Deron Winn x Tom Lawlor
Dave Terrel x Johnny Cisneros
Craig Wikerson x Joshua Jones
Albert Morales x James Barnes
Westin Wilson x Leandro Gomes
Jose Huerta x Fernando Garcia
Tom Gallicchio x Jason Manly

Ranking dos colunistas:

1 – Laerte Viana: 88-55 (61,5%)
2 – Renato Rebelo: 86-57 (60,1%)
3 – Rodrigo Tannuri: 86-57 (60,1%)
4 – Lucas Carrano: 82-57 (58,9%)
5 – Felipe Paranhos: 82-61 (57,3%)
6 – David Carvalho: 80-63 (55,9%)
6 – Lucas Rezende: 80-63 (55,9%)
6 – Thiago Sampaio: 80-63 (55,9%)
7 – João Vitor Xavier: 79-64 (55,2%)
7 – Leo Salles: 79-64 (55,2%)
8– Luiz Fernando Ferreira: 77-66 (53,8%)
9– André Azevedo: 64-69 (48,1%)
  • Alex Silva

    3 perguntas intrigam a humanidade: 1- Blaydes evoluiu tanto assim? 2- Ngannou involuiu tanto assim? Ou 3- A galera dos palpites tá surfando no hype do Blaydes? Não percam amanhã, no UFC China!

  • KRS Porlaneff

    Meu palpite de Liddell VS Ortiz 3 como se eu fosse um dos participantes do bolão.

    KRS Porlaneff: Mesmo parado há tanto tempo, eu digo que o único lugar que Tito vence Liddell é no filme Jet Li Contra o Tempo. Liddell por qualquer via, não importa.

    • Rogerio Troy

      Parodiando aquela música ê novinha ê:

      ê modinha ê
      rssss

      Nível altíssimo por sinal.

  • Alyson D’Gramont

    – Curtis Blaydes x Francis Ngannou = Ngannou, KO.
    – Alistair Overeem x Sergey Pavlovich = Pavlovich, decisão.
    – Chuck Liddell x Tito Ortiz = Ortiz, KO.

  • Wellington Fonseca

    Card tá tão sofrível, que nem perderam tempo com a coluna Vale Assistir? do nobre Thiago Sampaio e nem em abrir o debate em tempo real do evento. Huahahahaha

    • Mauro

      Não tô achando as lutas tão ruins, para um país não tradicional, é um evento cedo.

      • Wellington Fonseca

        Nem estou podendo acompanhar. Alguém tem que ralar no sábado, senão o Brasil para!!! 🙁

        • Mauro

          Forca, contamos com você.

  • Mauro

    Ngannou nocaute no primeiro round.

  • Mauro

    Miocic foi o peso pesado que mais fez defesas de cinta no UFC, e o narrador do combate me diz que está um ganha e perde de campeões na categoria. Pqp.

  • Mauro

    Agora roodes diz que tem que respeitar. Subestimam uma lenda! Deram esse russo como favorito como se fosse campeão. Foi só o jonnhy dizer que Overeem não ia demorar muito, e Overeem mostrou que lenda e lenda, e UFC e outro nível.

  • Mauro

    Aaaae porra.

    Agora os colunistas do 6R e combate aprendam a respeitar o Overeem e Ngannou.

    Ngannou focado, só os monstros DC e Miocic pegam.

    Ps: já que não abriram o tempo real, fiz solitariamente por aqui mesmo.

  • Rogerio Troy

    Não é à toa que André Azevedo e Leo Salles estão nas lanterninhas.

    Apostar no Chuck é o auge do modismo no MMA, nossa senhora.

Tags: , , , , ,
Instagram