O fim da categoria até
57kg no UFC #resenha

Renato Rebelo | 07/11/2018 às 22:33

Pessoal, na resenha de hoje analisei o fim da categoria até 57 kg no UFC e os casamentos Henry Cejudo x TJ Dillashaw e Dominick Cruz x John Lineker.

Venham comigo!

  • Alan

    Sacanagem jogarem o Raphael Assunção e o Marlon Moraes para escanteio, e ainda mais pra 2 caras que não merecem uma luta de acesso ao cinturão, até faz sentido o Henry Cejudo disputar a cinta porque a categoria acabou e seria uma espécie de unificação como citado no vídeo, porém o title eliminator deveria ser outro!

  • Mauro

    Só resta Marlon x Cody, portanto.

  • Mauro

    UFC 233 está se desenhando de forma interessante:
    Podemos ter mais um show de TJ Dillashaw, talvez hoje o melhor lutador do plantel do UFC, completíssimo. Lutando contra quem vai tentar surpreender o mundo pela segunda vez.
    Teremos a estreia do Askren, e o retorno de Lawler, que pensei que se aposentaria após a grave lesão que teve. Teremos também, a luta cômica entre o Dominick Cruz, “voltando da aposentadoria”, contra o faminto Lineker.
    Quem sabe, ainda surja um confronto bem disputado entre Moraes e Cody, se o UFC for bonzinho. E podemos ter ainda o Frankie Edgar, que disse querer lutar neste evento. Frankie teria boas opções de lutas: Perdedor de Ortega x Holloway/ Vencedor de Moicano x Bektic/ Vencedor de Zumbi x Yair. Talvez até o vencedor de Chad x Alexander.

    • Sergio Araujo

      O vencedor de Moicano x Bektic deve ser o próximo desafiante.

      • Mauro

        Não acho. Especialmente bektic, que ainda não venceu ninguém de grandioso.
        Para ser desafiante, tem que passar pelo Aldo, Edgar ou derrotado de Ortega x Holloway. A trinca.

        Mas só minha opinião, claro.

        • Dan Fernandes

          mas é tipo isso mesmo, a não ser que os astros se alinhem e aldo se lesione e Ortega ou holloway tenham um gancho muito grande e o campeão queira o bektic, uma carne macia comparado aos tops da divisão

          • Mauro

            Sim, Ortega teve que vencer o Edgar para ter o ts. O jeremy com boa sequência teve que passar pelo Aldo, e falhou. Edgar, para ter revanche com Aldo pelo interino, teve uma puta sequência de Swanson, Faber, Bronx e Chad Mendes. Então, não é assim, chegar, chegou e o ts é teu.

            Moicano é Betkic são muitos bons e competentes, mas para ts, precisam passar por alguém da trinca peso pena. Infelizmente Aldo “correu” do Moicano, seria interessante.

  • Lyn

    Demoraram ate demais pra encerrar essa categoria.

  • Rafael Filipe Fonseca Menezes

    Renato, você acha que uma super luta, ou ainda a descida do Dilashaw para desafiar o Might Mouse, caso este tivesse aceitado alguma das opções tentadas pelo UFC, teria mudado os rumos da categoria dos moscas?

    • Renato Rebelo

      Acho que sim, mas o Mighty Mouse tb não quis. Acho que a recusa fez parte da falta de briga do UFC para liberá-lo

  • Wellington Fonseca

    E o Formiga, mais uma vez, se lascou! Ô bicho azarado, misericredo!

    OBS.: Comentário feito antes mesmo de assistir ao vídeo. Foi mais forte do que eu…

  • Sergio Araujo

    Os mais prejudicados foram Formiga e Deivson Figueiredo. Estavam na boca do gol e acho eles muito pequenos para os galos.

    O UFC deveria criar categorias novas e não eliminar as que tem!!!

  • KRS Porlaneff

    Mesmo sem ver o vídeo (estou em um computador sem som no momento), digo sem medo de errar que o UFC a cada dia só confirma que o importante mesmo é comer dólares no almoço, euro na janta e moedas de sobremesa.

    A categoria é ótima, as lutas são eletrizantes, muitos lutadores esbanjam técnica pra compensar a força reduzida, e até não muito tempo atrás tinha um legítimo número 1 P4P. Por mais que o público médio realmente assista o UFC pra ver briga (e não luta) e está cagando e andando pra todo o treinamento que precede – e também sucede – aqueles 15 ou 25 minutos de competição, acho injustificável acabar com a categoria.

    E agora, vai abrir precedente pra acabar facilmente com qualquer outra categoria pouco lucrativa: a próxima vai ser o peso-pena feminino. Mesmo precedente de quando se cancelou o UFC 151, que posteriormente foram mais 3 ou 4 eventos inteiros cancelados.

    E que depois ninguém que defendeu o fim do peso-mosca reclame quando o UFC achar a querida HW de vocês pouco lucrativa, tá?

    • Mauro

      Muitos que hoje zombam, vão chorar quando Cyborg tiver sem categoria.

      • Dan Fernandes

        chorar por causa da cyborg né? pachequismo puro, por não ver a cyborg como campeã do evento, coisa de fã mesmo, por que o publico que curte mma em geral, não tem como sentir falta de uma categoria dessa, totalmente pífia e irrelevante no evento em geral.
        Essa categoria só serve para o Dana por a cyborg pra lutar no Brasil como campeã, afinal, é prejudicial para o evento não tem um campeão adorado pelos brasileiros.

        • Mauro

          Perfeito!

    • Dan Fernandes

      Eu ate entendo o seu ponto de vista, e não deixa de ter certa razão, mas o UFC ta querendo comer dinheiro mesmo, e tem total razão ao fazer isso, são negócios, depois vem o esporte, é nítido isso a anos, só não vê quem não quer, por isso nem bato mais na tecla “mérito”, agora em relação a fechar categorias, o peso pena feminino nem ranking tem, não ouvimos falar nada sobre as lutadoras, por que não tem lutadoras, é uma categoria que foi criada para salvar um evento e por cyborg com cinturão, um fiasco…alguma surpresa se Dana fechar essa categoria? ainda mais com a cyborg flertando com a saída do evento…

      • KRS Porlaneff

        O problema nisso tudo não é o UFC só querer lucro, é o UFC ficar como “liga oficial”, ser essa coisa de “tu não é nada no MMA se não for campeão aqui” e nunca ter um posicionamento decente a respeito de ser liga de MMA e show televisivo. O significado de mérito pro UFC é bem diferente (e Ryan Bader, o único lutador da elite da LHW a nunca ter disputado cinturão, está aí de prova).

        Quanto a fechar as categorias, particularmente sou muito contra. Campeões sempre geram receita (por mais que os defensores do UFCirco digam que não), e se fossem categorias sem nível técnico ou com “só meia dúzia de lutadores no mundo” eu até concordaria. Ambas as categorias possuem/possuíram em algum momento o lutador e a lutadora TOP #1 P4P masculino e feminino (o que por si só já é chamariz suficiente) e os moscas ainda possuem uma quantidade muito significativa de lutadores.

        Em relação à WFW, sinceramente o UFC não está interessado em achar lutadoras pra dar volume na categoria. Tá cheio de lutadora por aí com dificuldade e/ou preguiça de cortar peso pra WBW e que adoraria ter uma chance de ser “a mulher que derrotou a Cyborga”. Mas aí, é mais fácil matar uma pessoa com câncer do que oferecer um tratamento, né…

Tags: , , , ,