Pensando alto: a análise
informal do Bellator 206

Rodrigo Tannuri | 30/09/2018 às 03:20

É oficial! Se não tivemos UFC no sábado (29/09), tivemos um Bellator de alto nível! Por algumas horas, a segunda maior organização de MMA do mundo foi a dona do pedaço e não decepcionou.

Tivemos um campeão brilhando, outro sucumbindo, uma lenda dando um último gás em sua carreira, outra entregue às traças e uma promessa que, assustadoramente, vai virando realidade. Permitam-me começar?

Gegard Mousasi x Rory MacDonald

Não aconteceu a luta que muitos consideravam uma das melhores que o MMA atual poderia apresentar. O que rolou foi um monólogo! O veterano Gegard Mousasi, campeão dos médios do Bellator, simplesmente, destruiu Rory MacDonald, campeão dos meio-médios da organização. Maior, mais rápido e melhor em pé, o europeu sempre esteve à frente do adversário. Estava tão fluído, que bailou. Os jabs entraram limpos! Se em pé já estava ruim, pior foi quando Rory se precipitou e caiu por baixo. Daí por diante, o ground and pound só acabou, quando o árbitro interrompeu no segundo round. Se antes o UFC foi criticado por ter perdido um atleta extraclasse como Mousasi de bobeira, com as recentes atuações, as críticas se transformam em revolta. Já Rory, apesar de ter um cinturão pra defender, infelizmente, não é mais aquele que era visto como o sucessor de Georges St-Pierre. O canadense ainda é competitivo, mas os danos sofridos foram tantos, que, visivelmente, está fragilizado. Aquela aura de psicopata se foi. Ninguém o teme como antes. Nem o fator mental e o Q.I. de luta, que eram grandes armas, têm sido aproveitados. Se a vitória de um foi irretocável e maiúscula, a derrota do outro foi bastante pesada e prejudicial à sua imagem. O Rory do UFC chegou a dar a volta por cima. Será que o do Bellator conseguirá retomar o caminho?

Quinton Jackson x Wanderlei Silva

Na luta entre dois quarentões, que poderiam muito bem já estarem aposentados, venceu o mais pesado (não confundam com preparado). Por mais desleixado e lento que Quinton Jackson esteja, ele ainda bate pesado e é resistente. Já Wanderlei Silva, dois anos ainda mais envelhecido, perdeu mobilidade, massa e potência. Pra falar a verdade, até fiquei surpreso dele ter aguentado ataques bem fortes ainda no primeiro round. Mas, como alegria de pobre dura pouco, no seguinte, a derrota por nocaute veio. Não foi um golpe assustador, mas a interrupção do árbitro foi correta. Demorou mais de dois anos pra “Rampage” voltar a vencer no MMA e 15 anos pra empatar a rivalidade. Já Wand perdeu pra outro grande rival e a pergunta que não quer calar é: se continuar lutando, vai ganhar de quem? A lenda brasileira foi corajosa ao encarar “Rampage” nos pesados, mas são lutas como essa que vão manchando, desnecessariamente, o cartel de ex-lutadores em atividade. Pra não dizer que tudo foi ruim, o mais legal aconteceu após o anúncio do vencedor, com os dois brincando e também com o respeito do americano em relação ao brasileiro. Os vândalos também são capazes de protagonizar gestos bonitos.

Douglas Lima x Andrey Koreshkov

Sinceramente, esperava mais da trilogia entre Douglas Lima e Andrey Koreshkov. Principalmente da parte do russo. Como os dois são meio-médios acima da média no Bellator, queria ver algo emocionante, mas não foi bem isso que ocorreu. O brasileiro conseguiu controlar o russo, que apareceu apenas pra travar o combate. Resistindo a esse jogo, Lima não teve maiores dificuldades e o superou na base do volume e condicionamento físico. Seus chutes fizeram estrago em Koreshkov e os socos também pesaram. Ao final do quinto round, o brasileiro ainda conseguiu finalizar com um estrangulamento, pra desempatar a rivalidade. A vitória tranquila do ex-campeão há de ser comemorada, até porque, na próxima fase do GP da categoria, enfrentará o vencedor de Paul Daley x Michael Page e, convenhamos, independente de quem avançar, é um encontro mais tranqüilo. Dá pra dizer que, por ora, o pior já passou.

Aaron Pico x Leandro Higo

Aaron Pico mostrou, novamente, que ser chamado de “Fenômeno” não é algo injusto. Pelo contrário, injusto seria não ser conhecido assim! O americano, de apenas 22 anos, enfrentou Leandro Higo, um adversário de valor e mais experiente e o tirou pra nada. Mundialmente notado pelo excelente wrestling, Pico se deu ao luxo de só lutar em pé. Se fosse outro atleta fazendo isso, poderia correr algum risco, mas, quando se tem mãos treinadas por Freddie Roach, não há o que temer. Desde o início, o americano tomou a iniciativa e não tardou a aplicar knockdown. A pouca idade poderia ter lhe empolgado pra encerrar o duelo, mas não. Sabiamente, esperou, permitiu que o adversário levantasse e, em seguida, aplicou uma blitz pesadíssima. Higo foi guerreiro e suportou o quanto pôde, mas o castigo tinha que ter fim. Durou um round, mas pareceu até mais. O futuro pra Pico é grandioso. Além da notória evolução a cada aparição, o americano é muito compenetrado. Com certeza, é diferenciado, Eu tinha certo receio quanto a sua carreira no MMA, mas, depois da bela vitória, dei o braço a torcer. Me ganhou de vez!

  • Victor Martins

    Aaron Pico é bastante talentoso, tem margem pra melhorar

    Mousasi mais uma vez provando o quanto é bom, nocauteando o “melhor meio médio do mundo”

    E Douglas é muito irregular

    • Gabriel Quintanilha

      Douglas tem 12 vitórias no Bellator…e 3 derrotas, apenas pro Russo q ele venceu 2 vezes em seguida, uma para o Rory (campeão) e para o Ben Askren que saiu campeão invicto do mma…nada irregular

      • Malk Suruhito

        Talvez o padrão de “regular” dele seja o Askren..

    • Douglas Karpinski

      wtf, douglas irregular ??? ta dificil agradar hoje em dia,vejo os adversários que ele perdeu, ele nunca saiu do top 3 da categoria, como pode ser irregular?

  • Cleverton Francisco

    Queria ter assistido esse evento. Já está no mesmo nível do UFC

  • Felipe Cotto

    Nenhuma luta foi competitiva

  • Marinho

    Acho que vale enaltecer a postura inteligente de Rampage, que lutou como boxeador peso-pesado. Economizou energia, sentiu um Wand receoso e com.golpes muito abertos… Lembrou o velho Maguila nos bons tempos.

  • Tairon de Oliveira

    Só acho que no caso do Rory, o biotipo de um meio-médio é totalmente diferente de o biotipo de um médio, mesmo eles tendo batido o mesmo peso.

  • Gabriel

    Só consegui assistir a luta principal agora e, olha, desempenho muito convincente por parte do Mousasi. Fiquei um pouco surpreso, sim, com a facilidade que passou pelo Rory.
    Agora, indo um pouco mais além, vi muitas pessoas falando da diferença de tamanho na luta e o quanto ela foi um fator determinante a favor do resultado. Pode até ser que sim, mas, no geral, o que fica de principal destaque é a técnica superior do Mousasi, digo, todos os jabs e diretos estavam entrando em pé, e contra um adversário muito duro. Não à toa que o canadense foi totalmente desleixado à queda.

    • Alan

      Concordo, Gegard Mousasi merece ser reconhecido como uma lenda, assim que se aposentar!

  • Gabriel

    Rampage x Silva (4): Olha, ainda acho que se o Rampage fechar e boca e se tornar um pouco mais disciplinado, ainda consegue vencer algumas lutas na medida pra ele.

  • Mauro

    Mousasi é genial. Monstro de mais. Quanto a Rory, dizem que seria campeão se estivesse no UFC…não sei se aquele nariz aguentaria uma porrada do negão.

    • KRS Porlaneff

      UFC 174 manda lembranças;

      • Xizou

        Lembranças de quem já foi um dia

      • Mauro

        Ok, há mil anos. Há mil anos jamais alguém diria que woodley seria o atual campeão mais dominante do UFC, e que Rory seria nocauteado no bellator e ganharia sofrido do brasileiro lá.

  • Luiz Antonio Felisberto

    Acho que é fato que o Mousasi e o Whitaker são os dois melhores médios da atualidade.

  • Igor Barbosa

    Pico é assustador. Foi injustamente massacrado por sido nocauteado na estreia como profissional e demonstrou um psicológico muito forte e uma maturidade incomum pra idade, pra engolir as críticas pesadas, evoluir e dar uma bela volta por cima. Realmente, tem tudo pra se tornar um dos maiores lutadores do mundo, to impressionado demais!

Tags: