Atacando de Joe Silva: lutas
a casar pós-UFC Moscou

Laerte Viana | 16/09/2018 às 15:55

Fala, galera!

Se o card montado para o baile de debutantes do UFC na Rússia, mais precisamente em Moscou, não foi dos mais estrelados, pelo menos os protagonistas do show fizeram o suficiente para a estreia ser bem barulhenta e cheia de emoções.

Com nove atletas da casa levando a melhor, três finalizações e dois nocautes, o recado foi dado: a invasão russa está cada vez mais consolidada na companhia presidida por Dana White. Já fica a expectativa para a segunda edição no país, de preferência com nomes ainda mais relevantes no cenário mundial.

Deixando o papo furado de lado e sem maiores delongas, vamos ao que de fato interessa: os próximos passos dos principais vencedores do UFC Moscou:

1num

Alexey Oleinik x Alistair Overeem

Ninguém, absolutamente ninguém tem 45 finalizações no MMA por acaso. Alexey Oleinik tem um chão raro de se encontrar entre os pesados e sabe tirar proveito disso. Mark Hunt, que há oito anos não era finalizado, não resistiu nem aos cinco minutos iniciais.

Mirando para cima, o atleta da American Top Team poderia buscar o maior triunfo de sua carreira contra Alistair Overeem. Oras, o holandês, traumatizado pelos nocautes brutais sofridos em sequência, precisa pegar alguém fora da elite para (tentar) recuperar a confiança. Oleinik, por sua vez, tem o bilhete de ouro para se aproximar do top 5.

NUM_2

Jan Blachowicz x Volkan Oezdemir / Anthony Smith

Que fase iluminada vive Jan Blachowicz! Azarão contra Nikita Krylov, o polonês não tomou conhecimento do rival e teve atuação de gala, fechando o caixão com uma esquisita e ao mesmo tempo belíssima finalização.

Já são quatro vitórias seguidas e seu lugar no top 5 mais do que garantido. O problema é o timing. Alexander Gustafsson o dominou há dois anos e Daniel Cormier está com o futuro indefinido, sendo bem possível que faça uma revanche justamente contra o sueco.

Por acreditar nesse cenário de Cormier x Gustafsson 2, Blachowicz teria que se contentar com o vencedor de Volkan Oezdemir x Anthony Smith, que irão sair na mão dia 27 de outubro. Aliás, se olharmos a situação da categoria, o confronto pode muito bem valar como um title shot eliminator.

NUM3

Shamil Abdurakhimov x Blagoy Ivanov 

Mais uma luta tenebrosa para a conta dos pesos pesados. Sem sequer um segundo de emoção, Shamir Abdurakhimov superou o rascunho de Andrei Arlovski na decisão dos juízes laterais e subiu na divisão (pasmem!!!).

A verdade é que Abdurakhimov é muito, muito limitado, tornando seu nome no ranking um motivo de tristeza. Como sabemos que o russo não vai a lugar nenhum, pelo menos que sirva de escada para Blagoy Ivanov se juntar ao pelotão de cima.

NUM4

Alexey Kunchenko x Abdul Razak Alhassan 

Não foi a anarquia esperada e a exibição ficou longe de encher os olhos os fãs, mas Alexey Kunchenko aumentou sua invencibilidade para 19 combates ao debutar com o pé direito no Ultimate, batendo por pontos o veterano Thiago Pitbull, que vendeu caro o resultado.

Apesar da vitória pouco empolgante, Kunchenko tem capacidade para entregar coisas melhores no Ultimate, principalmente se for dado tempo para ir se adaptando à nova casa, uma vez que o nível de dificuldade é maior. Conforme adiantado na semana passada, o ex-campeão do M-1 Challenge tem tudo para protagonizar uma peleja violenta contra Abdul Razak Alhassan, que demoliu Niko Price em míseros 43 segundos.

Casamentos extras: 

  • Per Yan continua sendo um produto valiosíssimo a ser lapidado, porém confesso que a vitória magra (sim, os dois primeiros rounds foram parelhos) diante do totalmente maluco sul-coreano Jin Soo Son me fez repensar o próximo passo do russo. Ao invés de jogá-lo direto aos leões, conforme era a intenção, acredito que a remarcação do duelo com o duro brasileiro Douglas D’Silva seja um bom teste antes de mirar o top 10. Todavia, fica o alerta: não será surpresa nenhuma se um tal de John Lineker for acionado e topar o desafio…
  • Embora não tenha sido tão brilhante quanto em suas últimas cinco atuações, Mairbek Taisumov fez o suficiente para sobrar diante de Desmond Green e engatar a sexta. Se não fossem as recorrentes lesões e problemas com o visto americano, que o impede de lutar nos Estados Unidos, certamente estaria melhor colocado nos leves. Chega de empacar a vida do monstrinho russo. James Vick, 12º na lista, é um ótimo passaporte para Taisumov invadir o ranking.
  • Ainda fora do radar do grande público, Jordan Johnson merece ser olhado com atenção. O monólogo completo diante do estreante Adam Yandiev foi o quarto triunfo consecutivo na empresa, o décimo em seu cartel perfeito. Ex-ranqueado nos meio-pesados, Johnson teria em Elias Theodorou, que ficou sem adversário após nova lesão de Antônio Cara de Sapato, a chance de voltar a figurar entre os 15 melhores, agora nos médios.

Amigos, me ajudem com os destinos de Mark Hunt, Nikita Krylov, Andrei Arlovski, Thiago Pitbull e companhia? Mandem bala!

  • Alyson D’Gramont

    – Mark Hunt x Andrei Arlovski
    – Nikita Krylov x Justin Ledet
    – Thiago Pitbull x perdedor do duelo Donald Cerrone x Mike Perry

    • Laerte Viana Venâncio Alves

      Krylov x Ledet é um ótimo casamento.

Tags: , , , , , , , , , , , , , ,