UFC 228: os palpites
dos colunistas do Sexto Round

admin | 07/09/2018 às 16:54

Neste sábado, a cidade de Dallas recebe a edição do UFC 228, evento que começa a partir das 19h (horário de Brasília). O card terá como luta principal a explosiva disputa de cinturão dos meio-médios entre Tyron Woodley e Darren Till.

Indo para sua quarta defesa de título, Woodley não entra no octógono desde julho de 2017. O campeão que tem como objetivo disputar cinturões de outras categorias, precisa vencer o inglês para manter vivos os seus planos.

No córner azul, Darren Till que está invicto no MMA com 17 vitórias e um empate, pode seguir os passos de Michael Bisping e se tornar o segundo inglês campeão do UFC. Apesar de todas as desconfianças, “The Gorilla” bateu o peso com tranquilidade.

O co-main event ficaria por conta da disputa do cinturão peso-mosca feminino entre Nicco Montaño e Valentina Shevchenko. Porém, a campeã teve problemas com o seu corte de peso ao ponto de ser hospitalizada, obrigando o UFC cancelar o combate.

Com a retirada da luta dos moscas, outro duelo feminino ocupou o lugar do segundo combate mais importante da noite. A brasileira Jessica Andrade encara Karolina Kowalkiewicz na divisão peso-palha. Uma vitória de ‘Bate-Estaca’ será o seu passaporte a uma nova disputa de cinturão no octógono.

Ótima oportunidade, então, para os palpites dos colunistas do Sexto Round.

Vamos a eles!

David Carvalho: Till é essa ‘Coca-Cola’ toda? Tenho minhas dúvidas. Wonderboy foi seu adversário mais duro e que o levou à decisão, antes disso ele venceu Cowboy Cerrone longe de sua melhor fase. Dali para trás não existe nomes que valem ser levantados ao ponto de dizer que seja um belo cartel. Woodley é duríssimo e se pararmos para comparar cartel, The Gorilla vai parecer um amador perto do campeão. Ainda tenho certa dificuldade de aceitar o inglês como campeão, logo, meu “Chosen One” será Tyron Woodley na decisão.

Felipe Paranhos: Tyron já demonstrou no passado (contra Nate Marquardt e Rory MacDonald, por exemplo), que tem muita dificuldade de lutar contra caras que o pressionem. Se não mudar isso, certamente vai andar para trás já no início da luta. E fazer isso contra Darren é mortal. Till, KO.

João Vitor Xavier: Till, KO. 

Laerte Viana: Woodley tem totais condições de cansar os braços de Till na grade e cozinhar a luta. Além disso, o gás do inglês já o prejudicou em lutas passadas, provavelmente por conta do sofrido corte de peso. De qualquer maneira, boto minhas fichas no desafiante, que vai fazer o uso da boa envergadura e achar o tempo em pé. Till nocauteia.

Leo Salles: Woodley, decisão.

Lucas Carrano: Till, KO.

Lucas Rezende: Já muito consciente da zona de conforto do campeão, com explosões pontuadas e muita economia de energia, creio que este casamento seja muito favorável ao desafiante. Till é um lutador que prefere impor pressão, provou ter preparo físico, além de poder de nocaute. Till por TKO.

Luiz Fernando Ferreira: Não vejo o campeão com aquele sangue nos olhos, deve lutar de forma conservadora mais uma vez. O desafiante é maior e bem mais agressivo, se fizer Woodley andar para trás será o começo do fim para o campeão. Vejo na base da brutalidade um novo dono do cinturão: Till, KO.

Renato Rebelo: Till, KO.

Rodrigo Tannuri: Woodley fez o que pôde pra manter o cinturão dos meio-médios, atrasando seu retorno ao octógono e sendo diva ao negar vários oponentes, mas sua hora chegou. O atual campeão vai pagar caro por isso. Till está com ritmo de luta, é enorme pra categoria, melhor na trocação e o mais importante: está com muita fome. Se o desafiante vai lutar pra matar, o nº1 vai pra administrar e, repito, não dará certo. Till, TKO.

Thiago Sampaio: Woodley é lutador bem inteligente, mas, desta vez, acredito que a diferença de tamanho e o jogo de pressão do Till vão fazer a diferença. Till, nocaute.

David Carvalho: Belo casamento, mas Karolina não terá uma noite fácil. Jessica caçará a polonesa até encontrar seu queixo e caso o trabalho de controle de distância e movimentação não estiver em dia, prevejo Bate-Estaca via TKO.

Felipe Paranhos: Para enfrentar Karol, Jéssica precisa melhorar um pouco sua movimentação e passar a trabalhar os passos laterais, não andar tanto para a frente. Mas a própria Jéssica tem falado sobre essa necessidade, o que me faz crer que ela tenha treinado isso adequadamente. Bate-Estaca, decisão.

João Vitor Xavier: Andrade, decisão.

Laerte Viana: Jessica tem jogo para simular o que fez contra Claudinha Gadelha e abafar a polonesa, buscando a queda e trabalhando por cima. Só não pode dar mole em pé, uma vez que Karolina é a melhor striker da dupla. Na inteligência, Bate-Estaca vence por pontos.

Leo Salles: Jessica, decisão.

Lucas Carrano: Jessica, decisão.

Lucas Rezende: Apesar do striking mais polido da polaca, não vejo Karolina sendo capaz de impedir a força bruta da brasileira. Jessica por TKO.

Luiz Fernando Ferreira: Se a brasileira lutar com inteligência vence mais uma e garante seu title shot. A polonesa é duríssima, mas acredito que Jessica vem na base da estratégia. Bate-Estaca, decisão. 

Renato Rebelo: Karolina não é essa moleza que estão pintando por aí. A moça, no papel, é superior em pé e tem alguma concisão de defender as quedas da brasileira. Ainda assim acho que as diferenças de força e ímpeto falarão mais alto. Jessica por decisão.

Rodrigo Tannuri: Confesso que a técnica refinada de Kowalkiewicz me preocupa, mas vou seguir acreditando na brutalidade e maior potência da brasileira. Bate-Estaca, decisão.

Thiago Sampaio: A polonesa é bem mais técnica em pé e pode capitalizar em cima das brechas defensivas da brasileira. Mas, vou confiar que Jessica não vai partir apenas pra brutalidade, e sim conseguir a queda e capitalizar no solo. Bate-Estaca, decisão.

David Carvalho: Vou de Zabit via TKO.

Felipe Paranhos: Tá de sacanagem, né? Espero que Davis tenha garantida uma próxima luta. Zabit, TKO.

João Vitor Xavier: Zabit, finalização. 

Laerte Viana: Se Brandon Davis tivesse feito melhor o camp da vida dele, ainda assim seria tarefa inglória bater de frente com Zabit. Com uma semana de preparação, só um daqueles milagres memoráveis para salvar a pele do americano. Magomedsharipov finaliza.

Leo Salles: Zabit, TKO.

Lucas Carrano: Zabit, KO.

Lucas Rezende: Pobre do homem que aceita enfrentar Zabit Magomedsharipov com pouco tempo de preparo. O russo vence por atropelo. Zabit, KO.

Luiz Fernando Ferreira: O russo vence mais rápido que a retirada do cinturão interino do Colby Covington. Zabit, finalização.

Renato Rebelo: Difícil projetar qualquer coisa que não seja domínio amplo do criativo russo em terra, ar ou céu. Zabit tratoriza e leva por finalização.

Rodrigo Tannuri: Yair tanto fez, que conseguiu escapar de Magomedsharipov. O coitado do Davis não o venceria com camp completo, sendo substituto, nem vai saber de onde virão os golpes. Magomedsharipov, finalização.

Thiago Sampaio: Davis é mais uma carne fresca para o russo amassar enquanto segue aguardando por um adversário mais gabaritado. Zabit, finalização.

Restante do card do UFC 228:

Abdul Razak Alhassan x Niko Price
Carla Esparza x Tatiana Suarez
Aljamain Sterling x Cody Stamann
Jimmie Rivera x John Dodson
Charles Byrd x Darren Stewart
Diego Sanchez x Craig White
Jim Miller x Alex White
Irene Aldana x Lucie Pudilova
Jarred Brooks x Roberto Sanchez
Geoff Neal x Frank Camacho

Ranking dos Colunistas:

1 – Laerte Viana: 63-41 (60,5%)
2 – Felipe Paranhos: 62-42 (59,6%)
3 – Renato Rebelo: 60-44 (57,6%)
4 – Lucas Carrano: 59-45 (56,7%)
5 – João Vitor Xavier: 58-46 (55,7%)
6 – Lucas Rezende: 57-47 (54,8%)
6 – Thiago Sampaio: 57-47 (54,8%)
7 – Leo Salles: 56-48 (53,8%)
7 – Luiz Fernando Ferreira: 56-48 (53,8%)
7 – Rodrigo Tannuri: 56-48 (53,8%)
8 – David Carvalho: 55-49 (52,8%)
9 – André Azevedo: 50-54 (48%)

  • Julio Varoni

    Todos de olho em Till, mas quem não bateu o peso foi Montano…

    • Bruno Machado

      E o woodley sofreu bem mais que ele pra bater o peso, woodley pesou duas vezes, teve que tirar a cueca pra bater o peso, e o Till nao tirou nada e pesou 169

Tags: , , , ,