Atacando de Joe Silva:
lutas a casar pós-UFC 227

Thiago Sampaio | 06/08/2018 às 10:56

Olha eu aqui de novo, como se já não bastasse dar pitaco antes do evento, mas agora depois também! A pedido do Laerte Viana, autor desta coluna, o substituí nesta semana na divertida tarefa de dar conta da vida de um monte de lutador.

O UFC 227, apesar de não ter nomes que mobilizassem fãs e leigos, entregou a emoção que prometia. Para se ter ideia, na última vez que Demetrious Johnson não detinha o cinturão do UFC, Conor McGregor sequer havia estreado na organização!

De quebra, tivemos na luta principal a consolidação de um monstrinho como campeão, despachando um rival de maneira ainda mais rápida do que na anterior em que eles se enfrentaram.

E em meio a uma caravana de brasileiros (eu sei, não é um programa do Sílvio Santos…), o saldo foi uma “goleada”. Dos seis atletas do país, cinco tiveram suas mãos erguidas ao final de seus combates.

E chega de conversa, vamos lá meditar sobre os próximos passos dos principais nomes do evento.

 T.J. Dillashaw x Marlon Moraes

Se alguém achou que o resultado da primeira luta entre T.J. Dillashaw e Cody Garbrandt foi algo pontual, agora não tem mais dúvida de que o Killashaw é o nome a ser batido na concorrida categoria dos galos.

Se os dois campeões tivessem vencido seus desafiantes na noite, o cenário para o tão desejado duelo entre Dillashaw e Demetrious Johnson estaria pronto. Mas como não aconteceu, uma superluta contra Henry Cejudo soa um tanto prematura, ainda que não seja nada impossível que se animem para marcar ela.

Apesar do desafio do novo campeão dos moscas e a tentativa de Joe Rogan na entrevista pós-luta de emplacar o embate entre campeões, T.J. declarou que Cejudo não merece subir agora para almejar um novo título. Sendo assim, hora de fazer a divisão até 61kg caminhar com o ótimo material que tem.

Marlon Moraes é a pedida ideal por vir de vitórias por nocautes, além de ter um estilo agressivo que iria oferecer um desafio eletrizante com o campeão. Como o meu amigo Laerte casou em coluna anterior, Raphael Assunção e Dominick Cruz poderiam fazer um ótimo title-eliminator do outro lado.

Cody Garbrandt x John Lineker

Com duas derrotas por nocaute, a rivalidade de Cody com o desafeto Dillashaw deve ficar em banho-maria por algum tempo. O No Love vai ter que trilhar um novo caminho e vencer algumas lutas se quiser um terceiro encontro.

A atuação de gala que teve ao tirar o cinturão de Dominick Cruz pareceu um ponto fora da curva. Contra T.J., mais uma vez se viu levado pela emoção e agora partiu para uma briga franca, sem preocupação com defesa, levando a pior.

Para recomeçar essa corrida, um duelo contra o brasileiro John Lineker, que igualmente curte trocar pancadas em pé e também bate muito pesado seria uma violência bem-vinda.

Henry Cejudo x Demetrious Johnson 3

Que hominhos! Azar de quem diz não gostar da categoria dos moscas, pois perdeu a melhor luta da divisão até agora e viu Henry Cejudo entregar o coração para desbancar o campeão mais dominante de todos os tempos do UFC.

Muitos criticam a falta de promoção de Demetrious Johnson, mas em tempos em que revanches imediatas são marcadas muitas vezes sem sentido, seria uma baita injustiça se fosse negada a oportunidade para quem reinou absoluto na categoria por mais de seis anos e fez 11 defesas de cinturão.

A tentativa de Cejudo em cavar uma superluta na divisão de cima (algo que o Mighty Mouse sempre se esquivou) é válida, mostra o interesse do cara, mas agora que finalmente temos um novo campeão entre os moscas, seria racional se ele permanecesse e movimentasse ela por algum tempo.

Johnson, que deu uma aula de classe ao passar o bastão, disse que sentiu uma lesão no pé e será submetido a exames. Caso demore para retornar, Henry poderia conceder uma revanche ao vencedor de Sergio Pettis x Jussier Formiga, que já bateu ambos, e vão se enfrentar no UFC 229, no dia 6 de outubro.

Renato Moicano x José Aldo

A atuação irretocável de Renato Moicano contra o experiente Cub Swanson mostra que o foco na carreira está sendo refletido no octógono. Uma escalada no ranking dos penas e deslumbrar uma disputa pelo título num futuro próximo é mais do que natural.

Muitos que curtem torcer por seus compatriotas não gostam da ideia de ver dois brasileiros se enfrentando e, por isso, podem estranhar a ideia do jovem prospecto contra um ídolo como José Aldo. Mas faz sentido pela fase de ambos.

Aldo, segundo do ranking, vem de boa vitória e quer encerrar a carreira com o cinturão. Já enfrentou os principais nomes da divisão, sobrando poucas opções inéditas (Frankie Edgar ou Chad Mendes pela terceira vez?!). Moicano deve pular para 5º ou 6º e sonha em ser campeão.

Como Dana White já falou que vai esperar a recuperação de Max Holloway para defender o título contra Brian Ortega, essa luta poderia definir o próximo desafiante. Sem falar que seria ótimo para o esporte ter dois brasileiros, com respeito mútuo, protagonizando um duelo bastante técnico.

Thiago Marreta x Brad Tavares

Se Thiago Marreta tinha pouco a ganhar contra o desconhecido Kevin Holland, a atuação estranha em que precisou virar grappler para vencer definitivamente foi um passo pro lado para o brasileiro. O americano, por sua vez, caiu nas graças do público presente por aguentar pancada.

O cara da tatuagem horrível no peito já sinalizou que deve subir para a categoria dos meio pesados, mas, antes, quer cavar uma vaga no UFC 230, em que toda a elite dos médios vai estar lá. Um duelo contra o também striker Brad Tavares no card preliminar deste grande evento está de bom tamanho.

O havaiano vem de derrota para Israel Adesanya, mas está na frente de Thiago no ranking e tem um nome bem mais conhecido do que Holland. Seria um interessante embate em pé entre o estilo metódico de Tavares com a agressividade do Marreta.

Casamentos extras:

  • O que a campeã de jiu-jítsu Polyana Viana tinha na cabeça ao tentar sair na mão contra JJ Aldrich? Quando ia para a luta agarrada, a diferença de nível era notória e ela não aproveitou. O hype prematuro custou o resultado. Aldrich, que nada tem com isso, conseguiu boa vitória e na próxima já pode ser testada contra a bonitinha Alexa Grasso, que vem de derrota, precisa de recuperação e sempre consegue posições de destaque nos Fight Nights da vida.
  • O talentoso Pedro Munhoz teve um desempenho bastante seguro contra o duro Brett Johns, que por sua vez, mostrou uma resistência descomunal. Faltou ao Pedrinho um pouco de noção de quando poderia liquidar a fatura golpeando, mas insistia na guilhotina. De qualquer forma o saldo foi positivo e um bom desafio na próxima seria o vencedor da luta entre Aljamain Sterling e Cody Stamann, que se enfrentam no UFC 228, no dia 8 de setembro.
  • Ricardo Carcacinha é uma das principais promessas do Brasil e a vitória por decisão dividida sobre Kyung Ho Kang veio até como copo meio cheio por mostrar que ele pode lidar com adversidades. Aos 23 anos e engatando a terceira vitória no Ultimate, teria uma chance de projeção enfrentando o veterano Eddie Wineland, que não está na melhor fase e vem de resultados irregulares.
  • O striker Sheymon Moraes venceu a primeira no UFC, após a estreia contra o cascudo Zabit Magomedsharipov. Mostrou um pouco do seu valor batendo Matt Sayles por decisão, mas passou por sustos e a falta de gás na reta final foi algo preocupante. Então, um passo de cada vez. O alto chinês Wang Guan, que estreou com vitória sobre Alex Caceres, cartel 17-1-1, 10 triunfos por nocaute, oferece perigo na medida.

Amigos, me ajudem com os destinos de Cub Swanson, Polyana Viana, Kevin Holland, Brett Johns e companhia? Simbora!

  • Mauro

    A categoria dos penas está recheada, e não sei se dá um Aldo x moicano com ar de “eliminação para um ts” me parece justo. Chad Mendes vem de um puta nocaute, Alexander vem de um massacre em cima do Elkins, e pede passagem, bektic está aí também, sendo o menos falado das jovens promessas. E teremos outras duas boas lutas para a categoria, que são zabit x Yair, cujo o vencedor deve entrar de vez no top 10, e Edgar x zumbi, e o vencedor dessa bate na porta do ts.
    Dito isso, talvez moicano deveria lutar com Chad Mendes, e Aldo com bektic (mas sem a sensação de “eliminação para ts”).

  • Mauro

    Possíveis casamento peso pena:
    Holloway x Ortega, para final do ano, ou começo do ano que vem.
    Aldo x Bektic, Aldo vencendo e torcendo para o Ortega.
    Chad Mendes x Moicano
    Lembrando que ainda acontecerá Edgar x zumbi, onde o vencedor fica na boca do ts (no caso do Edgar, torce para o Holloway), e zabit x Yair, que o vencedor deve entrar no top 10.

    Outros casamentos: Aldo x moicano, Chad x Alexander, e o vencedor de Edgar x zumbi pegando o bektic.
    Ou: Aldo x bektic, zabit/Yair x Alexander, Edgar/zumbi x moicano, Chad x Jeremy.

  • Mauro

    Nos galos, concordo com todos os casamentos. E Sterling seria uma boa pedida ao Pedro. No mais, cejudo tem que dá uma chance ao Demétrius, que já o venceu. Subir para fazer uma única luta na categoria de cima não é bravura, é aproveitar do cinturão para ganhar dinheiro. Bravura é dá uma revanche ao favorito que já te venceu. Caso vença de novo, fica mais rentável a super-luta.

    Por outro lado, ainda não vimos TJ sendo testado por um bom grappler..

  • Thiago_NCO

    Ah, nunca gostei de revanches imediatas. Porém, depois que negaram pro Aldo, pra mim, perdeu todo o sentido/apelo… toda e qualquer revanche imediata depois do Aldo ficar a ver navios me parece nonsense.

    • Julio Varoni

      Mas Aldo teve a revanche imediata com Max. Claro que o objetivo era Holloway x Edga, mas rolou com o brasileiro.

      Se você se refere a revanche com McGregor, ficou difícil dar a revanche. Conor não quis mais lutar nos penas. Foi oferecido ao Aldo lutar nos leves, mas o brasileiro, justo ou não, recusou.

      E sinceramente, foi perfeito não tet revanche. Conor ganharia novamente e Aldo viraria um Benavides, Anthony Johnson, e agora Cody.

    • Mauro

      Conor mudou de categoria, é diferente.

      Cejudo quer subir, ganhar uma grana, ser nocauteado e voltar.

  • Victor Araujo

    Rapaz, linker x nolove seria, no mínimo, insano… Não quero mais nada na vida hahaha anarquia total

    • Igor Martins

      …. diferença é que o queixo do Lineker que tbm é de pedra

      • Pessoal maldoso anda falando que o Faber poderia dar um dos queixos dele para o No Love. rs

        • Thiago Sampaio

          Hahahahhahaha

  • Thiago Tanikawa

    Dillashaw vs Cruz ou Cejudo: vão querer me matar, mas nesses casamentos também devemos ir pelo mais provável, não só o mais justo ou atrativo. Cruz é um nome grande que deve voltar até o fim do ano e uma revanche entre os dois teria uma apelo enorme com os americanos, da mesma forma que o próprio TJ aceitou lutar contra o Henry antes de voltar atrás com sua palavra. Queria muito ver o Marlon pegar a luta mas acho que é das duas uma.
    Garbrandt vs Moraes: são dois cenários possíveis: ou a primeira derrota realmente tirou a bestialidade do No Love ou só uma cobra tem o veneno necessário pra derrotá-lo. Moraes é o tira-teima na minha opinião, se Cody der jogo pra ele se prova merecedor do seu espaço como número um, se o Marlon vencer não só solidifica sua chance de lutar pela cinta como deixa clara a necessidade de reinvenção do Garbrandt.
    Cejudo vs Johnson 3: independente da luta contra o Dillashaw acontecer ou não, essa é a única luta possível pelo cinturão dos moscas. DJ é o campeão que mais fez por merecer uma revanche imediata, especialmente dadas as circunstâncias de uma luta tão apertada.
    Moicano vs Mendes ou Emmet: ambos os produtos da Alpha Male são casamentos bons pro Moicano não só tentar se solidificar como também se testar contra ons wrestlers, não só pessoal do BJJ ou strikers. Emmet se manteve no top 10 mesmo após uma única vitória impressionante nos penas e daria uma boa luta pro Renato enquanto o Mendes…dispensa comentários. Seria a luta mais interessante e mais rentável, mas vou considerar os dois cenários possíveis.
    Marreta vs Blachowicz: achei interessante o interesse do marreta em ir pra categoria de cima. Sendo esta uma terra devastada na qual até aquele que foi trucidado pelo Marreta Anthony Smith é top 10, acredito num futuro promissor para o brasileiro lá. Se ninguém se machucar até o UFC 230, Marreta vs Blachowicz é uma promessa de pancadaria que pode colocar o brazuca no top 5.
    Munhoz vs Sterling ou Stamann: casamento na medida. Sem objeções.
    Ramos vs O’Malley: carcacinha anda sendo bastante vocal em relação ao seu desejo de enfrentar o queridinho do Contender Series. Me parece uma luta interessante e que eu gostaria de ver para estipular quem é o melhor prospecto.

  • Nathan Dreak

    Com o Aldo afirmando que só vai fazer as lutas do contrato e se mandar vai ser difícil darem TS para ele de novo. Não deveria ter aberto essa vontade dele. Pensando como organização é fácil de entender. Luta com moicano de bom tamanho.

    Sobre o TJ gostaria de luta com o Marlon, mas acho que vão de revanche com o Cruz.

  • Victor Souza

    DJ merece mais do que qualquer um uma revanche imediata, porém essa é a primeira e talvez a ultima chance que o ufc terá para promover novos nomes e trazer novos ares a categoria dos moscas. Eu acho que seria bom tentar criar algumas novas narrativas para as próximas lutas da categoria.

    • Thiago Sampaio

      Se tem alguém que merece uma revanche imediata é o DJ. Tem pano pra manga para promover essa terceira luta com o Cejudo…só não sei se o UFC vai realmente fazer.

      • Tb acho, mas se o Cejudo não subir, a revanche é a luta de mais apelo na divisão.

  • Henrique

    Dillashaw x Moraes / Cody x Lineker
    Cejudo x DJ 3
    Moicano x Aldo / Swanson x Fili/Johnson
    Aldrich x Markos / Viana x Kondo
    Marreta x Tavares / Holland x Vettori
    Munhoz x Perez / Johns x Kelleher
    Simon x Soto / Jackson x Soukhamthath
    Ramos x Wineland / Kang x Lopez
    Sheymon x Wang / Sayles x Taha
    Perez x Nguyen / Torres x Shelton
    Weili x Albu / Taylor x Esquibel
    Vera x Almeida / Buren RH

    • Thiago Sampaio

      Tb gosto de Swanson contra o vencedor de Andre Fili e Michael Johnson.

  • Felipe Cotto

    Sei lá, bicho. Acho que até eu entrei no espírito pacheco e por isso não
    gostaria de ver Moicano vs. Aldo. O Brasil já não tem quase lutadores competitivos. Na época em que abundava, acharia ótimo, mas hj em dia seria queimar um contender brasileiro, um espécime extinto em tempos atuais.

  • Igor Barbosa

    Cub Swanson x Josh Emmett
    Polyana Viana ( s2 ) x Danielle Taylor
    Kevin Holland x Vitor Miranda
    Brett Johns x Manny Bermudez
    Ricky Simon x Benito Lopez
    Montel Jackson x Nathaniel Wood
    Matt Sayles x Gavin Tucker
    Jose Torres x Eric Shelton
    Alex Perez x Matheus Nicolau
    Kyung Ho Kang x Aiemann Zahabi
    Zhang Weili x Maryna Moroz
    Marlon Vera x Bryan Caraway
    Wuliji Buren x Johnny Eduardo

  • Daniel Piva

    Gosto da ideia do Cody com o Lineker. Os dois foram atropelados pelo TJ, vão ter que remar muito para conseguir uma nova chance. Mas, caso o campeão perca o título, pelo menos um dos dois se mantém no topo.

    Quanto a Aldo vs Moicano, eu esperaria um pouco mais para ver se o Max Holloway vai ter condição de voltar rapidamente mesmo. E, se voltar, para quando seria marcada a luta do campeão com o Ortega. Vejo o Aldo com uma boa chance de morder uma disputa de interino ou de se colocar como próximo desafiante caso mude o campeão.

  • Wellington Fonseca

    E nada de #podcast 🙁

  • Fernando Justino

    T.J. Dillashaw x Marlon Moraes
    Cody Garbrandt x Raphael Assunção
    Henry Cejudo x Demetrious Johnson 3
    Renato Moicano x Chad Mendes
    Cub Swanson x Alex Caceres
    J.J. Aldrich x Randa Markos
    Polyana Viana x Syuri Kondo
    Thiago Marreta x Eryk Anders*
    Kevin Holland x Julian Marquez
    Pedro Munhoz x Alejandro Pérez
    Brett Johns x Kyung Ho Kang
    Ricardo Ramos x Ricky Simon
    Montel Jackson x Bharat Kandare
    Sheymon Moraes x Hakeem Dawodu
    Matt Sayles x Khalid Taha
    Alex Perez x Dustin Ortiz
    Jose Torres x Hector Sandoval
    Weili Zhang x Emily Whitmire
    Marlon Vera x Frankie Saenz

Tags: , , , , , , , , , , , ,