Resenha do UFC 227
#jornaleiroresponde

Renato Rebelo | 05/08/2018 às 06:04

Pessoal, resenha em vídeo sobre as duas lutas principais do UFC 227, que rolou em Los Angeles, Califórnia. As demais, como sempre, debateremos no podcast da semana.

TJ Dillashaw x Cody Garbrandt 2:

Demetrious Johnson x Henry Cejudo 2:

  • Leonardo Saraiva

    Dillashaw é um puta lutador, acho q sempre subestimam ele, mas nada de surpresa

  • Ranilson

    E a premiação como ficou?
    Melhor luta? Melhor vitória?

    • Márcio Müller

      Tj e Moicano = performance da noite; Dj e Cejudo = luta da noite
      eu achei sacanagem com a luta do Torres e Perez. Essa também merecia os 50k

  • Mauro

    TJ dillashaw é fera! Vejo como favorito contra qualquer um destes dos galos, até porque pra mim, venceu o dominick.
    Cejudo fez uma baita performance, merece o título.
    Moicano pedir Ortega achei engraçado. Ortega vem de duas finalizações e um nocauteco, moicano chegou agora, se contente com o vencedor de Edgar x zumbi, ou com Aldo.

    • Wellington Fonseca

      Acho que o Moicano pediu o Ortega só porque o acha o mais vencível dentre os outros do topo do ranking, tanto que estava levando a primeira luta entre eles e deu mole com o pescoção.

      • Mauro

        Ortega é um cara intrigante né? Três vitórias sensacionais, e nenhuma dominante. Da um “ar” de dúvida, ao mesmo tempo um “ar” de foda. O cara consegue, sozinho, valorizar suas vitórias.

        • Wellington Fonseca

          Exatamente. Tava perdendo todas e sempre acha um jeito de dar uma reviravolta e sair com o braço erguido. Muito resiliente e preciso, já que não deixa a oportunidade de finalizar a luta passar.

          • Mauro

            Um cara muito esperto.
            Estava tomando um pau do Swanson, mas pegou o pescoço. Estava perdendo para o Edgar numa luta parea, e achou uma cotovelada. Renegou o instinto de bjj, respeitando a resiliência e chão do Edgar não o quedou, pois vai que o mesmo conseguisse tempo para respirar. Aproveitou por matar o leão baleado logo de vez.

            Cada vitória, uma guerra.
            Eu não gostava dele antes, mas me obrigou a ser fã.

        • Guilherme Martins

          Cara, perfeito! Eu não sei se isso torna ele mais vencível, ou justamente o contrário.

          • Mauro

            É um sobrenatural…

    • Victor Martins

      Darren Elkins seria interessante pro Moicano

      • Mauro

        Na prática, seria grande luta, com moicano tendo leve favoritismo. Na teoria, não faz sentido pro Moicano….

  • Mauro

    Ja imaginava que, no chão, Swanson fosse presa fácil para o moicano, que tem bom bjj, mas esperava que vencesse, sendo mais habilidosos em pé. Não sabia que cairia num jab num cara que que não tem grande punch, e a grande arma em pé são os chutes…

  • Wellington Fonseca

    Indiretamente tem a ver com a resenha: Galera, alguém acompanhou o Sensei Combate após o evento? Bicho, fiquei de cara com o Lineker. O cara tava uma bola, cara de lua cheia. Por isso ele não bate peso mosca. Parece que se larga por completo em off.

    • Lorenzo Fertitta

      kkkkkkkkkk Reparei nisso também. Parecia até o Gastelum, com aquela cara de Trakinas. E ele ainda mandou algo do tipo: “se o Cejudo subir e a categoria ficar amarrada eu vou pra 65Kg.”

  • Lucas Venagas

    espero que DJ nao ganhe revanche nenhuma.Cejudo mal ganhou a cinta e ja tava disposto a lutar com o campeao de Cima,ja o glorioso DJ fica fugindo do TJ de forma vergonhosa

    • Mauro

      Mas isso não e criterio.

      Demétrius ficou anos invicto, campeão mais dominante, já venceu o cejudo fácil, e perdeu por decisão dividida. Não há discussão, merece revanche. Cejudo, prove que possa vencer de novo, aí tente algo. Por enquanto nao ha macheza do cejudo, há lutador querendo aproveitar a cinta pra ganhar grana. Será macho se fizer que tj fez com Cody, Holloway com Aldo, Edgar com bj… E mostrar que não foi apenas uma noite boa.

      Vencendo de novo, fica até mais vendável .

      • Victor Martins

        Rose com Joanna

        • Mauro

          Boa.

  • Sergio Araujo

    Eu tb dei 3×2 pro Cejudo. Mas devido a tradicional preferência pro campeão em lutas parelhas, acreditava q DJ ia manter a cinta. O UFC não gosta do DJ mesmo.

    • Felipe Cotto

      Primeira vez que vi o campeão perder a cinta nessa situação.

      • Henrique

        Hendricks tbm perdeu o cinturão numa decisão dividida.

        • Felipe Cotto

          Sim, quis dizer campeão dominante, no caso. Vide JJ vs Gus, GSP vs Hendricks, na dúvida, sempre deram para o campeão. Ontem foi uma clara exceção.

          • Henrique

            Entendi.

      • Sergio Araujo

        Hoje em dia tem muito campeão acomodado, é bom acabar com essa política de dar preferencia ao campeão e fazer a categoria girar.

    • Anderson Tomaz

      TJ também perdeu pro Cruz em Split Decision

  • Victor Martins

    Garbrandt é potencial desperdiçado, defesa muito ruim de golpes, por isso que fez o que quis com Cruz, Cruz não tem punch. Pegou agora um lutador que bate pesado e foi zuluzado.

    Colocaram na cabeça do No Love que ele perdeu a primeira luta por acaso, não deveria nem ter ganhado essa revanche, era pra ter feito uma luta de recuperação.
    Espero que casem Cody vs Dodson. Luta vencível pro No Love, mas tem que tomar cuidado pra não Pettizar.

  • Rudá Costa

    Fiquei feliz de mais com a derrota do rato anão e fujao. Milhões de anos fugindo de uma boa luta, ainda tem gnt que compara o recorde dele com o do Anderson.

    • Felipe Cotto

      Comparar com Anderson? Quem fez isso com o DJ? Anderson é um dopado, cara.

    • Shotokan Karate

      Aonde que Mighty Mouse fugia de lutas ? Mighty Mouse varreu a divis]ao pelo menos 2x e muitas delas em revanches.

  • Doniel Porter

    Senti falta daquele dançarino de break gaiato no main event, porque sequer deus as caras nem por um segundo ontem? Quando o cara consegue criar o personagem fora e bancar na dentro do oito, esse sabe exatamente o que está fazendo com a carreira. Agora é sempre muito divertido ver os soberbos que não tem cacife manter o que arrotam por aí levar um bom e duplo sarrafo!

  • Leo Corrêa

    Coitado do Demetrious Johnson. Já não era devidamente promovido pelo UFC. Com essa derrota é capaz de deixarem ele cair no esquecimento.
    Obs: marquei vitória para DJ.
    Abraços o

    • Shotokan Karate

      Mighty Mouse jamais ganhou aquela luta. Cejudo ganhou incontestavelmente os rounds 2,4 e 5 enquanto os 1 e 3 foram mto equilibrados podendo ir para qq um dos 2. Ou seja cabia fácil um 50×45 pro Cejudo.

      • Leo Corrêa

        50×45 fácil? Eu hein…

        • Shotokan Karate

          Rounds 1 e 3 poderiam ir pra qq um não houve nenhuma dominancia neles. Vai de acordo com interpretação. Era aceitável ir pra qq um dos 2. Como o Cejudo venceu claramente os rounds 2,4 e 5

          • Daniel Henrique

            Permita me discordar de você . Acho que os rounds 4 e 5 indiscutíveis pro Cejudo assim como o 1 e 3 foram pro Demétrius. O problema estava no 2 que vi 3 vezes e nas 3 dei pro Cejudo, mais sem nenhuma convicção. Pra mim essa luta foi daquelas que quem quer que fosse o vencedor não seria garfo. MmaDecisions ficou 13 a 12 Cejudo , tamanha o equilíbrio do confronto.

          • Shotokan Karate

            A vontade em discordar o espaço é democrático. O 2 tb foi indiscutivel pro Cejudo a meu ver. Ele colocou Mighty Mouse pra baixo e ficou batendo em G&P até o final do round. Pelos critérios de pontuação isso pesa mto, achei uma dominância mto parecida com a que ele teve no 4 round. Achei o 1 e o 3 bem mais parelhos podendo ir pra qq um dos dois mas Cejudo foi dominante nos rounds 2,4 e 5. Acho que o resultado minimo deveria ser 48X47 Cejudo mas podendo pq não dar um 50X45 (se houver entendimento que ele ganhou todos os rounds).

  • Shotokan Karate

    Chama a atenção como esses juizes de papeletas fazem m* mesmo em uma luta de resultado incontestável. Cejudo venceu nitidamente os rounds 2,4 e 5. Não havia como haver uma decisão dividida. Era unanime mesmo que tinham que dar a vitória pro Cejudo mas enfim. Foi uma surpresa não só pela vitória em si mas como Cejudo conseguiu colocar Mighty Mouse em desespero de uma forma que jamais tinha se visto até hoje. Agora é questão de marcar a revanche e ver se de fato Cejudo é melhor ou se foi só um acidente de percurso o ocorrido no UFC 227. MMA as vezes tem coisas em comum com o futebol. Cruz tirou Dillashaw pra nada. Garbrandt por sua vez ganhou bonito de Cruz e Dillashaw deu 2 surras em sequencia em Garbrandt vai entender o que rola kkkkkkkkkkkkkkkkk

    • Paulo Zanchet

      Epa, Cruz e Dillashaw foi uma luta apertada, com decisão dividida pelos juízes, inclusive alguns viram vitória do Dillashaw. Portanto, não cabe dizer que ele tirou pra nada. Agora, o Garbrandt sim tirou o Cruz pra nada, aí faz sentido.

      • Shotokan Karate

        Dos 5 rounds daquela luta vi o Cruz vencer 4. Dillashaw mal tinha tempo de assimilar uma porrada e recebia outra. Capelli chegou a escrever uma coluna chamando Cruz de “bailarino da porrada”, o que fez todo sentido graças ao jogo circular que Cruz fez naquela luta que tirou DIllashaw do eixo. A vitória de Cruz naquele pega foi maiscula. Os mesmos juizes que viram “decisão dividida” em Migthy Mouse vs Cejudo sendo que o ultimo foi amplamente superior…

        • Paulo Zanchet

          DJ x Cejudo 2 também foi uma luta apertada, eu não diria que Cejudo foi amplamente superior. Ligeiramente…

  • Fernando Cruz

    Olhando o plantel do peso-pena do UFC, creio que além da passagem de bastão da antiga para a nova geração, estamos presenciando uma crescente evolução técnica e física dos lutadores. A elite desta divisão está mais alta (além de forte, é claro) e impondo esta diferença física nos confrontos.

    A quem diga que o knockdown via jab aplicado pelo Moicano evidencia a deterioração da capacidade de absorção de golpes do Swanson. Mas revendo o golpe em câmera lenta, percebe-se nitidamente que o golpe acertou, em cheio, o queixo do americano. O braço do Moicano parecia um rapieira (espada medieval) atingindo um pedaço de carne.

    Olhemos para a nova geração de lutadores do peso-pesa do UFC:

    Mirsad Bektic (173 cm) , Zabit Magomedsharipov (185 cm) , Renato Moicano (180 cm) , Max Holloway (180 cm) , Brian Ortega (175 cm) , Yair Rodriguez (180 cm) e Alexander Volkanovski (167 cm).

    Todos com menos de 30 anos. MÉDIA de 27,14 anos e Moda de 27 anos. Alturas acima de 170 cm com exceção do Alexander Volkanovski, o baixinho da turma.

    Por curiosidade, comparei as médias das alturas dos lutadores que Aldo enfrentou ao longo da carreira antes e depois do UFC 194: Aldo vs McGregor, primeira derrota do brasileiro em muito tempo. Comecei a análise quando o brasileiro conquista o cinturão diante do Mike Brown no WEC.

    A fase antes do UFC 194 eu chamei de PRÉ-MCGREGOR. A fase durante e depois do UFC 194 eu chamei de PÓS-MCGREGOR.

    Na Era PRÉ-MCGREGOR, temos:

    Mike Brown (168 cm) , Urijah Faber (168 cm) , Manvel Gamburyan (165 cm) , Mark Hominick (173 cm) , Kenny Florian (178 cm) , Chad Mendes (168 cm) duas vezes, Frankie Edgar (168 cm) , Chan Sung Jung (170 cm) , Ricardo Lamas (173 cm) . MÉDIA de 169,9 cm de altura e Moda de 168 cm.

    Vale destacar que, na Era PRÉ-MCGREGOR, o Aldo enfrentou um lutador menor ou igual a ele (em altura) 7 vezes dentre 10 confrontos. Vale destacar que o Aldo enfrentou o Chad Mendes duas vezes na Era PRÉ-MCGREGOR.

    Na Era PÓS-MCGREGOR, incluindo a luta em que o Aldo perdeu o cinturão, temos:

    Conor McGregor (175 cm) , Frankie Edgar (168 cm) , Max Holloway (180 cm) duas vezes , Jeremy Stephens (175 cm). Média de 175,6 cm de altura e Modas de 175 cm e 180 cm.

    Vale destacar que, no PÓS-MCGREGOR, o Aldo enfrentou metade do número de lutas no PRÉ-MCGREGOR. Entretanto, nota-se que antes do Irlandês, o brasileiro poucas vezes teve DESvantagem física. Mas desde o fatídico UFC 194, o Aldo só não foi o lutador mais baixo quando encarou a revanche contra o Frankie Edgar.

    • Rômulo Virgínio

      Rapaz… muito boa análise!

      • Fernando Cruz

        O Conor McGregor tem proporções maiores até que o atual campeão do meio-médios, apesar de ser menos pesado. O Tyron Woodley tem 175 cm de altura e 186 cm de envergadura.

  • Fernando Cruz

    NOVA GERAÇÃO X VELHA GUARDA do peso-pesa do UFC

    Considerando a NOVA GERAÇÃO (idade menor ou igual a 30 anos) do Top 15 do peso-pena, composta por:

    Mirsad Bektic (173 cm) , Zabit Magomedsharipov (185 cm) , Renato Moicano (180 cm) , Max Holloway (180 cm) , Brian Ortega (175 cm) , Yair Rodriguez (180 cm) e Alexander Volkanovski (167 cm).
    MÉDIA DE 177,14 cm de altura e Moda de 180 cm.

    Considerando a VELHA GUARDA ainda ativa (idade maior que 30 anos) do Top 15 do peso-pena, composta por:

    José Aldo (170 cm, 31 anos) , Frankie Edgar (168 cm, 37 anos) , Cub Swanson (172 cm, 34 anos) , Jeremy Stephens (175 cm, 32 anos) , Chad Mendes (168 cm, 33 anos) , Chan Sung Jung (170 cm, 31 anos) , Ricardo Lamas (173 cm, 36 anos).
    MÉDIA DE 170,86 cm de altura e Modas de 168 cm e 170 cm.

    Vale destacar que não incluir nem o Darren Elkins (177 cm, 34 anos) por entender que este só adentrou o Top 15 recentemente, nem o Josh Emmett (169 cm, 33 anos) pelo fato deste ser contratado pelo UFC em 2016 – não considerei velha guarda.

  • Nathan Dreak

    Achei que ia dar Cody e me dei mal. Agora esse encaixe de estilos de luta merece um debate especial. Cruz venceu o TJ, achei que controlou os 3 primeiros rounds tranquilo e se tivesse melhor fisicamente, vinha de inúmeras lesões, iria melhor ainda. Cody teve uma clara diferença de velocidade para o Cruz e foi vitória limpa. E TJ nocauteou 2 vezes o Cody. Se Cruz tiver revanche com TJ e levar vale muito tempo de estudo isso.

    Se já estava feio demais o DJ recusando o TJ mesmo ele descendo, e com tudo que rolou, com o Cejudo vencendo e desafiando logo e cara ficou feio demais. DJ perdeu várias oportunidades de ter dois cinturões, ou mesmo de aumentar o público da categoria para lutar com Wilson Reis, Ray Borg, e etc. Uma pena.

  • Cleo Lima

    Que pena, o fim das resenhas em texto. Nada contra os vídeos e o podcast, mas era uma das coisas que curtia aqui no 6R, olhar o pós-luta com a análise do evento todo. Os vídeos se limitam ao main e co-main event e o podcast, por ser longo, é difícil de acompanhar com o tempo tão apertado.

Tags: , , , ,