Pensando Alto: A Análise
Informal do UFC Boise

Lucas Rezende | 15/07/2018 às 02:53

Idaho, terra de cultivadores de batata e do cinturão de montanhas que cerca a região meio-oeste dos Estados Unidos. Entre fazendas e rochedos, não muito acontece.

Compadecidos, os dirigentes do UFC até montaram um evento acima do nível precário dos Fight Nights usuais, ao sediar o card em Boise, capital do estado.

Com presenças ilustres de Júnior Cigano, Sage Northcutt, Chad Mendes, Cat Zingano e grande elenco, o evento proporcionou desfechos surpreendentes, combates empolgantes e a boa e velha arbitragem duvidosa sempre presente em comissões menores, ou em Nova York.

Enfim, tudo que os nossos batateiros tinham direito.

Bom evento? Diria que cumpriu o esperado. Agora, me acompanhem para debulharmos os principais destaques.

Júnior Cigano vs. Blagoy Ivanov

Pelo menos ele evitou a grade, dessa vez.

Em desempenho burocrático, semelhante ao seu nada memorável encontro com Ben Rothwell, Júnior dos Santos superou o imortal Blagoy Ivanov com relativa facilidade, dentro do possível para um adversário que já sobreviveu a uma punhalada no coração e quebrou um ringue quando o partilhou com ninguém menos que Ilir Latifi.

Diante desses fatos, não é tanto demérito assim que o catarinense não o tenha enviado para a vala. Aliás, a timidez de Cigano não se equipara à insistência de Ivanov em insistir num combate favorável ao brasileiro.

Esperto que só ele, Blagoy colou as costas na grade na primeira oportunidade que teve, pois sabia que este era o local onde Júnior mais se sentiria à vontade. Só não deu para entender por qual razão um judoca e especialista em sambô decidiu boxear por 25 minutos?

Se era teste de macheza, a cicatriz que expõe no meio do peito já se encarregou disto.

No mais, vitória interessante para esta nova versão de Cigano, pós-Velásquez. Enquanto metade da categoria se encontra numa decadente, o brasileiro consegue esgueirar um lugarzinho ao sol, principalmente agora que temos um manda-chuva inédito para refrescar futuras disputas de cinturão.

Sage Northcutt vs. Zak Ottow

É preciso reconhecer que Sage Northtcutt se esforça.

Julgado pelos casamentos favorecidos e pelo arsenal limitado, além das madeixas douradas e do abdome blindado, o rapaz sofreu por chegar ao UFC antes mesmo de seu vigésimo aniversário.

Mas, três anos e uma migração para a Team Alpha Male depois, é possível enxergar evolução. Não a passos largos, tampouco promissores, mas evolução, sim. Não sei se o Super Sage de 19 anos teria brios ou primor técnico para sobreviver a um knockdown no primeiro segundo de luta, quiçá virar a mesma.

O de hoje mostrou que consegue. Contra Zak Ottow, tudo bem, concedo, mas mostrou. E arriscou raspagens, armlock partindo da guarda e não se desesperou ao passar quase cinco minutos com as costas contra o solo. Caçou a vitória e fez por onde com coração, algo que não se encontra em qualquer combatente.

Se esta força de vontade aliada aos novos talentos lhe carregará tão longe, não sabemos, mas, hoje, levou. Pode comemorar.

Chad Mendes vs. Myles Jury

Chad Mendes foi logo ali e voltou. Dois anos se passaram, a divisão dos penas foi assolada pelo fenômeno Conor McGregor, mas agora até o irlandês já deu o seu adeus.

Sim, muito pode acontecer dentro de dois anos, quem diria? No entanto, eis o que não mudou: a explosão e o peso das mãos de Money Mendes, sem falar em sua categoria no wrestling, em casos de emergência.

Myles Jury sequer teve tempo de usufruir da vantagem em altura e envergadura, pois levou menos de dois minutos para beijar a canhota do Alpha Male e analisar de perto o piso do octógono, enquanto levava bordoadas na orelha até o árbitro se compadecer.

Apesar da aparência de novidade velha, é intrigante aguardar para ver como Mendes se adaptará à categoria agora povoada por Brian Ortega, Max Holloway, Renato Moicano, e outros que ainda estavam em desenvolvimento enquanto Chad cumpria seu, digamos, duplo intervalo sabático obrigatório.

Cat Zingano vs. Marion Reneau

Nunca é divertido enfrentar alguém mais jovem que você.

Contra Ketlen Vieira, houve pouco que Cat Zingano pôde buscar para evitar as investidas incessantes da manauara. A surra, datada há pouco mais de cinco meses, parecia o último prego no caixão da carreira de uma atleta do alto dos 36 anos de idade.

Para sorte da Alpha Cat, Marion Reneau nasceu cinco anos antes e não oferece tanta resistência, tampouco imprime o mesmo volume de hostilidade implacável que Ketlen.

Em uma atuação segura e disciplinada, Cat Zingano garantiu a primeira vitória desde o nocaute técnico sobre a atual campeã, Amanda Nunes, em 2014, e encerrou uma sequência de três derrotas consecutivas.

Infelizmente, como a categoria se encontra árida e devastada, o triunfo sobre Amanda pode ser perigosamente influente no posicionamento futuro de Zingano na categoria.

Alexander Volkanovski vs. Darren Elkins

É preciso mais do que uma mera guilhotina completamente ajustada para finalizar Darren Elkins. Ou dois knockdowns. Ou uma saraiva de golpes desferidos a toda força contra seu rosto, sem qualquer tipo de resposta. Aliás, estes são apenas indicativos de que o americano se encaminha para mais uma vitória.

No entanto, Alexander Volkanovski preferiu não envolver sorte na equação e seguiu surrando o adversário por mais dez minutos, deixando pouco espaço para que o ensanguentado Elkins pudesse reagir. Aí fica difícil descolar mais uma virada cinematográfica.

Em compensação, temos um novo postulante real dentre os pesos-pena do UFC. Darren é um porteiro legítimo da divisão, e atropelá-lo, como fez o australiano, é tarefa para poucos. Volkanovski mergulha no lado fundo da piscina sem nunca ter se afogado. Vejamos até onde consegue nadar, agora.

Menções Honrosas

  • Donkey Kong aprova! Enquanto Niko Price fez o seu melhor para sovar o rosto de Randy Brown feito massa de pizza, fiquei me perguntando se, em todos esses anos, eu já havia assistido um nocaute por marteladas horizontais. Reconheço que depender da minha memória não é aconselhável, mas a resposta foi negativa mesmo assim. Parabéns pela criatividade e senso de adaptação, Darwin se orgulha!
  • Raoni Barcelos arromba a porta do octógono em sua estreia, não enfiando o pé, mas as mãos no pobre rosto de Kurt Holobaugh. Após dois rounds acirrados, o carioca definiu o combate com uma sequência de golpes que me lembrou minha esposa jogando games de luta: pressionando todos os botões ao mesmo tempo e orando pelo melhor. Estratégia efetiva, que acabou por demolir o norte-americano com um uppercut preciso e dispensou golpes subsequentes. Bela chegada!
  • Laerte Viana Venâncio Alves

    Corporativismo e amizade à parte, preciso deixar registrado o quão fã eu sou desse rapaz nascido na terra de Murilo Couto.

    Rezende escreve como poucos, faz a leitura ficar leve e tão boa ao ponto de torcemos para não chegar ao parágrafo final. Craque!

    No mais, bacana ver a evolução do Sage, mesmo que tímida. Mendes queimou minha língua, Volkanosvki empolgou – embora tenha mostrado algumas brechas em pé que podem ser fatais contra algum membro da elite – e Cigano pediu divórcio temporário da grade. Até que a noite rendeu.

    • Lucas Rezende

      Assim eu fico encabulado!

  • Renato Rebelo

    Textão do Rezende me inspirou a deixar meus dois centavos sobre a luta principal:
    https://www.youtube.com/watch?v=SunuuoMaWJM

  • Lucas Venagas

    Nunca vi tanto garfo junto
    se eu sou o bermudez eu metia porrada nos juizes de resultado,pegava 12 anos de gancho mas pegava feliz,como que um retardado conseguiu ver 30 x 27 contra ele

  • William Oliveira

    Ótima resenha Rezende!

    O KO do Niko Price me lembrou o que o Khalidov conseguiu contra o Jorge Santiago no Sengoku, embora tenha sido um pouco diferente:
    https://www.youtube.com/watch?v=WG-4nyPUcpM&feature=youtu.be&t=553

  • Victor Martins

    Chad Mendes é acima da média mesmo, monstro.
    Já Myles Jury é um flop clássico.

    Cigano tá decadente, tem que se adaptar a isso.

  • Saulo Henrique

    Sua esposa joga melhor que eu, LR. Hahaha excelente análise, como sempre nesse site. E fico me perguntando, o quanto de chances; Zingano, Cigano e Mendes tem prum nobo title shot…abraços.

    • Lucas Rezende

      Passo vergonha contra ela!

  • Saulo Henrique

    *novo title shot. Corrigindo

Tags: , ,