UFC Liverpool: os palpites
dos colunistas do Sexto Round

admin | 25/05/2018 às 19:18

O octógono mais famoso do mundo chega, pela primeira vez, na Arena Echo, em Liverpool, Inglaterra, para o UFC Fight Night 130.

Os fãs da terra dos Beatles encontrarão, na luta principal, um interessante encontro na divisão dos meio-médios. De olho no topo da categoria, Stephen Thompson medirá forças contra Darren Till.

O card, que acontece neste domingo, a partir das 11h30 (horário de Brasília), também contará com o encontro entre Neil Magny e o estreante Craig White no co-main event.

Ótima oportunidade para os palpites dos colunistas do Sexto Round.

Vamos a eles!

André Azevedo: Till, KO.

David Carvalho: Till cresceu demais, demonstrou muita inteligência para encontrar brechas nos jogos dos adversários. Só que, desta vez, terá o carateca difícil de decifrar. Vou apostar na experiência e qualidade técnica do americano. Thompson via TKO.

Felipe Paranhos: Posso me enganar redondamente, mas, hoje, eu não acredito em Darren Till. Não acho que seja muito mais do que uma canhota potente. Thompson é o adversário perfeito para mostrar se eu estou certo ou errado. Enquanto não me convenço do contrário, Thompson, decisão.

João Vitor Xavier: Wonderboy, decisão.

Laerte Viana: Thompson, decisão.

Leo Salles:  Thompson, decisão.

Lucas Carrano: A caminhada e ascensão de Till até o topo da categoria é impressionante, mas creio que chega à sua primeira “parada técnica” neste domingo. Mesmo lutando em casa, creio que o inglês terá dificuldades com o estilo de Thompson e sucumbirá ao controle de distância e precisão do ex-carateca. Thompson leva na decisão. 

Lucas Rezende: Não sei Darren Till está pronto para alguém do nível técnico de Thompson.  O britânico é agressivo e pode definir uma luta a qualquer instante, mas aposto mais na evasão e primor técnico do adversário. Wonderboy por decisão.

Luiz Fernando Ferreira: Acredito que Darren Till seja produto para top 5 num futuro próximo, mas neste momento o encontro com Thompson é um passo grande demais. O choque de realidade vem: Wonderboy por decisão.

Renato Rebelo: Till é agressivo, rápido, preciso e pega muito pesado, mas, pelo primeira vez em muito tempo, ele não terá envergadura superior e seu adversário é o melhor contragolpeador da categoria. Ambos apostam mais em golpes singulares do que em combinações, então, timing e noção de distância são de suma importância nessa luta. Por vir do karate, ter os chutes a seu favor, mais experiência em competição – tanto no UFC quanto no kickboxing -, e criatividade vou com a experiência do Wonderboy. Mas Till também é material campeão – de repente, pegou o pior desafio possível na hora errada. Thompson, TKO.

Rodrigo Tannuri: Por mais que Till tenha se firmado como um meio-médio grande, agressivo e poderoso, ainda acho o jogo de Thompson um enigma pra quase toda divisão. O ex-desafiante também possui um bom porte físico, é rápido e inteligente. Não creio que a torcida será tão decisiva dessa vez, assim como é pra Bisping, quando este luta em casa. Thompson, decisão.

Thiago Sampaio: Darren Till teve uma atuação de gala contra Cerrone. Mas contra um carateca do gabarito de Thompson, o trocador mais técnico da categoria até 77kg, vai precisar decifrar enigmas. O inglês deve mostrar agressividade e resistência, mas o Wonderboy vai ficar quase sempre um passo à frente. Thompson, decisão.

André Azevedo: Craig White, decisão.

David Carvalho: Fui dar uma olhada no perfil do “The Thundercat” e notei que o rapaz não é de deixar nas mãos dos juízes. Já Magny me deixa uma sensação de que, a médio/longo prazo, aprenderá com cada derrota e um dia pode ser alguém ali na cara do gol. Pelo fato também do “Gato Trovão” vir de um evento que não tem grandes nomes, fico com o favoritismo do veterano orelhudo.  Neil Magny vence por TKO.

Felipe Paranhos: Pouco importa o que vai acontecer na luta: quero a vitória de Magny pela doação de R$ 50 mil que ele vai fazer a uma menina com atrofia muscular espinhal. Bônus da vitória e performance da noite para ele. Magny, TKO.

João Vitor Xavier: Magny, decisão.

Laerte Viana: Magny, decisão.

Leo Salles: Magny, decisão.

Lucas Carrano: Não dá pra dizer que é só o fato de ser substituto (até por que os números de substitutos neste ano são bons), mas a vantagem aqui é toda de Neil Magny. Magny leva na decisão. 

Lucas Rezende: Magny se deu bem, vai pegar um adversário estreante e sem preparo. Espero atropelo. Neil finaliza.

Luiz Fernando Ferreira: Não espero nada diferente de uma vitória tranquila de Magny por decisão.

Renato Rebelo: Apesar de ter o teste contra Leon Edwards no currículo, o inglês não tem o nível de expertise e malandragem que o Magnyfico acumulou por estar no maior evento do mundo. Apesar da inconstância, aposto no diabo que conheço. Magny, decisão.

Rodrigo Tannuri: Magny, decisão.

Thiago Sampaio: Craig White seria azarão mesmo se tivesse feito a preparação adequada, mas tendo pego a luta em cima do laço, a missão fica absurda. Tem uma guilhotina que pode lhe garantir um milagre, porém, é improvável. Magny deve controlar as ações e liquidar a fatura lá pelo fim do segundo round ou início do terceiro. Magny, TKO.

Restante do card:

Arnold Allen x Mads Burnell
Jason Knight x Makwan Amirkhani
Davey Grant x Manny Bermudez
Eric Spicely x Darren Stewart
Cláudio Silva x Nordine Taleb
Dan Kelly x Tom Breese
Brad Scott x Carlo Pedersoli Jr.
Gillian Robertson x Molly McCann
Elias Theodorou x Trevor Smith
Gina Mazany x Lina Länsberg

Ranking dos colunistas:

1 – Felipe Paranhos: 36-22 (62%)
1 – João Vitor Xavier: 36-22 (62%)
1 – Laerte Viana: 36-22 (62%)
1 – Lucas Carrano: 36-22 (62%)
2 – Renato Rebelo: 35-23 (60,3%)
3 – Hericly Monteiro: 27-18 (60%)
4 – Leo Salles: 34-24 (58,6%)
4 – Luiz Fernando Ferreira: 34-24 (58,6%)
4 – Rodrigo Tannuri: 34-24 (58,6%)
4 – Thiago Sampaio: 34-24 (58,6%)
5 – David Carvalho: 33-25 (56,8%)
6 – Lucas Rezende: 33-25 (56,8%)
7 – André Azevedo: 28-30 (48,2%)

  • Roberto jr

    ” não acho que seja mais que uma canhota potente” oloco.

  • Victor Martins

    André Azevedo é o nome do herege.
    xD

  • Iago Batista

    “André Azevedo: Craig White, decisão.” – assim não tem como te defender, André

  • William Oliveira

    As chances do Craig por decisão são horríveis, se ele ganhar provavelmente vai ser por finalização e bem cedo, uma vez q o Magny tem um wrestling decente mas chão fraco, agora por decisão? O Craig é enorme tbm, deve cortar muito peso, duvido que não canse em 2 rounds..

  • Diogo Barbosa

    N vai rolar antes, durante e depois?

  • Iago Batista

    Dern Till não bateu o peso e vai ter que pesar 188 pounds antes de ir pra arena. Fudeu pro inglês.