Holm x Anderson: um erro
para o peso-pena feminino

Leo Salles | 24/04/2018 às 13:44

Moçada do Sexto Round,

Ficaram surpresos com o casamento da luta entre Holly Holm e Megan Anderson para o UFC 225, em junho? Confesso que fiquei, não pelo combate em si, que deve ser muito bom, mas pelas circunstâncias que acontecerá.

Com a nova e vazia categoria dos penas, a campeã Cris Cyborg, uma das maiores atletas de todos os tempos (senão a maior), precisa de desafios para que valha a pena ter uma divisão competitiva.

Como até agora a brasileira conquistou e defendeu seu título batendo garotas oriundas dos galos e a última, Yana Kunitskaya, ex-campeã do Invicta FC peso-pena, encarou a curitibana em cima do laço no UFC 222, era de se esperar que a organização tivesse mais prudência com a divisão e a escolha da próxima adversária de Cyborg.

Porém, me parece que Dana White e sua tropa não estão muito afim de ver a categoria crescer. Casar Holly Holm e Megan Anderson como title-eliminator é um tiro no pé e pode enterrar de vez a divisão, já totalmente esvaziada e sem competição alguma.

Lembremos que o peso-pena feminino começou mal, quando a primeira disputa de título entre Germaine de Randamie e Holly Holm foi bastante questionada por fãs, especialistas e atletas, luta da qual a holandesa venceu, mas nem defendeu o cinturão contra a brasileira (foi arregada?).

Até compreendo o que afirmou Cyborg sobre esta luta, numa vontade sem tamanho de ver o peso-pena progredir.

Não estou surpresa(…) é a forma como o UFC trabalha. A contender número um tem que enfrentar alguém que eu já bati (Holly Holm). O UFC sabe que a Holly precisa de mais duas vitórias para que façamos a revanche. O recorde dela agora está horrível, no negativo”, disparou a brasileira em entrevista ao site FanSided.

Contudo, a curitibana esquece que o pior para ela é exatamente este casamento. Provavelmente, a campeã peso-pena só deve voltar no final do segundo semestre contra uma das duas. Se Holm fizer mais uma luta caso derrote Anderson, quem enfrentará? Tonya Evinger? Kunitskaya?

Cyborg esquece também que, até agora, o ranking dos penas é inexistente, tais quais lutadoras afiliadas para a divisão. Era esperado que algumas atletas peso-galo subissem para 66kg, mas quem vai querer encarar e passar aperto com a brasileira?

Vai ser difícil achar oposição pra Cris assim…

Muitas estão preferindo descer para os moscas, onde a vantagem física é mais determinante, do que encarar atletas mais encorpadas dos penas.

A perdedora de Holm e Anderson praticamente aborta qualquer nova oportunidade de titulo e, mesmo com a categoria esvaziada e sem ranking, chegará sem moral alguma para encarar a maior atleta feminina no MMA atualmente.

Quanto menos adversárias a curitibana tiver, menos lutas no peso-pena ela terá legitimamente, tendo que enfrentar atletas de outras categorias.

Só vejo sentido em ter Holm x Anderson,  se estiver acordado o combate prometido entre Cyborg e Amanda Nunes, campeã peso-galo, que desafiou a compatriota no início do ano.

Então, se passaria mais algum tempo para a curitibana enfrentar ou ”Holmpunzel” ou Anderson e esperaria a categoria encorpar mais. Do contrário, não há menor sentido em ter este combate no UFC 225.

Diria que o próprio UFC está boicotando a divisão que criou, colocando as únicas evidentes desafiantes ao cinturão, sem ter mais nenhuma atleta em volta.

Uma opção para deixar os penas mais ”excitantes” é carregar todo o plantel do Invicta FC para o UFC, porém isso acabaria com a própria categoria do evento feminino, que tem a função de revelar atletas. O Bellator, que possui uma categoria até 66kg, dificilmente cederá alguma atleta contratada para o maior rival.

Outra aposta é criar um TUF com garotas peso-pena, mas só de achar atletas que bateriam este peso e de qualidade seria um trabalho penoso.

Claramente, não há outra adversária enfrentá-la no cenário atual,  a não ser Megan Anderson, que já teve o combate contra a brasileira desmarcado por problema particulares.

Ex-campeã do Invicta FC após Cyborg sair do evento, é a única desafiante, a princípio, legítima peso-pena que mereceria prontamente uma chance ao cinturão do UFC. Mas, já que a colocaram contra Holm, pelo estilo de luta de ambas, vejo a ”Filha do Pastor” com mais recursos em pé e terá que lidar com a maior altura (10cm a mais) e envergadura de Anderson.

Amigos, acham justo o casamento deste combate, entre Holly Holm e Megan Anderson? O UFC administra mal a divisão?

Vamos bater um papo nos comentários!

Abraços!

  • Ricardo Cortez Lopes

    Pois é, eu concordo contigo. Acho que a Anderson devia direto enfrentar a Ciborgue, porque a gente nem sabe se vai sair mesmo a luta com a Amanda. Talvez o matchmaker não tenha considerado essa questão ou tenha alguma informação que nós não temos

  • Zenette Vutton

    Cyborg está a 1-2 lutas de acabar com toda a categoria, rs.
    A real é que o Peso-Pena só tem futuro com a Cyborg sendo derrotada.
    Único jeito possível da Categoria ser povoada a curto prazo é esse.. outro meio é a longo prazo, como ocorre em TODA categoria.

    UFC devia investir eles mesmos em Academia em regiões povoadas e que há poucas Academias de lutas. Afinal, é uma semente que se planta hoje e colhe-se amanhã. Há tantos talentos por ai. Sinceramente eu mesmo fico rindo quando vejo umas brigas das mina da favela aqui, DE VERDADE levo muita fé que as minas de favela, aquelas gordinhas revoltadas seriam muito bem sucedida no MMA.

  • Zenette Vutton

    “Outra aposta é criar um TUF com garotas peso-pena, mas só de achar atletas que bateriam este peso e de qualidade seria um trabalho penoso.”

    Seria bem interessante.. afinal, muitos que vão pros TUF vão bem cru, ai quando vêem que estão no UFC a maioria evolui radicalmente, quando começa a ter $$ pra bancar Academias e treinos, quando ve uma possibilidade de seguir carreira, enfim.. tem muitos BR de TUF que rolaram a anos atrás, que ninguém levava fé e hoje tão ai.. embora não tenha lá aquele cara super bem sucedido.

    • Andhré Lannes

      É vdd tuf é bom para povoar a categoria.

    • Acho que o problema é o UFC ter paciência para a categoria desenvolver. Demoraram muito para trazer a Cris e acho que vão preferir em atletas mais experientes para tocar os penas.

  • Thiago de Carvalho

    Torcer para a Anderson vencer e para a Cyba pegar a Amanda… assim teriamos pelo menos 2 lutas interessantes…

    • KRS Porlaneff

      Se a Amanda vence, tanto faz se a luta for contra Anderson ou Holm: ela se torna uma luta interessante.

      A Amanda inclusive se torna a única lutadora a bater as duas ex-melhores lutadoras do mundo – e agüenta a chatice dela se isso acontecer.

  • Mauricio

    Cara, o único motivo pra essa luta ter sido casada deve ser a Amanda subindo pra enfrentar a Cyba…
    Não consigo imaginar outra coisa a não ser isso

  • Mauricio

    A ideia de um TUF com as minas do Peso pena é que geralmente no TUF quem concorre não é daquele peso…

    As minas competem no peso pena no TUF ai dentro do UFC vão para o peso palha…

    • KRS Porlaneff

      Sim, mas aí tinha que ter uma espécie de cláusula onde o(a) atleta não pode mudar de categoria antes de completar 6 lutas e/ou 2 anos e meio de UFC, por exemplo, sem ser demitido(a) a não ser que seja terrível ver luta dele(a). O TUF Brasil de HWs teve Cara-de-Sapato e Vitor Miranda – sendo que o primeiro já até quis descer pra WW!

      Bato nessa tecla de não fazer mais TUF de LW e WW e de segurar atleta na categoria do TUF – não definitivamente, porque aí também é foda – já faz tempo.

  • Nathan Dreak

    Concordo, foi um casamento ruim. Se a Megan vencer, a luta entre Cyborg e Megan ganha apelo. Mas se Holm vencer, a divisão fica em uma péssima situação.

    Escolhas péssimas tem sido repetidas, A luta entre GdR e Holm para começar foi outra péssima escolha. E nem precisa perguntar se foi arregada. GDR e GSP são os únicos campeões a entregar o cinturão para não ter que defender.

  • Rudá Corrêa Viana

    Mto estranho esse casamento. Pq arriscar perder o TS da Anderson sendo q ela eh a única em vista? Eh estranho. Talvez o UFC queira alavancar a filha do pastor, onde eles torcem q numa possível revanche ela vença a Cyba e aí a categoria se povoe.

    • Fazendo esta luta, acredito que o UFC esteja arriscando o andamento dos penas. Só mesmo se o combate entre Cyborg e Amanda já esteja acordado, do contrário pode acabar sendo um grande tiro no pé.

  • Santiago

    Dizem que não tem adversárias pra Ciborgue nessa divisão. Como assim. Só no UFC que não tem. Enquanto a Ciba foi campeã do Strickforce/invicta a mesma tinha um tempo regular entre defesas até menor que a maioria dos atuais campeões do UFC. Nunca vi a organização do Invicta falando de dificuldade em conseguir adversárias pra brasileira. Falta boa vontade do UFC em fazer essa categoria funcionar

    • O negócio é pegar essas atletas de outros eventos. Do Bellator, nem pensar. Só no Invicta mesmo para recrutar. Mas não quer dizer que teremos qualidade nos combates e esse pode ser um medo do UFC, até mesmo em apostar nas meninas dos galos.

  • Volney Damacena

    Aí eu me pergunto como alguém pode ganhar para casar lutas em um evento se faz mais cagadas que um leito? Com o ranking o casamento já deveria ser automático, estilo “emparedado”, isto é, 2 pode enfrentar o número 1 ou 3, 3 o 2 ou 2 e assim por diante, apenas o campeão estaria sujeito a um número, o 1, mas em caso de lesão poderia se saltar alguns números.

  • Carlos Teixeira

    Rapaz, o negocio é o seguinte, o UFC casa a luta Cyborg Vs CM PUNK e pronto! lutaça que resolve isso de uma vez port todas!!

  • Doniel Porter

    Do ponto de vista esportivo, faz todo sentido, Anderson acabou de chegar e precisa se credenciar. Do ponto de vista do espetáculo é uma verdadeira mancada… Como o UFC não tem o hábito de privilegiar o lado esportivo, o que justificaria tamanha cagada?

  • bedotRJ

    O desafio poderia ser aceitável em outras circunstâncias. Nas atuais, deve ser assim resumido: um casamento burro, estúpido, mal pensado. Que nem acrescenta tanto assim ao excelente card que se está montando para o UFC225. Poderiam perfeitamente dar o title-shot diretamente para a Megan ao mesmo tempo em que se recuperaria o cartel da Holly Holm, bastante manchado por alguns resultados recentes. Depois que casaram a Cat Zingano com a Marion Renneau, percebi que a estupidez no casamento de lutas femininas não se restringe ao entorno da Cyborg.

    • A lógica era que a Megan fosse a próxima adversária da Cris. Até porque era campeã do Invicta quando a brasileira saiu do evento para o UFC… até Kunitskaya teve chance, por que não a australiana?

      • William Oliveira

        Não.. A Megan só virou campeã do Invicta ano passado. A Cyborg veio pro UFC em 2016. Ela lutou pelo cinturão vago, e contra uma lutadora que a Cyborg já tinha vencido.

        A Kunitskaya só teve a chance dela pra salvar o evento, uma vez que Holloway teve que sair do card, situações diferentes.

  • Yosvani bolt

    A Cris Cyborg é tão dominante que os fãs casuais e o Dana não conseguem ver nessa categoria alguém competitivo para fazer frente, luta com Amanda Nunes é apenas para encher os bolsos, Megan Anderson é a ultima esperança nessa categoria, se ela perder acabou, e a Cyborg vai continuando a fazer super lutas, já que este ano tem TUF de DC x Stipe Miocic, próximo ano tem que ter um TUF de que foca-se simplesmente na categoria da Cyborg

  • Douglas Karpinski

    O cara que casou essa luta é doente, sepultou a categoria, se Megan ganha, a Holly Holm fica mais negativa que esta, seu animo vai cair, e talvez perderemos umas das melhores lutadores do mundo,

    se Holm ganha, vai ter que ser a revanche precoce, onde a Cyba vai levar de novo, e depois? acaba categoria!

    deveriam criar o TUF entre a Cyba e a Megan que é a mais legitima a title shot
    e nesse meio tempo a Holm pega alguma lutadora qualquer pra voltar a ter folego, ficar queimando as poucas lutadoras do peso entre elas é mata a categoria mesmo…

  • Juanjo_MMA

    Cris Cyborg já era. Creo que nao vai ter desafiantes porque nao exisitem. Uma pena.

  • Shotokan Karate

    Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come. É essa a situação da divisão da Cris. The Preacher Daugther por mais que tenha sido valente no último pega com a Cris foi tirada pra nada durante 5 rounds e pra mim se marcarem Cris vs Holly amanhã novamente a Cris vai tirar ela pra nada. Quanto a Megan se trata da única adversária viável pra Cris. A questão é que ela recém chegou. Como mandá-la já pro título ? Por outro lado se ela perde pra Preacher Daugther perde a moral pra TS. Concordo com tudo o que os colegas postaram abaixo, o UFC precisa dar um jeito de arrumar lutadores pra divisão. Soa freak vermos a melhor lutadora da história do MMA em uma divisão vazia.

  • Lorenzo Fertitta

    Concordo, Leo. Só vejo um porém quando você diz que só vê sentido em Holm x Anderson se Cyborg X Amanda estiver realmente sendo planejado, pois acho que nem assim dá pra entender a lógica utilizada pelo UFC. Por mais que esta luta esteja apalavrada, perde-se totalmente o apelo caso a Pennington conquiste o cinturão.
    Penso que existem situações win-win, em que não há perdedores, e essa luta entre Holm X Anderson é, na minha opinião, uma situação lose-lose, pois: ou o UFC enfraquece a única desafiante disponível (caso Anderson perca) ou ele enfraquece ainda mais o cartel de um de seus mais rentáveis “produtos” femininos na atualidade (Holly Holm).
    Sinceramente, não vejo como o UFC conseguir tirar proveito com essa luta (nesse momento). Com uma certa dose de sorte, o prejuízo pode ser diminuído caso Anderson vença e Amanda mantenha o cinturão, mas ainda assim acho um match-up muito arriscado.
    Já desisti de torcer para o UFC se mobilizar para definitivamente trazer nomes para povoar a categoria. É evidente que eles sabem que basta a Cyborg se aposentar/migrar de organização para que as lutadoras peso-pena comecem a surgir/se oferecer/querer subir, portanto não farão nenhum esforço nesse sentido.
    Creio que o mais sensato para o futuro próximo de cada uma das divisões e para definir a próxima desafiante da Cris seria:

    GALOS:
    Nunes X Pennington
    Ketlen X Reneau (TS eliminator)
    Peña X De Randamie (para o segundo semestre)

    PENAS:
    Cyborg X Anderson
    Holm X Zingano
    Leah Letson (em espera)

    – CYBORG X AMANDA, caso ambas vencessem;
    – CYBORG X ZINGANO, se Cyborg, Zingano e Pennington vencessem;
    – CYBORG X LETSON, caso Cyborg, Holm e Pennington vencessem;
    – ANDERSON X HOLM só se enfrentariam caso ambas vencessem.

  • Vinícius Pereira

    O manager da Holly deve ser meio maluco, não sei. Ela teria muito mais chances de sucesso entre os Galos, onde já foi campeã. Nunca enfrentou a Amanda e, com exceção da GDR, quando lutou no peso pena, não perdeu para nenhuma outra lutadora atual da categoria, uma vez que a Valentina já desceu pros Moscas. Ela é fácil TOP 3 dos Galos, mas prefere insistir numa categoria desértica.

Tags: , , ,