Pensando alto: a análise
informal do UFC Glendale

Felipe Paranhos | 15/04/2018 às 00:46

Olá, senhores e senhoras, como vão?

Que belo evento  do UFC tivemos em Glendale. Dustin Poirier e Justin Gaethje fizeram aquela que provavelmente foi a luta mais legal de 2018, Alex Cowboy e Carlos Condit também não decepcionaram, e algumas outras lutas também foram bem interessantes.

Teve até omoplata em luta de pesos pesados! Vamos à análise informal do evento? Vem comigo:

Dustin Poirier vs Justin Gaethje

Ainda no primeiro round, comentei lá no grupo dos Padrinhos do Sexto Round no WhatsApp que, mesmo se vencesse, estava claro que Gaethje já não era o mesmo lutador de outrora.

Achei o ex-campeão do WSOF bem mais hesitante e menos confiante no combo bom queixo-boa mão que o fez chegar até o top-5 do UFC. E, como este é basicamente o feijão com arroz do jogo de Gaethje, este pequeno detalhe deu a Poirier a vantagem nos dois primeiros rounds.

Aqui vai um parêntese: Justin é o maior ímã de concurso de macheza que existe. Poirier poderia ter um caminho bem mais fácil se submetesse Gaethje a quedas desde o início da luta. Mas, como todo mundo que enfrenta o Highlight cai pra porrada, foi ali que o combate transcorreu.

No terceiro assalto, em que Dustin parecia cansado, Gaethje fez o favor de perder um ponto justamente quando foi melhor.

E, como se o empate tivesse recuperado a confiança do Diamante, apenas alguns segundos do quarto round foram necessários para que a luta tivesse fim.

De quebra, ainda teve pedido de luta para Dana White, Sean Shelby e Khabib Nurmagomedov.

Alex Cowboy vs Carlos Condit

Cowboy e Condit. Não poderia não ser uma lutaça. Embora Cowboy tenha cometidos alguns erros bobos, estava claro, já no início do combate, que a impressão de decadência deixada pelo Natural Born Killer diante de Neil Magny era mais do que uma sensação passageira.

Mãos e pernas de Condit não são mais tão rápidas e precisas quanto foram, e a defesa de queda deficiente do americano continua a mesma. Sendo assim, mesmo um Cowboy a 70% foi capaz de vencê-lo.

Da luta, fica como principal detalhe positivo a capacidade de Alex de não correr grandes riscos bobos em pé, como fez, infantilmente, diante de Yancy Medeiros.

Se lá, pelo argumento do show, Cowboy pagou com o nariz e a respiração pelas aproximações descuidadas e com guarda baixa, aqui o brasileiro mostrou-se mais atento e fez o suficiente para vencer um round e virar outro em que Carlos parecia melhor.

Israel Adesanya vs Martin Vettori

Marvin Vettori, o senhor é um fanfarrão. Deixar o octógono correndo ao ouvir que perdeu uma luta clara é, no mínimo e usando uma palavra bonita, contraproducente.

Assim como o UFC fez com Cara de Sapato, Israel Adesanya começa a trajetória no Ultimate sendo maturado em barril de carvalho. Não acho que foi uma apresentação ruim, embora o próprio nigeriano tenha pensado assim.

Uma luta segura, suficiente para vencer. Nem Jon Jones ganhou todas as primeiras lutas no UFC de maneira dominante. Keep calm.

Michelle Waterson vs Cortney Casey

Assim que a luta entre a Filha da Água (ok, eu que inventei esse apelido) e Casey acabou, eu mudei para Flamengo x Vitória, no Premiére, para saber quanto estava o jogo de meu time.

Afinal, claramente Casey havia vencido a luta. Mas qual não foi minha surpresa ao saber que os juízes conseguiram dar a vitória à Gostosinha do Karatê (agora não fui eu quem inventou; é o apelido dela mesmo).

Graças a eles, a luta emperra a subida de uma contender legítima. Waterson claramente não teria chances contra as cinco primeiras do ranking (Joanna Jedrzejczyk, Jéssica Bate-Estaca, Claudinha Gadelha, Karolina Kowalkiewicz e Tecia Torres).

Assim, a expectativa da ascensão de um nome novo entre as principais lutadoras dos palhas cai por terra – ao menos por mais uns meses, já que duas outras joias em formação da categoria, Alexa Grasso e Tatiana Suárez, medem forças em maio.

Antônio Cara de Sapato vs Tim Boetsch

Me perdoem subverter a lógica de comentar com detalhes somente as lutas do card principal. A atuação de Cara de Sapato vale a mudança na ordem estabelecida.

O paraibano semibaiano deu um passo muito importante para se consolidar no ranking do UFC. Tratado com cuidado pelo Ultimate, Sapato não foi jogado cedo demais aos leões e parece ter amadurecido o
suficiente para, agora, dar passos maiores.

Nos últimos três anos, o gêmeo perdido do nosso Laerte Viana tem seis vitórias, um no contest e uma derrota numa luta que dominava amplamente até viver uma daquelas derrotas que só o MMA proporciona.

Tim Boetsch tem mais nome e currículo do que qualidade, é verdade, mas muita gente boa já tropeçou no Bárbaro. Sem dúvida, a vitória mais importante da carreira de Sapato.

Menções honrosas:

  • Tudo bem que não se tratam de grandes lutadores ou atletas, mas é legal ser surpreendido com uma luta de pesos pesados que termina com um omoplata. Adam Wieczorek, aquele mesmo metido com um pessoal bem tranquilo de uma torcida organizada na Polônia, saiu de Glendale bem maior do que chegou.
  • Dhiego Lima realmente não se encontra no UFC. Contra mais um grappler, o brasileiro, que já havia sido anulado por Jesse Taylor, teve as mesmas dificuldades diante do veteraníssimo Yushin Okami, um dos ‘carrapatos’ mais conhecidos do MMA. Com 1-5 em lutas fora do TUF, dificilmente fica na organização.
  • Você pode dizer: “Ah, mas Dan Moret está longe de ser um lutador de alto nível”. Mas o que esperar de Gilbert Durinho, como melhor atuação possível, além do que ele fez? Primeiro round vencido, nocaute no segundo round, dinheiro no bolso e convite feito para Olivier Aubin-Mercier, seu adversário original para este mês.
  • Daniel Henrique

    Hoje foi um dia daqueles que eu tirei pra curtir o UFC e não me decepcionei. Na luta principal, confirmei algo que já vinha observando: Como Dustin Poirier cresceu como lutador. Aquele inconsequente peso pena que sempre esbarrava na elite se transformou num lutador de ponta, pronto pra adentrar no top 5 da categoria mais povoada do MMA mundial. E como um pouquinho de juízo faria bem a Gaethje! Mais ele perderia no que ele é mestre em fazer: espetáculos de sanguinolência. Que homem meu Deus! Cowboy vencendo Condit, quem diria em, parece ser o fim de um dos maiores artistas da violência. Quem não é fã de Carlos Condit nem gente é kkk. Adesanya esbarra no primeiro wrestler de ponta que pegar, a não ser que se dedique 24 horas treinando a arte de não ser derrubado. Que garfo na Cortney Casey em? E me parece que Cara de Sapato finalmente esta pronto pra escalar o ranking do peso médio. Pela primeira vez senti confiança nele. Do resto, dormirei satisfeito com o espetáculo desse card, meio triste com o fim da linha de Condit e a certeza de que a luta que eu mais queria ver no UFC (Gaethje x Ferguson) provavelmente não irá acontecer, Gaethje definitivamente não pertence a elite dos leves. Do mais boa noite galera do Sexto Round!

    • Billy

      Até o Cormier ficou puto, após o nocaute, com a falta de QI de luta do Gaethje…

    • Lorenzo Fertitta

      Ferguson X Gaethje seria lutão mesmo

  • Louis

    Que lutão, exatamente como eu esperava.

    Poirier lutou demais. Foram os low kicks absurdos do Gaethje q tornaram a luta equilibrada(tanto q eu vi aqui que foram responsáveis por 30% dos golpes significativos do Gaethje na luta), pq na mão o Poirier estava bailando. Ele está melhor do que nunca, e pra mim merece o TS – caso Conor e Ferguson de fato não voltem esse ano – contra o Khabib.

    Uma revanche com o Alvarez seria injusto, pois favoreceria este, que só vem de uma vitória, e que na luta contra o Poirier estava perdendo claramente até meter as joelhadas ilegais. Seria um passo atrás pro Poirier, e uma segunda chance não merecida para o Alvarez.

  • Paulo Magalhaes

    Rapaz falta pro Gaethje um corner e um pouquinho mais de inteligencia viu, aquela guarda vazada, toma muitos golpes desnecessarios, pelo menos uns 30 por cento. Entra um monte de upper limpo, jab reto telegrafado, sei nao, muito perigoso, daqui a 5 anos um cara desse ta esquecendo o nome dele. No primeiro round ele engoliu pelo menos uns 40 golpes contando os que explodiram na guarda e o corner mandou ele continuar fazendo o basico que tava bom. Pelo amor de deus pelo menos movimenta a cabeca, ele faz é abaixar, o rosto vai de encontro a mao do adversario, sem nexo. Aposentem esse rapaz pelo bem dele.

    • Otaviano Jr

      n curtia o Lee, mas achei a atuação dele bastante boa contra o Fergunson… se ficar nos leves o rapaz vai dar trabalho pra muita gente, até acho que se ele querdar o Edson ele finaliza!

      • Paulo Magalhaes

        Tambem acho que se ele por pra baixo vai ser uma merda pro edson.

        • Ricardo

          Mas é exatamente isso que vai acontecer.

          • Otaviano Jr

            É aquilo… Se o Edson não tirar um trecho de Highlight pra vídeo dele acho que ele vai ser finalizado

      • Lucas Venagas

        kkkkk
        lee nao dura dois rounds com o barbosa cara,lee nao é o khabib
        lee é hypado e agora lutando contra os tops vai ir ladeira abaixo
        é quase um covington dos leves

        • Otaviano Jr

          será mano? eu torço pro Barboza nessa luta… mas o Lee tem um jogo chatinho

  • Dênnys Dias

    Gaethje vs Vanatta ou Joe Duffy ou Diego Sanchez pela insanidade dos dois

    • Baixista Loko

      Gaethe cada vez mais vai deixar de ser metido queixo de aço, ta começando a ficar menos dificil desligar o interruptor dele… Como falei na ultima luta dele com Alvarez numa postagem aqui no 6R , o estilo dele cobra um preço alto.

    • j.victor

      Vanatta é peso-pena não?

      • Guilherme Martins

        E peso leve, com tamanho de pena

  • Álvaro

    O destaque pra mim foi o Durinho.

  • Sergio Araujo

    Quais as chances de Conor e GSP fugirem do Khabib e o TS acabar indo pro Poirier?

    • Bruno Lima

      Fica entre ele ou Alvarez, acredito que fique com Edi pelo apelo comercial

      • Sergio Araujo

        Edi voltando a ser campeão num instante Conor e GSP vão crescer os olhos de novo…

        • Bruno Lima

          É sim cara, ainda tem o lance da organização ta fazendo 25 anos e essas lutas venderiam bem..

      • William Oliveira

        Duvido mt.

        Alvarez só tem 1 vitória seguida, e a sua joelhada ilegal sobre o Poirier tá fresca na memória. A fase do Poirier é melhor.

        • Bruno Lima

          Concordo com vc mais tratando de ufc a gente nunca sabe o que vai acontecer, a gente já viu cada coisa estranha..

  • Davi

    Felipe, dá uma aliviada pro Cowboy na luta contra Yanci. Além do argumento do show (e que show!), tem a coisa do instinto assassino. Quando um tubarão sente cheiro de sangue, ele ataca. O diferencial foi que a presa, criada nos mares cheios de tubarão do Hawaii, tinha queixo de adamantium reforçado com aço inoxidável.

  • Tairon de Oliveira

    Fiquei surpreso com a atuação do NBK e mais surpreso ainda com a atuação abaixo do esperado vinda do Alex. Eu esperava um baile do Cowboy, por causa das atuações desmotivadas do Condit pós Lawler.

    • William Oliveira

      O Cowboy não é tão técnico assim pra dar um baile no Condit, são pouquíssimos os que são, mesmo no topo do meio-médio. O Magny msm é super subestimado, mas é um dos match ups mais enjoados da categoria..

      Alex como todo grinder de respeito, vai seguir ganhando sofrendo ao invés de jogar com o manual embaixo do braço.

      • Tairon de Oliveira

        Sim, concordo quanto à técnica. Mas achei que a pegada e o porte físico do Alex iriam fazer o Condit (desmotivado) abrir o bico.

  • Leo Corrêa

    Gaethje teve duas chances de encerrar a luta no terceiro round, mas, puxou o freio de mão (sem fôlego, talvez…?). No mais, Poirier dominou com boas combinações e golpes mais precisos, enquanto Gaethje priorizou os chutes baixos, mas, deixou a desejar no quesito “boxe” com muitos mata-cobra, além de vários golpes no vazio.
    Sobre as dedadas no olho, pra mim as duas do Gaethje foram intencionais, dando aquele migué básico para parecer sem querer. Pelo menos o árbitro descontou 1 ponto na segunda. Já a do Poirier foi no estilo vingança com ironia, tipo “me desculpe” nas palavras mas “e aí, viu como é bom?” na postura, haha. Enfim, como diz o ditado: dois errados não fazem um certo. O árbitro deveria tirar 1 ponto de Poirier também, independente de Gaethje ter feito mais vezes.

  • Igor Barbosa

    – Fiquei com a mesma sensação em relação ao Gaethje. É capaz de produzir muito mais ofensivamente. Quanto ao Poirier, só resta enfrentar o Khabib. Qualquer adversário diferente seria SACANAGEM.
    – Condit não é nem sombra do monstro que já foi um dia. A derrota (injusta ao meu ver) pro Lawler foi o último suspiro desse guerreiro. Cowboy mito! Que guilhotina!
    – Adesanya é pra valer. É agradável demais vê-lo em ação.
    – Já temos a candidata a garfo do ano. Que sacanagem com a Cortney Casey. Sou a favor de colocar 5 jurados, pra pelo menos diminuir essas bizarrices. E já está na hora de termos jurados exclusivos ao MMA.

    Evento sensacional. 14 lutas que infelizmente passaram voando.

Tags: , , , ,