Resenha do UFC 223
#jornaleiroresponde

Renato Rebelo | 08/04/2018 às 03:42

Pessoal, na resenha de hoje, analisei as principais lutas do UFC 223: Khabib Nurmagomedov x Al Iaquinta, Rose Namajunas x Joanna Jędrzejczyk, Renato Moicano x Calvin Kattar e Zabit Magomedsharipov x Kyle Bochniak.

Venham comigo!

  • FabioH

    Cai mais uma lenda: Joanna com problema no corte de peso

    • William Oliveira

      Na real seria o contrário.

      • Malk Suruhito

        Não. A não ser que ela apareça novamente falando que não conseguiu cortar novamente de forma adequada.

        • William Oliveira

          Como não? A luta de ontem ilustra muito bem como a Joanna lutou debilitada na primeira luta entre elas.

          A própria Rose concordou com isso, é má vontade demais continuar negando. O corte de peso no UFC 217 teve uma enorme participação na primeira derrota.

          Se alguma “lenda” caiu, foi de que a Joanna saudável seria imbatível, só isso.

          • Malk Suruhito

            Não acho. A Joanna SEMPRE foi low starter, e a Rose se aproveito disso e desceu a mamona na primeira luta. Nesta, a Joanna já começou na terceira marcha e a Rose só conseguiu pegar o jogo dela novamente a partir do R2. Se a Joanna tivesse levado vantagem na Rose com o mesmo gameplan da primeira, ai eu diria que foi o corte que tanto influenciou ela. Ela nem conseguiu admitir que desistiu (tap out) na primeira luta, mesmo com video mostrando o contrário…
            No mais, a Rose sofreu um atentado terrorista no meio do corte de peso e ainda fez o que fez ontem.

          • William Oliveira

            A Joanna certamente lutou com uma estratégia um pouco diferente nesta segunda luta, mas isso não exclui a possibilidade do corte de peso a ter debilitado intensamente na primeira. Essas coisas podem ser verdades mútuas sem problema algum.

            Pra mim está até claro, a própria Rose declarou também ver desse jeito.
            A absorção da Joanna ontem estava como de costume, enquanto no UFC 217 sua recuperação estava estranha e sua velocidade e reflexos estavam devagar.

          • Vinicius Maia

            Não ver isso é ser cego. Eu vi a primeira luta delas hoje mesmo e revi a segunda luta. PQP. Se a pessoa não acha que aquele corte influenciou na resistência da Joanna é brincadeira. PQP.

          • William Oliveira

            Sim velho, esse negacionismo/haterismo todo para com comentários feitos pelos lutadores sobre suas derrotas é tão grave/danoso ao esporte quanto o famoso “nogueirismo” por parte de alguns outros, se aqui me permitem o neologismo haha

          • Paul Kersey

            Nogueirismo é neologismo.

            O termo correto é nogueiragem. xD

          • Diogo Barbosa

            Cara, não necessariamente quando não se aceita tudo o que se diz na derrota é haterismo, só não é preciso aceitar de cara também.
            Como já havíamos conversado, você mesmo disse que ela mudou de nutricionista e tal, isso pode ter contribuiu pra melhor resistência nessa luta.
            O que me faz crer que foi desculpa é que ela bateu o peso tão bem quanto nas outras lutas, e se mostrou perfeitamente saudável na pesagem (diferentemente de um Anthony Jonson nas antigas). Não usou toalha nem largou um barrão.
            É inegável que na segunda luta, quando lutou com a Thug estava bem melhor (afinal teve um corte melhor), mas o que entra em questão não são essas duas, mas , sim a primeira comparada com as anteriores (jessica, claudia etc.), quando EU (falo por mim) digo que isso é uma desculpa, é pelo fato de que, no MEU ponto de vista a Joanna da primeira foi a mesma Joana que lutou contra jéssica e claudinha.
            PS: Como já disse p o Vinícios no MMABR , não quero ser hipócrita fã de boa fase, não botava fé nenhuma na Rose em nenhuma das lutas.

          • William Oliveira

            Entendo. Vejo de forma diferente, no entanto.

            Acho que o corte de peso pra primeira luta com a Rose foi ainda pior do que pras lutas contra a Claudinha e Andrade. Deve ter sido o pior de toda sua carreira, ela chegou faltando 5 minutos pra se pesar, e embora estivesse sorrindo parecia horrível sim, bem drenada.

            Como já falei tbm, escolho acreditar nela, pois a história fecha.
            Sua resistência parecia pior do que de costume, e além disso, em suas outras lutas ela se recuperava rápido após ser atingida, na primeira luta contra a Rose isso não rolou.

          • Carlos Montalvao

            Ela disse na coletiva que ficou 10h em corte seguido de peso na primeira luta, pelo quase atraso imagino que tenha ido direto pra balança (suposição inteiramente minha). Dessa vez tirou peso dias antes, estava magra, porém corada e visivelmente mais saudável na pesagem.

          • Paul Kersey

            Pra ser franco, eu acho que a absorção da Joanna tava até melhor ontem do que de costume. Ela tomou umas pancadas em cheio da Rose e não bambeou significativamente. Já nas demais lutas, ela amoleceu as pernas, tomou knockdown e até cair de madura caiu.

            Dessa vez devo admitir que um bom corte de peso faz diferença, e provavelmente a razão dela nunca ter tido uma boa absorção enquanto campeã se devia a equipe nutricional com a qual ela trabalhava.

            Nisso pergunto: já que, enquanto a Rose for campeã ela será gatekeeper nos Palhas, pq não subir logo pros Moscas e tentar fazer história (até por comprovar que estando mais pesada absorverá impactos melhor)? Devido a Valentina e as duas derrotas seguidas contra a Rose, pode não pegar um TS direto, mas um T. Eliminator com alguma mediana com certeza pega e tem chances significativas de ganhar.

          • William Oliveira

            Menor ideia. Também gostaria de vê-la nos moscas.

          • Vinicius Maia

            Mano, a Joanna caiu no primeiro golpe conectado da Rose na primeira luta. Levantou. No segundo caiu de novo e a luta foi encerrada. Na luta de ontem ela recebeu vários golpes e não fez menção de cair.
            Ignorar o fato de que o corte dela foi merda é claramente a exauriu naquela luta é um fato mais do que comprovado. Ou tu acha que ela malhou queixo que nem o Diego Sanchez?
            Rose lutou muito bem e nada tira o méritos da vitória na primeira vez mas mesmo assim ignorar que o corte foi merda e fatalmente impactou na sua resistência.

          • Malk Suruhito

            Sim, ela caiu, mas pq foi jogar no pocket e tomou o mesmo upper do capeta que o T-City despachou o Edgar. Claudinha já tinha carimbado e a Kowalkevitz também já tinha feito o mesmo, ou seja, não é tem queixo de pedra nem bem treinado, mas quando pegou em cheio foi chão sempre. Ontem lutou o tempo todo que pode na distância, batendo e saindo e a Rose que teve inteligência de cortar ângulos e encurtar.
            Desculpem, mas não engulo esta do corte, ela não parecia abatida na pesagem da primeira luta e teve um dia e meio para se recuperar, já que já estava na nova regra, tanto que ela não passou sufoco agora para cortar e nem mudar de categoria por ter dificuldade no corte (como tantos outros que conhecemos). Eu sei que cada ser humano tem uma fisiologia diferente, mas quando lembro que o Hunt com quase 40 anos teve que cortar 18 kilos em 7 dias para lutar q mais de 2 mil metros de altura contra o Werdum, e não fez menção de ter perdido por conta disso, eu não engulo esta parte de corte.
            NO MAIS, o corte é só uma das partes do planejamento e treinamento. O lutador dizer que perdeu pq teve problemas no corte para mim tem o mesmo peso dele dizer que foi finalizado pq não treinou BJJ nem defesa de quedas (ou o Shogun dizer que não mudou nada no treino dele para o Jon Jones em relação ao Rashad Evans pq para ele era o mesmo jogo). Num esporte que se tem a opção de subir de categoria de peso, e o indivíduo só luta naquela pq quer (e acha que pode), corte de peso sempre será desculpa para mim. E eu não falo isso de agora, falo sempre em todas as lutas que trazem isso a tona como motivo de derrota: o indivíduo não é obrigado a cortar peso, se ele sofre, troca de categoria e se mantém no peso ou muda de profissão.

          • Vinicius Maia

            Concordo que ela não é obrigada. Apenas ficou evidente na minha opinião que ela ficou debilitada. Nem quero ela nos palhas. Quero que ela suba e vá para os moscas. Tem tudo pra se tornar uma categoria irada tb.

          • William Oliveira

            “tanto que ela não passou sufoco agora para cortar”

            Sim, mas isso ocorreu justamente pq ela mudou o time de profissionais responsáveis pelo seu corte de peso.
            Não cortou da mesma forma, por isso estava saudável ontem e não no UFC 217.

          • Malk Suruhito

            Pra mim estava tão saudável no 217 quanto esteve quando tentou assassinar a meia-dúzia que veio antes da Rose, incluso a Claudinha (que tinha um corte de peso tão ruim quanto, como infelizmente é de praxe na NU). O maior diferencial para mim é que a Joanna sempre ganhava no psicológico, frustrando e quebrando as adversárias neste quesito.
            Ai encontrou a Rose, que já tem aquela cara de Willie Coyote de fábrica, e nada mais poderia lhe frustrar…

          • Carlos Montalvao

            Claudia derrubou ela com o impacto, caiu de bobeira e levantou um segundo depois, ou seja, ela não “sentiu” o golpe, de qualquer forma o knockdown foi pra conta, machucando ou não. Contra Kowalkiewicz a pancada foi de encontro no nariz, não no queixo (foi o golpe que deixou ela a cara do Lion Man). Não tem como negar um corte de peso bosta, fazendo isso só se mostra um hater ou ‘não-simpatizante’ da atleta. Mesma coisa com a Miesha Tate e o desmaio dela no UFC 200, comparado com a luta dela com a Julie Kedzie que até canelada na cara entrou, estourando mandíbula e knockdown com Sara McMann com direito a osso orbital quebrado, nas duas ela voltou e venceu a luta. Contra a Amanda entrou uma e ela chamou a mãe. Joanna ainda tem o fator à favor dela de ter enfrentado a mesma lutadora que a nocauteou como sabão em revanche imediata, aguentado os mesmo golpes que deitaram ela e outros até mais fortes. Ela e Miesha são mulheres de 60-70kg, não um touro de 130kg.

          • Malk Suruhito

            Cara, não acredito que vc acompanha tanto luta e acha que quando é citado “queixo” é literalmente o próprio…

          • Malk Suruhito

            E no mais, o que não falta são lutadores com conhecidos queixos de titânio que já tomaram knockdown ou até KO até por jabs (e não to falando na descendente). E em nenhum momento também falei que Joanna foi nocauteada, tomou dois knd de encontro e no segundo a Rose não ficou olhando, foi lá e socou até ela dar os 3 tapinhas.
            E novamente, se cortou mal o peso, é cagada dela e do time dela, ponto. Corte e manutenção do peso é obrigação do atleta, o atleta falhar em cortar o peso corretamente é igual a jogador de futebol que vai para final sem treinar penaltis. Tem que se parar de usar corte de peso para abonar o lutador e dizer que quem desconsiderar o mesmo é hater. A NU sempre (sempre) teve um corte de peso merda e todo munda sabe disso. Mas já se viu eles dizendo trocentas desculpas e motivos para as derrotas, nunca eles falam que é o corte, pq o corte faz parte do treino, dizer que cortou mal é dizer que treinou errado. Treinou errado é culpa do atleta/time e mérito do adversário. Miesha mesmo, quando viu que não dava mais, meteu o pé, fez o correto. Ia para onde? Lutar de Pena sem existir a categoria? Parem de passar a mão na cabeça da Joanna ou de qualquer um que alegou corte de peso para desmerecer o adversário. Deveria ser justamente o contrário…

          • Carlos Montalvao

            Em nenhum momento eu disse que não foi cagada dela ou deles o corte de peso, apenas que se provou, sim, que foi o principal motivo da derrota em uma luta atípica. A própria atleta se deu conta da merda que fizeram e tratou de agilizar outro esquema de corte pra essa última luta que trouxe resultados melhores. Não desmereci ninguém, mas acredito que a vitória da Rose (#1) foi supervalorizada em cima de atleta que fez algo errado durante o corte de peso e lutou zoada. A vitória da Rose quando foi campeã é incontestável, foi inteligentíssima em não deixar a Joanna se recuperar, mas o KO foi fluke em noite ruim da polonesa, a revanche tá aí pra confirmar, do contrário teria acontecido como em Holloway x Aldo, que o brasileiro perdeu duas vezes da mesma maneira e se não me engano, no mesmo round. Não passei a mão na cabeça da Joanna quando ela veio falar sobre isso depois do nocaute, inclusive também aleguei ser desculpa, porém, ela mostrou que tava falando a verdade na revanche, isso eu tô reconhecendo.

          • Malk Suruhito

            Ué, vc diz que uma atleta que fez tudo correto em seu camp foi supervalorizada pq a outra não foi profissional igual e está dizendo que não está passando a mão na cabeça da Joanna? Não teve nada de supervalorizado, uma que era considerada zebra fez tudo certo e a outra, do alto da sua prepotência não. A segunda luta só mostrou que a prepotência na primeira vez acelerou o que ocorreu na segunda vez. Dizer que a primeira vitória da Rose foi supervalorizada é desmerecer todo o trabalho que ela fez para bater uma campeã até então imbatível. Se a Joanna tivesse feito uma luta só jogando overhands ou tentando levar para o solo, não iriam dizer que ela “errou na estratégia”, iam chamar ela de burra ou de maluca para baixo. Mas ela ter errado no corte de peso, que faz sim parte do treino e estratégia da luta não é tratado da mesma forma, é citado quase com o peso de uma fatalidade. Não é e não deveria ser nunca.

  • Anderson Schaefer

    khabib x gsp ia ser uma puta luta imagina o desenrolar no chão dessa luta? pqp ia ser bom demais

    • Paul Kersey

      Lutão com background e desdobramentos gigantes:

      1) o primeiro card enumerado na Rússia, em Moscou.
      2) primeira defesa do Khabib.
      3) GSP teria a chance de conquistar o terceiro cinturão, feito inédito no MMA e ainda mais na organização mais poderosa do esporte, e ser o único a bater o Khabib.
      4) ou Khabib ser o terceiro homem a vencer GSP e consolidar uma vaga no Hall of Fame.

      • Malk Suruhito

        GSP ganha o cinturão e sai vivo da Russia. 3 Cinturões na carreira e uma camisa “Chupa John McClane!”

        • Paul Kersey

          “Yippee-ki-yay, motherfucker” kkkkkkkkkkkkkkkkkkk

      • William Oliveira

        Duvido mt que essa seja sua primeira defesa, mas se for o caso duvido ainda mais que seja na Russia, a próxima luta do Khabib deve ser em Las Vegas ou NY.

        • Paul Kersey

          Existe uma série de fatores que podem conspirar para o que tô dizendo, apesar de não desmerecer o que vc diz, o que seria uma decisão mais convencional.
          Agora tanto mercadológica quanto esportivamente, Khabib x GSP na Rússia pelos Leves seria um marco histórico pro UFC.

          • William Oliveira

            Na real existem uma série de fatores que contradizem a tua hipótese..

            A Russia não é um mercado tão rentável assim quanto se imagina por aqui, tem uma razão pelo qual o UFC ainda não foi lá, não é uma mina de ouro. Financeiramente falando, a Russia é quase inviável.

          • Paul Kersey

            A razão pela qual o UFC ainda não foi lá foi a ausência de uma persona que criasse uma ponte entre a organização e o leste europeu. Tanto é verdade que por anos tentaram trazer o Fedor pro UFC cuja impossibilidade sempre trouxe frustração pro Dana.

            Mas com o Khabib campeão e seus feitos, é praticamente como ter uma nova versão do Fedor dentro da organização. O povo do leste europeu gosta bastante de MMA. Basta ver como existem diversas organizações por lá que revelam atletas pro ocidente e como tb diversos atletas que saem do UFC preferem lutar lá do que nas organizações ocidentais.

            É um novo nicho que pode tornar o UFC uma organização de abrangência praticamente global.

          • William Oliveira

            Não, essa é uma explicação muito fácil e tentadora mas é insuficiente, o UFC já foi pra vários mercados tentadores como China, Japão, México e Coréia tendo somente alguns poucos lutadores promissores e rankeados, enquanto nunca foi pra Russia, mesmo o país sendo um dos 3 maiores celeiros de talento.

            São várias os problemas de logística na Rússia, e esse tipo de coisa não é o sucesso do Khabib que vai resolver, é um possível trabalho conjunto do UFC e de pessoas importantes e influentes no MMA da região. Eu vou deixar um artigo aqui sobre isso mas vou listar algumas complicações que o UFC teria na Russia:

            1 – Russos não pagam PPV. Todos eventos do ACB, FNG, WFCA ou M1-G são transmitidos na televisão russa aberta. Ou seja, essa prática de pagar pra assistir eventos seria algo totalmente inédito pros caras, e pode ter certeza que não vão começar agora.

            2 – Fuso horário: se o card for ser PPV, precisa ser no prime time norte americano, pro máximo de pessoas estarem interessadas em comprar. Considerando que a diferença de fuso horário são de 7 horas, boa sorte lotando um estádio por volta das 5 da manhã.

            3 – UFC, por causa da diferença de horário, nem é tão grande assim na Russia. Por mais que o Khabib diga que sim, ele não vai ter 150 milhões de pessoas o apoiando, o MMA só é um “esporte nacional” mesmo na região do Cáucaso Norte.

            4 – A economia russa não anda exatamente numa crescente.

            https://www.bloodyelbow.com/2017/8/1/16074312/eastern-promises-why-the-ufc-will-struggle-in-russia-kadyrov-putin-mutko-kremlin-mma-feature

          • Paul Kersey

            São apontamentos bem válidos. Mas sob outra ótica:

            1) no caso dos países por vc citados, a China tem a cultura da marcialidade como fator. É o berço das artes marciais milenares, e o povo chinês tem se mostrado mais pragmático quanto ao MMA (o que por outro lado tem repercutido numa crise de ceticismo relativo as artes marciais tradicionais).
            A tentativa no México foi mais devido ao Cain. É aquela tese que falei de ter uma persona que represente um território.
            Relativo ao Japão é ainda mais fácil, pois simplesmente foi o palco do MMA de ponta na década passada atráves do PRIDE. A cultura do MMA ainda está arraigada no povo nipônico (tanto que o famigerado Rizin só pôde conhecer a luz do dia se aproveitando dessa fecundidade em tal solo). Por fim, a Coréia é puxada junto nesse bolo tb por ser território vizinho.

            2) não há muito com o que se espantar sobre tais eventos serem passados em TV aberta. A gente paga, por exemplo, pra ver Jungle Fight? Ou seja: evento nacional realmente não tem como ter esse respaldo. Já um evento internacional como o UFC já é outro patamar de qualidade.

            3) nós não temos 205 milhões de brasileiros apoiando MMA. Há uma massa significativa aqui que ainda se encontra alheia ao esporte (Futebol na área…). Mas nem por isso o UFC ignora o mercado brasileiro. Muito pelo contrário, o que tb não leva em conta o tópico 4) já que, da mesma forma que a Rússia, nós tb estamos num momento nada áureo de nossa economia, e ainda assim somos um mercado muito importante. Ainda somos consumidores valiosos sob o ponto de vista do UFC.

            Enfim, é uma questão do UFC se aventurar e ver até que ponto isso é viável. Mas é sui generis que o UFC 223 coroou o primeiro campeão do leste europeu, com um cartel diamantino e tal perfil esportivo pode servir de força opositora as resistências culturais e étnicas que vc citou noutra postagem.
            Assim como no Brasil, apesar da matiz conservadora que nós temos, não torcemos para um atleta pq ele é adepto de religião “A”, ou que o povo sulista deixaria de torcer para um atleta pq ele é nordestino. Eu não creio que Fedor seja um ícone do MMA na Rússia primariamente por ser um cristão ortodoxo, ainda que se possa considerar o ponto étnico que vc citou. Aí é uma questão das motivações de quem acompanha o esporte, e acho que quem acompanha de fato não se deixa levar por fatores de foro pessoal (não mudaria em nada a minha torcida pro Aldo, por exemplo, se ele tivesse nascido no sul do país e fosse um ateu).
            O povo russo, apesar de bastante exótico em alguns pontos perante nossos olhos, há aspectos nos quais podemos nos surpreender em como eles são parecidos conosco. Eu vejo por esse lado, ainda que o seu ponto de vista tb não seja equivocado.

          • William Oliveira

            1) Posso citar aqui vários outros países que eles foram simplesmente pq são economicamente viáveis, sem nenhum motivo em especial. Eles não foram pra Coréia pq é perto do Japão lol, eles foram porque tem dinheiro pra ser feito lá, é um mercado promissor, a Russia nem tanto.

            2) Ok, mas russos não vão pagar PPV, então vai ter que ser no prime time norte americano, esse foi meu ponto.

            3) O MMA brasileiro não tem organizações concorrentes, na Russia eu não duvido nada que o ACB e o FNG sejam tão grandes quanto o UFC. Um russo não vai pagar 500 euros num ingresso quando pode pagar 50 pra ir num evento do FNG ou do ACB.
            ACB muitas vezes inclusive distribui ingressos.
            E o interesso brasileiro per capita em MMA é com certeza maior do que russo. Como eu disse, Russia só é realmente muito interessada em MMA na região do Cáucaso Norte. A galera da Sibéria tá, em geral, nem aí.

            4) ok, justo

            5) A Russia é um país super racista, o Brasil nem tanto, por mais que muitos por aí gostem de dizer que sim.
            Além disso as tensões separatistas são absurdas, tem umas 5 províncias que gostariam de dar o pé na bunda da Russia e virar autônomas, no Brasil é meia duzia de gatos pingados que falam nisso. Não cabe a comparação aí não.. estamos falando de guerra civil e terrorismo há 20 anos atrás.

          • Paul Kersey

            1) um mercado promissor é um mercado que tem consumidores. Não que necessariamente tenha uma economia forte, como vc mesmo considerou no ponto 4. A Coréia, a princípio, não tem um público significativo que seja ávido por MMA. A única coisa então que se pode considerar é a localidade. Japão e Coréia costumam ter um intercâmbio bastante prolífico por terem muitos aspectos culturais em comum e geralmente o que repercute em um acaba repercutindo em outro.

            2) & 3) aí vc tem que considerar um detalhe. Por uma questão de marketing e história, os russos entenderão que o UFC simplesmente é a organização que mais agrega talentos no mundo inteiro. Se a galera da Sibéria ou de onde quem quer que seja não tem interesse, talvez isso seja justamente pelo próprio fato das organizações locais não despertarem esse interesse. É onde o UFC pode criar um diferencial.
            Eventos como a luta de Anderson x Belfort ou a ascensão meteórica do McGregor quebraram barreiras. No primeiro caso, o MMA ganhou evidência no Brasil enquanto no segundo o público médio e casual aumentou massivamente, além de despertar atenção significativa na comunidade do Boxe, outrora quase que alheia ao MMA.
            Então te pergunto: pq o Khabib e outros atletas do plantel tb oriundos do leste europeu não podem representar uma força que quebre barreiras na Rússia? A história do UFC é repleta dessas quebras de barreiras, meu caro. Se eles fossem se deixar levar pelos entraves, o UFC sequer teria passado do UFC 4 com o tanto de problemas com o governo, a mídia e as organizações esportivas.
            Outra barreira que vc citou no qual vc define organizações como ACB ou FNG como tão grandes quanto o UFC, duas coisas:
            1) alguma organização russa vale 4 bi?
            2) até que ponto vai o profissionalismo (política antidoping) e até mesmo a legalidade (se não há “geradores artificiais de capital”, aka LAVAGEM DE DINHEIRO, como houve no PRIDE) dessas organizações? Distribuição de ingressos é algo, no mínimo, discutível e suspeito, não acha?

            5) esse lado aí da cultura racista e separatista eu não colocaria como fator de grande peso por se tratar de uma questão mais geopolítica e cultural do que esportiva, e pode ser que eu esteja sendo ingênuo, mas o esporte é um cimento social forte. Dentro em breve terá Copa do Mundo, e curiosamente será na Rússia.
            Vc não acha que, mesmo que temporariamente, tais diferenças entre esses diversos segmentos do povo russo serão deixados de lado e todos torcerão para a seleção russa?
            Melhor ainda se, contrariando todas as expectativas, a seleção russa ganhasse a sua primeira copa. Isso geraria uma comoção inédita ao povo russo. É da mesma forma que vejo o Khabib e a leva de atletas russos que ele traz consigo no UFC (nas suas devidas dimensões, claro).

            Enfim, eu acho que suas teses, ainda que válidas, elas se aplicam mais a um cenário pós-tentativa, se o UFC for pra lá e a relação custo-benefício for desfavorável a organização.
            Contudo, conforme citei, o UFC tem um histórico enorme de quebra de barreiras que tornaram aquele torneio dos primórdios, que sequer chegava a casa dos milhões, em uma mega organização orçado na casa dos bilhões e tudo isso se deve a sua política expansionista que não respeitou barreiras.
            Então, na pior das hipóteses, a tentativa de cravar o UFC lá pode repercutir em tudo que vc tá dizendo. Contudo, é contraditório pensar em expansionismo sem crescimento, ou um crescimento sem expansão. Desse modo, o leste europeu é a próxima barreira que o UFC pode se atrever a quebrar, e o Khabib pode ser, pelo menos, a ferramenta inicial para essa quebra.

          • William Oliveira

            1) Um mercador promissor é um mercado que tem consumidores DISPOSTOS A PAGAR. Não é o caso do mercado russo no MMA. Os caras não vão abrir o bolso tendo o MMA nacional praticamente de graça, com mais representatividade inclusive. A mentalidade lá é outra. E tás muito errado sobre a Coreia, o ROAD FC não vem crescendo atoa, há sim um enorme publico pro MMA, inclusive é um dos países onde o ONE consegue mais atenção. As organizações japonesas por outro lado estão em declínio. São países e culturas muito diferentes, a localidade pouco importa. É como Argentina e Brasil, quanto ao MMA são paradas beem diferentes, só ficam próximos geograficamente mesmo.

            3) Isso é uma hipótese, definitivamente, mas vc não entra num mercado arriscado onde suas chances de sucesso são duvidosas com um card enorme, primeiro vc o testa, por isso eu estou falando que o UFC vai levar um card normal, um UFN, não um card numerado.
            3.1) Não, mas eu disse que essas organizações são tão grandes quanto o UFC somente NA RUSSIA, não mundialmente, isso é óbvio. É como o ONE em Singapura cara, é muito maior que o UFC, não tem nem comparação.
            3.2) Isso não importa muito, estamos falando de alcance, publico.

            5) Cultura e geopolítica afetam esportes. O Khabib só leva russo muçulmano pro UFC, atletas que em alguns lugares da Russia, nem são considerados russos. São dagestanis, chechenos. Pode ver que o Khabib sequer deu parabéns pro Volkov, nem se manifestou sobre, mas sempre promove seus companheiros quando vencem. Tribalismo e regionalismo são fatores muito maiores na Russia do que aqui, é outra realidade.

          • Paul Kersey

            Bom, resumindo tudo em poucos pontos (particularmente o último):

            1) o ROAD FC tá em fase de crescimento, mas ainda não arraigou uma cultura de MMA na Coréia. Isso ainda está em fase de consolidação. Tanto que acho que mal se lembram do UFC Seoul com o Bendo e não sei com quem frequência o One FC faz eventos na Coréia. Nesse último caso, dependendo da frequência, a Coréia mais me aparenta um celeiro exportador de talentos do que um lugar para se fazer eventos periodicamente.

            2) Khabib e Volkov no mesmo card. Um defensor. O outro desafiante. Daí agrada-se gregos e troianos em termos de representatividade e tanto um polo quanto o outro verão os atletas dos polos opostos em ação. É um curioso experimento social, inclusive.

            3) duas disputas de cinturão com dois representantes do leste europeu não têm como serem encerradas em um FN. Ou mesmo se fosse apenas a luta do Khabib, só se o desafiante não for alguém tão midiático quanto o McGregor. Do contrário, é UFC Russia enumerado na hora, e com direito a uma turnê maior do que Aldo x McGregor e no mesmo naipe de MayMac! Os caras não vão poupar grana nessas condições para a promoção.

            4) a concorrência com outras organizações, do ponto de vista local, pode ser um problema sim, mas PPV é uma aquisição que não tá restrito a um lugar. Pode não ter tanto PPV comprado pelos russos, mas dependendo de quem botarem contra o Khabib, o público americano pode cobrir uma possível carência de compras de PPV na Rússia. Sem contar que o Khabib tem passado por uma certa ocidentalização tb criando uma atratividade do público americano.

            Enfim, sou adepto do expansionismo e crescer inevitavelmente implica em quebrar barreiras e correr riscos. Não nego a sua alternativa em se fazer um FN antes para medir a receptividade do povo russo ao UFC, mas tanto isso quanto o evento enumerado só terá sucesso se o card for bem composto.
            Noutras palavras, na minha concepção: atletas ocidentais de renome contra atletas de peso do leste europeu (tanto russos quanto “semi-russos”). Façam um “Russia Against The World” e joga marketing pesado nisso aí, ora.

          • William Oliveira

            1) A Coreia é um mercado acessível e rentável. A Russia é um mercado complicado, embora tenha potencial. Essa é a diferença. A facilidade de fazer um evento na Coreia é enorme, inclusive o UFC tá indo pra Seoul novamente no segundo semestre deste ano.

            2) Justo, talvez funcionaria.
            Dito isso, acho improvável que tentem. Muito arriscado.

            3) Exatamente ué, eu não acho que o Khabib vai estar no primeiro evento lá. Vai ser somente o Volkov e outros russos como Oleinik, Makhachev, Bibulatov etc
            Khabib-Conor deve acontecer no final do ano no MSG, em NY.

          • Paul Kersey

            1) é, em termos de complexidade vc tem toda razão.

            2) sim, é arriscado, e inclusive é uma conjuntura bem atípica. Mas não é desprovida de sentido.

            3) Khabib-Conor em NY é um desdobramento bem modus operandi do UFC, infelizmente, que costuma recompensar transgressores (Jones, por exemplo). Não queria que fosse assim, mas a realidade não se molda a interesses individuais. Só resta me conformar.

          • William Oliveira

            E sobre o Fedor.. essa é uma comparação um pouco inválida.
            Khabib vem do Cáucaso Norte. Ele é um russo muçulmano, um dagestani. Etnia Avar.
            A triste verdade é que o povo russo é racista pra caralho.
            Por mais estrela que ele seja no Dagestão, Chechênia, Ossétia etc, Khabib nunca será apoiado em Moscou, Sibéria e no norte da Russia como se fosse um ortodoxo cristão, um deles. Eslavo, etnicamente russo.
            Até hoje quando um Dagestani perde nas competições de wrestling ou algo do tipo, a notícia repercute como “atleta do Dagestão perde”, e não “atleta russo”, o sentimento separatista ainda rege por lá.

            Khabib continua se tornando uma estrela mundialmente falando, mas na Russia? Tenho minhas duvidas sobre o quão grande ele pode vir a ser de fato.

          • Diogo Barbosa

            Na real a Rússia é um puta mercado em potencial.
            Tem eventos crescendo por lá, e tb se tem a cultura da luta desde muito cedo. Por mais que a priori o não exista uma infinidade de pessoas dispostas HOJE a pagar pra ver uma luta lá, cedo ou tarde o MMA entra ( principalmente com mais ídolos nacionais em ascensão), e se o UFC der bobeira outro se cria num país enorme.

    • Jordan Peterson Fanboy

      Acho que GSP nao bate 70kg depois de lutar com aquele físico de tartaruga ninja contra o Bisping.

      • Paul Kersey

        Ali, na verdade, ele tava numa puta de uma engorda e o afetou não só na luta (Bisping sofreu a vergonha colossal em perder para a pior versão do GSP sem ser por decisão!), como tb incorreu naquele problema digestivo.
        Se ele passar por um programa de dieta, ele pode bater 155 sim.

        • Jordan Peterson Fanboy

          Ele já batia 77kg bem seco, sei não, seria aquele corte criminoso, à la McGregor nos penas e Cyborg nos galos.

  • William Oliveira

    Parece que o primeiro card na Russia vai ser um UFN, não um numerado, então sem Khabib. Talvez Volkov, Oleinik, Makhachev.. um desses aí com headliner.

    E Renato, o pai do Khabib disse que é questão de uma ou duas defesas, e aí o Khabib vai querer subir pros 77kg, bem interessante.

    Bacana a ideia da live, continua sim.

    • Victor Martins

      Overeem vs Volkov

      • William Oliveira

        Caso vença do Blaydes, né..

    • Jordan Peterson Fanboy

      Que fim levou aquele peso-pesado invicto russo que treinava na AKA?

      • Rômulo Virgínio

        Bhullar? Se estiver falando do Arjar Bhullar, ele é indiano, sei lá… não é russo.

        • Jordan Peterson Fanboy

          Magomedov = Bhullar?

          • Rômulo Virgínio

            Não sei se você editou a pergunta, mas eu não lembro de ler Magomedov. Enfim, não são a mesma pessoa, e Magomedov nem é invicto. Pelo menos não na carreira.

          • Jordan Peterson Fanboy

            Não, não editei, vc que nao prestou atencao mesmo.

          • Rômulo Virgínio

            Talvez! Não lembro

      • William Oliveira

        Suspenso por doping, volta no fim de Setembro, após o card na Russia, a que tudo indica.

    • Rômulo Virgínio

      Abdurakhimov vs Lewis II. Lutão!

      • William Oliveira

        Putz haha essa aí até eu q tenho parâmetros baixos passaria..

        • Rômulo Virgínio

          Hahaha

      • Vinicius Maia

        Rapaz. Passível de banir o seu usuário devido a audácia de tentar casar essa luta kkkk.
        Essa luta eu abandonei no round 2 ou 3. Fui dormir de tão ruim que tava. PQP

  • Victor Martins

    O Conor é quem manda no UFC mesmo, o FDP não vai pegar nem uma suspensão.
    Depois reclamam porque o MMA é mal visto.

    • William Oliveira

      Mandasse tanto, não teria perdido o seu cinturão.. pela segunda vez, ainda.

    • André Guilherme Oliveira

      “Depois reclamam do porquê do MMA ser mal visto. É uma zona.”

      Se olharmos só o ano de 2018 garanto que ficaria claro que perto do futebol, MMA no máximo é uma visita tímida em casa de swing.

  • Louis

    Porra, achei que a Rose venceu CLARAMENTE. Dei 49-46 também. A Joanna só venceu o terceiro round.

    Acho que teve gente aí que se influenciou muito pelos comentários do Combate(q estavam descaradamente torcendo pra Joanna), hein.

    • Malk Suruhito

      Não chega a ser isso, foi apertado. No MMADecissions, a maioria absoluta (16) deram 48-47 Rose, 2 deram 49-46 Rose e só 4 deram 48-47 Joanna.
      Vencer claramente e dar o placar que deram é bem diferente (ainda mais que NENHUM dos juízes anotou o mesmo round-vitória para a Joanna. Marcaram cada um:2,3 e 4!

      • Shotokan Karate

        Eu vi vitória da Joanna nos rounds 1,4 e 5 e da Rose nos 2 e 3. É impressionante como cada um viu vitória em rounds diferentes acho que é séria candidata a luta mais equilibrada que vi em anos que acompanho lutas.

        • Carlos Montalvao

          Vi 1, 3 e 4 pra desafiante. Round 1 e 5 com bastante margem, 2 claro pra Rose e 3-4 da JJ. Já é a luta feminina do ano. Resultado parecido com Nunes x Shev II, mas totalmente o contrário em termos de ação

    • Vinicius Maia

      kkk torcendo pra Joanna? A cada 30 segundos Luciano falava que a Joanna tinha um queixo merda.

    • Shotokan Karate

      Louis foi uma luta altamente equilibrada que literalmente qq resultado era aceitável. Desde 50×45 pra Rose até 50×45 pra Joanna pra se ter uma idéia do equilibrio. Como comentei acima, pra mim foi 48×47 pra Joanna, vi vitória dela nos rounds 1,4 e 5 e no 2 e 3 pra Rose mas a vitória da Rose é perfeitamente aceitável tal qual o equilibrio.

  • Doniel Porter

    “Eu posso garantir que o Conor não vai voltar para lutar com o Khabib
    Nurmagomedov. Garantido. E não o culpo, eu também não lutaria. Você
    teria que me pagar um milhão de dólares agora para lutar com esse cara.
    Você viu o que aconteceu com o (Edson) Barboza? Você está maluco? Você
    quer lutar com o Khabib Nurmagomedov?”- Al Iaquinta.

    Bem, parece que o Al Iaquinta do presente resolveu não dar ouvidos ao Al Iaquinta do passado, se tivesse ouvido, não teria sido surrado hauhaua

  • Paul Kersey

    Breaking News:

    Com a vitória do Khabib, Conor descobriu que é transsexual e fará cirurgia de mudança anunciando seu retorno ao MMA em 2021 pelo TS nos Penas Feminino.

    http://www.lance.com.br/files/article_main/uploads/2018/04/08/5aca3d33f15cd.jpeg

    • William Oliveira

      Cyborg por TKO

    • Shotokan Karate

      A Cris ganha por execução kkkkkkkkkkkkk

  • Luiz Guilherme Volpato

    Particularmente prefiro resenhas e matérias escritas a vídeos.

    • Louis

      Eu também.

      As palavras, quando bem escritas(e o Renato escreve bem), são muito mais poderosas. Por outro lado, em vídeo ele tem a oportunidade de falar mais.

  • Shotokan Karate

    Duas grandes lutas.Khabib confirmou sua imensa superioridade não dando as menores chances pro Iaquinta (que até foi valente mas a diferença de categoria era enorme. Parecia Grêmio vs Brasil de Pelotas no gaúchão). Joanna vs Rose foi uma luta de dificil avaliação. Eu particularmente anotei 48×47 pra Joanna mas a vitória da Rose é aceitável. Joanna é mais técnica mas a Rose é mais objetiva. Çpmga vida ao campeão Khabib e parabens para a Rose pela confirmação de seu titulo.

  • Andhré Lannes

    O kabib é muito bom, muito mesmo, mas acho complicado também ficar colocando uma aura de invencibilidade em lutadores, a jedrzejczyk também parecia imbatível e do nada olha o que aconteceu, no mma isso acontece, no dia que chegar um cara que conseguir parar as quedas dele e tiver uma trocação razoavel talvez já era kabib.

  • Lucineia Cardoso

    Discordo de quem diz que o Nurmagomedov faz lutas chatas. O que acontece é que o cara é tão bom em anular o jogo do adversário que a luta parece se tornar fácil pq só ele bate. Rs.
    A mesma coisa aconteceu com o Al Iaquinta, apanhou em pé, foi surrado no chão ou seja apanhou 5 rounds. Johnson e Rafael que são trocadores, não viram a cor da bola, a culpa não é do Nurma se os caras não dão conta de engrossar o caldo.

Tags: , ,