UFC on FX 6 e TUF Finale: o que você precisa saber

Renato Rebelo | 16/12/2012 às 01:36

Como ainda não inventaram o teletransporte, pela primeira vez desde o UFC 11, em 20 de setembro de 1996, Bruce Buffer ficou de fora de um evento da organização americana.

Tal fato ilustra o fim de semana frenético que tiveram os empregados de Dana White em dois continentes diferentes. 

Na sexta, o UFC on FX 6, na Austrália, marcou o final do TUF: Smashes – disputado entre atletas do país da Oceania e ingleses.

No sábado, o TUF 16 Finale definiu o vencedor da versão americana do reality. Bom, chega de papo furado e vamos ao que interessa:

TUF 16 Finale

Matt Mitrione x Roy Nelson

Esse pançudo é casca grossa mesmo. Despachou o rival sem derramar uma gota de suor. Com três minutos de peleja, o ex-jogador de futebol americano já estava na posição fetal implorando pela intervenção de Herb Dean. Poder de nocaute sério, meus amigos. Nem os treinos com Alistair Overeen e Tyrone Spong na Blackzilians puderam evitar a segunda derrota na carreira de Mitrione. Espero que mais pra frente casem novamente o “main event” original desse TUF Finale  entre Nelson e Shane Carwin.

Pat Barry x Shane Del Rosario

Dois pesos pesados em rota de colisão – um campeão de san shou, outro de muay thay- fazem um acordo de cavalheiros para que não haja grappling no duelo… Nocaute, certo? Certo. Pat Barry desmontou Del Rosário com duas tijoladas ainda nos primeiros minutos. Apesar do cartel negativo no UFC (5d e 4v), o “HD” sempre entrega emoção. É um daqueles caras que, dificilmente, recorrerão ao seguro desemprego.

Marcos Vinicius x Johnny Bedford

Atropelo por aqui. Nem o tempo fora de ação (mais de um ano) impediu que o americano tivesse facilidade para recolher seu cheque. Em pé, os  golpes de Bedford vazavam com facilidade a guarda do curitibano. No chão, o faixa-preta sofreu com o ground and pound vigoroso de seu agressor e chegou até a ficar preso em um crucifixo por alguns segundos.  TKO no R2 e o placar de Vina no UFC agora aponta 1 a 1.

Hugo Wolverine x Reuben Duran

Impressionante estreia do baiano da Champions no peso galo. Muito rápido e preciso, ele derrubou Duran com socos três vezes no primeiro round com seu interessante mix de taekwondo com boxe. Vale destacar também sua frieza em esperar o melhor momento para definir o combate. Futuro promissor para o invicto semifinalista do TUF Brasil na categoria até 61 kg.

UFC on FX 6

Ross Pearson x George Sotiropolous

A derrota por decisão unânime para Dennis Siver começou a tirar a carreira de Sotiropolous dos trilhos. Logo em seguida, Rafael dos Anjos entregou ao australiano o primeiro nocaute de sua carreira – e, de quebra, parece ter amolecido um queixo até então confiável. Ontem, Ross Pearson, que não é famoso pelo punch, derrubou -com socos- o rival três vezes ainda no primeiro round – antes de liquidar a fatura. Três derrotas consecutivas botam em xeque a renovação de contrato de Sotiropolous com o UFC. Já o inglês respira após derrota para Cub Swanson.

Rousimar Toquinho x Hector Lombard

Hector Lombard era um pesadelo logístico para Toquinho. O brasileiro simplesmente não teve resposta para o cubano que, em seu jogo, trouxe o combo mão pesada + judô de nível olímpico. Vimos um Toquinho tão acuado que, além de evitar exageradamente contato com o cubano, sequer tentou quedá-lo. Tal passividade evidenciava que era questão de tempo até Lombard derruba-lo com sua patada de esquerda. As duas derrotas consecutivas por nocaute levam Toquinho para seu próximo compromisso com a corda no pescoço. Fica a torcida para que o humilde mineiro de Dores do Indaiá dê a volta por cima. Acho que é o momento o apoiar ao invés de jogar pedras – afinal, unidimensional ou não, poucas pessoas no meio são tão dedicadas como o “Toko”.

Chad Mendes x Yaotzin Meza

Meza entrou de gaiato no navio. O companheiro de equipe de Ben Henderson achou uma porta de entrada para o UFC ao aceitar substituir o lesionado Hacran Dias contra Chad Mendes – top 3 do peso pena- com apenas uma semana de antecedência. O resultado não poderia ser muito diferente: nocaute no primeiro round. Segunda vitória dominante do “Money” desde que perdeu a disputa de cinturão para o campeão José Aldo. Que o representante da “Alpha Male” pegue alguém mais gabaritado na próxima e que Yaotzin Meza receba outra chance pela coragem de ter aceitado tal tarefa inglória. 

Tags: ,