Flashback: Quando GSP virou um rolo compressor

Fernando Henriques | 17/10/2015 às 19:29
Captura de Tela 2015-10-17 às 18.45.04

GSP treinou com o garotão Sage Northcutt nos últimos dias

O canadense Georges St. Pierre acenou para a possibilidade de retornar ao MMA essa semana.

Entrevistado pelo “Montreal’s Reseau de Sports”, o ex-campeão afirmou que segue treinando na Tristar Gym (machucados e inchaços aparentes o denunciam, segundo o próprio) e de olho no que acontece em sua divisão.

Além disso, não escondeu sua satisfação ao ver uma nova política de antidoping em ação no MMA – quando decidiu pendurar as luvas por tempo indeterminado, GSP condicionou sua volta a uma maior rigidez no quesito.

Mesmo com Dana White negando que ele esteja próximo de voltar, tais declarações deixam os fãs esperançosos por um retorno breve e, mais importante ainda, o colocam em rota de colisão com “o mais temido campeão do UFC atualmente”, como sempre frisa nosso editor Renato Rebelo.

Lawler demoliu Rory, pupilo de GSP

Lawler demoliu Rory, pupilo de GSP

Na mesma entrevista ao “Montreal’s”, repercutida no Brasil pelo Combate.com, GSP fez colocações numa sequência interessante.

Quando disse que acompanha as lutas de sua divisão e que ainda se mantém em forma, logo após dizer que sente mais e mais vontade retornar, ele deixou claro, pelo menos para mim, que está de olho no atual e devastador campeão. Soou como: “Estou vendo o que Robbie Lawler está fazendo e é incrível, preciso pará-lo.”

E isto nos leva ao começo da soberania de Georges St. Pierre entre os meio-médios, quando ele destronou Matt Hughes – depois de perder a primeira luta com o americano – e consagrou-se um dos melhores de todos os tempos .

Aliás, que fique registrado: excetuando Jon Jones, que irá voltar em breve e, acredito eu, com o acréscimo da idade e de novos “espécimes” na divisão, ainda irá perder duas ou três lutas, GSP tem o melhor cartel do MMA.

Vingou com louvores as duas derrotas que teve e as fez parecer, mesmo a chave de braço que levou de Matt Hughes, dois meros acidentes de percurso – e não a superação de um atleta sob outro.

Knockdown em Fitch

Knockdown em Fitch

Por outro lado, até encontrar o barbudo Johny Hendricks, venceu todos os adversários que lhe deram com propriedade, dando pouca margem para dúvidas e quase nenhuma chance de reação aos pobres, conforme passava os rounds.

E “pobres” somente diante do campeão, contra o resto divisão era os tais. Lembrem das fases que viviam Jon Fitch (8 vitórias seguidas no UFC), Josh Koscheck (5 vitórias seguidas no UFC, depois que aprendeu a socar) e Jake Shields (tinha despachado Dan Henderson via “amasso” no Strikeforce) quando foram parados com certa facilidade por GSP.

Exceto por Nick Diaz, que não enfrentou St. Pierre em momento adequado (vinha de derrota), o canadense enfrentou o que de melhor tinha a divisão meio-médio, que sempre foi recheada. De wrestlers e grapplers a strikers.

hughesarmbarsgsp

GSP x Hughes 1

E se podemos elencar uma “virada” em sua carreira, certamente foi após a já citada derrota para Matt Hughes, o dono da bola até ali. A luta foi em 2004, no UFC 50 (é, faz tempo), e estava equilibrada até os trinta segundos finais, quando Hughes derrubou, passou e pegou GSP num belo armlock a partir dos 100kg.

Foi um movimento único, quase mágico de tão rápido. Rush – não esqueçamos o apelido do canadense – bateu a um segundo do fim do round.

Até esta luta, St. Pierre era um bom lutador em ascensão. Uma promessa para “daqui a pouco”. Depois dela, virou o “rolo compressor” que nos acostumamos a ver (como podia ser tão regular, meu Deus?), e que de tão eficaz tecnicamente nos causava até certa antipatia.

tumblr_mwa5eblXtW1ry1rm7o1_400

GSP x Hughes 2

Torcíamos contra ele acusando-o de ser um lutador chato. Que injustiça! Na verdade, estávamos diante de uma máquina de carne e osso, moldada para amassar adversários com uma eficácia de dar inveja em qualquer Jon Jones ou Anderson Silva.

E o salto de qualidade que deu foi basicamente em seu “jogo mental”, como chamam. Ele amadureceu, entendeu que não precisava dar show o tempo todo, que firulas mais atrapalham que ajudam, que mais bonito do que um belíssimo chute de caratê é ter seu braço erguido ao fim da batalha.

Palmas para ele, que além de entender o que era preciso ser feito pela vitória, conseguia sempre por um bom plano em prática para obtê-la.

GSP x Hughes 3

GSP x Hughes 3

Naturalmente, ter se tornado o mais eficiente wrestler do esporte ajudou muito. Mas GSP é melhor definido pela união única de atleticismo, estratégia e técnica exemplares.

E foi com esse mix que praticamente baniu Matt Hughes da categoria com duas vitórias acachapantes no UFC 65 e no UFC 79, com um TKO (aquele chute alto) e uma finalização (aquela kimura), respectivamente.

E entre o armlock sofrido em 2004 e as duas passadas de carro que Hughes recebeu em troca, em 2006 e 2007, apenas um soco vadio (Matt Serra, ainda lembram dele?) o parou – devidamente vingado por uma surra de dar agonia em quem assiste. Fora isso, foram só “amassos”.

Mas a categoria agora tem um novo rei, e o rei antigo parece tentado a desafia-lo. Será? Eu pagaria, literalmente, para ver essa.

A polêmica decisão

A polêmica decisão

Hendricks foi o Gustafsson (se é para seguir comparando-o com Jones) de GSP.

Lawler fez duas lutas insanas com o barbudo. Por esta medida, já imaginamos que o atual dono do pedaço talvez venha a ser o maior desafio do canadense (agora com 34 anos), como um dia foi Matt Hughes até ele decidir virar um “super sayajin” careca.

E para terminar essa folha corrida de loas à GSP (não sou de fazer isso, mas o cara está parado, merece tapinhas nas costas de incentivo), deixo claro que fui um dos que se revoltaram ao final da luta contra Johny Hendricks, presumindo vitória clara do wrestler americano.

Estava enganado.

No dia seguinte àquele histórico confronto, fui convencido pela imagem, que no “ao vivo” relutava em não se mostrar como realmente era, de que não havia grande margem para nenhum lado e, se era para ter um vencedor, estava mais para GSP mesmo.

  • Ramon Reis

    O nocaute do Matt Serra eu até aceito alguem dizer que é acidente de percuso, eu tambem acho que foi.

    Mas o Arm-Lock do Matt Hughes é lindo demais para ser acidente de percuso.

    • William Terres

      O arm-lock em si não foi acidente, a vitória do Hughes sim, tendo em vista as passadas de carro que o St.Pierre deu nele depois.

      • Ramon Reis

        O GSP sempre procurou evoluir como atleta, acredito que tenha sido mais um motivo para a causa dos atropelamentos.

      • Marcio Lennon

        a vitoria de hugues na época nao foi acidente de percurso, hugues era o cara da divisao e st pierre era um contender em grande ascendencia, na época nao foi acidente nao a vitoria dele, mas depois, na revanche e na outra luta st pierre é que ja era o homem a ser batido

      • Thiago Rocha

        O paralelo mais próximo seria Velasquéz VS Dos Santos?

    • Marcio Lennon

      concordo com vc, a luta hugues x st pierre 1 estava bem parelha e aquele movimento que precedeu o arm-lock nao é um “golpe de sorte” ou acidente de percurso, aquilo tem que ter muito treinamento para ser bem executado

    • Mas Ramon, não disse que o armlock do Hughes foi acidente de percurso e sim que as revanches foram vitórias tão contundentes que fizeram parecer que a derrota anterior foi fruto do acaso. Entre “fez parecer” e “foi” há uma bela distância.

  • Pedro Duarte

    “moldada para amassar adversários com uma eficácia de dar inveja em qualquer Jon Jones ou Anderson Silva.” – Menos gente, menos…

    • Marcio Lennon

      por que que vc discorda dessa afirmaçao ? st pierre sempre foi um cara muito eficiente e com pouquissimos buracos em seu jogo, o cara e um artista marcial completo, por isso segurou o cinturao e deu uma pausa no auge

      • Além de manter (em parte) a estratégia a la Marco Ruas, triturando grapplers na trocação ou amassando strikers no chão. Inegavelmente o cara era cerebral e traçava cada estratégia extremamente bem, por isso chegou onde chegou.

    • Francisco Júnior

      O que GSP fez no UFC foi muito mais impressionante do que Anderson Silva. É de dar inveja sim.

      • Pedro Duarte

        Quais são os argumentos para essa afirmação?

        • Francisco Júnior

          Os argumentos são dois. Primeiro que GSP venceu caras que vinham destruindo todo mundo, mas que se tornavam sacos de pancada na sua frente, tal era o domínio do canadense. Segundo que ele é muito bom em todas as áreas (striking, grappling e wrestling). Diferentemente do Spider, que sempre passava sufoco de costas para o chão e sofreu duas vezes para ganhar do poderoso Chael Sonnen.

          • Pedro Duarte

            Cara, isso não é argumento para dizer que a carreira do GSP é muito mais impressionante do que a do Spider. Se você quer falar de sufoco, por que não coloca na sua análise o vareio que o canadense tomou do Hendricks? Temos que ser imparciais. O Anderson conquistou 16 vitórias consecutivas e só duas delas deixou na mão dos juízes. Fez lutares como Rich Franklin, Dan Henderson e Belfort parecerem amadores, ainda humilhou um ex-campeão da categoria de cima como ninguém nunca tinha visto. Volto a dizer, ser mais completo não tornam os feitos do GSP mais impressionantes do que os do Anderson. São dois monstros e ponto.

          • Elias Silva

            Entrando na conversa. Você faz uma análise pela parte do show, como aqueles que gostam de ver malabarismos ou coisa “espetaculares”. Mas, para mim, um lutador ser totalmente dominante durante 5 round é espetacular, fazia tão bem feito que parecia fácil.
            Ressaltando queque o AS passou a escolher os adversários, quando o CW entrou na briga o brasileiro não aguentou.
            Quanto ao Jones, realmente, um grande atleta, mas eu acho que GSP foi muito superior, pois, ao contrário do americano, o canadense vencia principalmente por conta de sua técnica caras muito maiores do que ele, Jones venceu e usou muita técnica também, mas sempre foram caras menores que Bones, quando ele enfrentou um lutador do mesmo tamanho tomou um atraso…Ou seja fica sempre aquela dúvida se o Jones vence porque é bom ou porque é grande para a categoria.

            Então, poderemos dizer que Spider deu show quando vencia, Jones dominou os oponentes, mas GSP foi a extrema perfeita aplicação da técnica. Eu escolho GSP como o melhor dos três e um dos melhores de todos os tempos.

          • Marcio Lennon

            concordo com vc na maior parte, mas o pecado de st pierre era justamente nao terminar suas lutas, sempre faltou a cereja do bolo que era o nocaute ou a finalizaçao, mas comparando os tres st pierre era o que menos tinha buracos em seu jogo, tanto é que nao foi vencido por ninguem depois de ter posse do titulo, ele e o mais completo dos 3, anderson sempre levou sufoco de wrestlers, mas embora nao tenha um bom nivel de jiu jitsu, o que spider sabia foi o suficiente para vencer hendo, sonnen, lutter, mas qdo pegou um cara com bom conhecimento de jiu por cima que é o CW, a guarda de spider nao funcionou e o final a gente ja sabe, jones tbm tem um buraco, sua guarda, mas ninguem ainda o colocou de costas para o chao, mas ninguem conseguiu ser superior a jones em momento algum de sua carreira, entao entre os 3 eu fico com jon jones como o melhor, pois ele ainda é invicto, só perdeu para ele mesmo (contra matt hammil)

      • Marcio Lennon

        o unico “pecado” é que st pierre nao terminava suas lutas, estranho que antes de ele ter o cinturao em definitivo ele era um demolidor, nocauteava e finalizava a maioria dos rivais, mas depois teve desempenhos brilhantes, mas faltava a cereja do bolo que era terminar a luta, se ele fosse mais decisivo seria maior que anderson no ufc, mas anderson, embora menos completo que gsp, terminava seus combates, das 10 defesas de titulo, 8 terminaram em ko, tko ou submissao

    • guilherme champz

      Acho que a parte do Jon Jones talvez seja um exagero mesmo, pois o Jones é extremamente estratégico também … Mas, sobre o AS não acho que seja exagero não, o GSP no auge era muito mais difícil de se vencer que Spider. O GSP não tinha buracos no jogo, já o AS sempre teve o buraco das defesas de quedas, tanto que por isso foi dominado pelo CW duas vezes … Agora eu não imagino o GSP sendo dominado daquela forma por ninguém.

      • Pedro Duarte

        Ah sim, a grama do vizinho é sempre mais verde, né? Perder para o Matt Hughes e pro Matt Serra foram acasos do destino, quebrar a perna contra o Weidman foi dominação. Não se pode deixar que a personalidade fora do octagon e o episódio do doping influenciem o que o Anderson fez no UFC. GSP coletava sim mais fundamentos, mas isso não o torna mais genial. O estilo do Anderson simplesmente não contemplava dominação sobre o adversário, e sim inducão do adversário ao erro para capitalizar a luta com nocautes brilhantes. São dois monstros do MMA, mas agora vir com essa de que o GSP é muito maior não existe.

        • guilherme champz

          Veja bem, não disse que perder para o Matt Hughes e Matt Serra foram acasos, mas é importante frisar que o GSP vingou essas derrotas e se tornou muito melhor após elas, a partir daí sendo o cara completo que eu caracterizei ali em cima. Já o AS não vingou as derrotas para o CW, que foram no auge de sua carreira, e provavelmente se fosse lutar novamente com o CW a diferença seria ainda maior … Eu estou comparando o auge dos dois. Falar do GSP que perdeu para o Hughes e Serra é o mesmo que falar do AS que perdeu para o Chonan e Takase … GSP no auge de suas técnicas era sim muito mais difícil de vencer, tanto que ngm conseguiu derrota-lo … Já o AS, genial mas com o buraco do wrestling em seu jogo, levou dois sufocos do Sonnen e perdeu duas vezes para o CW, sempre falhando no quesito das defesas de quedas.

        • Bom, o cartel dele é bem mais coeso.

    • Bronson Charles

      Anderson já tinha quatro manchas para quatro frangos no cartel.

    • Cara, o Jones é tão dominante quanto GSP. O “dar inveja” é força de expressão, relaxa aí.

  • Francisco Júnior

    Sou fã do GSP. O cara é um dos poucos na história do MMA que pode ser chamado de “verdadeiro artista marcial”. Um lutador completo e extremamente técnico. Criticar seu estilo de luta, que realmente mudou com o tempo, para mim é um erro muito grave. As lutas contra Matt Hughes e BJ Penn são épicas.

    • Matheus V.

      Digo mais: um dos poucos verdadeiros atletas da história do MMA, pois além de ser um monstro dentro do octógono, era um lutador politizado e de boa conduta que sempre contribuiu para a desmitificação do esporte como “briga de rua”.

  • victor menezes

    Adorava ver o GSP lutar, mas depois do choque de realidade via Matt Serra, ele se tornou mt burocrático, ainda assim ficou mt mais técnico a tal ponto de criar uma disparidade incrível pra categoria tamanho o seu domínio no octógono. GJ tem uma grande parcela no sucesso dele. GSP Pegou mtas pedradas limpas do taliban e combos do Condit e segurou firme a luta. Prefiro q nao volte já deixou seu legado na categoria. Cartel recheado de tops, mas ainda acho o cartel de JJ bem melhor por ter enfileirado ex-campões e ter zerado sua categoria a ponto de nao ter mais desafiantes. Claro q nas suas devidas prorporções.

    • Marcio Lennon

      concordo em partes com vc, mas gsp tbm zerou sua categoria, hendrics na época era o “ultimo grande desafio” visto que lawler ainda nao era “o cara da vez”, nao acho jones bem melhor nao, enfilerou mais ex campeoes, mas nos meio medios o cinturao teve menos rotatividade que nos meio pesados, que era a categoria mais disputada na época em que jon foi campeao, como atleta de mma eu acho st pierre mais completo, porem jon foi o rei da melhor categoria que tinha o ufc

  • Fabricio Alves

    GSP = Sun Tzu

  • Fernando Mangger

    Gsp vs Condit (UFC 154) foi uma das melhores lutas que tive o prazer de ver, sem contar que o canadense realizou uma entrada de arrepiar. Quem nao viu este é o link da entrance:

    https://youtu.be/YqfEsfaPefw

    • Leo Corrêa

      foi de arrepiar mesmo.

  • Tiago Nicolau de Melo

    Muito dominante. Querendo ou não, se não entra como favorito contra qualquer top 10, entra com iguais condições.

    • Marcio Lennon

      st pierre entra como favorito contra qualquer meio medio do ufc

  • André Pessanha

    Fernando, apostaria na melhor versão que ja existiu do GSP ou no atual Lawler? Há tempos que fico quebrando a cabeça com essa imaginável luta e sinto que posso não estar sendo imparcial por ser fã do GSP. Aquela luta com Hendricks meio que deixou uma mensagem tipo ” se for dificil de ser derubado , se tiver uma mão pesada e for canhoto , o lutador pode complicar para o GSP”. As vezes imagino que , mesmo Hendricks tendo muita dificuldade pra colocar o Lawler pra baixo , o GSP no auge físico conseguiria , fora o JAB, que é um dos melhores da história do esporte. Em compensação , Rory , que acho mais striker que GSP(inferior no JAB, mas superior nos body shots, no controle de distância , no uso dos cotovelos e etc) , foi demolido pela brutalidade que Lawler coloca em um combate…por mais que GSP tenha se levantado daquele chute do Condit e aguentado 5 rounds trocano com Hendricks, eu ainda não confio claramente no queixo dele. Não sei se GSP aguenta apanhar o que Hendricks e Rory aguentaram. Também tenho minhas dúvidas de como GSP se portaria com outros caras da divisão bem pesados, dificeis de serem derrubados e com mão pesada(Woodley e Lombard).

    • Eugenio

      Acho que a estratégia do GSP contra o Lawler teria de ser parecida com a do Velasquez contra o Cigano: pressionar na grade, lutando agarrado em pé e trocando na curta distância, podendo agarrar as pernas a qualquer momento e deixando o Lawler preocupado com isso. Se deixar o Lawler com espaço em pouco tempo ele ‘destrói” com o rosto de qualquer um, como fez contra o Macdonald. Acho que o GSP em grande forma conseguiria executar esse jogo pressão.

      • Não precisa. O GSP tem grappling para derrubar ele e manter embaixo.

    • Aposto no GSP contra o Lawler em qualquer circunstância. Se perder, o que é possível, ficaria muito espantado.

  • Mauricio

    Com uma ou duas lutas ele consegue enfrentar o Lawler de igual para igual, e seria uma luta boa!

  • douglas karpinski

    Na luta contra o barba vai aquela velha história, (ponto a round ou dano/volume), na somatória o Johny Hendricks (na minha humilde opinião) levou, ja tentei ver a luta pelo lado do st pierre mas não da, o que contou ali foi o peso de ser campeão, quase como gus X bonnes….

  • Gabriel Guimarães Calefi

    Uma luta do GSP que eu nunca vou me esquecer é contra o Nick Diaz, sim, contra o Nick…. cara, nunca vi alguém simplesmente fazer o que quis, a hora que quis e como quis, como fez o GSP no irmão mais velho dos “Diaz Brothers”. A sensação que eu tive era uma aula de um faixa branca de jiu jitsu que treina a uns 6 meses contra seu mestre que detém a faixa preta por alguns anos já… hahahaha

Tags: ,