… e pro co-evento principal entre Shogun e Gustafsson

Renato Rebelo | 07/12/2012 às 18:09

Marcelo DunlopEditor da Gracie Magazine

A primeira coisa que se aprende numa academia de Jiu-Jitsu é o respeito pela hierarquia. Quem chegou primeiro sabe mais, não importa se é mais velho, vai todo dia na academia ou não ou tem mais barriga. O UFC não é uma academia, claro, ali a coisa muda de figura e deve ser analisada por outro prisma. Mas continuo dando valor ao respeito hierárquico. Ainda mais em se tratando do experiente Mauricio Rua, um nocauteador bom de Jiu-Jitsu que já sobrou no Pride e no UFC em outros tempos. Shogun, ou xogum, significa em japonês o “Grande general apaziguador de bárbaros”, como a wikipedia não me deixa mentir. E você já viu um bárbaro que precise ser mais apaziguado do que o bom sueco Alex Gustafsson? Dá Shogun, e até os mais antigos japoneses sabem disso.

Marcelo Russio Editor do SporTV.com

O preparo físico de Shogun é o ponto de dúvida desta luta. Em forma, o brasileiro é favorito contra Gustafsson. Sem o preparo adequado, o brasileiro dará ao sueco, mais jovem e muito mais alto, uma vantagem importante. Apesar de ter uma resistência muito grande na trocação – prova disso é a lutaça que fez com o duríssimo Dan HendersonShogun precisa estar com seu gás em dia para enfrentar um lutador, na minha visão, em ascenção na carreira e faminto por uma disputa de cinturão. Acredito, porém, que a luta contra Brandon Vera acendeu a luz amarela para o curitibano, que deve ter se preparado melhor para esse combate. Para mim, vitória de Shogun por nocaute técnico.

Guilherme Cruz Repórter da Tatame

O Shogun treinou em Curitiba para essa luta, então não conseguimos acompanhar de perto o treino dele. O Dida, seu principal treinador, diz que ele está mais preparado que estava para as lutas com o Lyoto. Se realmente estiver, estará na melhor forma de sua carreira pelo UFC, e vence por nocaute no primeiro ou segundo rounds. Se estiver sem gás, como na luta contra o Brandon Vera, o Gustafsson vai conseguir impor seu jogo inteligente e vencerá por pontos, em luta semelhante à dele com o Thiago Silva.

Alexandre Matos Editor do MMA Brasil

As pessoas gostam de falar que “o Shogun do PRIDE” vai passar o carro em geral. O Shogun do PRIDE não existe mais e jamais vai voltar. Primeiro que as regras são diferentes. Tirar pisões e tiros de meta afetou muito o jogo do Shogun, ele precisou fazer uma adaptação muito grande. E, pelo que dizem, o joelho dele não é mais o mesmo dos tempos de Japão. Shogun vai precisar mais do que nunca da explosão e da sua lendária capacidade de entrar socando enquanto avança para cima do oponente. Isso será fundamental para quebrar a vantagem de envergadura e de movimentação que certamente o Gustafsson terá no combate. Conforme o tempo passa, esta situação vai ficar cada vez menos favorável ao brasileiro. Como não faço ideia de a quantas anda o preparo atlético do curitibano, acho que o sueco vai conseguir usar seu boxe com muitas combinações e movimentação lateral para garantir uma vitória por decisão.

Renato Rebelo – Editor do Sexto Round

Shogun e BJ Penn são dois dos meus lutadores favoritos de todos os tempos. Mesmo assim, não acredito que nenhum deles vença no sábado. Vejo os casos como um claro exemplo de troca de guarda – onde os veteranos passam o bastão para os mais jovens. Mesmo que o curitibano se apresente na ponta dos cascos (e isso é um grande SE) acho que o europeu entrará com um plano inteligente – jogando seus golpes na longa distância, fazendo-se valer da diferença de envergadura e defendendo quedas com eficiência- para frustar Shogun em 15 minutos. Não digo que será parecido com Gustafsson x Thiago Silva porque, pra mim, sueco deixará o octógono com a lataria bem amassada, mas algo como uma decisão dividia paira nos meus pensamentos. Lutaço!

Tags: ,