Como as feras do Strikeforce se encaixariam no UFC?

Renato Rebelo | 09/11/2012 às 16:53

Amigos, Diaz e Melendez já avisaram que não lutarão

O site americano TMZ cravou ontem à noite que, após o show de 12 de janeiro, em Oklahoma, o Strikeforce será extinto.

A verdade é que organização presidida por Scott Coker já se encontrava no CTI após ter sido forçada a cancelar dois eventos nos últimos meses e o desligamento das máquinas era apenas uma questão de tempo.

Como seus lutadores têm contrato com a Zuffa – e não estarão mais atrelados ao canal Showtime-, uma manada deve atravessar em breve em direção ao UFC. Mas quais são os principais valores (masculinos) que veremos no octógono, Renato? Vamos a eles:

Gilbert Melendez

Figura em todos os rankings de pesos leves como top 3. Campeão do Strikeforce, “El Nino” já chegaria para disputar o cinturão da categoria, no entanto, se o amigo e companheiro de treinos Nate Diaz bater o campeão Ben Henderson no UFC on FOX 5, seu futuro se torna incerto – uma vez que eles já avisaram que não vão se enfrentar. Resta aguardar.

Nate Marquardt

Veteraníssimo aqui. Top 10 duro entre os médios no UFC que conseguiu se reinventar como meio-médio. Certamente, é pedreira para qualquer um e muitos casamentos interessantes pintam com seu nome. Acho que duas vitórias credenciam o “The Great” a disputar o pote de ouro. Será que ele ainda tem fôlego? Que tal Marquardt x Jon Fitch?

Luke Rockhold

Apesar de ser campeão dos médios, Luke não chega com tanta banca. Estamos falando de um cara bom em todos os aspectos do jogo, mas não excepcional em nenhum. Certamente é uma boa adição para embolar o meio-campo da categoria, mas dificilmente repetirá o sucesso em águas mais profundas. Vale casá-lo com o vencedor de Okami x Belcher.

Ronaldo Jacaré

Pode soar estranho, mas acho que Jacaré está mais propenso ao sucesso na nova casa do que seu último algoz. O jogo ofensivo do manauara e a motivação extra por estar no maior palco do mundo me trazem a sensação de que o bicampeão mundial absoluto de jiu-jítsu será uma estrela. Vamos torcer. Jacaré x Brian Stann para começar?

Gerard Mousassi

Striker de grosso calibre que terá dificuldades para se criar. Mousassi adentra uma divisão povoada por ótimos wrestlers e sua defesa de quedas é, comprovadamente, problemática. É verdade que mostrou evolução contra St. Preux, mas ainda não convenceu. Se ganhar algumas lutas sob medida, pode embalar. Mousassi x o perdedor de Shogun x Gustafsson! Boa?

Rafael Feijão

Assim que se livrar do embroglio do seu caso de doping (cumprindo pena ou sendo inocentado), Feijão chega como adição interessante à categoria historicamente mais competitiva da empresa. Agressividade, mão pesada, boa defesa de quedas, faixa-preta de jiu-jitsu… Como aconteceu com Glover, uma vitória maiúscula pode levá-lo aos holofotes. Que a proximidade com Minotouro, Caldeirão e Lyoto não engesse sua caminhada…. Esperem fogos de artifício em Feijão x Thiago Silva!

Josh Barnett

A relação de Barnett com Dana White sempre foi espinhosa. No passado, disputas por contratos, rusgas públicas e doping azedaram a amizade. Será que o tempo apagou as cicatrizes? O louro pode ficar de fora desta migração, mas espero que o profissionalismo fale mais alto, uma vez que um casca-grossa das antigas como ele chegaria para somar bastante. Porque não Barnett x Pezão?

Daniel Cormier

Grande campeão do GP dos pesados, o ex-atleta olímpico também chegaria ao UFC com status. Uma luta meia-bomba com Dion Staring em janeiro se faz necessária para tirá-lo do atual contrato. Em seguida, seu caso é parecido com o de Gilbert Melendez. Se seu parceiro Cain Velasquez bater Cigano, Cormier desce para os meio-pesados e desafia Jon Jones. Se o mexicano perder, ele vai pra cima do pupilo de Luis Dórea.

Outros nomes para ficarmos de olho: Pat Healy, Adriano Martins, Tyron Woodley, Lorenz Larkin, Tim Kennedy, Roger Gracie, Ovince St. Preux e Guto Inocente.

 

Tags: