Copo meio cheio: vem aí o melhor reality da história

Renato Rebelo | 18/10/2012 às 02:55

Enquanto tentava digerir a notícia de que Chael Sonnen não só disputaria o cinturão dos meio-pesados, como seria treinador do TUF, meu amigo Vinicius Matos (colaborador do site) me mandou uma mensagem dizendo que queria escrever sobre o assunto.

Fiquei aliviado. Minha opinião não estava madura – e, confesso, ainda estou em cima do muro. Vinicius publicou um texto discordando da opção baseado no conceito de meritocracia.

E ele está certo. A última luta de Sonnen na categoria até 93kg foi há sete anos contra Renato Babalu – e ele foi finalizado.

O falastrão venceria tops do peso como Rashad Evans, Lyoto, Shogun, Gustafsson ou até o próprio companheiro de equipe Dan Henderson, em lutas hipotéticas? Dificilmente.

Pode bater o campeão? Pra mim, suas chances são menores do que eram as de Bonnar contra Anderson Silva – e as bolsas de aposta confirmam minha teoria.

Mas, vou olhar para o copo meio cheio e fazer o papel de advogado do diabo aqui. O motivo pelo qual demorei a escrever sobre o assunto foi porque me fiz três perguntas:

1- De outubro até abril (data da luta) vou ler todas as declarações do Sonnen e, provavelmente, rir bastante (naquele velho estilo “é engraçado quando não é comigo”)?

2- Vou assistir todos os episódios desse TUF esperando entretenimento?

3- Estarei ansioso pela luta entre os dois?

Como as respostas foram todas “sim”, não me dei o direito criticar – por mais que mérito e, principalmente, justiça sejam meus lemas de vida.

Nesse caso, minha consciência descansa em paz por alguns fatos.

O primeiro é a situação dos outros desafiantes. Lyoto, Rashad e Shogun já foram derrotados pelo campeão. Gustafsson precisa – e vai ter- mais uma luta grande para provar que é uma ameaça e Dan Henderson se machucou.

O segundo é que, por um motivo ou por outro, nenhum dos citados acima (excluindo Hendo, com problemas no joelho) aceitou o “title shot” no UFC 152 e muito menos no cancelado UFC 151.

E exatamente nessa brecha apareceu o oportunismo do Sonnen que, vamos reconhecer, é corajoso.

O terceiro é que Jones tem 25 anos. Teremos Lyoto x Hendo e Shogun x Gustafsson e o campeão terá tempo de sobra para enfrentar quem emergir desse berimbolo.

Não quero basear meu argumento em frases do presidente do evento que vai sempre exaltar seu produto e do cara beneficiado na situação. Mas vale para ilustrar:

– Todos esses caras que estão reclamando agora tiverem a chance oferecida e recusaram. O Sonnen foi o único que se ofereceu a oito dias da luta. É bem simples – disse Dana White.

– Bem-vindos à vida. Aqui não se merece as coisas, você consegue o que você consegue. Ninguém quis lutar com o Jon Jones, o único que falou o nome dele fui eu. Eu nunca neguei lutas e nunca me machuquei. Luto com qualquer um, em qualquer momento. Esses caras podem dizer o que quiserem, mas eu fui o único que me apresentei – finalizou o “Gangster Americano”.

E outra, o TUF por lá está em perigo. Nessa temporada, dos pouco carismáticos Shane Carwin e Roy Nelson, a audiência vem batendo, semana após semana, recordes negativos. Jones x Sonnen é um “levanta defunto” perfeito para o reality.

Enfim, só um ângulo diferente = )

Tags: , ,