Flashback: Lyoto Machida já foi um peso-pesado

Fernando Henriques | 27/06/2015 às 01:59
Lyoto heavyweight

Lyoto heavyweight

Na última vez que pisou no octógono, Lyoto Machida foi obliterado pelo americano Luke Rockhold na pior apresentação de sua carreira.

Quem se acostumou a ver Lyoto entregar luta dura para os mais diversos atletas, de variadas competências e habilidades, espantou-se.

Afora alguns possíveis fatores técnicos que poderíamos destacar, um ponto em especial ficou visível e concorre como estopim para a derrota: o americano deu um baile físico em Lyoto, que parecia mais fraco (“minguado” mesmo) que de costume.

Inconformado, e com razão, com a derrota, o brasileiro procurou manter-se ativo e lutará novamente esta noite (70 dias depois) contra Yoel Romero, buscando apagar de nossas lembranças o resultado de sua última luta.

3550918390_5585b37acb_o

Lyoto sendo “motivado” por Inoki

Além disso, precisa provar a si mesmo, ao que parece, dado o desafio que aceitou, que é ainda um possível contender da categoria dos médios. E contra Romero, a questão física vem à tona novamente.

O wrestler cubano é enorme para a categoria, ao passo que Lyoto, ex-campeão da categoria de cima, na atual fase é considerado pequeno. O mais interessante disso é lembrar que, no início da carreira, Lyoto lutava como peso-pesado.

Em 2003 o brasileiro começou sua carreira no Japão, levado por Antônio Inoki que o conheceu quando ele ainda fazia faculdade.

Na Terra do Sol Nascente, treinou wrestling na NJPW e em suas primeiras lutas buscou mais a luta agarrada do que se poderia prever, sendo ele carateca.

Contra Bonnar, em Manaus

Contra Bonnar, em Manaus

A estreia no MMA foi contra o peso-pesado japonês Kengo Watanabe, que bateu 105kg. Livre pra ultrapassar a casa dos 100 quilos, Lyoto entrou com 94kg e venceu a luta na decisão.

O segundo desafio da carreira trouxe o filho de Yoshizo Machida de volta ao Brasil. Ele lutou no meio da selva com Stephan Bonnar, no Jungle Fight 1. Lyoto pesou 98kg, contra 96kg de Bonnar.

Eram ambos meio-pesados, mas a luta foi oficialmente no peso-pesado. A cultura da época era outra, ainda não havia a necessidade de enquadramento por categoria e o mais importante era casar lutas atrativas, independente da diferença de peso.

Lyoto x BJ Penn

Lyoto x BJ Penn

Mas foi quando enfrentou o carateca Sam Greco, lutador do K-1 e, este sim, originalmente um peso-pesado, que Lyoto apresentou-se mais “robusto”. Bateu 105,5Kg contra 101 do australiano. Vitória apertada na decisão dividida para o brasileiro.

O resultado talvez tenha deixado claro que a categoria dos pesados não era sua casa. Com mais uma luta no contrato, Lyoto venceu BJ Penn (ele mesmo!) ainda no K-1 e depois migrou para o MMA americano, onde estreou no WFA contra o experiente Vernon White.

A luta foi válida pela categoria meio-pesado, mas o brasileiro aparentava ainda certo sobrepeso.

85DB5529-1422-0E8C-9A0A755534A26357

Encarada com Sam Hoger

Já contra Sam Hoger, quase um ano depois, em sua estreia pelo UFC em 2007, era outro lutador. Lyoto apareceu com biótipo completamente diferente daquele apresentado nas oito lutas anteriores.

Descobrimos que ele tinha abdômen. O Dragão saía do time dos “gordinhos” e passava a integrar o time dos “sarados”, como demandava o novo desafio. Era o UFC, afinal, o maior e mais competitivo evento do mundo.

Foram sete vitórias até a primeira defesa de cinturão contra Shogun, a primeira vez em que foi visto em apuros no octógono. A questão física não seria abordada até a fulminante derrota para Jon Jones.

Ali, ficaria claro que a mais célebre categoria do MMA agora era povoada por animais de outra espécie. Lutadores que em 2003, quando Lyoto estreou no Japão, seguramente lutariam como pesados, no UFC, com a cultura de corte de peso dos wrestlers amplamente difundida, eram meio-pesados legítimos.

Lyoto como médio

Lyoto atualmente

Mas Lyoto e seu staff ainda relutaram, brigando contra o fato de que ele era pequeno para a categoria. Somente três lutas depois da derrota para Jones, sendo uma delas outro revés (contestável), que Lyoto desceu para os médios.

Se como peso-pesado ele lutava com 98kg, claramente com sobrepeso. No UFC, com biótipo mais atlético e considerando os padrões atuais, era natural que lutasse ao menos no peso médio.

Caras como Rockhold, Chris Weidman e Romero devem pesar algo perto disso em época de treinamento.

Ignorando tal comparação, o sentimento entre a torcida brasileira era de que Lyoto teria uma possível vantagem física no peso.

O nocaute rápido que impôs ao amigo filipino Mark Muñoz reforçou tal crença, que se mostrou inconsistente logo em seguida, com a sequência de combates na categoria e a acachapante derrota para Luke Rockhold.

Diante de Rockhold

Diante de Rockhold

Lyoto não era maior que os demais. Na verdade, apresentou-se visivelmente “menor” não só contra Rockhold, mas também contra Chris Weidman.

Tanto o é que já se especula sua descida para os meio-médios, em caso de novo revés. 77kg, amigos! Para quem começou lutando com mais de 100, é uma diferença e tanto.

A trajetória de Lyoto, apesar de mais regular, assemelhasse a de Vitor Belfort, que também iniciou a carreira entre os pesados nos primórdios do UFC.

Ambos foram campeões do peso meio-pesado e ambos são ex-contenders do peso debaixo. Em comum também o fato de que jamais tiveram estrutura de pesado e fizeram lutas no peso devido à escassez de lutadores à época.

Ao lado de Weidman

Ao lado de Weidman

Se hoje em dia, com o esporte mais popular, já é difícil encontrar bons pesos-pesados, antigamente o cenário era ainda pior. Com técnica, um meio-pesado poderia fazer frente na categoria, foi o caso destes dois brasileiros.

Os lutadores não evoluíram apenas tecnicamente nesses mais de 20 anos, caros, mas principalmente fisicamente. As regras atuais do UFC e a profissionalização do esporte demandam cada vez mais que os atletas sejam, realmente, atletas.

Os gordinhos, que nunca foram tão presentes, ficarão cada vez mais escassos – o que é uma pena- e o fim de carreira de alguns tops ainda reservará para eles a mesma “minguada” de Belfort e Machida.

  • Renato Rebelo

    Pessoal, estreia desse super talentoso/bem informado escritor que nos trará, aos sábados, histórias interessantes que ficaram no passado. Seja muito bem-vindo, Fernandão!

    • Super talentoso é lisonja demais da sua parte. Fico com só com o bem informado, na medida do possível. No mais, agradeço a saudação e espero fazer um ótimo trabalho por aqui.

      • Maxsupremo

        Bem Vindo Fernando! Boa iniciativa do Renato, O passado não pode ser esquecido! e é sempre bom saber um pouco mais sobre os bastidores:)

    • Nelson Junior Ticaum

      Mto bom… Eu estava pra sugerir algo do tipo, uma coluna de flashbacks/profile… Pode ser sobre lutadores, eventos antigos (sugiro, por exemplo, a rivalidade chute boxe X BTT ou o GP do PRIDE de 2005… e é claro, Fedor, the GOAT IMO).
      Pensei até em algo pro humor, como falar sobre o rei da kimura, Giant Silva… Ria mto com os tópicos sobre ele no finado orkur.
      Parabéns pelo novo componente. Estreiou com pé direito.

      • Chute Boxe x BTT com certeza aparecerá na coluna, época áurea do esporte.

  • Bruno Coelho

    Ótima estreia, Fernando! Excelente texto!

    Alguém pode me explicar, por favor, por que diabos o Lyoto está tomando uns tapas naquele GIF? O.o
    Que maneira de motivar…

    • Japoneses gostam de um show, Bruno, você sabe como é.

      Agradeço o elogio, vamos torcer pelo Lyoto hoje?

      • Dow Jones

        Opa, com certeza vamos!!

        • Show. Pergunto porque, hoje em dia, com certo surto implicante anti-nacionalista — nacionalismo exagerado é chato mesmo –, nunca se sabe.

          • Dow Jones

            Gosto do Lyoto, torço por ele. Torci pro Weidman contra o Belfort, mas torci para o Lyoto contra o Weidman.

      • Bruno Coelho

        Japoneses….Hahahaha.

        Torcida pelo Lyoto sempre, na minha opinião, o lutador mais nobre e fairplay da história do MMA.

        • É sempre difícil falar por toda história, mas com certeza é um dos mais nobres sim. Sempre torço e escrevo sobre ele.

  • Gustavo Assad

    Excelente texto!!! Parabéns pela estréia com o pé direito, Fernando!

  • bedotRJ

    Na foto da encarada com o Sam Hoger, a gente nota que o patrão foi no sentido contrário: de peso leve a peso pesado. Mas só no suco de beterraba com albumina natural e espinafre, claro.

    Parabéns ao novo colunista, que eu já conhecia da internet e ao vivo e se trata de um grande escritor e grande conhecedor do assunto.

    • Agradeço a saudação e é verdade, não lembrava que o Dana já esteve em melhor forma.

    • Carlos Montalvão

      Dana White ou Vin Diesel do F&F1? kkkk

  • Vitor Camilo

    Textaço! Parabéns pela estreia Fernando.

  • Carlos Montalvão

    Lyoto tava gigante como peso-pesado, lembro das lutas contra o BJ e o Bonnar, bizarro demais pra quem acostumou a ver ele com shape de atleta de elite haha. Só faltou uma montagem comparando ele “gordo” com atualmente.

    Mas Luke Rockhold e Chris Weidman são caso à parte, eles é que são médios com tamanho de meio-pesado e não ao contrário como era o caso do Machida quando lutava na categoria de cima. Não acho o Machida pequeno não, se comparar com o CB Dollaway, Munoz ou o Mousasi por exemplo.

    E é impressão minha ou o terceiro “golpe” do Inoki foi um soco? Tava vendo um documentário sobre o Lyoto no Combate (Nascidos Para Lutar) e eles falaram sobre o fato, aí na hora que mostraram essa imagem não reparei, mas no GIF parece que ele fecha a mão e senta a muqueta na cara do Dragão hahahahaha

    Ótimo texto Fernando, família do Sexto Round cada vez maior, parabéns galera!

    • Carlos Montalvão

      PS: Saudosa época do Jungle Fight com ringue, àrvores e tudo o mais…quem lembra do cara que chegou NADANDO em um evento do Jungle? haha

    • Romero também é um caso a parte? O fato é que os tops atuais estão em outro patamar físico, assim como na categoria de cima. E, sim, aquilo foi um soco! O Queixudo não teve pena do Lyoto!

      • Carlos Montalvão

        Romero pra mim não conta, já que é mais baixo que o Lyoto, então o estilo tanque de guerra ‘baixinho’ (não tanto assim) diferencia ele do Rock e do Weidman, ele tem é muita massa, mas falta altura.

        Pow, o japa não poupou o Dragão hein, até a mulher de vermelho ali ficou assustada haha

  • Vitor Câmara

    Já imaginaram Lyoto nos 77kg? Meu pai, ia bagunçar aquela categoria já bagunçada, e ia ter que aprender a lidar com muito wrestling embromão…

    • Carlos Montalvão

      Isso ele já sabe hehe, depois de Ryan Bader e Phil Davis, Johny Hendricks “nos 70%” é fichinha. Mas fico imaginando em Lyoto x Matt Brown/Carlos Condit/Robbie Lawler, acho que seria animal

      • Se o UFC fizesse mais super lutas em pesos casados… Lawler era MW até outro dia.

        • William Terres

          Tipo 82 kg, peso casado. Iria render bons combates, porém teria que ser com caras do meio da tabela, pq se não ia atrasar muito a categoria

          • Caras como Lyoto e Belfort, que não disputar a cinta tão cedo, salvo algumas grande novidade, são ideais para esses combates.

    • Acho completamente improvável a descida, apesar de supor que ele pudesse até bater o peso. Mesmo derrotado hoje (não vai acontecer, mas…), diria que ele tem condições de bater em muitos caras da MW.

  • Acho muito difícil Lyoto desde mais uma categoria, acho até que ele perderia um pouco da performance como MM…
    Gosto muito do Dragão, o cara é um monstro, e como ele leva uma vida regrada, ainda conseguirá levar a carreira num bom nível até na casa dos 40, mas a realidade dos TOP5 das categorias é outra agora né.

    Seja bem vindo Fernando. Sinta-se socado na cara pelo Inoki nessa estréia…hahahaha

    • Também acho que ele não desce, na verdade, diria que ao contrário, ficando velho e longe do título da MW, de repente faz até uma aparição ou outra na categoria de cima. No mais, obrigado recepção a lá Inoki. Hahaha.

  • Fábio

    Arrebentou na estréia, Fernando!
    Ótimo texto…. Sexto round mantendo o padrão de qualidade!

  • Jonas Angelo

    E do peso do Dana White ninguém fala né…

    Brinks a parte, gostei da coluna, e o rapaz escreve bem pra caramba. Adoro histórias.

    • Falaram do Dana aqui nos comentários, fez o caminho inverso do Lyoto… E semana que vem têm história nova.

  • Nubia Castro

    ADOREI o texto. Parabéns e muito bem- vindo ao 6r.

  • Diogo Cunha

    Muito bom, Fernando! Excelente estréia!

  • Diogo Cunha

    Acredito que o Lyoto descer para os meio-médios já é forçar a Barra. Ele já entra seco demais com 84kg. Penso que ele deve fazer corte de peso como a maioria dos atletas, perdendo bastante líquido na véspera do combate e chegar na luta com mais de 90 quilos.

  • William Terres

    Tipo o Repassando a guarda hehe. Eu tenho uma curiosidade sobre como eram o anúncio dos eventos do Pride, as expectativas.. enfim, qndo puderem abordar o tema.

  • João Washington

    Excelente texto Fernando! Você falou dessa transformação física do Lioto de forma meticulosa. Muito boa a coluna, parabéns!

  • Mariozinho Spodzia

    Lyoto merece ser o primeiro brasileiro campeão de duas categorias diferentes!
    Ótimo caráter, postura, exemplo de pessoa.
    Sempre terá minha torcida seja em Qq categoria.
    E Hj Tko no Romero.

    • Ué, e o Belfort? Rs.

      • Mariozinho Spodzia

        Só venceu no meio pesado.
        O outro foi um torneio. Não foi Cinturão (era do Coleman).

        • Eu sei, mano, por isso o “Rs” no final, foi uma piada ruim porque sempre falam no Combate que ele foi campeão em duas categorias, o que não é de todo mentira, só que esquecem de dizer que um título foi de torneio.

  • Felipe

    Acabar nos 77? Seria um Anthony Johnson às avessas?

  • Marquim

    Rapaz, Romero enterrou a carreira do Machida agora, uma pena.
    Tomara que continue lutando pelo menos pra fazer grana, sem intenção de cinturão.
    Acho que um Lyoto vs Whittaker e Hendo vs Philippou faría sentido,aí se os 2 veteranos vencer, poderíam colocar eles em uma luta para ser a ultima luta da carreira de cada um deles, que ja passaram do prazo de validade, infelizmente.

    • Eu não me precipitaria assim, antes, gostaria vê-lo ele no peso de cima novamente, parece que perdeu pegada no de baixo e, pior, não parece mais tão veloz quanto é contra lutadores ainda maiores.

  • mazzaropi

    Seja bem vindo Fernando!

    Nao concordo com tua opinião… Machida e Belfort são casos clássicos de sucesso. Eles fizeram lutas épicas e em momentos mais difíceis de suas vidas provaram que são grandes guerreiros em todas as categorias…

    A história mostra claramente isso, alias, a perda de peso drastica por imposicão contratual para mudança de categoria ou oportunidade não tem nada a ver com escolhas apropriadas, inclusive acredito que tenha muito achismo nas escolhas…

    O homem virtuoso será julgado pelo conjunto da obra.

    Abração.

    • Agradeço a saudação., mas não tem como você discordar de mim nesse caso, pois não falei que eles fracassaram em parte não algum. O foco do texto era a diferença física do início da carreira deles para agora. Ponto. Não avaliei sucesso ou insucesso de ambos nas categorias em passaram, apenas confirmei que, com o passar dos anos, o esporte evoluiu em preparação física e a estrutura deles passou a ser mais apropriada competitivamente no MW.

      • mazzaropi

        Então não vamos brigar… kkk?

        Abração grande amigo.

  • Malk Suruhito

    O resultado da luta de sábado mostrou a sinuca de bico ao qual se encontra Lyoto: O top da categoria continua maior que ele, batendo tão pesado quanto o pessoal do LHW e desta vez ele não é o cara mais rápido no 8.
    Acho que só baixar o peso não resolve.

    • Talvez seja melhor voltar para a categoria de cima e tentar fazer melhor uso da velocidade, porém uma coisa é certa: assim como para o Belferot, uma nova corrida ao cinturão é improvável.

  • Luis Felipe Fabricio

    Com exceção da luta do Mousasi, desde quando o machida mudou pros médios eu tenho a sensação que a pesagem acaba com ele.

  • Felipe Mariano

    Sou fã do Lyoto, Sou fã do Vitor, sou fã do Fernando.

    Temos alguns outros lutadores que podem entrar nesse perfil: Kenny florian começou no tuf como peso médio e terminou a carreira nos penas. Frankie Edgar foi dos leves aos galos e por ai vai…

    A perda de peso é um assunto polêmico que todo mundo gosta de saber

Tags: , , , ,
Instagram