UFC Orlando: os palpites dos
colunistas do Sexto Round

admin | 23/02/2018 às 16:16

Neste sábado, o Amway Center, na cidade de Orlando, Flórida, será o palco do UFC on Fox 28, que terá como luta principal um duelo importante na divisão até 66 kg, entre Josh Emmett x Jeremy Stephens.

Vindo de um grande nocaute sobre Ricardo Lamas, em dezembro de 2017, Emmett alcançou o quarto lugar no ranking da categoria. Um novo triunfo o transformaria em um legítimo desafiante ao cinturão de Max Holloway.

Já no córner azul, Stephens pode não só emplacar a terceira vitória seguida (fato que não ocorre desde 2014), como entrar no top 5 dos penas.

No co-main event, um combate com cara de title eliminator na categoria feminino até 52 kg. A brasileira Jéssica Bate-Estaca encara a embalada Tecia Torres.

O card ainda conta com o retorno do ex-campeão peso-galo Renan Barão. O potiguar tenta se recuperar da má fase contra Brian Kelleher.

Ótima oportunidade para os palpites dos colunistas do Sexto Round e de Hericly Monteiro, o campeão do Confere em 2017.

Vamos a eles!

André Azevedo: Os dois tem muito peso nas mãos lutando entre os penas. Emmet tem 32 anos, Stephens 31 anos. Emmet tem 14 lutas e o “Esquentadinho”… 40! Meu critério não será o desgaste em batalhas, como fiz no palpite entre Cerrone e Yancy (e me ferrei!). Vou de Stephens via KO.

David Carvalho: Emmett nocauteou Lamas e apareceu. Com isso, caiu nas graças dos amantes de porradeiros e foi estampado no poster para a luta principal de um evento do UFC. O problema é que seu oponente também gosta de farejar sangue e é mais experiente no evento. Stephens via KO.

Felipe Paranhos: Cardio tende a ser um fator importante nesse combate e, nesse sentido, acho que Emmett leva a pior. Assim, numa luta competitiva, acredito que Stephens terá a vantagem nos rounds finais. Stephens, decisão.

Hericly Monteiro: Emmett tem ferramentas suficientes para quedar e controlar Stephens no solo e conseguir um resultado favorável nas papeletas. Emmett via decisão.

João Vitor Xavier: Acredito na maior variação de  golpes em pé de Stephens. Mesmo com Emmett tendo um wrestling melhor, não o vejo impondo esse jogo por cinco rounds. Eventualmente, Lil Heathen vai capitalizar em um erro do produto da Team Apha Male e irá nocautear. Stephens, KO.

Laerte Viana: No duelo entre dois dos maiores pegadores do peso pena, fico com a experiência de Stephens, que não passa confiança, é verdade, mas mostrou boa evolução – e inteligência – nas duas últimas lutas. Stephens, decisão.

Leo Salles: Após surpreendente nocaute sobre Ricardo Lamas, Emmett agora vai ter mais trabalho para derrubar um osso duro de roer, Jeremy Stephens. Aliás, o “Esquentadinho” não se importará de sair na mão com Emmett, que deve adotar a estratégia de levar o combate pro chão. Mas acredito na experiência e na mão certeira de Stephens. Lil’Heathen, TKO.

Lucas Carrano: No duelo de who da fuck vs what’s his face ficou com o Esquentadinho. Stephens vence por TKO. 

Lucas Rezende: O menino Emmett impressionou quando assassinou Ricardo Lamas, mas não significa que está preparado para a posição onde acabou se encontrando. Por outro lado, Jeremy Stephens é o típico adversário que ainda pode ser vencido por alguém como Emmett nesse escalão dos penas. Emmett por decisão.

Luiz Fernando Ferreira: Tenho minhas dúvidas se Emmett é lutador para estar no quarto lugar entre os penas. Stephens bate tão ou mais pesado que o careca, fora o maior tempo de octógono. Não sou muito de apostar no “Esquentadinho’, visto que não é tão confiável, porém, vejo ele emplacando a trinca. Stephens, TKO.

Renato Rebelo: Pegador por pegador, acho Stephens mais experimentado e até polido. Emmett, por exemplo, não nocauteou Felipe Sertanejo ou Jon Tuck. Acho que o choque de realidade vem. Stephens, TKO.

Rodrigo Tannuri: Confesso que as últimas atuações de Emmett foram surpreendentes, mas as de Stephens foram ainda mais e me convenceram. Acho que o veterano vai evitar o poder do oponente, cozinhando a luta na base da experiência. Stephens, decisão.

Thiago Sampaio: O tempo vai dizer se aquele nocaute de Emmett no Ricardo Lamas foi obra do acaso ou não. Jeremy Stephens tem queixo muito duro, mas gasta muita energia com o estilo agressivo, desperdiçando muitos golpes. Se o atleta da Team Alpha Male souber dosar o gás e não gastar toda a força no início, pode levar para o clinch e fazer uma luta mais burocrática. Acreditando que o careca não vai querer se provar como bom brigador até o fim, vou de Emmett na decisão.

André Azevedo: Seguindo a estratégia das “Blue chips”, vou de Jessica sem medo de ser feliz. Bate-Estaca, KO.

David Carvalho: Em terras de tornado, onde tudo é levado pela força do vento, só o que está bem fixado no chão costuma superar a tempestade. No caso da “Pequeno Tornado” (apelido de Tecia Torres), que vai encarar “Bate-Estaca”, fico com a força bruta, resiliência e vontade da brasileira. Jessica nocauteia.

Felipe Paranhos: A brutalidade do striking de Jéssica esconde outros recursos que podem ser aplicados nessa luta. Primeiro, a capacidade de responder a golpes e aumentar o volume da luta quando é encurralada (o que costuma impressionar os juízes). Segundo, as quedas e o ground and pound poderoso que dominou Cláudia Gadelha. Bate-Estaca, decisão

Hericly Monteiro: Sem chance para tornadinho. Vai ser derrubada e amassada no chão. Vitória de Jéssica por TKO.

João Vitor Xavier:  A Tiny Tornado talvez seja a lutadora mais subestimada do peso palha. Tem um wrestling muito bom, jogo em pé justinho e boas transições no chão. Porém, Bate-Estaca é melhor em quase todos os departamentos. Acredito numa vitória até certo ponto tranquila da brasileira. Andrade, decisão.

Laerte Viana: Jéssica é melhor em pé e oferece perigo no chão, caso for quedada. Em suma, é mais completa que Tecia, que terá seu jogo pragmático anulado pela brasileira. Bate-Estaca vence por pontos.

Leo Salles: Luta equilibradíssima, que vai certamente vai mostrar a nova desafiante dos palhas. Por ser mais forte e trabalhar bem na luta agarrada, a brasileira pode conseguir se desvencilhar do jogo de wrestling da adversária. Vai ser uma guerra, mas vou de Andrade por decisão. 

Lucas Carrano: Essa será, tirando a disputa de título é claro, a grande prova de fogo pra brasileira na divisão. E creio que, em três rounds,  ela se dará bem. Bate-estaca vence na decisão.

Lucas Rezende: A brasileira impões mais pressão, tem mais poder e sabe se virar no solo. Tecia Torres precisará ser impecável por 15 minutos, para não ser pega no contrapé. Andrade por TKO.

Luiz Fernando Ferreira: Tecia Torres é bem completa, mas a brasileira está em outro nível. Não vejo a americana aguentando a pressão. Bate-Estaca nocauteia.

Renato Rebelo: Bate-Estaca é maior, mais forte, mais contundente e até melhor grappler, se bobear. Torres é completinha e deve equilibrar a luta, por isso, não espero altas emoções – e nem um passeio da brasileira. Ainda assim, o físico e o ímpeto prevalecerão. Jéssica, decisão.

Rodrigo Tannuri: Tecia até pode tentar, mas Jéssica é mais lutadora que ela e quase toda a categoria. Jéssica, decisão.

Thiago Sampaio: Se fosse num passado recente, o estilo agressivo da Bate-Estaca cairia como uma luva para uma karateca contragolpeadora como Tecia. Mas a evolução mostrada contra Claudinha Gadelha foi absurda. Se misturar o bom boxe com quedas e ground and pound, a brasileira leva a melhor de novo. Bate-Estaca, decisão.

André Azevedo: Aposto no estilo moedor de carne do “Sledgehammer”, também conhecido como Wallid Escandinavo. Latifi via decisão.

David Carvalho: Palpite difícil, pois, em outro momento da carreira, ficaria fácil com Latifi. Mas o amigo de Lucas Rezende não vem de uma sequência que me passe confiança. Já o Bruxo, membro do exército do Tannuri, anda acertando nos ritos de voodoo. Com maior envergadura, poder de nocaute e fase melhor, aposto em St. Preux via TKO.

Felipe Paranhos: Envergadura à parte, OSP tende a ser quedado facilmente por Latifi assim que o sueco grudar. Sendo assim, acho que essa deve ser a tônica da luta. Latifi, decisão.

Hericly Monteiro: Apesar de ter boa patente no exército do Tannuri, não vejo o voodoo do haitiano funcionando contra o jogo de grade e quedas do sueco. Latifi via decisão.

João Vitor Xavier: Latifi tem algumas chances, mas não acho que ele será capaz de chegar perto de OSP, que tem uma envergadura melhor. Acho que será uma luta bem disputada, mas no fim St. Preux leva a melhor. OSP, decisão.

Laerte Viana: St. Preux vinha perdendo para Corey Anderson até quase decapitar o compatriota. Latifi, que é mais lutador que Anderson, não vai cometer o mesmo vacilo em pé. Apostando nas quedas e controle posicional no chão, vou de Latifi por decisão.

Leo Salles: Combate #teamtannuri x #teamrezende. Nesse clássico do Sexto Round, vou apostar naquele que tem um dos estilos mais heterodoxos para nocautear e finalizar no octógono, além de usar infelizmente usa forças do mal., que deve minar o jogo do simpático Latifi. OSP por TKO. 

Lucas Carrano: Rapaz, as mãos coçam de vontade de apostar em Latifi, mas St Preux tem uma vantagem física grande e apronta seus vudus também. Ovince leva na decisão. 

Lucas Rezende: A magia negra de Ovince Saint-Preux não será páreo para o martelo do Thor de Ilir Latifi. Latifi por KO.

Luiz Fernando Ferreira: Um clássico entre Team Tannuri e Team Rezende! O fator envergadura pode ser crucial nesse combate, porém, OSP nunca soube usar com perfeição essa vantagem valiosa. Rezende irá sorrir: Latifi vence na decisão.

Renato Rebelo: A enorme diferença de envergadura deve fazer a balança pender pra lado do descendente de haitianos. Com chutão alto ou coisa similar, vou de OSP por TKO.

Rodrigo Tannuri: O choque é OSP x Latifi, mas o que vai render será o Tannuri x Rezende no podcast. Acho que Latifi vai quedar o meu representante à vontade, porém, em certo momento, vai se descuidar e será mais uma vítima da magia negra mais encantadora do MMA. OSP, finalização.

Thiago Sampaio: O filho de haitianos é mais eficiente na trocacão, tem mais agilidade, é mais esguio. Mas se complica contra wrestlers, tanto que estava levando atraso de Corey Anderson antes de tirar aquele chute da cartola no terceiro round. Latifi é um mamute caindo por cima e, se colocar em prática o que sabe de melhor, tem chance de êxito. Latifi, decisão.

 

André Azevedo: Griffin adora sair na mão e contra Perry isso é um mau negócio. Perry é “Samba de uma nota só”, não tem mais nada além da famigerada mão direita. Mas ainda assim, vou nele. Nocauteia, dança break e acho que de quebra xinga Darren Till no microfone do UFC. Perry, KO.

David Carvalho: Após a derrota para o “Xente Boa”, Mike Perry pode vir mais comedido e não gastar tanta potência nos golpes. Ao mesmo tempo, temos uma luta de três rounds, que pode trazer os dois farejando sangue e deixando pra lá a ideia de cansar. Fico com o psicopata Mike Perry vencendo nos pontos.

Felipe Paranhos: Griffin é o adversário ideal para reerguer Perry. Com grandes falhas defensivas, Max deve ser perseguido por Mike até que tenha o mesmo destino dos que recuam demais diante de um brawler. Perry, KO.

Hericly Monteiro: Só vou me contentar se essa luta terminar com o Griffin estirado no chão. Perry via nocaute.

João Vitor Xavier: Gostei muito da apresentação do Max Griffin no UFC São Paulo. Mas acho o Mike Perry muito mais agressivo e com mais armas para levar. Perry, TKO.

Laerte Viana: Promessa de anarquia das boas. Perry já mostrou, até o momento, que para passar por ele é preciso ser integrante, no mínimo, do top 15. Griffin, que até tem seu valor, não está nesse nível. Platinum nocauteia.

Leo Salles: O maluco-beleza Perry deve partir para o ataque desde o início e achar um nocaute, o que deve acontecer. Perry por KO.

Lucas Carrano: Porradaria insana e Mike Perry, com seu estilo que possivelmente não vai longe devido ao alto preço que cobra, vencendo. Perry por TKO. 

Lucas Rezende: Entrei dois brigadores de bar, vou com aquele que tem mais experiência e sucesso no assunto. Perry por KO.

Luiz Fernando Ferreira: A porrada vai comer firme! Acredito que Perry é mais “porradeiro” e se recupera nessa. Platinum, TKO.

Renato Rebelo: Não vejo “Pain” com jogo suficiente em pé para driblar o poder de fogo de Perry. Vou de Platinum por KO.

Rodrigo Tannuri: Nunca fui fã do jeito de Perry e tenho certeza que, contra a elite dos meio-médios, o bad boy não se cria. No entanto, Griffin está abaixo e não resistirá ao poder do adversário. Perry, KO.

Thiago Sampaio: Max Griffin é o tipo de nome que serve de escada para alavancar Mike Perry, apesar de também ser bem perigoso em pé. Mas num duelo que não vai ter enrolação entre dois nocauteadores de carteirinha, a aposta vai naquele que vive fase melhor e vai caçar mais um para os seus highlights. Perry, nocaute.

André Azevedo: Barão não tem inspirado muita confiança ultimamente. Mas espero que a mudança para os USA e ATT tenha sido positiva, tanto nos treinos quanto na dieta. Mesmo em má fase o ex-campeão é muito mais lutador que Keleher. Das oito derrotas do americano, cinco foram via submissão. Barão honrará a 100ª faixa preta de Jiu-Jítsu dada pelo mestre Dedé. Renan via finalização.

David Carvalho: A cada luta escalada com Barão vem o sentimento de “acho que agora teremos o velho Barão de volta”. Mas Brian Kelleher é o desafio na medida para Renan. Acredito em uma luta disputada e o brasileiro vencendo nas papeletas. Barão, decisão.

Felipe Paranhos: Apesar da descida de ladeira na banguela que virou a carreira de Barão, me recuso a acreditar que ele vá perder para um Average Joe como Kelleher. Nem precisa ser o mesmo Renan do passado: basta não entregar o pescoço. Barão, decisão.

Hericly Monteiro: Para ser sincero, eu não sei se o Barão que conseguiu perder pro Sterling consegue ganhar essa. Kelleher via decisão.

João Vitor Xavier: Brian Kelleher pode até surpreender, mas vejo Barão com uma nova motivação, treinando com gente do seu tamanho na maior academia do mundo e disposto a mostrar um novo lado seu. Barão, decisão.

Laerte Viana: Kelleher está no nível dos últimos lutadores batidos por Barão. Com muitas brechas no grappling defensivo, uma hora ou outro o americano vai vacilar e pagará caro por isso. Barão finaliza.

Leo Salles: Barão disse que “tudo mudou” com os treinos na ATT. Veremos o resultado contra Kelleher, que tem bom boxe e wrestling, mas que em tempos áureos do brasileiro, não ofereceria nenhum perigo. Mas vou confiar que a boa fase voltará para o ex-campeão dos galos. Barão por TKO.

Lucas Carrano: Barão tem que vencer, ou estaremos diante de uma das quedas mais vertiginosas da breve história do esporte. Barão leva por finalização.

Lucas Rezende: Até apostaria em Kelleher, não fosse a derrota por finalização para Marlon Vera. Escolhendo crer numa possível melhora de Barão, graças à ATT, vejo o brasileiro superando, ao menos este desafio. Barão finaliza.

Luiz Fernando Ferreira: A fase do ex-campeão não é das melhores e apostar em Barão não é tão seguro como antes. Apesar de Kelleher oferecer um certo perigo, vou confiar nessa mudança do brasileiro. Um cara que já foi considerado um dos campeões mais temidos não pode sumir tão rápido. Ou pode? Último voto de confiança, Barão por decisão.

Renato Rebelo: A nova alimentação e a ida para a American Top Team, segundo Barão, revolucionaram a sua carreira. Seriam essas mudanças suficientes para limar a baixa autoestima que tomou conta pós-TJ Dillashaw? Espero que sim porque Kelleher não é melzinho na chupeta. De todo modo, ainda dou um voto de confiança pro brasileiro. Barão, decisão.

Rodrigo Tannuri:  É bom Barão dar um jeito de ganhar ou então sua carreira estará encerrada de vez. Chega de paraibagem! Barão, decisão.

Thiago Sampaio: O atual Barão desprovido de alma não inspira confiança alguma. Se der bobeira e ficar estático, vai ser engolido por Kelleher, que é perigoso mas longe de qualquer top do peso galo. Mesmo lento, o brasileiro tem condição de ser superior em pé e, no chão, tem um jiu-jítsu bem superior. Resta saber se ainda existe lampejos daquele que um dia foi campeão considerado imbatível. Barão em decisão apertada.

Restante do card:

Sara McMann x Marion Reneau
Angela Hill x Maryna Moroz
Ben Saunders x Alan Jouban
Sam Alvey x Marcin Prachnio
Rani Yahya x Russell Doane
Eric Shelton x Alex Perez
Albert Morales x Manny Bermudez

Ranking dos colunistas:

1 – Lucas Carrano: 17-8 (68%)
2 – João Vitor Xavier: 16-9 (64%)
3 – Felipe Paranhos: 15-10 (60%)
3 – Luiz Fernando Ferreira: 15-10 (60%)
3 – Renato Rebelo: 15-10 (60%)
4 – Hericly Monteiro: 12-9 (57,1%)
5 – David Carvalho: 13-12 (52%)
5 – Laerte Viana: 13-12 (52%)
5 – Lucas Rezende: 13-12 (52%)
6 – Leo Salles: 12-13 (48%)
6 – Rodrigo Tannuri: 12-13 (48%)
7 – Thiago Sampaio: 11-14 (44%)
8 – André Azevedo: 9-16 (36%)

  • Julio Varoni

    Droga. Barão vai perdir novamente.
    Se Tannuri disse que ele iria ganhar é pq ele vai perder =D

    • Renato Rebelo

      Xiiii… Parece que a opinião do bicampeão virou galhofa…

    • Rodrigo Tannuri

      Apostas anti-zica. Pode ir cofiante kkkkk

      • Julio Varoni

        É, Tannuri, tás ruim nos palpites mesmo kkkkk

        • Rodrigo Tannuri

          Ziquei kkkkk

  • Hericly Andrade Monteiro

    Sei lá…eu quero muito que o barão volte a ganhar. Mas pelo jeito que andam as coisas…

    • Luiz Ferreira

      Foi o único no Brian. Vai mitar ?

    • Rodrigo Tannuri

      Merece mitar! kkkkk

  • Mauricio

    ” será mais uma vítima da magia negra mais encantadora do MMA. ”

    Kkkkkkkkk Tannuri é foda

    • Rodrigo Tannuri

      Já estou na preparação aqui kkkkk

  • Henrique

    Stephens KO
    Andrade DEC
    Latifi TKO
    Perry KO
    Barão SUB

  • Guilherme Martins

    Emmett tem metade das vitórias do Stephens, mas só foi superado uma vez enquanto o outro foi 14. O que isso quer dizer? Nada. Kkk mas vou de emmett por KO nessa e na próxima (valendo cinturão), eu acredito!

  • Rudá Corrêa Viana

    O duelo de Magia negra vs martelo de Thor (by Rezende), terá o mesmo desempenho de tannury vs Rezende nos palpites?

    • Rodrigo Tannuri

      A virada começa daí! #EuAcredito

  • João Monteiro

    Stephens – TKO
    Bate-Estaca – SUB
    OSP – DEC
    Perry – KO
    Barão – DEC

Tags: , , , , , , , , , , , ,
Instagram