Pensando Alto: A
Análise Informal do UFC 220

Lucas Rezende | 21/01/2018 às 04:38

Não tivemos uma noite tão agitada em Boston desde a grande Festa do Chá, hein?

Em evento especial, na cidade natal de Dana White, o UFC 220 nos trouxe duas disputas de cinturão com desafiantes que conquistaram seu espaço através de mérito não parecia muito o presente certo para o patrão, mas sim para os fãs.

Sem falar em deslizes como Gian Villante e Francimar Barroso no card principal, que não será mencionado deste ponto em diante. Por outro lado, também contamos com agradáveis surpresas, cortesia de Shane Burgos e Calvin Kattar.

Guardando todo o recheio para depois, vamos direto ao que interessa.

Stipe Miocic vs. Francis Ngannou

Fim da superstição. O bombeiro Stipe Miocic extinguiu o tabu da terceira defesa de cinturão como se lutar fosse sua única e integral obrigação. Imagine você, se realmente fosse.

Após sentir o peso das patadas predatórias de Francis Ngannou, tenho certeza que Stipe agradeceu por ter treinado boxe o suficiente para combater o adversário, e wrestling o suficiente para não ter que fazê-lo por cinco assaltos.

A estratégia inteligente que demoliu Mark Hunt e o finado Shane Del Rosario retornou para minar a personificação do Monte Kilimanjaro e fincar a bandeira xadrez no cume ao fim de uma árdua escalada, mas que se mostrou menos íngreme que o esperado, a cada metro ascendido.

Sem brechas para uma derradeira mão vadia, Ngannou se contentou em apenas raspar o queixo de Miocic e em não terminar do lado errado de um vídeo similar ao de sua vitória sobre Alistair Overeem. De língua pendurada pra fora da boca, não restou nada além de entregar os pontos, para o camaronês.

Daniel Cormier vs. Volkan Oezdemir

Não aconteceu no Calvário, mas Volkan Oezdemir também foi crucificado.

O fim da trajetória do suíço dono do toque da morte cheirava a tragédia anunciada, mas a verdade é que Oezdemir ganhava mais força sempre que era descontado, daí surgia a expectativa para o combate.

A expectativa, no entanto, é a mãe da decepção.

Daniel Cormier não é campeão à toa. Sistemático, o olímpico até permitiu que Oezdemir tentasse brincar de encontrar seu queixo, como quem pendura uma cenoura em frente a um jumento, mas quando se cansou de arriscar a vida, reverteu ao modus operandi.

Em desfecho semelhante aos trejeitos do eterno algoz, Jon Jones, Cormier trancou Oezdemir em uma posição de crucifixo, e garantiu mais uma defesa à base de ground and pound insistente, e até um tanto carente de contundência.

Mas a regra é clara: é preciso se defender a todo momento. Manutenção límpida para o campeão legítimo dos meio pesados.

Rob Font vs. Thomas Almeida

Thominhas tentou. Dessa vez ficou claro que tentou.

Visivelmente cônscio de sua principal falha, a defesa penetrável, que lhe custou os duelos contra Cody Garbrandt e Jimmie Rivera, tivemos uma versão mais conservadora e cautelosa do do paulista, em Boston.

Para azar de Thomas, ainda não existe técnica para aprimorar um queixo falho.

Bem-sucedido na missão de esconder o ponto fraco nos primeiros cinco minutos, Rob Font espiou por cima do arbusto e acabou encontrando o tesouro. Uma vez para rachar, duas para estraçalhar. Uma canelada definiu o destino do americano rumo ao Top 5 da categoria, e também o de Thomas, para o lado de lá do Top 10.

Desempenho este, que, praticamente sacramenta a carreira de Thomas ainda aos 26 anos de idade. Fica difícil, para não arrematar impossível, imaginar como o jovem poderá se criar com a elite da categoria.

Menções Honrosas

  • O par Shane Burgos e Calvin Kattar proporcionou o melhor duelo da noite, num casamento que não parecia merecer ocupar a vaga de terceiro combate mais importante do evento. O bônus foi ainda mais merecido quando Kattar, a zebra, eliminou Burgos no terceiro round, com um “apercaute” para Rodrigo Minotauro nenhum botar defeito.
  • Nada como um cruzado de esquerda em menos de um minuto de presente para festa de boas-vindas. Com este presente de grego, o russo Islam Makhachev recebeuP de volta o brasileiro mais rodado deste octógono de meu Deus, Gleison Tibau. Nessa tal de Daguestão, desconhecem o termo “pegar leve”.
  • Poucas ações eliminam dúvidas como um uppercut limpo contra um queixo desavisado. Foi assim que Abdul Razak Alhassan destruiu toda e qualquer incógnita remanescente de seu primeiro encontro com o quase decapitado Sabah Homassi. Pode seguir em frente com tranquilidade, agora.
  • ElcidDante Espindola

    Esperança quebrada de novos campeões depois de hoje, Oezdemir
    e Ngannou ☹. MEEE

  • William Oliveira

    Stipe e DC homões da porra, exemplos não só de lutadores mas como de campeões, gostaria bastante que o UFC repetisse o formato com outro PPV assim, título dos pesados de headliner e título dos meio-pesados como co main event, DC-Gus e Miocic-Werdum na próxima rodada.

    Muita gente desmereceu Burgos-Kattar durante a semana, dizendo que o card era as 2 disputas de cinturão e nada mais, bom, tá aí..
    Quem já tinha visto os 2 lutarem sabia desde anunciada q essa luta prometia, reforço que nem só de grandes nomes vive esse esporte, se me permitem repetir isso.

    Desapontado com o Thominhas e Pantoja, mas o jogo segue. Espero que tenha sido a última luta do Bodão no UFC, Martins era menos chato e mt mais lutador e ainda sim foi cortado (injustamente). Tibau sei lá, acho que merece uma última chance, sempre foi lutador trabalhador, acho que são 28 lutas pelo Ultimate.

  • Dana White

    Nunca fui amigo do Ngannou mesmo

  • Xizou

    É o Francis se Ngannou

    • Saulo Henrique

      Hahahaahaha

  • Fábio

    Ngannou precisará fazer um trabalho para reduzir esse excesso de massa muscular.
    O refinamento do seu estilo de luta virá com o tempo, porém, se não baixar esse tanto de peso, será tudo em vão.
    Ter o soco mais forte do mundo é bonitinho para a imprensa e demonstrações pré lutas…
    Mas….Quando se chega ao topo da divisão, pode atrapalhar mais do que ajudar.

  • Matheus B

    Foi só eu que vi ou me pareceu que o Ngannou não conseguia nem levantar os braços? Caraca, eu nem imagino o quanto aquele cara ficou cansado… Vai hibernar 3 dias

  • Rum

    Foi muito bom o primeiro round de miocic vs nagannou. Deveriam fazer werdum vs volkon e desta luta sair o proximo adversario de miocic, acho que vai acontecer a mesma coisa do ano passado, o miocic vai ficar sem lutar um tempão esperando um adversario. Bem pelo menos não vi nenhuma articulação do ufc em relação ao proximo adversario de miocic

    • William Oliveira

      Werdum estava na arena como lutador convidado, pode ter sido ideia do UFC pra ele falar com a mídia e fazer o caso dele como próximo desafiante, sei lá.

  • Victor Martins

    Acho que o Caín volta disputando o título já. Querendo ou não, o Werdum foi nocauteado pelo Miocic no 1R, acho que o resultado se repetiria.
    Werdum deveria enfrentar o Curtis Blaydes caso o negão vença o Hunt

  • Ricardo

    O único que eu colocaria como favorito para tirar esse cinturão do Miocic é o Cormier.

    Duvido muito o Velasquez voltar em grande forma a ponto de vencer.

    • Diogo Barbosa

      DC é luta difícil , mas n é favorito não.
      Se pegar Mioccic vai ter um cara com Wrestling razoável, metódico e com um boxe melhor.
      Velasques é uma incógnita, pqp.

      • Audrey Bonney

        Velasques não volta nunca e se voltar acho que enfrentaria alguém só uma luta que dará bastante dinheiro o cara não consegue ficar em pé sem morfina

  • Fernando Cruz

    Deu a lógica nas lutas que valiam cinturão.

    1º) Francis Ngannou é uma força da natureza, naturalmente muito forte. Entretanto, existe uma razão histórica de os peso pesados de elite raramente atingirem o teto da divisão (120 Kg) : massa (seja magra ou gorda) é inversamente proporcional ao “gás” ou condicionamento físico. Ou como já postulou Isaac Newton, apesar da força gerada (resultante) ser diretamente proporcional a massa e a aceleração, massa e aceleração são INVERSAMENTE proporcionais. E a cada forte golpe no vazio ou não, o Camaronês demostrava mais lentidão e cansaço. A segundo, a janela de oportunidade para um nocaute diminuía. Proporções falando, foi como o desfecho de Brock Lesnar versus Cain Velasquez.

    2º) Ao terminar o Co-Main Event da noite, fiquei pensando o quanto seria grande o nome de Daniel Cormier se não existisse Jon Jones. Junte um bem adaptado wrestler de nível olímpico com um excelente kickboxing, adicione um queixo de titânio (que só foi reprovado por uma canelada aditivada com turinabol), um super QI de luta e condicionamento físico digno de um maratonista.
    Fica claro que, em condições normais de temperatura e pressão, o “toque da morte” do suíço Volkan Oezdemir seria pouco para destronar o melhor meio-pesado da história (dopados são excluídos da minha lista).

    3º) Quanto ao Thominhas, olhemos para o cartel dele no Wikipédia antes do 17-0, quando este ainda estava para entrar no UFC, e depois do 17-0, quando este adentrou o UFC. Tenha o hype e as atuações do nosso “Fenômeno Capixaba” como parâmetro de comparação. Tirem suas conclusões. Eu já tirei a minha:

    Thomas Almeida: selo Erick Silva de qualidade.

    https://uploads.disquscdn.com/images/a77c839081c9e6c6af40810ce6fa00ba2e309881bb674f45696fbdf8649e37e3.jpg

    • Audrey Bonney

      melhor foi a entrevista pós luta quando o Miocic disse que já esperava o que o enganou iria fazer e o enganou disse que realmente subestimou o campeão. Como dizia o GSP mma não se trata de quem tem os maiores culhões e sim quem tem a melhor estratégia

  • Bernardo Oliveira

    Pior que a luta do Bodão foi a que me despertou kkkkk

    • pablomaz

      Como?!!!rs

    • MWFoschera

      Comigo também, passei tanta raiva assistindo aquela luta em câmera lenta que até perdi o sono.

  • Victor Martins

    O UFC deveria contratar o Vitaly Minakov e o Ivanov, não sei se ganhariam de alguém do Top 5, mas com certeza iriam movimentar a divisão
    Melhor do que manter Tim Johnson e Walt Harris
    Alguém sabe do Ruslan Magomedov ? Ele foi suspenso por doping em 2016 mas nada oficial saiu sobre o tempo de suspensão

    • William Oliveira

      Ele volta em setembro no UFC em Moscou. Minakov domina o Hunt, fácil.

  • Duns Scot

    NGannou não tem o que arrumar em seu jogo; com aquela quantidade de massa muscular não há “QI de luta” que vá resolver o problema de gás. Ele aguenta dar uns 20 golpes fatais durante uma luta e acabou. O máximo que poderá fazer, será segurar 5 desses 20 para o 2º round. Nada muito além disso.

    • William Oliveira

      Seu jogo basicamente foi atacar o tempo todo atrás de um golpe singular que terminasse a luta, agressividade quase que sem técnica, como que não tem oq ajustar kk

    • Shotokan Karate

      Maguila mostrou não aguentar combates longos além de dificuldade pra conter lutas amarradas. Miocic deu uma aula sobre como enfrentar alguém como o Francis e de quebra mostrou ao próprio onde deve se corrigir.

  • João Lucas

    Pois errei nas duas apostas hahahaha mas foda-se. Francis cansou rápido pareceu exausto logo no segundo round, vai precisar evoluir bastante mas demonstrou que tem muito talento, não é qualquer um que faz 5 rounds com o campeão. O Bombeiro novamente mostrando porque é campeão, fez uma luta estratégica, e não uma luta linda, fez boa trocação deu pra ver que Francis é bem resistente quando apanha também, tanto que quando revidava no bombeiro, Stipe esperto como é já recuava tomou umas bombas perigosas mas o QI de luta desse cara é impressionante. Infelizmente por conta do peso, uns 3 momentos acho que do terceiro e quarto round os caras ficaram ali descansando no canto da grade e nada acontecia, o Bombeiro chegou até a deitar a cabeça nas costas do Camaronês pra descansar kkk. Pra mim o Herb vacilou poderia ter falado para os caras levantarem e voltar a ação, porque é frustrante ficar esperando isso, fico imaginando quem estava lá. Por fim a luta teve um resultado diferente do que imaginei, achei que seria nocaute para um dos lados, mas os dois são muito resistentes com queixo duro. Por fim impossível não reconhecer o campeão mas é muito bom ter colocado o chão de Francis a prova, mostrar suas falhas logo agora, chão e gás que pode melhorar apesar do seu tamanho. Esse cara vai longe, agora tem oportunidade de baixar a cabeça, esquecer o hype e treinar todas as suas falhas. Quando ao bombeiro, difícil ver esse sujeito perdendo a cinta por hora. Não penso em ninguém que pode para-lo no momento.

  • Vinicius Maia

    Que homão da porra. Além de ter aguentado as patadas venceu todos os rounds inclusive no round que o Ngannou tinha mais vantagem. Me surpreendeu a resistência do Ngannou. Achei que ele ia deitar. No mais Miocic vai defender a cinta mais duas vezes (vou torcer muito pra isso) e marcar seu nome na história dos pesos pesados. Recorde que vai demorar muito tempo pra alguém bater.

  • Gabriel Quintanilha

    po dessa vez não achei pessima a luta do Vilant…achei ate q iam comentar dela ai por ate ter sido rasoavel…

    • Vinicius Maia

      kkkkk eu nem vi veio. Fui no banheiro, preparei uma porção, peguei cerveja kkkk. E tirando as lutas do co e main event o Bellator foi até mais divertido que esse evento do UFC.

  • Shotokan Karate

    Minha análise informal:

    1 ) Maguila vs Miocic : Em minha humildade opinião uma das PIORES lutas valendo titulo desde que passei acompanhar o UFC. O que teve de melhor foi a entrevista pós luta do Miocic que humildemente reconheceu meio que se “desculpando” que o jogo que ele teria que fazer pra manter seu título foi o que fez. Um jogo totalmente feio baseado na amarração da luta na maior parte do tempo e com esporádicos golpes tentando achar erros na guarda do Francis. Pra quem gosta de adrenalina em lutas foi sofrivel de assistir. Cheguei a cochilar em momentos da luta. Méritos pro Miocic que conseguiu seu objetivo que era a manutenção do titulo e a quebra do tabu da defesa do titulo por 3 lutas. Quanto ao Maguila terá que se re-inventar pq Miocic acordou os gansos quanto ao jogo a ser jogado quanto o enfrenta.

    2 ) DC vs Volkan : Para mim foi o que salvou o evento. Volkan tem o estilo “psycho killer” e incomodou mto o gordinho bom de briga Daniel Cormier no 1 Round. Na volta pro 2 o gordinho mostrou um de seus méritos que foi analisar bem o rival e voltou com o antidoto pronto e resolveu a treta com o que tem de melhor. O que acho lamentável somente é ele ficar lembrando do aspirador de pó. Que se vire a chave. Jon Jones trapaceou lutando com o rabo cheio de bomba e tomou a punição merecida bem como o resultado da luta anulado. Na primeira luta entre eles não achei que DC foi tão inferior assim, o nóia do Jones ganhou mais usando a regra não escrita de equilibrar a luta (para isso até correndo do pau). Gordinho bom de briga Daniel Cormier é o melhor LHW do UFC pelo menos dos ultimos 10 anos, queiram os fanboys do aspirador de po aceitarem ou não.

    3 ) As demais lutas foram um festival de horrores a exceção de Shane Burgos vs Calvin Kattar (e mesmo assim graças ao belo KO no começou do 3 Round)

  • Vital Signs

    Se o Cain não voltar esse ano, se eu fosse o Cormier, tentava uma disputa de cinturão contra o Miocic. Tem grandes chances de vencer. Imagina se aposentar como campeão de duas divisões simultaneamente!

  • Tiago Nicolau de Melo

    Não que qualquer um consiga copiar, mas não teria o Stipe desvendado o jogo do Francis?
    Algo semelhante ao jogo do RDA contra o Showtime (is over, fera).

    Não creio que ele dispute novamente o cinturão tão cedo, acho que só lá por 2020.

    • Shotokan Karate

      Ou de repente o Francis aprenda rápido…É meio cedo pra fazer esse tipo de sentença…

      • Tiago Nicolau de Melo

        Sim, como acho cedo pra falar que Francis deve lutar pela Cinta após mais duas lutas.

Tags: , ,