Pensando Alto: A análise
Informal do UFC Fresno

Lucas Rezende | 10/12/2017 às 04:03

Quem trocou o fim de semana dos arredores gélidos da cidade de Fresno, emblemáticos da principal atração local: a alta temporada do esqui, optou por outro grandioso evento esportivo na cidade: o UFC Fight Night 123.

Seja no conforto de uma cabana de madeira, bebericando uma fumegante caneca de chocolate quente, à companhia morna da lareira, ou berrando e derramando cerveja na nuca do pagante à sua frente, na arquibancada, reclamando da morosidade de Darrel Horcher e Scott Holtzman, o evento proporcionou altos e baixos que não evitam em se comparar com os alpes das montanhas que circundam a cidade.

Do esquecível Iuri Marajó, até o elástico Brian Ortega, passando pelo tardio florescer de Marlon Moraes , tivemos um tanto de cada para debulhar na última parada do UFC, não? Mergulhemos.

Brian Ortega x Cub Swanson

Muito me embasbaca a habilidade de Cub Swanson em sempre terminar finalizado. Absolutamente todos seus revezes no UFC terminaram com o tatuado californiano batucando, de garganta espremida. Apesar do boxe justo e exato, Swanson não teve pujança para impedir Brian Ortega de alcançar seu pescoço frágil. Sobrevivente de um triângulo de mão sufocante ao fim do primeiro assalto, graças ao gongo redentor, Swanson respirou fundo antes de voltar para o segundo. Brian Ortega, que costuma crescer conforme o combate se estende, quebrou sua própria e queimou a largada, partindo para uma arriscada guilhotina em pé e obtendo resultado ainda no segundo round, ao invés do terceiro. É necessário destacar a invencibilidade de Ortega, que se diferencia pelas inúmeras vezes em que fora ameaçada, mas graças ao talento do surfista em escavar ângulos para seus estrangulamentos – mesmo em duelos perdidos – permanece. É uma espécie diferente, quando comparada às invencibilidades de outros que simplesmente jamais foram testados. Uma qualidade valiosa, diga-se de passagem.

Gabriel Benitez x Jason Knight

Quando Jason Knight avisou que se inspirara em Mike Tyson para este combate, não entendemos que ele se referia à infame luta contra Evander Holyfield, quando o pugilista abocanhou a orelha de seu nêmesis. Em homenagem menor, Jason Knight mordiscou o dedo de Gabriel Benitez, recebendo uma penalidade justa pelo movimento estapafúrdio. Aliás, “estapafúrdio” também descreve o desempenho do ianque. Ranqueado no décimo quinto lugar dos penas, esperava-se um combate sereno e de recuperação contra Benitez, mas além do incidente bucal, seu boxe estava desalinhado e o tanque de gás se esvaiu pelo meio do caminho. O mexicano aproveitou e encaixou jab após direto e jab após direto até o gongo de misericórdia. Decisão unânime para Gabriel Benitez, a maior surpresa da noite. E que queda de Jason Knight. Dentada ou não, ser derrotado por Benitez limita bem mais o currículo do que o último revés, para Ricardo Lamas.

Marlon Moraes x Aljamain Sterling

Se pausarmos o vídeo na hora certa, podemos até alfinetar o instante em que os neurônios de Aljamain Sterling abandonam seu cérebro. Com uma joelhada que tinha intenções de chute, Marlon Moraes não apenas nocauteou o até então resistente Funk Master, mas também aproveitou a tentativa de homicídio para enfim se consolidar como um dos principais nomes da categoria. E só foram precisos 67 segundos. O mais próximo que chegaremos de um Saitama brasileiro – tanto em aparência quanto na potência de um golpe singular – Marlon Moraes debutou em tarefa indigesta quando perdeu uma acirrada decisão dividida para Raphael Assunção. No entanto, no espaço de 28 dias, o careca superou John Dodson e se consagrou ao sepultar Aljamain Sterling, que, enquanto redijo esta resenha, ainda jaze rígido e inerte sobre a maca que deixa a arena. Depois de uma exibição impecável e digna dos idos de World Series of Fighting, a pista é livre para Magic Marlon decolar até o cume do peso-galo em 2018.

Menções Honrosas

  • Antônio Braga Neto ostentou toda a ferrugem de um hiato de três anos e acabou demolido pela promessa Trevin Gilles, no terceiro assalto. Invicto, o americano evitou as tentativas vagarosas de finalização e foi aumentando o volume dos golpes a cada impacto, até tombar o manauara. Mais outra performance memorável para não o esquecermos, no futuro.
  • Quem acredita sempre alcança. Alex Perez ensaiou as finalizações à exaustão no primeiro assalto, ao passo que o distraído Carls John De Tomas não se alarmou. No segundo assalto, o ajuste chegou letal com um triângulo de mão e Perez debutou no octógono com classe. Seja bem-vindo!
  • Num toma-lá-dá-cá elétrico, o bicolor Benito Lopez, em sua impressão mais fidedigna do Youtuber Felipe Neto, fez o possível para despachar o também capilarmente desafortunado Albert Morales, que provou sua já estabelecida resiliência mais uma vez. De dano cerebral estendido para 15 minutos, na contenda mais espevitada da noite, o Alpha Male, Benito Lopez, deixou sua marca. Seja no penteado dicotômico, nas manchas deixadas do nariz ensanguentado ou na inconsequência que conquista fãs.
  • Renato Rebelo
    • Vinicius Maia

      Acerta essa imagem Renatão. Na luta contra o Aljo o método foi tentativa de assassinato kkk

    • Hildelano Delanusse Theodoro

      Olá, Renato Rebelo. Que tal fazer uma resenha sobre o ótimo documentário Notorious, sobre o Conor Mcgregor? Um abraço e sucesso.

  • William Oliveira

    Resenha mt bem escrita Rezende, parabéns.

    Só faltou uma menção honrosa pro Markus “Maluko” que honrou o apelido, lutando igual um doido dando as costas e o queixo de presente pro Eryk Anders, que fez bonito no microfone e desafiou o Dragão, boa luta pra Belém na minha opinião.

    Benitez teve uma performance mt absurda, fez o Knight parecer um amador. Não só isso, pareceu que ele nem queria terminar a luta, queria ficar batendo mesmo, fazer o cara pagar pelo eye poke e mordida.

    Brian Ortega homão da porra, MVP da noite. Espero que o Swanson continue no UFC entretanto, sempre entrega boas lutas.

  • William Oliveira
    • Fábio

      Hahaha

  • Bruno Machado

    bons palpites especialistas. como sempre

  • Rudá Corrêa Viana

    Swanson se fudeu. Negou fogo pro Aldo, que daria mto mais jogo, e tai o resultado. Ortega precisa de só mais uma luta dura e já pega o TS depois do Frankie Edgar vs Holloway (se rolar).

    • Marllon

      Cara pensando aqui,acho que o Ortega tem muito mais “direito” a um TS do que o Edgar,que pese a recuperação também, gostaria muito de ver Ortega x Holloway e o Edgar podia pegar um tittle eliminator contra o Korean zombie ou Lamas(depois que ele destrurir o Emmet)

      • José Valter Alves Junior

        eu até concordo com vc mas a grande questão é: quem é mais comercialmente atrativo pro publico? e nisso que o UFC ta focando dinheiro, mas concordo com vc a divisão dos penas deu uma murchada

      • magnuseverest

        Se o Edgar não tiver se recuperado ainda nem precisa lutar,só esperar Ortega vs Max.

      • Rudá Corrêa Viana

        Creio q não. Ortega vem embalado mas Edgar eh Edgar. E a divisão dos penas ta mto devagar pra queimar o zumbi ou o Edgar num possível TS eliminator. Qto ao lamas, poderia casar ele contra o Ortega. Grapler vs grapler valendo TS tbm. Não discordo q tua opinião eh viável, mas creio que o Edgar ta na frente. E por falar em zumbi, o que diabos ele está fazendo q está sumido? Ta machucado? Ta com luta marcada?

  • Leo França

    Cub “Pipoca” Swanson

  • Carlos Henrique Klein

    Alguém sabe responder porque não rola mais o antes durante e depois dos eventos aqui no Fórum?

    • IMPERADOR

      Ótima pergunta.
      Ha dois eventos que procuro e nada.

    • mario

      provavelmente pq o topico de eventos tava tirando audiencia de algum site parceiro rs

    • franquiaoi

      Acho que estava arrebentando com o tráfego do site.
      Podem estar bolando algo diferente que não precise ficar dando F5, não sei…

    • Felipe Pontes

      Também fiquei em busca!

  • Idonaldo Gomes Assis Filho

    Ortega é pra valer mesmo, tá invicto lutando com concorrência digna, perigoso termos mais um campeão invicto por aí, mas ainda acho que vão remarcar com o Edgar então o negócio é esperar ou enfrentar um Lamas, mas o cara é um mago das finalizações, qualquer lugar, qualquer jeito, precisa nem de wrestling.

  • Weslei Alvarenga
  • José Valter Alves Junior

    O Swanson num pode chegar perto de um title-shot que ja ele descambela. Ele faz uma campanha boa, ganha com propriedade de alguns caras e quando ta na “marca do gol” vem aquela derrota “bola na trave” e lá vai ele pavimentar caminho tooodo de novo, eu admiro o cara, é batalhador mas… só chega perto mas nunca vai pra disputa de titulo, enfim, méritos do Ortega que acredito que mais uma luta ele ja vai pra disputa de cinturão.

    • Expert

      um novo Urijah Faber

    • Wellington Fonseca

      O Bisping era do mesmo jeito e foi agraciado com um TS no apagar das luzes de sua carreira. Vai que o Swanson tem a mesma sorte.

  • Louis

    Ortega é da mesma classe rara daqueles lutadores que sempre dão um jeito de vencer, mesmo com todas as adversidades. Incrível a resiliência desse cidadão.

    Holloway, na teoria, seria muito favorito num eventual confronto. O volume absurdo do campeão seria um pesadelo pro Brian, que estava levando atraso do volume do Swanson.

    Mas como eu disse, o Ortega sabe sofrer como poucos, então não seria uma situação nova para ele. Não dá pra subestimar.

  • magnuseverest

    Max e Ortega tem apelo sim,são jovens e aparecem em bom momento.
    Edgar pode esperar e se recuperar da sua lesão (ou cirurgia) e pegar o vencedor.

  • Henrique

    Swanson porteiro para as promessas, perdeu para Holloway e Ortega, e venceu o Choi.

    • Rudá Corrêa Viana

      E o choi qse vira a luta em determinado momento. Pena q não usa a luta agarrada, senao poderia finalizar tbm o swanson.

    • Leo França

      Venceu o Hacran Dias também kkkk

  • douglas karpinski

    Alguem sabe se o Aljamain Sterling ja saiu do coma?

Tags: , , ,