UFC 218: os palpites dos
colunistas do Sexto Round

admin | 01/12/2017 às 17:16

o UFC 218 aterrissa, neste sábado, na Little Caesars Arena, Detroit, com uma grande revanche pelo cinturão peso-pena, envolvendo Max Holloway e José Aldo.

Pela primeira vez no córner azul, o brasileiro tenta recuperar o título que defendeu por várias vezes durante cinco anos.

Já para o campeão, vencer a revanche contra Aldo não só representa a primeira defesa de título como o início de uma nova era na divisão até 66kg.

O co-main event marca o encontro dos gigantes Alistair Overeem e Francis Ngannou, que fazem um verdadeiro title eliminator.

No card principal, ainda há os interessantes duelos Eddie Alvarez x Justin Gaethje, Henry Cejudo x Sergio Pettis e Tecia Torres x Michelle Waterson.

Além de Aldo, outros dois brasileiros marcam presença na cidade de Eminem. Na divisão dos leves, Charles do Bronx vai para cima de Paul Felder. Já entre os meio-médios, Alex Cowboy mede forças com Yancy Medeiros.

Mais uma excelente oportunidade para os (nem sempre tão precisos) palpites dos colunistas do Sexto Round e de Gustavo Menor, o campeão do Confere em 2016.

Vamos a eles!

David Carvalho: Depois do caso “13 segundos”, a forma do Aldo aceitar a derrota e todo o imbróglio com McGregor, muitos criaram uma pré-indisposição com Aldo. Parece que esqueceram do lutador que ele é e quão bacana é essa luta. Estou com aquele sentimento de “tá estranho”, mas não para o lado do brasileiro. Tenho um feeling de que Aldo parece motivado e que Holloway vai encontrar aquele “animal diferente” nesta luta. Aldo sempre mostrou evolução a cada luta e essa não será diferente. Acredito que vai azedar pro Max, com melhora na movimentação, muita angulação e José Aldo via TKO.

Felipe Paranhos: Holloway, TKO

Gustavo Menor: Por mais que já tenham se enfrentado, ambos estavam treinando para enfrentar outros adversários. Holloway, por sua vez, tinha um adversário com habilidades mais próximas das de Aldo (Velocidade e habilidade em pé, um bom chão, defesa de quedas boa…) do que Lamas de Holloway, que possuem habilidades totalmente distintas. Pesa a favor do Havaiano, também, a motivação. Aldo já parece estar com a cabeça em outro lugar e, pelas suas últimas entrevistas, deixa claro que quer lutar mesmo para acabar as lutas do seu contrato. O futuro chegou. Holloway, TKO.

João Vitor Xavier: Apesar de estar torcendo para José Aldo, creio que Max Holloway mantém o cinturão. Tem vantagem emocional sobre o brasileiro e física também, já que o ex-campeão vinha treinando para uma luta de 3 rounds. Holloway, decisão.

Laerte Viana: José Aldo, decisão.

Leo Salles: Como disse na minha última coluna, Aldo está fora de sua zona de conforto pela primeira vez no UFC. E acho que essa ”pressão” vai deixá-lo mais alerta contra o excelente Holloway. Aldo, decisão.

Lucas Carrano: José Aldo, decisão.

Lucas Rezende: Aldo mais motivado e pronto para chutar não me parece a estratégia certa para obter um desfecho diferente do seu primeiro encontro com Max Holloway. Pode ser que não acabe nocauteado, desta vez, mas acreditaria mais no brasileiro se este apostasse em seu jiu-jitsu. Como não parece ser o caso, vou de Holloway por decisão.

Luiz Fernando Ferreira: Se no primeiro combate apostei em Max Holloway, agora não seria diferente. Vou no atleta que está demonstrando mais “sangue nos olhos” quando o assunto é cinturão. Holloway, TKO.

Renato Rebelo: Holloway, TKO. 

Rodrigo Tannuri: Muitos parabenizaram Aldo por ter assumido o risco de encarar Holloway sem ter uma preparação adequada, mas, sinceramente, acho que a decisão do brasileiro foi precipitada. Se lutando no Brasil e com camp completo o ex-campeão dos penas foi nocauteado, creio que, no atual cenário, o resultado não seja diferente. Holloway é um campeão que evoluiu muito de luta pra luta e, além de jovem, é faminto, coisa que Aldo não é mais. Holloway, TKO.

Thiago Sampaio: Aldo pode até dizer que nunca se sentiu tão motivado na vida, mas não é o que parecia. O brasileiro vai vir mais cauteloso, porém, Holloway deve acelerar o ritmo a partir do terceiro round e conseguir o desfecho semelhante ao da primeira luta lá pelo quarto ou quinto. Holloway, TKO.

David Carvalho: Ngannou é mais jovem, muito mais rápido e tem envergadura que mais parece jogador de vôlei pegando uma bola distante. Overeem tem qualidade técnica suficiente, mas não acredito que aguente a pressão. Ngannou nocauteia.

Felipe Paranhos: Ngannou, KO

Gustavo Menor: Overeem 2.0, pós Jackson Wink, é um outro lutador. Mais prudente e estrategista. Ngannou é uma das esperanças para a terra arrasada dos pesados. Por mais que The Reem seja mais lutador no papel, o ímpeto de Ngannou é uma ferramenta que nem um Overeem 3.0 aguenta, como já sabemos. Ngannou, TKO.

João Vitor Xavier:  Não acredito que Overeem conseguirá esconder o queixo com tanta destreza do ímpeto de Ngannou. Camaronês vence por nocaute.

Laerte Viana: Trocar mão com Ngannou não é recomendável pelo ministério da saúde, portanto não tenham dúvidas que Overeem irá virar grappler. Pode ter sucesso? Pode, mas não confio no queixão do holandês. Ngannou nocauteia.

Leo Salles: General-mor de um certo exército, Ngannou virou goy, segundo Rodrigo Tannuri. Acabou o hype? Teste de fogo contra o grande Overeem, cujo vencedor levará o TS. Não confio no queixo mórbido do holandês e, por isso, vou de Ngannou por nocaute.

Lucas Carrano: Overeem é um atleta bem mais comedido a essa fase da carreira, o que combinado a sua técnica poderia resultar na fórmula do fracasso pra Ngannou. Porém, darei meu voto de confiança ao protegido de TanTan e vou de Francis Ngannou por TKO.

Lucas Rezende: É chegado o grande teste para o pupilo de Rodrigo Tannuri. Por sorte, o queixo de vidro de Alistair Overeem lhe apresenta uma grande vantagem. Acho difícil o africano não trincá-lo em 15 minutos de dança. Ngannou por KO.

Luiz Fernando Ferreira: Algo me diz que Overeem vai surpreender o favorito camaronês. Porém, não confio mais no queixo do holandês. Ngannou, KO.

Renato Rebelo: Overeem é mais experiente, estratégico, completo, melhor grappler, etc. Ngannou também só tem quatro anos de MMA e este é o primeiro adversário de elite que ele enfrenta, mas, simplesmente, não acredito que o queixo do holandês resista a duas ou três bordoadas do maior pegador da categoria. Talvez, do mundo. Em futuro x passado, aposto na troca de guarda. Ngannou, KO.

Rodrigo Tannuri: Essa luta me faz sofrer. Sou fã de Ngannou, mas confesso que seu lado fofo tem me preocupado, pois não parece ser mais aquele monstro de outrora. Overeem é subestimado por muitos fãs, mas é bom lutador e tem total capacidade de surpreender o favorito. Só que, por mais que esconda o queixo, uma hora ou outra o holandês vai bobear e, mesmo que esteja perdendo, bastará apenas uma mão pra Francis nocautear mais um. Ngannou, KO.

Thiago Sampaio: Ngannou é um futuro campeão da categoria dos pesados. E tem tudo para passar por Overeem, já que tem mãos de chumbo e o The Reem conta com um queixo nada confiável. Mas acredito que a experiência do holandês vai falar mais alto. Vai proteger o ponto fraco, jogar na longa distância e em alguns momentos partir pro grappling para evitar a bordoada. Overeem, decisão.

David Carvalho: Em dia mais seguro, ficaria com a experiência na luta agarrada de Cejudo. Mas algo me diz que o Pettizinho quer – e vai – carimbar o passaporte da alegria rumo ao title shot. Prevejo muita movimentação do jovem e uma vitória maciça nos três rounds. Sergio Pettis vence por pontos.

Felipe Paranhos: Cejudo, decisão

Gustavo Menor: Mesmo no deserto que é o Peso-mosca, Pettizinho deu azar. Na penúltima rodada antes do title shot, vai enfrentar o cara que pra mim é o único da divisão com potencial de destronar DJ. Cejudo evolui em pé a cada luta, é ouro olímpico no Wrestling e, no chão, pode anular a guarda Pettizinho tranquilamente. Troca, knockdown e ground and pound. Cejudo, TKO.

João Vitor Xavier: Contra Wilson Reis, Cejudo mostrou evolução monstruosa com as mãos e terá confiança para vencer Pettis em todos os departamentos. Cejudo, decisão.

Laerte Viana:  O grappling de Cejudo dispensa apresentações, mas o que assunta é a evolução em pé que o medalhista olímpico vem mostrando. Pettis ainda não está pronto para bater de frente com o principal nome pra assumir o posto de número 1 quando DJ desacelerar ou subir de categoria. Cejudo, decisão.

Leo Salles: Tem como esta luta ser chata? Cejudo e mini Pettis  devem fazer uma luta bem movimentada. O campeão olímpico vem tendo uma evolução aguda na trocação, o que lhe pode dar mais segurança para abusar do seu wrestling . Cejudo, decisão.

Lucas Carrano: Pettizinho tá vindo numa crescente, mas não será suficiente pra bater o atual número dois da divisão. Henry Cejudo leva na decisão.

Lucas Rezende: Não sei se o jovem Pettis está pronto para o segundo melhor lutador da categoria. Sua atual corrente de vitórias não significa que passará por alguém como o olímpico. Vou de Cejudo por decisão.

Luiz Fernando Ferreira: Cejudo é muito mais lutador e não dará brechas para o mini Pettis. “O Mensageiro” , decisão.

Renato Rebelo: É curioso notar que Pettiszinho é seis anos mais novo, mas tem cinco lutas de MMA a mais que o Mensageiro. Acontece que o lastro de treino e competição entre eles é incomparável. Cejudo conquistou a medalha de ouro olímpica no wrestling estilo livre aos 21 anos de idade e deve ditar o passo em pé e no chão. Sergio é bom, mas ainda está um passo atrás. Cejudo, decisão.

Rodrigo Tannuri: Cejudo e Pettis têm se destacado nos moscas, mas, hoje, o wrestler olímpico está mais pronto. Acho até que vence de forma tranquila, mesclando jogo físico com wrestling. Cejudo, decisão.

Thiago Sampaio: Cejudo é talvez o atleta em melhores condições de ser um campeão dominante da categoria dos moscas se não existisse um tal de Mighty Mouse. Bate mais forte e essa contundência vai ser crucial para o resultado. Cejudo, decisão.

David Carvalho: Mais um combate para assistir na ponta do sofá. Alvarez tem que vir com a estratégia de vitoria inteligente e não querer provar algo, pois Gaethje costuma levar a melhor na trocacão aberta. Como acredito em uma luta para provação de quem é o macho alfa, fico com Ghaetje, KO.

Felipe Paranhos: Gaethje, KO

Gustavo Menor: Gaethje vem de uma atuação brilhante, ao contrário do momento de Alvarez. Acredito que, nessa sanguinolência, vão cair pra dentro e a confiança no atual momento de Gaethje vai prevalecer. Gaethje TKO.

João Vitor Xavier: Apesar de ter tido péssimas performances nas duas últimas lutas, pensei seriamente em apostar em Alvarez. Porém, a anarquia imposta por Gaethje em sua primeira luta no Ultimate e a resistência maior do ex-campeão do WSOF me fizeram mudar de ideia. Gaethje, nocaute.

Laerte Viana: Eu até apostaria em Alvarez por sua melhor qualidade na luta agarrada e as inúmeros brechas defensivas que Gaethje oferece quando ataca, mas eu sempre levo muito em conta o atual momento dos lutadores. E o de Eddie é bem ruim, o que pode o travar psicologicamente, de novo. Vou em Gaethje, que nocauteia mais um. The Highlight, KO.

Leo Salles: Combate que tem tudo para um dos dois saírem com concussão.  Ambos já fizeram guerras memoráveis no MMA, mas aposto no que aguenta (por enquanto) mais pancadas. Gaethje, TKO.

Lucas Carrano: Violência define e, como um zumbi americano, Justin Gaethje sairá vencedor. Gaethje leva por TKO.

Lucas Rezende: O inconsequente Gaethje jamais cede espaço e Eddie Alvarez não passa um combate sem levar uma bambeada. Candidata à luta da noite, vou de Justin por TKO.

Luiz Fernando Ferreira: O jeito quase que “porra louca” de Justin lutar é fascinante, porém, bem suicida. Acho que será o duelo perfeito para Alvarez se recuperar, ainda acredito no ex-campeão dos leves. Eddie Alvarez por KO.

Renato Rebelo: Junta-se o fato de que Alvarez já ser considerado “chinny” (queixinho frágil, no bom e velho português) com o nível de intensidade, força e agressividade do invicto Gaethje e temos um corpo estendido no chão. Detalhe: Alvarez não tem pra onde correr, uma vez que Gaethje é um wrestler condecorado (acredite se quiser!). The Highlight, 19-0 no MMA, por nocaute.

Rodrigo Tannuri: Sinceramente, não consigo aceitar essa luta. Como Alvarez conseguiu liderar o TUF e ter um adversário dessa importância, se estava perdendo pra Poirier? Como sabemos, o UFC gosta de escolher erroneamente e o resultado será a prova disso. O ex-campeão dos leves não conseguirá lidar com a insanidade e volume do ex-campeão do WSOF. Gaethje, KO.

Thiago Sampaio: Se não for estúpido maia uma vez, Alvarez tem totais condições de amarrar Gaethje. Mas o ex-campeão do WSOF é tão insano que mesmo sofrendo pressão, vai resistir e aproveitar do momento de trocação para fazer a festa. Gaethje, nocaute.

David Carvalho: A bonitinha do karate é mais técnica e plástica, mas vejo Torres com mais vontade neste momento da carreira. Torres, decisão.

Felipe Paranhos: Torres, decisão

Gustavo Menor: Tô bem em dúvida em relação a esse palpite, mas no cenário que imagino, a luta será morna e Waterson deve pontuar no clinch, tirando a vantagem necessária para vencer a luta. Waterson, decisão.

João Vitor Xavier: Apesar de Waterson ter uma trocação melhor, ela não tem tido sucesso com atletas que a pressionam. Acredito que Torres consegue mantê-la andando para trás por 3 rounds. Torres, decisão.

Laerte Viana: Não acredito que Waterson levará vantagem em pé contra Tecia, faixa preta de taekwondo e caratê. Ou seja, acredito que o eficiente jogo de quedas irá favorecer Torres, que vencerá por pontos. Tecia, decisão.

Leo Salles: A carateca gostosa precisa de qualquer forma da vitória para se manter relevante nos palhas. O problema é que enfrenta uma Torres com duas vitórias seguidas e próxima da fila do TS. Detalhe: ambas perderam para a atual campeã, Rose Namajunas, únicas derrotas que sofreram na organização. Torres, decisão.

Lucas Carrano: Mais completa e pronta pra voltar às cabeças da divisão, Tecia Torres deve passar pela Karate Hot sem maiores dificuldades. Torres vence na decisão.

Lucas Rezende: Ambas superadas por Rose Namajunas, apostarei na lutadora com mais experiência de octógono. Tecia é estratégica e não se incomoda de lutar para vencer; Torres por decisão.

Luiz Fernando Ferreira: Por mais que Torres seja bem completinha, acredito que Waterson virá mais ligada dessa vez e fará luta inteligente. The Karate Hottie, decisão.

Renato Rebelo: Vejo Tecia, mais competitiva e física, equilibrando bem a bagaça em pé com a Gatinha do Karatê e amarrando no chão quando necessário. Pequeno Tornado, decisão.

Rodrigo Tannuri:  A tendência é de que a luta entre as meninas seja boa, mas esperava mais de ambas. Vou dar leve vantagem pra Torres, pois consigo ver o jogo físico e pragmático da mesma causando dificuldade pra Waterson, mais técnica, porém bem menor fisicamente. Torres, decisão.

Thiago Sampaio: Nesse interesse duelo de caratecas, poderia jogar uma moeda para cima e apostar em qualquer uma. Mas vou na que tem o estilo mais ofensivo e, no solo, tem uma leve vantagem. Waterson, decisão.

David Carvalho: Acredito que o jogo não casa bem para o brasileiro. O menino Charlinho precisa usar da sua maior arma, o jiu-jítsu, pois o americano em pé é superior. Felder vence nos pontos.

Felipe Paranhos: Do Bronx, finalização

Gustavo Menor: Luta divertida, de um cara agressivo em pé contra um com sistema defensivo vazadaço em pé, mas muito criativo no chão. Charlinho só não pode ficar querendo trocar demais. Felder nunca foi finalizado, mas acho que Charlinho tem boas chances de mudar essa parada. Do Bronx, finalização.

João Vitor Xavier: Ainda que Charles possa surpreender com uma rápida finalização, vejo Felder maior e melhor preparado em pé para segurar o jogo do brasileiro. Felder, nocaute técnico.

Laerte Viana: Clássico confronto de estilos. Os caminhos para cada um são tão claros que qualquer coisa escrita aqui soará como óbvio. Apesar do pouco tempo de preparação, o jiu-jítsu de Charles vai se sobressair. Do Bronx finaliza.

Leo Salles: Luta perigosa para o Charlinho. Felder é excelente striker e só o jiu-jitsu e as ações no solo vão dar ao brasileiro a vitória. Mesmo assim não vejo Do Bronx furando o bloqueio: Felder, TKO.

Lucas Carrano: Charlinho tem todas as condições de pegar o rival, mas seu exposto sistema defensivo me deixa com a pulga atrás da orelha. Sem muita certeza, vou de Felder por TKO.

Lucas Rezende: Por mais que acredite no jiu-jitsu de menino Charlinho e Paul Felder realmente gire fora de órbita pra caramba, acredito que o americano aterrissará um derradeiro. Felder por KO.

Luiz Fernando Ferreira: O jogo não casa para Charlinho. Por mais que ele possa tirar um coelho da cartola com a sua excelência na arte suave, acredito que o Dragão irlandês não dará brechas para isso. Felder, TKO.

Renato Rebelo: Com 70kg, os caras têm mais força pra recusar a queda e, se isso acontece aqui, Charlinho está morto – uma vez que, em pé, o americano deita e rola com a defesa esburacada do brasileiro… Dragão irlandês por TKO.

Rodrigo Tannuri: Por mais que goste de graça de Charlinho e ache Felder superestimadíssimo, tenho que ser racional. O jogo não casa pro brasileiro. Sei que Do Bronx surpreendeu Brooks e Jury, mas sua fragilidade em pé ficará ainda mais exposta perante um adversário de trocação tão imprevisível. Felder, KO.

Thiago Sampaio: Neste lógico duelo de estilos, vou confiar que Charlinho não vai partir pra trocação franca com Felder. Se levar logo para o solo, é muito superior e deve arrancar os três tapas. Charlinho, finalização.

David Carvalho: Vou na máxima: “Sempre confie em um cowboy”. Alex evolui a cada luta e sua principal qualidade me lembra muito Adriano no futebol: cara raçudo e grosseiro (no bom sentido). Pressão que não acredito que Medeiros segure. Alex Cowboy TKO.

Felipe Paranhos: Cowboy, TKO

Gustavo Menor: Cowboyzão da massa vem crescendo a cada luta e deve levar a peleja contra o raçudo Yancy Medeiros na base da pressão, misturando seu jogo em pé com quedas pontuais. Cowboy, decisão.

João Vitor Xavier: Os dois provavelmente vão trocar muito, mas Cowboy tem a vantagem da força na hora de quedar e no ground and pound. Cowboy, nocaute.

Laerte Viana: Medeiros é razoável tecnicamente, guerreiro e só. Pelo fato do havaiano apresentar algum perigo em pé, até pela boa envergadura, Cowboy, cada vez mais inteligente taticamente, não deve entrar na trocação desenfreada. Sem afobação, o brasileiro vai levar para o chão, controlar por cima e maltratar no ground and pound. Cowboy nocauteia.

Leo Salles: Outra guerra prometida para este card. Ambos são completos, mas Cowboy tem mais potência e velocidade nos golpes e possui um bom jiu-jitsu. Cowboy, decisão.

Lucas Carrano: Cowboy continuará sua trilha rumo à parte de cima da divisão com um triunfo apertado, na mão dos juízes, sobre Yancy Medeiros. Alex Oliveira vence na decisão.

Lucas Rezende: Outra candidata à luta da noite, Cowboy pode investir em seu tamanho massivo para conter o ímpeto do havaiano, tanto no solo quanto de pé. Creio que o fará. Cowboy por decisão.

Luiz Fernando Ferreira: Luta que tem tudo para ser bem divertida. Cowboy é bem mais lutador que Medeiros, o havaiano é bem resistente e, por conta disso, não será nocauteado. Cowboy, decisão.

Renato Rebelo: Medeiros é resistente demais. Brigador. Mas o Cowboy brasileiro é muito mais forte fisicamente e vai imprimir ritmo – em pé e contra a grade – que o havaiano não dará conta. Sobrevive, mas perde. Alex, decisão.

Rodrigo Tannuri: Lutinha divertida e com um favorito claro. Se lutar com inteligência, o carismático Alex tem tudo pra ganhar e bem. Se partir pra briga, até pode vencer, mas esse é o jogo que Medeiros gosta, até porque faz parte da escola Diaz. Vou confiar na esperteza do brasileiro. Cowboy, finalização.

Thiago Sampaio: Yancy Medeiros é lutador regular, quase bom. Vamos lá, vencer Erick Silva hoje em dia não faz dele uma ameaça obscura. Alex Cowboy vem numa fase e tanto, sem falar que é bem mais forte que o havaiano na categoria até 77kg. Nocauteou Ryan LaFlare, algo que ninguém tinha feito até então. Deve colocar mais um na conta. Cowboy, nocaute.

Restante do card:

David Teymur x Drakkar Klose
Felice Herrig x Cortney Casey
Abdul Razak Alhassan x Sabah Homasi
Jeremy Kimball x Dominick Reyes
Justin Willis x Allen Crowder
Amanda Cooper x Angela Magaña

Ranking dos colunistas:

1 – Laerte Viana – 875 pontos
2 – David Carvalho – 855 pontos
2 – João Vitor Xavier – 855 pontos
3 – Felipe Paranhos – 845 pontos
4 – Luiz Fernando Ferreira – 840 pontos
5 – Gustavo Menor – 830 pontos
6 – Lucas Rezende – 825 pontos
7 – Renato Rebelo – 820 pontos
8 – Thiago Sampaio – 790 pontos
9 – Lucas Carrano – 750 pontos
10 – Rodrigo Tannuri – 745 pontos
11 – Leo Salles – 345 pontos

  • Julio Varoni

    Pela primeira vez eu vejo Renato não comentar o palpite da luta principal.
    Como assim? O que houve? Preciso de fundamentação! Rsrsrsrsrsrsrs

    • Lucas Rezende

      Clique no palpite e você verá a fundamentação dele no YouTube!

    • Luiz Ferreira

      Na verdade é só clicar no palpite dele. A fundamentação está no vídeo do Youtube.

      • Julio Varoni

        Ah, blz. Valeu!

  • franquiaoi

    Apostar em Aldo via nocaute tem que ter muita coragem.

    Se fosse valendo $…hum…deixa pra la, né?

  • magnuseverest

    Tecia e Michelle parece ser a luta mais complicada de pontuar.
    Acho que Tecia ganha na marra ou amarração.

  • douglas karpinski

    A luta do Alvarez vc Ghaetje vai ser animal, e que poder de recuperação e resistencia tem esse Ghaetje eim, o cara simplesmente não para de andar pra frente, lutassa para um puta card desses!!!

  • Patrícia Dantas

    Holloway por TKO no 2 round
    Ngannou por pontos
    Peettis por pontos
    Gaethje por TKO no 1 round
    Du Bronx finaliza no 2 round
    Cowboy por KO no 2 round

Tags: , , , , , , , , , , , , , , ,