Afinal, alguém pode parar o rei dos meio-pesados?

Renato Rebelo | 25/09/2012 às 19:11

Como o UFC 152 ainda tá dando pano pra manga, resolvi escrever uma última nota sobre o protagonista do evento. Sua personalidade e atitudes são alvos de críticas constantes, mas a eficiência  dentro do octógono é incontestável. Jon Jones pode, simplesmente, se tornar o maior fenômeno da história do MMA e não é um deslize no primeiro round que irá freá-lo.

Aí surge a pergunta: será que existe alguém capaz de tomar o cinturão das mãos do jovem de 25 anos? Vitor Belfort, que saiu na mão com ele sábado diz que sim. Então, vamos aos pretendentes:

Lyoto ou Shogun
Principalmente aqui no Brasil achamos que Lyoto e Shogun, em noites inspiradas, ainda podem destronar Jones. Nos fóruns mundo afora a dupla nem é citada. Shogun foi maltratado em um monólogo, enquanto Lyoto fez um bom primeiro round, mas foi apagado no segundo. O curitibano, para cumprir a tarefa precisará fazer aquele matador do Pride resurgir das cinzas. Caso aparece o cara que lutou com Brandon Vera, o final não vai ser diferente. Já Lyoto terá que fazer a luta mais estratégica de sua vida. Cinco rounds de perfeição para levar o ouro.

Dan Henderson
Dentre os candidatos, Hendo é o que tem menor envergadura (1,80m) e a idade mais avançada (42 anos). Por mais casca-grossa que seja, as probabilidades dele quedar Jones ou sobreviver por baixo são ínfimas. Suas chances se resumem à bomba de direita que, para entrar em ação, precisa driblar toda a manutenção de distância bem realizada por Jones – com seus braços esticados e pisões no joelho.

Alexander Gustafsson
O sueco é do top de Jones. 1,96 de altura e 1,94 de envergadura. O boxe dele, lapidado circuito amador europeu, é superior ao do americano. O problema está no grappling. Como vimos na luta contra Phill Davis, a defesa de quedas e o jiu-jítsu de Gustafsson são seus pontos fracos.  Seu físico esbelto também não ajuda a impedir as quedas que certamente virão.

Glover Teixeira
Desde que atropelou Kyle Kingsbury no UFC 146, o entusiasmo pelo mineiro de Sobrália vem aumentando vertiginosamente. Pedro Rizzo, semana passada, me disse achar que Glovão (como é chamado pelos amigos) é o cara para bater Jon Jones. Contra Glover, a diferença de envergadura (1,93m x 2,15m), a velocidade superior e a criatividade do oponente. A seu favor, boxe e jiu-jítsu superiores e a possibilidade de, quem sabe, segurar o ímpeto de Jones no wrestling.

Daniel Cormier
O nível olímpico de seu wrestling e vantagem em termos de força e peso fazem com que Cormier tenha boas chances colocar Jon Jones de costas no chão – a mão pesada também pode ajudá-lo na tarefa. O atleta da AKA ainda é um peso pesado, mas já disse que desceria para tentar o cinturão. No entanto, os 1,80m de altura e a velocidade do adversário podem atrapalhá-lo.

Só peso pesado
Tem aqueles que acham que nenhum meio-pesado pode com o campeão. Como Jones, em off, se aproxima dos 110kg e seu frame longínquo permite a adição de massa muscular magra, o futuro entre os pesados é uma opção bem provável. Ele mesmo já declarou que pensa na mudança:

Ir para os pesados é algo que gostaria de fazer em, talvez, dois ou três anos.

E vocês, o que acham?

Tags: ,