Amanda Nunes acerta ao
apontar falta do UFC

João Vitor Xavier | 30/11/2017 às 01:13

Recentemente, a campeã peso galo do UFC Amanda Nunes expressou resignação com o fato de que nunca será promovida adequadamente pela organização. Basicamente, a brasileira disse, em entrevista à AG. Fight, que eles focam em lutadoras “femininas, loiras, bonitinhas, que lutam e tiram fotos”.

E ainda foi além, argumentando que “sabe que o UFC  quer que ela perca e saia de forma ruim”. Se esse é o caso, eu não sei. Mas digo que a brasileira não deveria aceitar a falta de promoção em torno dela, tampouco se resignar com isso.

[…] Eu sou uma atleta que as pessoas gostam de assistir, mas o perfil do campeão do UFC não sou eu. Mas eles têm que me engolir. Eles nunca vão me vender para alcançar um patamar como o da Ronda Rousey ou da Holly Holm. Eu não sou o perfil que eles querem. […]  Eles querem loirinhas, menininhas bonitinhas, que lutam e tiram fotos. Femininas. Sejamos realistas, eu tenho que enfrentar as meninas que vendem […] Eles não são idiotas, eles sabem o que fazem. Tudo é marketing no UFC, é por isso que é o UFC. Por isso que estão fazendo isso. Eles querem colocar alguém para me vencer e que eu saia de forma ruim. E acabou. Falei com eles sobre isso. Sei que é isso que eles querem, alguém que eles possam trabalhar o marketing e ganhar dinheiro”, disse a brasileira.

PVZ: patrocinada pela Reebok e estrela da “Dança dos Famosos”

Acho, sinceramente, que Amanda Nunes tem um grande potencial de promoção e de marketing. E é fato que o Ultimate não tem aproveitado isso.

Não sou especialista no assunto, claro, mas de vez em quando sinto que o UFC é ligeiramente preguiçoso em algumas de suas ações.

O excesso de força atrás de nomes como Paige VanZant e Sage Northcutt mostra isso. Os dois têm a aparência certa, mas ainda são crus, verdes no MMA.

Precisam de calma, tempo e espaço para progredir tecnicamente e, eventualmente, corresponder às expectativas. Não deveriam ser tão agressivos na promoção dos dois.

Amanda, por outro lado, é o produto final, do ponto de vista da parte técnica e com um highlight de colocar inveja em qualquer lutador. Ela nocauteia meninas como ninguém faz na sua divisão, tem força e dominância. E também finaliza, ou seja, é uma lutadora completa.

Se pensarmos um pouco fora da caixa, podemos perceber o tamanho do potencial da brasileira.

Nunes não pegou carona na popularidade de Ronda

Principalmente nos Estados Unidos, onde mora e vive com sua namorada, a também lutadora Nina Ansaroff. Mas acho que ela pode se ajudar também.

Como campeã do mundo do UFC, a Leoa provavelmente é a atleta gay mais condecorada em atividade contando todos os esportes (me corrijam se eu estiver errado!).

Isso a coloca em uma posição privilegiada para discutir diversas questões relacionadas à sua comunidade, como preconceito, aceitação e representatividade.

O UFC pode fazer o mesmo, ainda que se argumente que sua base de fãs é mais conservadora. Isso abre o leque de possíveis novos fãs e futuros compradores de pay-per-view.

Como residente dos Estados Unidos e mulher latina, Amanda também tem a possibilidade de apelar à enorme comunidade de latinas que mora na América, e que talvez não se sinta tão representada como os homens latinos, que contam Cain Velasquez, por exemplo, entre seus maiores ídolos no MMA.

E no Brasil, por que Nunes ainda não “pegou”?

Estes são apenas dois traços da personalidade de Amanda que podem ser utilizados para aumentar sua aceitação entre seus fãs, alem de ajudar o UFC a alcançar novos grupos demográficos.

Até concordo que o Ultimate já lhe deu algumas oportunidades de mostrar sua qualidade como vendedora de PPVs. Mas quando, de fato, foi feito um trabalho prolongado em cima da brasileira?

E, mesmo quando foi a atração principal, as atenções nunca estiveram, de fato, na brasileira. No UFC 200, a luta com Miesha Tate virou main event praticamente na véspera do show.

No UFC 207, toda a máquina promocional empurrou o retorno de Rousey para cima dos fãs. E no UFC 215, ela virou luta principal a dois dias do show também.

Até concordo que, como regra, lutadoras com a aparência certa tendem a ter mais oportunidades e serem mais “vendáveis” que aquelas que estão fora do padrão de beleza feminino.

Mas acho que, com um pouco de criatividade, o caso específico de Amanda Nunes pode ser bem diferente do que ela já parece ter aceitado. E que a exceção vire a regra um dia…

  • Anderson Schaefer

    a amanda tem muito potencial, acho um puta descaso do ufc nao promover a guria que ta destruindo a divisão e ao mesmo tempo ficar alçando a holm pra qualquer cinturão que aparecer

    • Leo. P.

      Que divisão, my friend?

  • KRS Porlaneff

    Amanda Nunes possui sérios problemas no UFC, e não fazer parte do suposto “perfil de loira bonitinha que o UFC quer” é o menor deles. Inclusive porque há não muito tempo atrás, o domínio dos afrodescendentes era notório: Spider, Jones e Mouse – e agora Woodley e Cormier – como campeões, e nos top 10 (dadas as respectivas categorias) tínhamos/temos Overeem, Ngannou, Lewis, Rampage, Rumble, Davis, OSP, Jacaré, Romero, Sterling, Reis… o fato de serem nomes apenas masculinos não muda o que eu estou dizendo.

    Pontos que a Amanda precisa corrigir:

    1) insistência no ativismo LGBT.
    Querer ser uma representante da causa, OK – esfregar na cara de todo mundo que cola velcro, não. Para o ativismo que ela tanto prega, existem ocasiões oportunas, vai fazer palestra em faculdades, apareça em eventos segmentados como a Parada Gay de São Francisco, peça entrevista numa Oprah Winfrey ou numa Ellen DeGeneres da vida (que inclusive é lésbica também) pra falar do assunto sem precisar necessariamente falar do UFC… ela desperta curiosidade e interesse como atleta e como campeã de MMA, não como ativista LGBT. E não vai ser em uma entrevista de Danilo Gentili ou falando com o Joe Rogan após defender a cinta, que o ativismo será oportuno de se falar.

    2) visual.
    Com isso, não estou dizendo pra, da noite pro dia, ela se tornar a Gina Carano, mas também não se esforce para se tornar Jocelyn Jones Lybarger. Ela não é uma moça feia de rosto – muito pelo contrário – apesar do estilo bronco, e um cabelo um pouco mais comprido com uma roupa mais feminina já vai ajudar muito o público médio a não olhar a coletiva de imprensa e o cartaz de Nunes VS Shevchenko 3 e se perguntar “pô, quem é essE Nunes?”

    3) inglês.
    O sotaque macarrônico dela é motivo de gozação em qualquer site de MMA que permite que usuários comuns façam comentários. Duvido que não tenha ninguém dentro da American Top Team ou pelo menos conhecido de alguém da academia, que não possa ajudá-la nesse ponto (leia-se “volte pras aulas do Yázigi, mulher!”).

    4) vitimismo.
    Não dá certo, nunca deu certo e não vai dar certo – nem a curto, nem a médio e nem a longo prazo. Não dá certo pro Woodley, não deu certo pra Cyborg e não é pra Amandinha que vai dar.

    5) trash-talk.
    A modalidade virou moda entre os lutadores – mas ainda há poucos que a dominam. E a Leoa ainda caminha nisso a passos de tartaruga paralítica. Provocação é legal, todo mundo gosta. O que ninguém gosta é de gente mentirosa e que tripudia.

    • Thiago_NCO

      1) Perfeito. E arrisco dizer que reside aí a grande “birra” do UFC com ela. Apoiar a diversidade, ok. Na medida certa fará um bem danado à imagem do UFC como um todo. Mas “empurrar” a diversidade é outra coisa bem diferente. Essa postura de “sou lésbica e você vai ter que engolir” eu acho um verdadeiro tiro no pé.

      2) Perfeito. Cada ocasião exige um código de vestimenta adequado. E, na boa, por mais que ela deteste, um batonzinho por 1h durante uma coletiva não a fará menos lésbica e não irá matar, certamente.

      3) Concordo que o inglês dela não é perfeito. Mas ao menos ela se comunica… nesse ponto dou créditos a ela. Tá anos luz a frente de Aldos e Silvas nesse quesito (AS no auge não falava porra de nenhuma de inglês, frise-se)

      4) Perfeito.

      5) Prefiro que ela fique como está do que extrapolar os limites e virar uma Bethe Correa da vida. TT é pra poucos. Se não sabe, se não tem o dom, melhor nem arriscar.

    • DOTA 2 Rei Macaco

      Rapaz, se o UFC tivesse vontade mesmo de promover a Amanda, eles mesmos iriam pontuar aonde ela deveria melhorar, e a ajudariam , mas é notório a falta de interesse, a Amanda é esforçada, além da puta atleta que é, ela demonstra ter vontade de deslanchar, mas o UFC caga pra ela, fato.

      • Tairon de Oliveira

        O UFC investe em quem vale o investimento. A pergunta que “fica”: A Amanda vale o investimento? Ao meu ver: Não.

      • Vinicius Maia

        Nem acho que ela milite tanto. Na realidade nem sei, quase nunca vejo suas entrevistas kk.
        O que deixou ela queimada com o público foi cancelar um evento a poucas horas (sendo que estava liberada pelo médico) e ter feito uma luta merda (Valentina tb tem culpa) e ser um pouco arrogante.
        Woodley não cai no gosto do público por que reclama e ainda fez 2 das piores lutas de cinturão que já vi!

    • Marllon

      Eu ia escrever algo, mas seu texto me fez economizar palavras
      Sob faltou adicionar aí as atitudes completamente hipócritas e estúpidas que ela geralmente toma.

      • KRS Porlaneff

        Digitei caindo de sono perto de 5 da manhã, eu sabia que ia acabar esquecendo alguma coisa rssssssssssssssssss

    • Vinicius Maia

      Nem acho que ela milite tanto. Na realidade nem sei, quase nunca vejo suas entrevistas kk.
      O que deixou ela queimada com o público foi cancelar um evento a poucas horas (sendo que estava liberada pelo médico) e ter feito uma luta merda (Valentina tb tem culpa) e ser um pouco arrogante.
      Woodley não cai no gosto do público por que reclama e ainda fez 2 das piores lutas de cinturão que já vi!

    • Carlos André

      Só sendo muito escroto e imbecil pra compartilhar de sua estupidez, homofobia, machismo, misoginia, racismo, cara! O teu discurso é tudo que deve ser combatido, impregnado do que há de mais canalha da natureza humana. Uma lástima que o administrador do site mantenha seu discurso aqui e que mais alguém compartilhe de suas frustrações e covardia.

      • Leo. P.

        Você é do movimento estudantil? De algum DCE? Revolucionário do twitter?
        Vai ocupar o Sexto Round?

        Teu parágrafo ficou meio obscuro. Parece uma listinha.
        Por gentileza,
        1. Você conclui que o KRS é homofóbico com base em?

        2. Você conclui que o KRS é machista com base em?

        3. Você conclui que o KRS é misógino com base em?

        4. Você conclui que o KRS é racista com base em?

        5. Você conclui que o KRS é esteticista com base em?

        6. Que frustrações? (e pq vc parece tão frustrado)

        7. De onde você tirou a ideia de que é vc quem decide o que deve ser combatido?

        8. Qual a estrutura de um argumento?

      • KRS Porlaneff

        Carlos, na boa: usar palavras difíceis sem saber o significado delas não te torna mais inteligente do que você é. Só te torna alguém mais inteligente se o seu interlocutor já é mais burro do que você.

        Mais: só o fato de você falar que eu sou misógino E homofóbico, já mostra que você não sabe do que está falando. Aprenda o que é misoginia antes de usar a palavra, senão você passa vergonha.

        E bichô, se você não sabe conviver com a opinião alheia, acho que você está no lugar errado. E não estou falando do Sexto Round, estou falando da internet.

        Espero que dessa vez você não fuja da discussão, porque aqui nesse tópico ( http://sextoround.com.br/forum/topic/bisping-marca-a-sua-despedida-do-mma-para-marco-em-londres/ ) você já falou o que quis e quando eu dei resposta, você simplesmente esperou o tópico sumir da barra lateral.

        E o covarde sou eu? Menos vai, Carlos André… beeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeeem menos…

    • Lyn

      Promover os atletas é trabalho do UFC.

    • Baixista Loko

      Em parte concordo em parte não, de qlqr maneira da pra ela se ajudar um pouco sim.

  • Lucas Venagas

    Com todo respeito

    que artigo horrivel
    cade o botão de deslike

    • Leo. P.

      Concordo. Eu me pergunto como é que alguém trabalha com isso pode produzir um texto tão sem fundamento?
      O texto não se sustenta. É pobre.
      O KRS Porlaneff elencou (Obrigado!) alguns pontos que só não enxerga quem não quer.

  • Bruno Machado

    Não tendo a aparecia ideal que conquista a grande massa de fãs, e ser mulher gay (“sapatão”) ela é odiada com unhas e dentes por muita gente, a essas pessoas só deixo uma frase do grande zagalo, Vocês vão ter que a engolir !

    • Thiago_NCO

      Ou ela que vai ter que engolir péssimas vendas de PPV e pouca promoção do UFC, champs? Seu raciocínio está invertido, ninguém força o público a consumir algo que não o agrada. A longo prazo, quem perde é ELA.

      • Bruno Machado

        Quando digo a engolir, estou falando de te-la como a campeã do evento, nao importa o quão pouco ela vender, enquanto ela não perder ela vai continuar sendo a campeã.. seja você gostando ou não, comprando ppv dela ou não

        • KRS Porlaneff

          Isso se continuarem renovando contrato com ela. O caso dela tá que nem o do Aldo antes de perder pro Conor (possivelmente não teria contrato renovado mesmo sendo campeão).

  • Paulo Vinícius

    Lembro que quando ela foi lançada como desafiante ao título da Delicia Tate, eles poderiam muito bem ter colocado a Tate pra fazer uma revanche com loiríssima Maraviholly Holm. Mais optaram por ela e ainda a colocaram no ufc 200 (e ainda deu sorte de fazer a luta principal). Depois foi colocada pra lutar com estrela dos PPV Ronda.

    Não dá pra dizer que o ufc a tem ignorado tanto. Oportunidades foram dadas e ela não tem correspondido às expectativas, talvez por conta conta da teoria do nosso colega KRS Porlaneff.

    A Gostosina Shevichenco, na minha opinião, tem tudo que é preciso fisicamente pra se encaixar no perfil estrela tão mencionado, e também não é tão bem explorada midiaticamente pelo ufc. Não basta ser loira linda pelo visto. Talvez se a Amanda fosse loira-linda ainda assim estaria com as mesmas reclamações.

    • KRS Porlaneff

      Obrigado pela menção, xará.

      Só fanboy não vê que a própria Amanda não se ajuda. Como tu mesmo disse, ela encabeçou o histórico UFC 200 tendo a grande sorte da saída de Conor e Jones e de não terem promovido Lesnar VS Hunt a main event (que é o que o UFC queria desde a saída do irlandês e do Padim Cisso Negão), encabeçou o 207 que era evento de encerramento de ano na frente de Cruz VS Garbrandt, estava encabeçando o 213 mesmo com Romero VS Whittaker valendo interino, ficou de novo como headliner com a saída de Johnson VS Borg… e mesmo assim fica reclamando.

      Que outro(a) lutador(a) encabeçou quatro eventos numerados em um ano e dois meses? Só o Jon Jones, em 2012…

  • bedotRJ

    Se a promoção dela cair para esse lado de “preconceito, aceitação e representatividade”, acho que muitos que gostam da Amanda e estão pouco se lixando para o que ela faz entre quatro paredes passarão a vê-la com outros olhos. De atleta de ponta, ela passaria a ser uma espécie de “ícone LGBT”, uma bandeira de causa, o que restringiria ainda mais o seu público. Ela não é uma “lutadora lésbica”. É simplesmente uma lutadora que, na vida amorosa privada, se relaciona com outra mulher. A promoção dela deve focar no que ela faz dentro do octógono e na forma como se coloca e se expressa em relação aos aspectos da luta. O resto só serve para revista de fofoca.

  • William Oliveira

    Acho que é o mesmo caso do DJ, o UFC vai investir em quem eles acharem que dará dinheiro investir, não é somente por causa da cor ou aparência dela, o ponto é que os fãs, em geral, não gostam dela.

    Fora do Brasil era quase unânime a torcida pra Valentina (acompanho alguns fóruns) e mesmo aqui no 6R tinha uma galera torcendo pra loirinha, seja por ser muito mais gata ou pela sua personalidade, uma vez que a Amanda tenha quase zero carisma.

    Trash talking com inglês quebrado e sem sentido, encostou no rosto da menina, aí saiu do card.. O UFC 213 foi impactante demais pra imagem da Leoa, e negativamente, é claro. Pra completar, no UFC 215 ela me faz uma luta estilo T Wood, chata, ainda que técnica, coisa que muitos fãs não gostam, pronto, sua imagem já era. Sua esperança é entregar nocautes atrás de nocautes agora, caso contrário será uma das campeãs com que menos o fã médio se importa.

  • Lyn

    No MMA masculino a beleza ajuda mas no feminino é um item praticamente obrigatorio para se fazer sucesso.

  • Cleo Lima

    É impressionante como quando o assunto extrapola os limites do 8, o pessoal aqui dá um show de preconceito e conservadorismo. É incrível ver como num passe de mágica passam a defender o UFC com unhas e dentes. Tem que ser vendável, tem que ser comercial… ué, eu achava que o mérito esportivo é que estava em jogo, mas parece que por aqui tem muito fã de supercatch enrustido por aqui. Que me perdoem a falta de paciência, mas é muita limitação intelectual, visão de mundo estreita demais. Se ela não se adequa ao padrão imposto, a errada é ela?? Achei admirável a postura do JVX por jogar umas verdades por aqui. Não sei se teve relação com o que postei no outro tópico, mas de todo modo foi muito bacana.

    • William Oliveira

      Acho q vc ainda não entendeu que o que está sendo discutido aqui é promoção do evento (marketing). Isso não tem relação direta alguma com mérito esportivo. O UFC tem que promover quem venda msm, nada de errado com isso. No caso da Amanda, ela que é a culpada por estragar sua imagem, o evento não tem culpa alguma e mt menos obrigação de tentar corrigir isso.

      Limitação intelectual e visão de mundo estreita é vc achar que todo mundo tem que concordar com seu vitimismo esquerdista e que tds que discordam de promover uma chorona, sem carisma algum, são preconceituosos.

      • Cleo Lima

        Ué, de repente isso virou questão partidária? Já respondi uma vez, vamos lá pra não ter que desenhar:

        Se a questão é marketing – e o “UFC tem que promover quem venda msm” – você acaba de legitimar as lutinhas de boxe e a trilogia contra Nate Diaz pela cinta linear dos leves do McGregor. Vale o lucro! Ou vocÊ acha que Tony Ferguson vende mais? A ideia da luta entre Khabib e Ferguson valendo defesa do interino, como o UFC abertamente tentou casar, tá de boa pra você? Se sim, aceito seu argumento, embora pense diferente. Se não, você é só mais um hipócrita que não sabe ser contrariado sem desqualificar o interlocutor.

        • William Oliveira

          Vc vem acusar todos de serem “preconceituosos e conservadores” e agora vem com essa perguntinha? Kkkk meu deus do céu..

          Novamente repetirei que vc parece não entender o que estamos falando, com td respeito acho que vc é mt leigo no assunto, é a unica explicação. Investimento de marketing não tem nada a ver com lutas casadas, isso tudo é off-octagon. De modo algum estamos legitimando essas lutas, uma coisa não tem relação alguma com a outra. Estamos falando aqui de material no canal do YT, entrevistas em lugares com bastante exposição, divulgação em geral nas redes sociais etc. Vc tá falando de casamentos, de match ups, olha como vc não tem noção do que está debatendo.

          Quem n sabe ser contrariado é vc, que acusou de prontidão aqueles que foram contra a matéria de serem preconceituosos kkk

          • Leo. P.

            “Vc vem acusar todos de serem “preconceituosos e conservadores” e agora vem com essa perguntinha? Kkkk meu deus do céu..”

            Perfeito.

          • Cleo Lima

            É o que eu disse, só desenhando mesmo… Mas vale a pena não. Um dia cê consegue, boa sorte!

          • Leo. P.

            Você não consegue nem organizar as próprias falácias em um parágrafo. Quais as chances de saber desenhar?

    • Leo. P.

      Você é do movimento estudantil? De algum DCE? Revolucionário do twitter?
      Vai ocupar o Sexto Round?

      Você não escreveu nada com nada. O texto é desconexo e cheio de justaposições. Parafraseando Chael Sonnen “Você é uma vítima do sistema de ensino brasileiro”

      Premissa 1 – “Show de preconceito e conservadorismo” (Jesus Christ…)

      Premissa 2 – “parece que por aqui tem muito fã de supercatch enrustido por aqui” (vc tem algum preconceito com o pessoal do supersomething?)

      Conclusão – ” é muita limitação intelectual, visão de mundo estreita demais” (UAU!)

      Qual a tua definição de verdade? (Por favor, responda. Eu quero muito ler)

      Algumas informações relevantes (observe que eu disse informações. Apenas informações).

      As últimas 3 lutas dela foram eventos principais, o que não é comum pra lutas femininas (geralmente são co-main de uma luta masculina). Suponho que ela tenha embolsado uma % de PPV. Ou seja, nada mal pra alguém que é “Oprimida”. Mas sem contar isso, eis o quanto ela levou desde 2015, em dólares e na ordem das lutas:

      $30.000

      $97.000 (com bônus)

      $61.000

      $180.000 (com bônus)

      $290.000 (com bônus)

      $250.000

      Quase 1 milhão DE DÓLARES em 2 anos, sem contar % de PPV. Parafraseando Renato Rebello “O Que é isso rapaz?”.
      Queria eu carecer de incentivos assim.

      • Cleo Lima

        Obrigado por me abrir os olhos!

        • Leo. P.

          Por nada. Volte sempre!

  • Fabricio Alves

    Acertou? Ao meu ver ela deu uma de Colin Kaepernick.

  • Hericly Andrade Monteiro

    Porque sempre que rola de vir um lutador LGBT os comentários são tão horríveis! O Sexto Round já foi um lugar mais blindado desse tipo de preconceito, muito triste isso.

    • Fernando Batista Lima

      Não culpe o site… A popularização tem isso… Tanto do esporte quanto do site…
      Enxergar tudo como preconceito também é um erro.
      Nem acho que você esteja errado, mas é isso aí… Liberdade de expressão… Não vi nada tão ofensivo, apesar de não concordar com tudo que foi escrito.

      • Hericly Andrade Monteiro

        Meu caro quando eu falei em relação a isso é porque eu já vi manifestação da moderação do site coibindo esse tipo de comentário. Eu lembro muito bem de um caso que aconteceu no fórum: à época o infame (ao menos pra mim) “Coelho Bruno” citou Lobroso, um famoso EUGENISTA, para justificar prisão e uma suposta presença de criminosos entre indivíduos com alguns características físicas (como mandíbula, tamanho do crânio, formato do nariz e etc). O fato é que, como sabemos, a eugenia foi uma teoria pseudocientífica criada para justificar o preconceito, a discriminação e a segregação racial. Qual foi o resultado disso? A moderação tão logo soube notificou e como podemos notar o rapaz , pelo menos com esse nome, não está mais entre nós. Bom, não sei se me fiz ser claro. Quanto a liberdade de expressão e ao enxergar “tudo como preconceito” como você mesmo falou: acredito que pra mim, branco e hétero, é menos visível certas coisas do que pra uma mulher lésbica. Acho que você dizer que “ahh ela merece por causa do ativismo dela” é você dizer o seguinte: “Olha pode ser o que você quiser contanto que você lute suas lutas e fique quieta de boca fechada aqui, deixe o preconceito que você sofre de lado. Deixe as pessoas que a chamam de masculinizada de lado. Deixe toda a sua história e o que você sofreu de lado e não faça nada com a fama que você tem para mudar o quadro da sociedade com relação ao preconceito que você sofre e sempre sofreu. Afinal de contas mudar é ruim e já mudamos demais a sociedade. Tá bom”. Eu acredito que todo atleta tem sim direito de lutar para que aquilo que ele acredita seja válido, independente do que ele pensa. E digo mais, o caso do Colin Kaepernick só mostra o quanto ainda somos atrasados com relação a isso! Se o atleta quer lutar por seus direitos ele deve fazê-lo, simplesmente porque ele é uma pessoa como qualquer outra e a fama do esporte vai trazer a discussão à tona e isso sempre é válido. Abraço! Fique na paz de Jah.

    • Leo. P.

      My friend, observe as informações que se seguem e me diga se o problema é o preconceito ou o vitimismo da milionária em questão.

      Amanda: “O UFC não me promove por X, Y e Z.”

      Algumas informações relevantes:

      As últimas 3 lutas dela foram eventos principais, o que não é comum pra lutas femininas (geralmente são co-main de uma luta masculina).
      Suponho que ela tenha embolsado uma % de PPV. Ou seja, nada mal pra alguém que é “Oprimida”. Mas sem contar isso, eis o quanto ela levou desde 2015, em dólares e na ordem das lutas:

      $30.000

      $97.000 (com bônus)

      $61.000

      $180.000 (com bônus)

      $290.000 (com bônus)

      $250.000

      Quase 1 milhão DE DÓLARES em 2 anos, sem contar % de PPV. Parafraseando Renato Rebello “O Que é isso rapaz?”.
      Queria eu carecer de incentivos assim.

      Por curiosidade: Vc costuma assistir os Countdows?

  • Tuareg

    Sobre ela ser a atleta gay em atividade mais condecorada, acho que a judoca Rafaela Silva está na frente: Campeã mundial, campeã olímpica, além de vários outros títulos.

  • Davi

    Poxa, parabéns pelo texto. O único que problematizou essa questão como deveria, diga-se de passagem. Concordo que Amanda aoresenta boas vias de publicidade. A questão é apenas que essas vias (mulher latina, lésbica) não são interessantes pro ufc. Os motivos: não sei, mas imagino quais sejam. Aliás, só não vê má vontade, da parte do Ufc para com Amanda, quem não quer. E não acho que ela esteja errada em assumir ser gay. Acho até que assume pouco. Posso até estar falando besteira, mas nunca a vi aproveitar a vitrine e a influência que ela tem para falar em nome das lésbicas, apoiar causas do grupo lgbts. Não que postar fotos com a namorada, sair publicamente com ela seja pouco. Não é: muita gente (vide os comentários) já se incomoda mto com isso. Mas se ela falasse mais e melhor sobre isso traria a força da comunidade lésbica pro lado dele, faria um marketing maravilhoso com esse grupo. Enfim, textão. Meus parabéns novamente.

Tags: ,