Qual é o limite do trash
talk no MMA? #debate

Renato Rebelo | 10/11/2017 às 09:31

No #debatesextoround, abordaremos assuntos mais ardilosos numa resenha informal e leve. Nem sempre chegaremos a uma conclusão, mas garantimos o papo e o levantamento de informações.

Ao lado de meu amigo André Azevedo, narrador e apresentador do Canal Combate, matutamos sobre o cada vez mais popular “trash talk” no MMA.

Será que provocar e falar “m” virou regra para ganhar notoriedade no UFC? E até que ponto esse tipo de “promoção” é aceitável?

Espero que curtam!

  • Vinicius Maia

    O lutador brasileiro nunca mais pisaria nos EUA se chamasse dentro do cage Las Vegas de lixeira. Nem visto conseguiria pra viajar.

    • Doniel Porter

      Pois é cara, vc viu aquela parada da NFL, os caras estavam indignados queimando material esportivo caríssimo porque julgaram que sua bandeira foi desrespeitada, imagina um a arena lotada é um brasileiro os chamando de animais imundos e que seu país é uma lixeira?

      • Doniel Porter

        Que porra de trash talk é esse? Tá mais pra shit talk, como disse um forista outro dia.

      • Vinicius Maia

        Estouraria uma porrada bonita na arena. Na moral. Duvido que conseguiria sair da arena sem tomar umas porradas.

  • José Valter Alves Junior

    olha ai o Renato Rebelo atendeu o meu pedido que horna, Valeu Renato grande abraço irmão

    • Renato Rebelo

      Eu que agradeço a sugestão, amigo.

  • Mauricio

    Antigamente, quando a rivalidade era verdadeira era um bagulho mais interessante de ver até mesmo quando era mais agressivo, tipo o Ryan chamando o Wallid de “paraiba” e sendo xenofóbico mas era uma rivalidade real, quando tínhamos a rivalidade Chute Box vs BTT que o esporte não era tão difundido, Arona vs Wand e por aí vai. Agora vem um zé mané igual o Colby e faz aquele papelão lá… e a gente ve no olho do cara que aquilo ali é pra chamar atenção apenas, é só midia o pagar de “Ah eu sou o vilãozão da parada toda” Se for para ser treta que seja real tipo Ronda e Miesha sem essa de aperto de mão e nada do tipo.

    Um abração lá pro pessoal de Cu-Ritiba https://uploads.disquscdn.com/images/0fb959520dcd4cffb5de5398a791b045a828c0180926375c04d310a412ecf2a1.jpg

    • Vinicius Maia

      Muito amor envolvido nessas mensagens hein kkkk. Exemplo de civilidade.

      • Mauricio

        Mais um pouco que eu insistisse cravava alguma no boxe contra alguém da Evolução, lutadores são muito sensíveis as provocações.

    • Bruno Goes

      Falei que não comentaria mais aqui no 6R, mas nessa vou voltar atrás. Você abordou exatamente o mesmo ponto que eu no meu último comentário, e sei lá como transformaram aquilo em uma defesa ao Conor (sendo que eu estava fazendo o contrário). Mas concordo totalmente com você, quando se tem uma rivalidade verdadeira, acho que nem tem que se conversar sobre limites do trash talking, porque aquilo não são duas pessoas pensando em vender luta, e sim dois caras que verdadeiramente não se gostam. E pedir racionalidade nisso é um pouco demais. Todo mundo é humano e uma hora estoura. Agora, essas palhaçadas com simples intuito de chamar atenção, como McGregor, Sonnen, Lee, e agora Covington vêm fazendo, já passaram do limite e perderam a graça faz tempo.

  • Lee

    Eu acho que esse tipo de comportamento só cola quando é inato da pessoa, do contrário fica forçado, fica fake demais, fica até constrangedor, pra não dizer outra coisa

  • bedotRJ

    Wallid é figuraça. Mas tá meio lerdo, falando pausado. Achei preocupante. Será que está bem de saúde?

  • Lee

    Um exemplo singelo, apenas um empurrãozinho, mas o cara vai lá e depois admite. Ou seja, qual a graça disso? Tem que ser inato do cara, não adianta!

    https://uploads.disquscdn.com/images/3753f53805110bd22522bbdd13e09899130ad2b8a384c19bdf43e1d9ae204c86.jpg

  • Lorenzo Fertitta

    Bom assunto, ótimas opiniões. Fico na torcida para que o Covington encontre Till ou Ponzinibbio na próxima luta e receba o que merece.

    p.s.: Xiiii, Renatão vai entrar no tapetão para não pagar a aposta?

  • Lorenzo Fertitta

    Tema muito interessante e ótima análise da dupla. Pra falar a verdade fiquei mais incomodado com o trash-talking do Johnson pra cima do Gaethje e do Lee sobre a mãe do Chiesa do que do Covington pra cima dos brasileiros. Confesso que particularmente ficaria mais indignado se ele ofendesse o Demian, pessoalmente.
    Acho que a ofensa pessoal é muito mais pesada do que a generalizada. Ao ouvir as palavras do Covington, identifiquei apenas um sujeito pilhado que não tem sagacidade o suficiente para produzir um TT inteligente querendo impactar a qualquer custo.
    Foi até engraçado, pois pela proporção que o assunto tomou ele se sentiu obrigado a “abraçar o personagem” e, mesmo sendo da ATT, ironicamente se sentiu a vontade para criticar o Anderson pelo doping.
    O Dana, como pessoa pública que é, foi infeliz ao se pronunciar daquela maneira sobre o assunto, mas o “Colby brasilfóbico” não deixa de ser um personagem interessante para se acompanhar. Vai ser muito prazeroso assistir esse sujeito ser atropelado em breve. E, se for pelo Till, Ponzinibbio, ou RDA, melhor ainda. Só não vale convidar pra um churrasco depois kkkkkkk

Tags: ,