Borrachinha: todo cuidado
é pouco com o oba-oba

Leo Salles | 07/11/2017 às 15:31

Moçada do Sexto Round!

No maior e melhor card do ano, o UFC 217 (está entre os meus top 5 de eventos facilmente), entre trocas de campeões e a volta espetacular de uma lenda, um brasileiro deu conta do recado: Paulo ”Borrachinha” Costa detonou o ex-campeão dos meio-médios Johny Hendricks.

Apesar da forma que ”Bigg Rigg” tem se apresentado desde que perdeu o cinturão para Robbie Lawler, de maneira desinteressada e desanimada, o fato é que a vitória do brasileiro não só o colocará dentro do top 15 do ranking dos médios como em outro patamar.

”Borrachinha” (ou ”The Eraser” como quer ser conhecido agora) mostrou até agora, em três combates pelo UFC, um vasto repertório de chutes potentes e combinações de golpes, aliados à agressividade latente de sua natureza.

Por ser novo (26 anos) e estando numa categoria que vai passar por uma grande renovação, o mineiro pode, sim, sonhar com voos mais altos dentro dos médios. Além disso, tem sabido se comportar muito bem nas mídias, sempre solícito com a imprensa e fãs.

Só na semana do UFC 217, ele deu entrevistas para praticamente todos os meios de comunicação especializados, dos de maior aos menor porte. O trabalho midiático também é uma das chaves para autopromoção e se colocar entre os mais visados pelo UFC.

Além disso, já consegue estampar alguns patrocinadores próprios em sua camisa, o que já mostra que o mineiro sabe se vender e se promover. Também, durante o tempo que esteve em Nova Iorque, não teve medo de dar entrevista mesmo com um inglês macarrônico, mas que gerou simpatia entre jornalistas e fãs estrangeiros.

”Borrachinha” é bem articulado, se porta bem diante das câmeras, mas não deixa de dizer o que quer para si num futuro próximo na organização. Tudo isso é válido, ainda mais tendo bom desempenho no octógono.

Porém, o que o brasileiro tem que (e deve) tomar cuidado é com o oba-oba à sua volta. Aparentemente, pelas entrevistas que tem dado, parece ser bem centrado  no objetivo principal da carreira – ser campeão do UFC.

Talvez o grande adversário para um atleta que esteja em ascensão seja a própria cabeça. Não se iludir com a hipervalorização que muitos em seu torno gostam de fazer e não querer dar vários passos a mais na carreira são aspectos que o lutador deve ter em mente.

A fama repentina e o nome falado dentro da comunidade do MMA estão dando um sobressalto na carreira de ”Borrachinha”, que deve, a meu ver, se precaver de qualquer bajulação excessiva, principalmente por ter um cartel invicto (11 vitórias).

Já vimos alguns filmes repetidos de brasucas que tiveram um hype tremendo e que não vivem um bom momento. E um deles é Erick Silva.

Chegou ao UFC como a futura estrela do MMA nacional, principalmente com nocautes devastadores e muita técnica no chão para finalizações. Porém, quando pegou um desafio mais imponente, Jon Fitch, perdeu. Foi enfrentando adversários mais medianos e os vencendo rapidamente. E quando enfrentou alguém de mais nome novamente (Matt Brown), sucumbiu.

E, agora, mesmo pegando adversários tecnicamente inferiores a ele não consegue vencer e, pasmem, perdendo sem demonstrar muita resistência.

O que aconteceu com o ”Tigre”? O sucesso inicial o atrapalhou? As derrotas e as lesões tiveram impacto em sua confiança? Muita bajulação a sua volta tirou seu foco? Ou o problema é uma coisa interna sua, apenas, de recuperar o ímpeto para vencer?

Espero que Erick volte a viver o caminho das vitórias, pois é um dos mais talentosos lutadores que temos dentro do UFC.

Pelo menos no quesito ”Prova de Fogo”, ”Borrachinha” passou com louvor no primeiro teste e certamente é algo que lhe dará confiança, ao contrário de ”Tigre”, que pareceu se abalar com derrotas para adversários mais qualificados.

O que mais me chama atenção no mineiro é a percepção dele diante da realidade dos médios. Sabe que pode ser um grande nome da categoria, mas sem tirar os pés do chão (pelo menos no discurso).

Prova disso é que pediu para encarar Derek Brunson, que deu uma de joão-sem-braço com o desafio:

Agora está começando a fazer sentido. Paulo Costa vai fracassar nos próximos meses. Vejo você na metade do ano que vem, se você não for suspenso(…)100% dopado. Não fiquei impressionado com ele de forma alguma. Lento e sem gás. Faça algumas lutas antes, não estou interessado”, disse o americano em suas redes sociais.

Pegar um adversário que vem de nocaute sobre Lyoto Machida, gosta de trocar e também pode incomodar o brasileiro nas tentativas de derrubada são novos desafios que ele precisa ter para almejar a parte de cima da tabela.

Portanto, vejo ” Borrachinha” com um ótimo futuro nos médios e só ele vai saber medir o hype que farão sobre ele. Ter o aspecto mental bem resolvido juntamente com uma equipe que o faça progredir sem ficar sobre o salto serão indispensáveis nesse momento. Todo cuidado é pouco com o oba-oba.

Concordam? Vamos bater um papo nos comentários!

Abraços!

  • Julio Varoni

    Borrachinha, apesar de talentoso, só lutou, no UFC, com pessoas q vinham de derrota e não eram grandes nomes da divisão. Então, acho melhor ele ir com calma. Pegar um top 15 talvez seja melhor q pegar um top 10 nesse momento

    • magnuseverest

      Elias Theodorou luta com Kelly em 19 do 11,poderia rolar uma briga com Borrachinha em 2018.
      Prefiro que o brasileiro detone o Elias que se acha demais.

  • Erick Henrique

    Acho que se não casarem a luta do Belfort x Hall o borrachinha podia pegar o Uriah. Se vencer se consolida no top 10 podendo assim almejar voos maiores mantendo a calma.

    • William Oliveira

      Já casaram essa luta, pelo que eu sei. O Borrachinha podia pegar o vencedor.

      • Erick Henrique

        O tenso é que eu acho que é a ultima luta em contrato do Belfort, se ele vence não sei como seria a situação pro Borrachinha

        • William Oliveira

          De fato, mas duvido q ele vença kk

          • Erick Henrique

            Idem HUASUSAHSA

    • magnuseverest

      Hall vs Borrachinha seria uma boa,o Belfort correria acho e poderia ser nocauteado brutalmente.

  • James Williams

    Eu acho ele bem talentoso! Só acho ainda meio lento nos médios. Eu acho que um bom teste seria um striker pra ver melhor sua movimentação no cage.

    • Um cara como Brunson, que apesar de afoito em algumas lutas, é um cara pressiona e já seria um teste de fogo.

      • James Williams

        Leo, acho o Brunson passo lago demais…Saca? Acho que seria interessante testar ele com um Krzysztof Jotko, Brad Tavares ou Marreta. Ou até mesmo o Hall que deve ganhar do Pastor

  • Cássio Rafael Guimarães Nascim

    Rhodes não curtiu essa coluna.

    • Gutembergue Rodrigues

      Disse tudo fella

  • Rodrigo Carvalho

    Me comove muito o público médio estar exaltando o Borrasonaro ter vencido um atleta de 77kg que não é capaz de bater o peso – e isso inclui o próprio Dana White.
    E uma falta de sensibilidade monstruosa. Essa luta não valeu absolutamente nada para ninguém. Na verdade, só valeria se o Barba tivesse vencido. Não venceu. Não muda nada.

    • William Oliveira

      Me surpreende mt mais o cara ter tantos haters como vc kkk

      Esse mero “atleta de 77kg” é um ex campeão. Não é qualquer um. Negar isso é puro haterismo e o motivo parece que já sabemos.
      Lembro que muitos valorizaram pra caralho a vitória do Stephens sobre o Renan Barao, tanto é que conseguiu uma luta contra o #1 da divisão com isso, é a mesma situação aqui.

      Borrachinha acabou de bater um dos maiores wrestlers colegiais que já lutaram no UFC, e que ainda por cima conseguiu transicionar muito bem pro MMA, isso mostrou no minimo que ele não vai ter medo de ir pra cima de wrestlers e ser quedado, até agora sua defesa de quedas tá excelente e quando derrubado pelo Bamgbose, que é um cara forte e explosivo, levantou de imediato.

      • Silas K

        Qualquer cara forte fica pequeno do cara, acredito que ele seja o médio mais pesado do UFC, pesa 100kgs em off…talvez Weidman ou Rockhold cheguem perto em questão de força física…o Lyoto então parece um peso leve perto dele.

        • William Oliveira

          Qual o seu ponto mesmo? Sim, ele é um peso médio grande, nunca neguei.

      • Tairon de Oliveira

        Borrachinha mostrou clara evolução no jogo dele. Muita maturidade pra um cara que tem 3 lutas no UFC. Boa defesa de quedas, não tá mais tão afobado, saindo no braço que nem um louco. Tem tudo pra ser uma estrela, se fizer a carreira de uma forma correta.

        • Rodrigo Carvalho

          Achei pouca coisa de diferença. Em especial pelo tipo físico dos dois atletas que ele enfrentou.

          Ele estava mais “comedido”, mas suas explosões musculares constantes, sem “dosar”, podiam cobrar um preço nos rounds seguintes,caso a luta chegasse lá.

          Ele precisa pegar uma galera pré top 15, ou bem no comecinho desse top 15 ainda para provar alguma coisa realmente.

          • Erick Henrique

            Eu acho que deveria dar um desafio mais difícil pra ele um top 10 tipo Branch ou um Hall, sinceramente não vejo ele perdendo pra um pré top 15 do jeito que ele vem lutando.

          • Rodrigo Carvalho

            Cara, pensa no Erick Silva. Ele veio implodindo uma galerinha. Ai pensaram exatamente isso que você falou. E ai? Erick Silva se ferrou, várias vezes.

            É só pegar levar como Borracha. Ele é novo, tem tempo para construir a carreira, crescer dentro do evento. O Hype as vezes atrapalham muito. Se ele bancar lutar duas ou três vezes por ano, ano que vem já ta pegando um TOP 10 maneiro. Mas da tempo pra ele mostrar o que tem e, principalmente, o que não tem, porque só ai vai poder treinar e melhorar.

          • Erick Henrique

            Eu boto fé no Borracha bem mais do que no Erick Silva na época, acho ele um cara muito mais centrado, acho o Brunson um passo maior que a perna mais um 10º do ranking que atualmente é o Hall não o vejo sendo precipitado.

          • William Oliveira

            Exatamente, do top 9-15 que é um baita lutador ali eu só vejo o Tavares e o Marreta. Ou alguém aqui vai apostar no Lyoto, Jotko ou Branch contra o Borrachinha? Certamente não serei eu a o fazer.

          • Tairon de Oliveira

            Eu acho que ele mostrou evolução, só isso. Do jeito que tá, pegando qualquer TOP#5, o caldo entorna. Ele precisa de umas 3 lutas com alguém até o TOP#10, pra depois chegar nas cabeças com mais tranquilidade.

      • Manu

        Não to achando ele “hater”, tanto até porque compartilho da mesma visão. A vitória do Borrachinha foi especial pelo oponente que era, concordo plenamente.

        Mas não vamos esquecer que Hendricks é ex-campeão só no nome. Nas últimas seis lutas, perdeu cinco, e só venceu o Lombard numa decisão mequetrefe. A verdade é que Hendricks não é sombra do que foi e vencê-lo é apenas para engordar a qualidade do cartel, porque na prática, vencê-lo agora, principalmente tendo uma vantagem física exorbitante, foi mais do que obrigatório pra uma promessa com fome de luta como ele.

        Hendricks foi um teste? Foi. Mas teste de verdade será quando borrachinha pegar um Tavares ou um Jotko da vida.

        • William Oliveira

          Óbvio que não foi um teste pra ver se o cara vai ser campeão ou não, mas foi um teste, como vc bem disse.

          Inclusive tinha uma galera que estava dizendo que o Hendricks ia conseguir cozinhar ele e fazer ele ficar sem gás, onde isso aconteceu? O Borrachinha era menos favorito que a JJ.

          Pra dizer que não mudou NADA tem que ser um hater sim.

          • Manu

            Eu não vi muita gente dizer que ele ia ser cozinhado pelo Hendricks, mas te digo uma coisa, eu não fui um deles. Inclusive a luta transcorreu do jeito que eu imaginava. Não foi nenhuma surpresa o Hendricks tomar aquele pau todo. Surpresa foi ver alguém achar que ele tinha vantagens nessa luta contra o brazuca.

            E não, não mudou. Vencer Hendricks sem motivação não demonstra nem um pouco o que o Borrachinha pode fazer. E ser derrubado pelo Bamgbose, é um demérito, porque tem muita gente melhor que ele pra derrubar nessa categoria. Inclusive pra manter o brazuca no chão.

          • William Oliveira

            Ser derrubado não tem problema hoje em dia. Pra pontuar, precisa ter uma certa efetividade com isso, o Bamgbose não teve nenhuma contra ele. Ser mantido no chão sim é um problema, mas isso não aconteceu.

            Eu vi mt gente, não só na imprensa BR mas também lá fora. Tbm não fui um deles e tbm esperava que a luta acontecesse como foi, mas terminando no r1.

          • Rudá Corrêa Viana

            Pelo menos aki no site, essa galera era uma exceção, e uma exceção bem pequena. a maioria tava contando com um nocaute devastador do borrachinha. E serei mais ousado ao afirmar que tal favoritismo não era apenas pelo hype do eraser mas tbm pelo fato de ser o decrepito ex-campeão o desafiante.

        • Rodrigo Carvalho

          Só consigo enxergar como um teste quando você pensa pela ótica de que o MMA é uma caixinha de surpresa e sempre a possibilidade de derrota.

          Se o Hendricks se mostrasse comprometido e demonstrasse algo próximo ao que ele fazia quando era “O Cara” dos 77, a luta seria um teste – para ambos, mas o que o ex campeão mostrou? Uma barriguinha saliente, a barba, e como se encolher ao tomar golpes potentes.

          • Manu

            Eu vi como teste mais pela representação do Hendricks do que teste de nível. É aquela história, Hendricks era um monstro. Desaprender a lutar, ele nunca desaprendeu. E por causa disso ele podia oferecer certa resistência. O problema foi a motivação mesmo.

            E tem a questão da USADA, mas nisso eu nem me meto.

          • Rodrigo Carvalho

            Bom, realmente desaprender não é o caso. Mas ele nem se compara ao que era. Se pela representação de “ícone”, até vai. Mas é difícil ver esse lado se olhar o retrospecto dele, o físico e a motivação. É tenso ver o Jhonny como um atleta hoje em dia.

          • Gilmar Nascimento de Souza

            Como disse o Renato no podcast, Hendricks é Meio-médio safado, que não fecha a boca! nem sombra do campeão que já foi um dia.

      • Rodrigo Carvalho

        Você disse bem, um ex campeão do peso de baixo. Que perdeu 5 de 6 lutas – como a Manu falou ali em baixo. E só ganhou de um Hector Lombard numa decisão bem duvidosa. Hendricks não demonstra mais força, gás, resistência ou mesmo potência nas mãos. Sua luta olímpica, que você cita, nem é mais usada, ele não consegue sequer grudar nos adversários.

        O Borracha só pegou gente do fim da tabela, você não pode negar isso. E não há problema nele fazer isso. Agora, querer enaltecer esse tipo de vitória.. é brincadeira. A diferença de altura era de 10 cm, de peso, você pode estipular uns 10kgs no dia da luta, a envergadura tinha uma diferença de 10 cm. Ele só tinha vantagens.

        Depois o cara pega um top 10, toma uma surra e ficam zuando com ele, como adoram fazer com os atletas apontados como promessas mas que não vingam.

        A sua comparação é até equivocada. Barão é um peso Pena natural, que lutava na categoria de baixo, enquanto o Jeremy é um peso Leve natural que luta na categoria de baixo. O Hendricks quiçá (?) é um peso Meio-Médio natural (há muitos atletas com a estatura dele que lutam nos Galos, por exemplo).

        Quem enalteceu essa vitória do Stephens só quis se apoiar num passado que não vai voltar a acontecer, nunca mais.

        E ainda digo mais, Hendricks se tornou campeão e, era o cão chupando manga, quando a USADA ainda não tinha sido implementada. Logo após o início de seus trabalhos, nem o peso o cara conseguia bater.

        Como você quer dizer que a luta valia alguma coisa? O Borrachinha fez apenas a obrigação dele como um atleta do peso de cima, explosivo e potente.

        • William Oliveira

          Veja bem, ele ganhou sim a luta contra o Lombard e a luta contra o Magny foi igualmente apertada se não até mais. Os 3 outros que ele perdeu, sem controvérsia alguma daí, são top 15 em suas divisões.

          Ele tentou grudar também, mas o Borrachinha negou as duas tentativas do Hendricks. Não é como se o Johny tivesse esquecido o que sabe ou escolhido não usar.

          Essa luta provou que ele não vai perder pra qualquer grappler e que sabe medir distância sem se afobar. Está sim pronto pra um top 15.

          • Rodrigo Carvalho

            Beleza, vamos seguir sua linha de pensamento.
            Ele pega um top 15. Ele perde.
            Como que fica? O cara parou sua ascensão por dar um passo maior que a perna.
            Porque não ir com mais calma? Ele tem 26 anos. Tem tempo.
            Por que não pegar desafios maiores gradativamente. Pesos Médios verdadeiros, caras grandes como ele, caras ágeis, bons de cão, bons de trocação. Tem muita gente nos 84kgs para isso, antes do top 15.

            Se ele ganhar, vão jogar ele pra cima de um top 10. E ai? Volta a mesma conversa.
            Ele tem tempo, é novo, não é um atleta super técnico, ele luta baseado na explosão e na potência. No topo da categoria, o resto faz falta. Deixa ele se desenvolver com calma.

          • William Oliveira

            Porque ele diz já estar pronto e não sabemos hoje quão bom ele é, uma vez que os 3 adversários que pegou não deram jogo.

            A categoria está totalmente aberta para renovação e é isso que ele trás. Com tantos atletas acima dos 37 anos nessa divisão (Bisping, Romero, Jacare, Anderson, Belfort, Lyoto) a hora pra trabalhar é agora. Passo maior que a perna seria pegar um Weidman ou Rockhold que são super encardidos. Jotko, Branch ou até Brunson são vencíveis pra caralho.

  • bedotRJ

    Valeu a tentativa de alçar vôos mais altos para cortar caminho, mas a verdade é que uma luta dele com o Derek Brunson hoje ainda não faz sentido. O Johny Hendricks dos médios, com sua pança pornográfica e 1-5 nas últimas seis, não credencia muita coisa hoje em dia. Acho que ele tem que pegar um ex-rankeado como o Tim Boestch, que também deu cabo do Hendricks facilmente, ou, no máximo, alguém entre a 10ª e a 15ª posição (Jotko, Marreta ou Brad Tavares). Também tem que repensar se vale à pena continuar ostentando esse shape de fisiculturista, algo que está em claro desuso no MMA moderno – eliminar músculos (e peso) me parece algo positivo para o gás e para a velocidade, valências que serão essenciais quando uma outra para a qual não há solução (a pequena envergadura) se mostrar um complicador. No mais, é muita sorte prá ele e #tmj com #Bolsonaro2018.

  • KRS Porlaneff

    Tudo bem que foram outros tempos, mas até hoje eu não consigo botar fé no Borrachinha (que ao invés de “The Eraser” devia ser “Little Rubber”) por causa do cara que derrotou ele no TUF Brasil 3.

    Ah, não lembra quem derrotou o Chinha sem precisar recorrer ao Pai Google? OK, eu ajudo:

    Márcio
    “Lyoto”
    Alexandre
    Jr

    • Silas K

      Podiam dar o Lyoto Sr. agora pra ver se ele se complica, acho que 13o do ranking seria um bom teste para o Little Rubber.

    • William Oliveira

      Ele tinha o que? 22, 23 anos? Isso não diz nada..
      3 anos de evolução é mt coisa pra esses caras.

      • KRS Porlaneff

        Eu sei, brôu, mas mesmo com alguns anos desde aquela luta eu ainda tenho na memória essa derrota justamente pra um dos participantes de TUF Brasil mais inúteis no UFC…

  • douglas karpinski

    Vamos lá, o cara é novo, parece o Toguro (esse deveria ser seu apelido), representa a renovação, e ganhou, apesar de um Hendricks em decadência, mas ganhou…

    Precisamos mais dele do que imaginamos, ele mostra que existe renovação, existem outros atletas brasileiros, mas ele vem sendo catapultado pelas atuações, se coloquem no lugar dele, esta sendo maduro pra caralho até….

    vamos dar crédito pra ele, cada lutador é um lutador, ele pode falhar, mas também pode, quem sabe ter um hype a la MCGregor, não sabemos, prefiro acreditar que ele vai ter sucesso…..

    • Toguro..ahahahahahahahahaha. Também prefiro olhar pelo aspecto positivo, mas só ele vai saber filtrar o que vão falar dele… o cara ser confiante, provocar adversário é coisa do jogo.

  • William Oliveira

    De modo algum, só não vi mt sentido msm haha geralmente a glr só responde discordando, tá tranquilo.

  • Thiago_NCO

    Sou bem simpático ao Eraser. Parece ser um cara centrado, tem um estilo de luta muito bom de assistir, se esforça no inglês, etc… a lição de casa está fazendo. Só não entendo o por que de incomodar tanto. Alguns veem sua última vitória como sendo sobre um gordo decadente; eu vejo como uma vitória sobre um ex-campeão que, apesar de estar longe do auge, já foi duríssimo. Vejo o como meio cheio…
    Caso lute 2x ao ano (no mínimo), corrija os buracos no jogo, continue se esforçando no inglês e, acima de tudo, FIQUE LONGE DO VIAGRA TAILANDÊS, eu vejo o cara dentre os top 5 em curto espaço de tempo.

    • Só pra deixar claro: apesar do Hendricks se apresentar mal nas últimas vezes, não tira nem um pouco do mérito do Borrachinha ter o trucidado. Só ele, o Thompson e o mão-de-pilão Boetsch o destruíram até aqui.

      • Thiago_NCO

        Concordo. Tirou o Hendricks (bem decadente, ok) pra nada. Sei que isso não é feito pra alçar o garoto pra TS, mas acho que o torna, no mínimo, diferenciado.

    • Rodrigo Carvalho

      Mas é esse o maior problema pra mim, o cara é um ex Campeão que já foi duríssimo e hoje em dia, seu retrospecto, imagem e sua própria fala desmotiva, só provam que ele não esta mais. Ele ta bem longe do que já foi, independente pelos motivos.

      O Hendricks que conquistou o cinturão era um monstro. Se o Borrachinha tivesse vencido ele naquela época – ou com ele lutando daquela forma, o copo estaria realmente cheio. Mas é bem o oposto. A decadência dele ta bem série e só vem piorando com o tempo.

      • Expert

        Essa foi a terceira luta do cara no Ufc, tu queria oq? que ele lutasse com o campeão?

        • Rodrigo Carvalho

          Não, é exatamente por isso, relaxa com o cara. Ele precisa de mais lutas no meio da tabela mesmo.

          • Expert

            Exato. Seu comentário deu a entender que o ex-campeão era o mesmo que nada para o brasileiro. Considero que para a 3 luta do mesmo está de bom tamanho.

      • Thiago_NCO

        Sim, o Hendricks já era, fato. Mas como bem o Leo Salles citou acima, poucos fizeram com o barba o que o Eraser fez.

  • Gutembergue Rodrigues

    Vamos aos fatos, sem haterismo ou bajulação excessiva. Primeiro, o rapaz venceu um ex-campeão. Se é verdade que o Hendricks estava fora de forma e tudo, também é verdade que em nenhum momento ele ofereceu algum perigo. Antes da luta, vi várias pessoas falando que ele ia perder, agora que ganhou, falam que não foi nada demais. Não é uma vitória que leva ele a “outro patamar”, mas sim, certamente joga uma luz no garoto, que agora vai começar a ter visibilidade.
    Sem ser gay, mas o cara é muito boa pinta (no homo rs), sabe se vestir bem e até que provem o contrário, é geneticamente privilegiado (o tempo dirá se é suco ou privilégio mesmo rs).
    Agora, como todo striker que aparece de repente finalizando todo mundo com facilidade em 1/2 rounds, ele ainda não foi testado. Me parece muito o Cigano quando começou. Ele também não me parece ser muito habilidoso, como Anderson Silva e Conor Mcgregor são quando se fala em luta em pé. Me parece mesmo com o Cigano, um bom boxe e um porte físico privilegiado. Não sei como ele se sairia contra um Jacaré, Romero (que testariam seu chão e como ele se sairia jogando por baixo) ou até mesmo contra o campeão, na minha visão, Robert Whittaker, que testaria seu queixo.
    Por fim, o rapaz só aguenta dois rounds hein. Não acredito que um ser humano normal, por mais treinado e condicionado que seja, consiga aguentar 5 rounds com toda aquela massa muscular não. Certamente, é uma promessa, mas até chegar a ser realidade, demora um pouco rs.

  • Caio Abreu

    deixa o menino lutar!!!!, o cara vem bem na categoria e esta chamando atenção, certo ele em mirar alto, esta desbravando a categoria dos médios, derrotas podem acontecer, o que eu vejo é um lutador que tem se destacado, pelo estilo de luta,é jovem e ta na onda do hype!! tem mais é que aproveitar o bom momento msm, mas em perder a humildade de treinar pesado,

    • O lance é esse, ter o foco. A derrota fatalmente vem para todo mundo.

  • Expert

    Meu temor é que ele se torne um novo Erick Silva, e não passe apenas de uma promessa.

  • Victor Cutrale

    Como a galera do Melhores do Mundo disse no crossover do podcast: Erick Silva chamava mais atenção por ser um “rostinho bonito” num mar de gente feia talentosa brasileira do que realmente um prospecto revolucionario.

    Pra quem conhece um pouco dos “por fora” sabe q Erick n é nenhum samurai no quesito concentração e um pouco mulherengo.

    Acho q o Borrachinha, ainda mais apoiado pelo Bolsonaro, vai tentar manter esse espirito de “bom filho da familia tradicional”, o que é meio ridiculo pra uma pessoa globalizada, maaaaas que aqui no Brasil cai como uma luva. Todos gostam de um “humildão” que arrebenta geral…

    Achei a comparação com o Tigre um tanto distante. Se fosse pra comparar com algum outro brasileiro, colocaria ele ao lado do Cigano, que chegou no UFC arregaçando, com mt vontade de aprender ingles e de ter esse aproach com a midia.

    • Victor, a comparação não é pelo que os dois são, mas o hype gerado pelas apresentações no octógono. Somente isso. Quanto ao Cigano, também é uma comparação válida (foi campeão), mas pego no ponto que o Erick meio que se perdeu com o hype e o Lil Eraser tem que ficar esperto para não cair no canto da sereia

  • Leo Corrêa

    Você não sabe o que é “100% dopado” até ver imagens de um lutador de mma, de mais de 40 anos, chamado Alain Ngalani.

    • Era candidato a entrar para um certo exército, mas perdeu freakmente para um peso-médio (campeão do One) sendo finalizado (Ngalani é pesado pra quem não sabe)

      • Leo Corrêa

        hehehe bem observado.

        • Jesus FW

          Dopado mesmo Kkkk 40 anos nas costa e tomou uma guilhotina digna de um faixa azul Kkkkk

  • Lucas Venagas

    O cara é agressivo,potente,sempre procura o nocaute,tem um belo shape e é fã do bolsonaro
    não tem como ficar melhor

  • Pablo Ramalho

    Espero que o Borrachinha seja leitor do site. Todo sucesso a ele.

    Esse tópico me fez lembrar uma conversa que tive com um conhecido que acompanhou a acensão da Livinha ex-campeã do invicta e agora é atleta do UFC. Quando a lutadora se tornou campeão do invicta ficou se achando, estava esnobando geral na academia. Ai perdeu o cinturão e colocou os pés no chão. Espero que tenha aprendido a lição.
    Isso vale para todos.

  • LucasHawk

    O empresário dele é o Wallid? Isso é bom ou ruim?

    Pq eu não consigo imaginar o Wallid escolhendo adversário e gerenciando uma carreira, pra ele é “tempo ruim o tempo todo”. Posso estar enganado.

    Ficou claro no texto e pra galera aqui do fórum que o Borrachinha é uma boa aposta, só temos esse receio por já ter visto esse filme antes, mas e pro pessoal mais leigo?

    Acredito que a maioria dos assinantes do Combate não discutem MMA na semana como nós, só querem ver as lutas mesmo e se surgir um novo ídolo melhor ainda. Pra quem assiste apenas na Globo então o Borrachinha já é o novo Belfort.

Tags: , , , ,