Resenha do Bellator: Bader
atropela e mantém cinturão

Leo Salles | 04/11/2017 às 01:25

Fala moçada do Sexto Round!

A Universidade Estadual da Pensilvânia (mais conhecida como Penn State), no seu Bryce Jordan Center,  recebeu não apenas o Bellator 186 com vários bons momentos e duas disputas de cinturão em jogo, mas também dois filhos retornando à velha casa: Phil Davis e Ed Ruth.

Ambos foram campeões nacionais da primeira divisão de wrestling, em épocas diferentes,  pela universidade e se saíram muito bem na noite desta sexta-feira (03).

O ex-campeão dos meios-pesados fez luta pragmática contra o brasileiro Leo Leite e venceu sem grandes sustos. Já Ruth manteve a invencibilidade nocauteando um limitado Chris Dempsey.

O campeão até 93kg Ryan Bader dominou Linton Vassell na luta agarrada e triturou no ground and pound no meio do segundo round, mantendo seu cinturão.

Pelo titulo inaugural dos moscas, Ilima-Lei Macfarlane dominou todo o combate e levou o braço de Emily Ducote no último round.

Ainda, tivemos um nocaute sensacional no card preliminar, candidato ao mais bonito do ano.

Sem mais enrolação, vamos aos destaques do evento:

Ryan Bader x Linton Vassell

Uma das principais contratações do Bellator no ano, Ryan Bader vem fazendo aquilo o que se esperava dele. Após combate equilibrado contra Phil Davis, desta vez não teve nenhum trabalho para nocautear Linton Vassell.

Bader, como é do seu jogo, partiu logo para o clinch e botou Vassel na grade. O desafiante inverteu a posição, mas levou uma bela queda.

Vassell acertou um bom chute baixo, porém ”Darth” foi para o double leg e derrubou.

O campeão manteve-se na mesma estratégia no segundo round de buscar a queda e dominar por cima. Bader foi trabalhando no ground and pound e buscando as brechas, livrando o braço de Vassell para começar uma saraivada de golpes no rosto do inglês.

Assim, não teve como mais a luta continuar e ”Darth” manteve o cinturão, defendendo-o pela primeira vez. Será que teremos uma certa trilogia?

Ilima-Lei Macfarlane x Emily Ducote 2

A primeira campeã dos moscas seria conhecida de uma revanche entre duas boas lutadoras que fizeram um combate bem equilibrado quando se encontraram pela primeira vez. Porém, desta vez, o domínio foi completo de um lado.

Ambas começaram trocando socos, mas Macfarlane foi mais agressiva inicialmente. Tentou buscar quedas e ”Gordinha” defendeu bem. No meio do primeiro assalto Macfarlane acertou um bom soco na cabeça que fez Ducote balançar.

”The Ilimanator” conseguiu derrubar e ficar por cima para bater bastante e por pouco quase finalizou com uma chave de braço. O domínio no final do round foi tanto que um 10×8 não seria exagero.

Macfarlane acertava com mais facilidade os golpes, com Ducote aparentando ter sentido a blitz . Porém, ”Gordinha” foi recuperando o gás e foi com mais confiança para trocar socos. Mas, mesmo assim, ” The Ilimanator” foi mais incisiva no segundo assalto.

No terceiro round, Macfarlane buscou mais o clinch e acertou boas joelhadas, mantendo-se agressiva. Conseguiu encaixar boas sequências de socos de direita e não teve receio de levar a adversária para a grade e derrubar.

Nos rounds de campeonato, Macfarlane manteve a postura de atacar e frustrar e adversária. Aplicou mais chutes baixos que minaram a perna de Ducote, que, no último round, tentou qualquer coisa  para finalizar a luta.

Chegou levar o combate para o solo, mas ”The Ilimanator” grampeou e foi enrolando até contar com o vacilo de ”Gordinha” ao encaixar uma bela chave de braço, consagrando-se campeã dos moscas do Bellator. A categoria está só começando e quem começaria a desafiar a nova campeã: a brasileira Bruna Ellen, Anastasia Yankova…? Boas lutas não faltarão!

Phil Davis x Leo Leite

O que dava para esperar de dois experientes grapplers? Phil Davis, wrestler exímio, e Leo Leite, campeão mundial de jiu-jitsu e invicto no MMA, tinham que ter um ás em suas mangas para levar a vitória.

Por isso, Leite foi logo para cima e tentou amassar ”Mr.Wonderful” na grade. Mais experiente em lutas de MMA, Davis foi aos poucos mudando a posição e controlando o centro do octógono, mantendo a distância com chutes baixos.

Porém,  o brasileiro tem uma mão calibrada e acertou bons socos no meio para o final  do primeiro round, apesar do americano ter sido mais ativo, levando a melhor no round inicial.

Davis permaneceu dominando as ações, mas Leite esperava o momento certo para atacar e soltar mais combinações de socos potentes.”Mr.Wonderful” também soltava golpes (alguns bem abertos), algo que não é da sua natureza, mas sem se expor tanto, como de costume. O receio de levar a luta para baixo o fez dominar as ações em pé.

No último assalto, Davis manteve o controle da distância e acertando jabs. Usando da experiência, buscou o clinch para quedar ou então levar para a grade. Praticamente foi essa dinâmica do americano no round, que precisava da vitória para garantir novo title-shot.

A luta, em nenhum momento, se desenvolveu no solo e pode ter decepcionado um pouco por isso. Porém, foi até bem movimentado em pé, mesmo o nível técnico de trocação de ambos não ser um primor. Leo Leite fez mais do que podia e Davis está muito acima do brasileiro, em todos os aspectos do MMA.,

”Mr.Wonderful” levou por decisão unânime (30-27 3x), em combate equilibrado. Justo resultado para o americano, que, mesmo não sendo brilhante e mais comedido talvez por ter sido amplo favorito para a luta, deve acabar ganhando outra chance de título e uma trilogia a vir contra Bader.

Ed Ruth x Chris Dempsey

Claramente com a torcida a favor, Ed Ruth não perdeu tempo contra o ex-UFC Chris Dempsey e buscou a queda logo no início  do combate. Trabalhou por cima no ground and pound e em busca de finalizações, fazendo transições que cansavam Dempsey.

A intensidade na trocação do condecorado wrestler foi consumada com um soco de direita certeiro no queixo de Dempsey, que caiu em câmera lenta e não voltou mais para a luta.

Para o tricampeão nacional de wrestling, ter quatro lutas como profissional no MMA e vencer todas por nocaute é um prenúncio de um grande atleta a ser trabalhado pelo Bellator. Tudo bem que Dempsey é um lutador bem limitado, porém Ruth demonstra uma boa versatilidade dentro do cage.

Menções honrosas:

Abrindo o card principal, Zach Freeman, que foi um belo de um estraga-prazer na estreia de Aaron Pico no Bellator 180, tomou dois golpes certeiros de Saad Awad, veterano da casa, e foi nocauteado em pouco mais de um minuto de luta.

O último soco levado por Freeman o deixou bem atordoado, se agarrando na perna do árbitro. O que será que Pico deve estar pensando ao ver seu algoz beijar a lona daquele jeito?

No card preliminar, outro garoto prodígio vindo wrestling e de grande potencial, Logan Storley , conseguiu mais uma vitória convincente e dominante.

Por 15 minutos trabalhou muito bem as quedas e aplicou diversas cotovelas no ground and pound, boa parte de meia-guarda, levando a vitória por decisão unânime.

Storley vem mostrando o que o Bellator espera e, junto com Ed Ruth e Aaron Pico, será bem trabalhado pela organização.

E o que dizer deste nocaute espetacular de Tywan Claxton sobre Jonathan Bonilla-Bowman? Detalhe: não apenas foi sua estreia no Bellator como também foi como profissional. KO do ano?

Outros resultados:

Scott Clymer  venceu Michael Benjamin Putnam por nocaute técnico no primeiro round
Mike Wilkins venceu Brett Martinez por finalização no segundo round
Mike Trizano venceu Mike Otwell por finalização no segundo round
Dominic Mazzotta venceu Matthew Lozano por nocaute técnico (interrupção médica) no primeiro round
Frank Buenafuente venceu Francis Healy por decisão unânime
Andrew Salas venceu Ethan Groos por decisão dividida
Joshua Fremd venceu Ryan Parker por finalização no segundo round

  • Renato Rebelo

    Esse último é papo de KO do ano até agora, hein!?

    • Rodrigo Tannuri

      Tem meu voto!

      • KRS Porlaneff

        Meu também.

        E concorre com o KO do Marreta no UFC São Paulo como o KO mais plástico do ano (criei a categoria nova ontem no Hue MMA :)) )

    • Malk Suruhito

      Joe Higashi #aproves

    • José Valter Alves Junior

      onde vota? ja ganhou!

    • Lero

      o KO do Jeremy Stephens vs Dennis Bermudez eu acho um dos nocautes de joelhada mais desvalorizados da historia.

  • William Oliveira

    Assisti apenas o card principal, perdendo então de ver essa baita joelhada ao vivo, realmente mt impressionante como foi rápida e natural.

    Atuações pragmáticas e comedidas por parte dos dois atletas outrora top 5 meio-pesados do UFC e grandes performances por parte dos três já “de casa” que saíram vencedores. A Macfarlane venceu os 4 primeiros rounds e convenceu, não sei de onde o Mário Filho (?) me veio com o papo de que a Ducote seria melhor no chão, ela estava super passiva e lenta nas transições.

    Como já dito, Ed Ruth e Logan Storley são dois grandes prospectos a serem trabalhados, muito potencial aí, espero que o Bellator não os jogue aos lobos dessas divisões, arriscando queima-los cedo. Mas também não precisa proteger tanto como estão fazendo com o AJ McKee, Gallagher e até o Page.

    • Page já passou da hora de ser jogado aos leões. Ed Ruth e Logan Storley tem poder nos punhos impressionantes. Se afiarem bem a trocação com mais rodagem farão bastante barulho na organização.

  • Matheus V.

    Bom Bellator, apesar de previsível. Prefiro ver Bader x King Mo (que já foi marcada) do que uma trilogia com o Phil Davis. Aliás, para mim o Mo venceu o Davis no confronto deles, então nenhum absurdo em um TS para ele.
    Quanto ao co-main event, apesar de conhece-la, nunca tinha visto a MacFarlane lutar e fiquei com uma ótima impressão. Bom boxe, jogo de quedas eficiente e bem arisca lutando por cima ou por baixo no chão. Só me agoniou a quantidade de low kicks que ela engoliu, mas tem nível de UFC.

  • The Juggernaut

    Bellator tem que investir mais em novos talentos, porque tá cheio de Mismatch! Bader vs Vassel,Davis vs Leite,Ruth vs Dempsey e Awad vs Freeman são lutas que você não espera nada diferente, superfavoritos lutando contra azarões com pouca qualidade pra surpreender.

    • William Oliveira

      Cara, eu vou discordar. O Vassel na trocação tava mt bem, se ele conseguisse defender as quedas do Bader a luta teria sido bastante competitiva, chances ele tinha sim.

      Saad e Freeman era algo parecido, o Freeman tinha como ganhar, mas precisava encurtar cedo e quedar, pois o fraco do Saad é justamente o seu chão e é a especialidade do Freeman, mas n rolou.

      E Dempsey foi pra testar o Ruth, ver como ele se sairia com um cara experiente, eu acho isso certo, tem q dar uns veteranos mais fáceis pros prospectos com potencial sim.

      Davis e Leite até concordo, mas o Leo entrou como substituto, faz parte, acabamos de presenciar OSP e Okami kk dá nem pra reclamar.

      • Vinicius Maia

        OSP x Okami é quase mismatch of the year kkk

  • Leo Corrêa

    Não entendi o nocaute do Saad. impressão minha ou o que houve foi uma cabeçada no joelho por parte do nocauteado?

Tags: , , , , , , , ,