Renovação dos meio-médios é
má notícia para Demian Maia?

Leo Salles | 24/10/2017 às 13:40

Moçada do Sexto Round,

O UFC volta a fincar raízes em terra brasilis, mais exatamente na cidade de São Paulo, para mais uma edição recheada de brasileiros. Entre eles, um ex-desafiante dos cinturões peso-médio e meio-médios, o veterano Demian Maia, que encara o periogoso Colby Covington, no penúltimo combate do card.

O caminho do paulista, desde que perdeu em luta morna contra Tyron Woodley pelo título até 77kg em julho passado, será bem diferente do que quando conseguiu o title-shot.

Daquela vez, Demian venceu sete seguidas e passando para trás grandes nomes como Gunnar Nelson, Neil Magny, Carlos Condit, Matt Brown e Jorge Masvidal, recebendo, merecidamente, aos 39 anos, a chance pelo cinturão.

Agora, a equilibrada divisão dos meio-médios, já lotada de talentosos e duros lutadores, vem vendo surgir jovens atletas bastantes promissores, que prometem dar muito trabalho aos ”coroas”.

Um deles, inclusive, já deu as caras a um da velha geração: Darren Till passou fácil por Donald Cerrone,  no UFC Polônia do último sábado (21).

Além do inglês com alma de brasileiro, nomes que provavelmente brigarão pelo topo do ranking e disputarão o cinturão no futuro como Kamaru Usman, o próprio Covington, Alex Cowboy,  Mike Perry e Santiago Ponzinnibio (a quem destaquei neste post), que medem forças no UFC Winnipeg em dezembro, são alguns que vêm para trocar de lugar com os veteranos da categoria.

A maior chance escapou

A ascensão deles no topo poderá ser rápida graças à queda de rendimento de grandes lutadores da divisão como Carlos Condit, Matt Brown (que se aposentará após enfrentar Diego Sanchez no UFC Norfolk em 11 de novembro) e possivelmente Robbie Lawler, caso perca para Rafael dos Anjos na luta principal em Winnipeg.

Ainda, a nova trilha de Demian para o título está mais pedregoso por outros dois motivos:

1) o brasileiro, beirando os 40, pode não ter o mesmo fôlego para uma nova maratona de grandes combates. Se pegar adversários cuja força seja o wrestling,  o que tem dificultado sua vida, o brasileiro pode, rapidamente, sair do top 5, tamanho o equilíbrio que a divisão apresenta.

2) Mesmo que vença Colvington, haverá pelo menos dois lutadores a sua frente, veteranos que ainda são relevantes e podem conquistar a cinta. Rafael dos Anjos travará batalha contra Robbie Lawler e daí deve sair o próximo desafiante dos meio-médios. E Stephen Thompson enfrenta Jorge Masvidal no UFC 217, ficando um dos dois à espera do title-shot.

Till e a nova geração chegaram com força

Portanto, encarar atletas tanto da nova quanto da velha geração são dificuldades para Demian conseguir uma nova chance para o cinturão. Será que terá gás para bater de frente contra a nova geração dos meio-médios?

A grande questão, no meu entender, é se o multicampeão mundial de jiu-jitsu vai conseguir esperar a sua vez caso mantenha o ritmo de vitórias, pois não tem mais tanto tempo para prosseguir na carreira.

Permanecer em alto nível na categoria com alto grau de competição e talentosos nomes é um desafio até mais importante do que quando resolveu mudar dos médios para os meio-médios e finalizar metade do ranking.

Seu adversário deste sábado (28), Colby Covington, já é parte desta realidade e com jogo que preocupa o brasileiro, apesar de a maior parte das vezes em sua carreira ter levado vantagem contra grapplers. Tanto que, após perder para Woodley, foi para os EUA aprimorar seu wrestling:

A ideia é ir treinar wrestling nos Estados Unidos. Coincidência ou não, as sete lutas que me mantive invicto tiveram camp lá treinando wrestling. A única que não fiz foi a última, que perdi. O Colby é mais um lutador de grappling, de luta agarrada, mas desde que eu entrei no UFC, vai fazer 10 anos agora no final de 2017, todos tentaram, mas o único que não permitiu que eu levasse a luta para o chão foi o Tyron, o campeão. (…) Percebi que tem coisas que posso melhorar ainda mais e fazer meu estilo de jogo ser ainda mais eficiente”, disse Demian, em entrevista coletiva da promoção do UFC São Paulo em agosto passado.

Acho salutar e importante o ânimo que o ex-desafiante até 77kg possui para buscar evolução naquilo que é fraco e não se contentar apenas em ter disputado o cinturão.

Demian é um sujeito ponderado,inteligente e prudente no que concerne sua carreira e saberá quais caminhos tomar dentro do UFC.

Sendo o mais velho da divisão, pode ser que fique para trás caso perca, mas não será por falta de tentativa em se manter em alta competitividade.

Até porque os prospects vêm chegando aos poucos, porém de forma sorrateira, como Covington, e talvez seja a má notícia para o brasileiro neste momento, se pensa em ter ainda vida longa nos meio-médios.

Concordam? Vamos bater um papo nos comentários!

Abraços!

  • Mauricio

    Eu posso estar meio aloprado, mas acho que o Demian deveria subir aos médios novamente do Spider pra baixo eu vejo ele com possibilidade de vencer qualquer um dos médios, inclusive o proprio anderson.

    • Thiago_NCO

      Respeito sua opinião, mas discordo totalmente. Demian era só mais um nos 84 quando a categoria era rasa, imagina agora, beirando os 40 e com tanto monstro por lá.

      • Tarley Guimarães Ferreira

        Eu não diria que ele era só mais um, uma vez que ele chegou a disputar o cinturão.Quando um cara vai enfrentar o Demian, seja qual for a categoria, o cara treina dobrado pra não ser levado pro chão, então ele sempre será uma pedra no sapata e um torcicolo de girafa.

    • Gabriel Kalinowski

      Realmente também acho você meio aloprado.. rsss
      Não vejo motivo nenhum para o Demian voltar aos 84.

    • Tiago Nicolau de Melo

      Poxa… do Spider pra baixo é assinar atestado de só pegar do Top10 pra baixo. Não consegue escalar, não. Já era complicado na época que conseguiu o TS ,hoje em dia com os Rockholds da vida, fodeu!

    • Rudá Corrêa Viana

      Ele saiu dos médios pq a disputa tava muito complicada em especial pelo fato dele ter começado a apresentar dificuldades relacionadas ao tamanho. Os caras dos médios na vdd são meio médios que descem pra bater 83. Atualmente ele estaria em grande desvantagem, uma vez que ele seria menor e teoricamente teria menos força pra levar para chão e aplicar sua mágica (e que mágica) no solo. Tudo isso somado ao fato de ter 40 anos.

  • William Oliveira

    Vou discordar, prefiro olhar para essa situação com outros olhos, mais otimistas. A chegada de novos nomes na divisão é, para mim, um alívio. Do vencedor de Lawler-RDA pode sair o cara a bater o T Wood, principalmente se for o RDA. Se esse for o caso, acredito que será questão de 2 ou no máximo 3 vitórias para um novo titleshot pro Demian.

    Uma luta pra ele caso passe do Colby, seria o Wonderboy (favorito) vindo de vitória sob o Masvidal, essa seria bem interessante e acho que deveria acontecer mesmo no caso do T Wood manter seu cinturão contra o vencedor de Lawler-RDA, uma vez que definiria quem é realmente o segundo melhor meio médio do mundo (ou terceiro? pois Rory está no Bellator e muito bem).

    Também acho que todos esses novos prospectos são novas opções de lutas pro Demian, se não fossem eles, o brasileiro estaria ferrado pois não seriam muitas pessoas que estariam afim de ver Demian X Stun Gun 2, Demian X Condit 2 dentre outras lutas do paranaense que não foram nem um pouco competitivas e provavelmente teriam o mesmo final em um segundo encontro.

    • A chegada de novos é nos meio-médios é, de fato, excelente. Mas meu ponto foi justamente esse. E por isso acho que o caminho para o Demian para um novo TS está mais complicado.

      • William Oliveira

        Mas se n houvesse essa chegada, Demian não teria muitas lutas pra se fazer, dificultando ainda mais. Acho que isso facilitou, até porque o Demian como o Till falou é mt perigoso pra esse tipo de striker como o Perry, o Santiago e ele.

  • Lorenzo Fertitta

    Torço mais do que nunca para o Demian, por vários motivos:
    – Gostaria de vê-lo lutando contra os tops da categoria (Lawler, Wonderboy, etc.);
    – Seria interessante se ele conseguisse disputar a cinta novamente, com camp completo;
    – O final de carreira do representante mais puro do jiu-jitsu no UFC merece ser glorioso;
    – E o motivo principal: de tantos prospectos que essa divisão possui, Covington é o de estilo mais sonolento. É chato ver esse camarada lutar, espero que não vingue entre os ranqueados. Por favor Demian, nunca te pedi nada. Se vinga por mim, faz esse cara dormir.

  • bedotRJ

    Demian não está assim tão longe de uma nova disputa. O problema é o nível de competição. A próxima deve ficar mesmo com o vencedor de Lawler vs RDA. A disputa seguinte sairá de quem sobrar entre Maia vs Covington e Wonderboy vs Maisvidal. Ou seja, muito provavelmente apenas um dentre Demian e Thompson ganhará uma nova revanche com o Woodley (caso este permaneça com a cinta após lutar com o vencedor de Lawler vs RDA). A nova geração, Usman, Till, Ponzinibbio, Perry, Cowboy etc. só estará realmente no bolo lá pro fim do ano que vem. E terão que furar alguns bloqueios como Condit, Gastelum e e os perdedores das atuais “semifinais”. É muito luta boa prá casar no ano que vem.

    • William Oliveira

      Cara, acho q é mt otimismo achar q o UFC casará T Wood X Demian 2 sem que o Demian ganhe umas 5 seguidas. Não dps daquele luta. O T Wood precisa perder pro Demian lutar dnv pelo cinturão, provavelmente.

    • Temos grandes combates para casar nos meio-médios mesmo. Mas o Demian, já chegando nos 40, terá que manter o nivel bem alto contra essa galera que está subindo de produção. Como Wiliam falou, uma revanche entre ele e o Woodley dificilmente acontecerá pela forma que a luta foi e será um caminho mais árduo

  • Marco Antonio

    pEFIL ZERO, CARISMA ZERO…NEM ELE ACREDTIVA QUE IRI GANHAR, E NAO GANHOU E NAO VAI GANHAR NUNCA!

Tags: , , ,